quarta-feira, junho 30, 2004

Portugal 2 - Holanda 1







Fotos cortesia Associated Press.

A ESCALA DE MOHS

A ida de Durão Barroso para Bruxelas preocupou os jornalistas anglófonos, incapazes de pronunciar o ditongo nasal, tão típico em Portugal como a sardinha assada.

Durao Barroso aquiesceu entao em ser tratado apenas por Barroso, ou José Barroso, ou ainda José Manuel Barroso. A este respeito, algumas consideraçoes:

A criatura possui um nome paradoxal e contraditório. Explico. A dureza é, por definição, a resistência que um mineral oferece à risca provocada por uma acção mecânica externa. Na prática mineralógica utilizam-se escalas de dureza relativas, representadas por determinados minerais. A mais comum é a escala de Mohs. É uma escala arbitrária, em que os valores obtidos não correspondem ao valor rigoroso da dureza mas apenas ao resultado da comparação com outros minerais. Os dez termos da escala de Mohs, de durezas crescentes, são: 1, talco; 2, gesso; 3, calcite; 4, fluorite; 5, apatite; 6, ortose; 7, quartzo; 8, topázio; 9, corindo; 10, diamante.

Sendo Durão, esperar-se-ia que o grau de José fosse elevado, dez ou nove no mínimo. Mas sendo Barroso, afinal tem dureza fraca e deixa-se riscar facilmente por acção externa. Eliminando Durao e mantendo Barroso, José Manuel antecipa subliminarmente como pautará o seu desempenho externo.

O nome Barroso também não é isento de equívocos fonéticos, como se viu nas notícias a propósito da Cimeira dos Açores: para dizer Barroso, um anglófono tem tendência a escrever Burroso. O caso não é inédito e nós temos tendência a imitar os anglófonos. Vejam-se os exemplos da Florida que passou a Flórida e principalmente da ilha de Samatra, que os ingleses passaram a escrever Sumatra e nós a copiá-los. Há, portanto motivos sérios para admitir que José Manuel passe doravante a ser assumidamente Burroso. Ou, alternativamente, Donkish.

Já no mundo hispânico, José tende a ser lido como Rosé, pelo que não será de estranhar que o nosso voluntarioso concidadão possa vir a ser conhecido como Rosé Barroso e assim confundido com um produto da Sogrape.

Um outro risco, já não da escala de Mohs, resulta do nome Manuel ser passível de ser confundido com o do criado de Basil Fawlty natural de Barcelona, e portanto espanhol. Convinha que Durão tivesse preferido omitir também o nome Manuel, por uma questão de diferenciação patriótica face a Espanha, sempre tão pronta a rapinar os nossos heróis, desde Magalhães a Saramago.


Carta aberta ao Senhor Professor Freitas do Amaral.

"Lida a missiva que publicamente dirigiu ao Senhor Presidente da República, atordoado (e sem a posição “senatorial” de que o Senhor Professor dispõe), não pude deixar de, publicamente, lhe apresentar as perplexidades que aquela me gerou.

Senhor Professor, na concepção de eleições legislativas que transparece do seu texto parece que estas são “apenas” para escolher um PM e, já agora,... porque não,... já que estamos aqui... elegemos uns 230 tipos... ainda que constituam «a assembleia representativa de todos os cidadãos portugueses»,... sabe-se lá para quê... talvez para apreciarem o programa do Governo e o seu cumprimento?... quiçá, para exercerem essa “coisa menor” que é aprovar ou rejeitar moções de censura ou confiança?
Senhor Professor, se a AR é competente para derrubar o Governo, como justifica que não o seja também para aprovar o programa e participar na legitimação política de um outro?... Ao esvaziar das competências dos Deputados (os representantes do Povo), não estará o Senhor Professor a contribuir para a “partidocracia” que quer evitar?...
E se as eleições legislativas servissem principalmente para escolher um PM, qual o papel que o Senhor Professor reserva para o PR no nosso sistema constituicional? E para que serviria então a sua eleição directa pelos cidadãos se lhe reserva um papel de mero notário de actos políticos?

Ao avocar a tese duvergiana das democracias “directas” e “indirectas”, apresentou-as como antitéticas. Mas, como o Senhor Professor bem sabe (e ensina), a Democracia é um modelo complexo, que exige mecanismo de salvaguarda que permitam uma saída política constitucional para situações excepcionais. É o caso dos instrumentos da democracia “indirecta”, quando, por exemplo, proporcionam (como solução política legítima) a nomeação de um novo PM porque o seu antecessor ficou impossibilitado de continuar a exercer o seu mandato (que é, na Europa civilizada, situação bem mais comum do que a extrema-esquerda – e os seus úteis compagnons – deixam transparecer). Porque, e acredito que o Senhor Professor concordará, em situação de crise, arranjar instabilidade política é uma má solução! Como aconteceu quando o Senhor Professor, enquanto presidente do CDS, aceitou ser parte de uma solução governativa que brotou do parlamento... e sem eleições intercalares! E nessa altura fê-lo, e bem!

A causa da decisão do PM de «voluntariamente apresentar a sua demissão», perdoar-me-à Senhor Professor, deve e tem que ser discutida. Esquecê-la é não atender à “causa da coisa”. A vacatura do cargo de PM resulta de um extraordinário convite para uma posição internacional de destaque. Tanto, que os partidos que representam uma esmagadora maioria dos portugueses reconheceram que o país teria muito a ganhar se fosse exercido por um português... Ou só seria assim se o escolhido houvesse sido o Dr. António Vitorino?!?
Assim, a “causa da coisa” é tão importante e extraordinária que, a solução deverá ela mesma ser extraordinária. A não ser que o Senhor Professor haja pretendido criar condições para que ao Dr. Durão Barroso não restasse outra solução senão a de... rejeitar o convite!

A crise que o país atravessa (...mas que todos os indicadores e agentes macro- conómicos afirmam estar em inversão – e que, uma vez mais, não é questão de somenos). O Senhor Professor sabe que a aceitação do pedido de exoneração apresentado pelo PM tem como consequência necessária a queda do Governo. E que as razões de relevante interesse nacional que levam à apresentação daquele pedido exigem a disponibilidade imediata do Dr. Durão Barroso e que, por isso, não poderia presidir a um governo de gestão até às eleições que solicita que o PR convoque! Que este teria que convidar e nomear um novo PM para governar a prazo, até às eleições antecipadas! Quem aprovaria o programa deste Governo “a quo”: a AR a que o Senhor Professor não reconhece legitimidade para sustentar politicamente um Governo... “normal”? E como compatibilizar a sua preocupação com a crise com o adiar de um Governo pleno de legitimidade política lá para o Natal?!? Então e a crise, Senhor Professor?... e o país?... e os portugueses?

Critica o Senhor Professor a hipótese de um novo PM poder ser «escolhido por 70 dirigentes partidários»! Porém, eles ainda não se pronunciaram... e só têm legitimidade para propôr soluções ao PR. Imagine que eles deliberavam pedir ao PR a convocação de eleições? Já seriam, para si, 70 iluminati? O Senhor Professor sabe que os partidos se submetem a uma lei que exige a democraticidade interna. Que, entre Congressos, a vontade imputável a cada um dos partidos é apurada no seu “parlamento”, os conselhos nacionais! E, não se conhecendo que algum haja convocado a sua “reunião magna”, serão os 70 do PS, outros 70 do CDS, outros do PCP e mais alguns do BE quem deverá aprovar as propostas de solução a apresentar ao PR! Mas, que a escolha nomeação do Primeiro Ministro é um acto descricionário e solitário do Presidente da República! Em nome do Povo e estribado na legitimidade que lhe advém das eleições directas! E é também por isso (e para isso) que o órgão existe!

Como sabe, Senhor Professor, no sistema semi-presidencialista português a legitimidade política plena do Governo decorre da sua nomeação pelo PR (tendo em atenção os resultados eleitorais e ouvida a opinião dos partidos com representação parlamentar) e da não rejeição do seu programa pela AR! Esta é a “arquitectura constitucional” presente e existente! Olvidar isto e laborar em “esquemas alternativos” é promover a subversão do sistema! Isso sim é uma tentativa de golpe de Estado!
Porque a não aceitação da solução governativa PS-PRD deveu-se a nenhum destes partidos ser o mais votado. E o exemplo do Prof. Vitor Crespo deveu-se ao outros factores... um dos quais o Senhor Professor foi protagonista destacado!

Concordando com os benefícios da estabilidade político-governativa, não compreendo as suas dúvidas quanto «legitimidade política e autoridade institucional» de um PM escolhido pelo PR após audição dos partidos com representação parlamentar! Não vivemos numa “Democracia representativa”? O Povo, na Primavera de 2002, elegeu 230 deputados e neles delegou o exercício da responsabilidade política para apreciar o programa e julgar o exercício do Governo? Faltam ainda 2 anos para se esgotar a legitimidade do mandato. Parece que há uma maioria parlamentar que se dispõe a suportar uma solução governativa de que os 2 anos decorridos são uma parte de um processo de 4 anos, e pelo qual querem ser julgados... no tempo certo! Quer o Senhor Professor interromper um ciclo de quase 20 anos de confiança nas instituições e de aposta na estabilidade?

Serão estas dúvidas suficientes para merecer da Sua parte uma reflexão e, quem sabe, outra posição?"

João Titta Maurício
Prof. Universitário

titamau@netcabo.pt

Mais logo.


Todos os caminhos vão dar a Alvalade.

Falta pouco.

Adeptas.



Há coisas que nos doem muito. Esta é das mais dolorosas. É verdade. Confessamos que ficamos doentes com estas imagens de terror. Puro terror. Está o pessoal descansado a ver e bola e, de repente, é agredido violentamente desta maneira. Phoenix.

terça-feira, junho 29, 2004

PS e BE.

"Os deputados do PS eleitos para o Parlamento Europeu decidiram, por solidariedade nacional, não votar contra a nomeação Durão Barroso para presidente da Comissão Europeia, anunciou hoje António Costa.

«Tendo já falado com os 12 eurodeputados (do PS) decidimos não votar contra, em qualquer circunstância, o nome de Durão Barroso», disse aos jornalistas António Costa, líder dos socialistas portugueses no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

Os socialistas assumem esta posição (abstenção ou voto a favor) apesar da «avaliação negativa» que fazem do governo do PSD.

«A solidariedade nacional impõe que não façamos avaliações prospectivas negativas sobre o desempenho de Durão Barroso e devemos todos desejar-lhe felicidades», adiantou. "


Mais.

P.S. Ao contrário do BE, o PS sabe ser nacionalista. O que vale é que ninguém tem isso em conta e apoiam o "Nacionalismo Estalinista" do BE.

Greves.

"Os trabalhadores da Carris, da Rodoviária e do Metropolitano de Lisboa vão cumprir amanhã mais um dia de greve. A paralisação coincide com o primeiro jogo das meias-finais do Euro 2004, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, mas está garantido o funcionamento dos serviços mínimos. No caso do Metro, o Governo recorreu mesmo à requisição civil."

Mais.

P.S. Achamos bem. Os rapazes também tem direito a ver o Portugal - Holanda.

Habitual coerência.

"O secretário-geral comunista, Carlos Carvalhas, criticou hoje a decisão de Durão Barroso de se demitir do Governo para se candidatar à presidência da Comissão Europeia, responsabilizando-o pela criação de uma «crise política», e insistiu na realização de eleições antecipadas."

Mais.

P.S. Não era isto que o PCP anda a pedir? Agora que o Durão cumpriu o desejo deles, dizem mal? Haja paciência para estas K7.

Santana em primeiro lugar do top de vendas.

""Supernatural - Live", do guitarrista Carlos Santana, volta a liderar as vendas de DVD e cassetes VHS em Portugal, numa semana em que a única novidade".

Mais.

P.s. Foram enganados com o Santana. Pensavam que era o nosso, seus malandros.

Phoenix.

"O secretário-geral do PS disse esta terça-feira que o partido vai pedir ao Presidente da República a realização de eleições antecipadas. Falando em conferência de imprensa, na sede do PS, Ferro Rodrigues quer que este acto eleitoral se realize «no mais curto espaço de tempo», porque «o País quer ser ouvido, o País quer eleições»."

Mais.

P.S. É o país que quer eleições ou ele que quer ser primeiro ministro? O homem está desejoso de repetir o "bom" trabalho que efectuou enquanto lá esteve.

"Vade retro Satanás".

Vieram a este Blog à procura de "pernas de futebolistas (Del Piero)". Avisamos que aqui não há nada disso.

Phoenix!!!!!!

"Sexo e violência em ópera de Mozart gera escândalo".

"Uma ópera que inclui estupros, tortura e masturbação está a provocar escândalo em Berlim. O espectáculo ainda apresenta um barítono nu a cantar uma ária no chuveiro e um herói que se veste de mulher e encerra a noite massacrando um grupo de prostitutas seminuas.

Entre actos de sexo simulado com as prostitutas presentes por toda parte na cena , um dos personagens urina sobre o palco e esfaqueia uma mulher que não pode reagir, enquanto outra assiste a tudo, apavorada...

As apresentações têm sido interrompidas em vários momentos por gritos de revolta do público, e muitas pessoas têm abandonado o teatro a meio do espectáculo, completamente enfurecidas.

Na noite de estreia, uma voz vinda do palco comentou, quando Belmonte matou a primeira das prostitutas e respectivos guardas: "Agora é a vez do director!" "


Mais.

P.S. Uma ópera com "estupros, tortura e masturbação" só pode ser pura arte. O povo é que não percebe.


Delícias de "A Bola".

Transferência de poder.

Uma cerimónia surpresa, realizada dois dias antes da data prevista, assinalou ontem, em Bagdad, a recuperação da soberania do Iraque, um ano e três meses após o início da guerra. O administrador americano, Paul Bremer, entregou ao primeiro-ministro interino iraquiano, Iyad Allawi, uma carta assinalando a transferência formal de poderes e a dissolução da Administração Provisória da Coligação (CPA)."

Mais.

P.S. Enganaram a garbosa "resistência".

Injustiça.

"Os homossexuais queixam-se de serem discriminados até pelo actual Sistema Nacional de Saúde. Um bom exemplo disso, dizem, é o facto de o Instituto Português do Sangue (IPS) lhes negar o direito a serem dadores de plasma. O IPS garante que não está nem nunca esteve em causa a homossexualidade, mas sim todos os comportamentos de risco em geral."

Mais.

P.S. Concordamos plenamente. O sangue "deles" tem mais vitaminas e proteínas. Misturá-lo com sangue "normal" só poderá ser uma manifestação de orgulho. De preferência aos sábados pela Av. Libedade.

Parabéns.



Para o amigo Carlos e a sua Sebenta. Espero que o bolo chegue para todos.

Scolari.


Quer ganhe ou não o Euro, Scolari já demonstrou que é um dos melhores técnicos mundiais. Os profetas da desgraça andam desaparecidos. Como dá-me gozo ler as suas crónicas.

segunda-feira, junho 28, 2004

"Les français parlent à les français":

D´abord quelques messages personnelles:

A

"Les sanglots longs des violons de l'automne, blesse mon coeur d'une langueur monotone"

B

"Le chapeau de Napoléon est dans l'arène" et "La Guerre de Troie n'aura pas lieu".

C

"Tell her I'll be waiting
In the usual place
With the tired and weary
There's no escape
To need a woman
You've got to know
How the strong get weak
And the rich get poor
You're running with me
Don't touch the ground
We're restless hearted
Not the chained and bound
The sky is burning
A sea of flame
Though your world is changing
I will be the same
The storm is breaking
Or so it seems
We're too young to reason
Too grown up to dream
Now spring is turning
Your face to mine
I can hear your laughter
I can see your smile
No I can't escape
I'm a slave to love"

Bryan Ferry

"Laranjada" a mais.


Parece que a semana vai ter excesso de "laranjada". Qual nos fará menos azia?

"Previsões só no final do jogo".



O que vai sobrar do PSD?

Quando é que o prof. Marcelo larga a "navegação à bolina" embrulhando recados, tornando-os assim incompreensíveis para o vulgar cidadão?

Manifestações "gay".

Sobre as manifestações "gay", há coisas que nos custam a compreender. Por exemplo, como é que cidadãos reivindicam igualdade quando ostensivamente exibem o contrário?
Qualquer dia ainda vamos ter marchas do orgulho de ser "pequeno", de ter um pé chato, de ser bêbado, de ter uma pila pequena, enfim.

Ida para Bruxelas - 2


Eu cá não vejo esse automatismo do prestígio e/ou visibilidade para Portugal, pelo facto do Burroso ir para Bruxelas. E pergunto-me: qual foi a visibilidade e o prestígio que ganhou anteriormente o Luxemburgo? A meu ver a visibilidade foi zero, e o prestígio foi negativo, dado o desempenho amorfo do Jacques Santer.

Candidatura que obedece ao princípio do menor denominador comum, para um órgão cada vez mais esvaído de poderes, percebe-se assim melhor a escolha de Burroso: se na América reina um mongolóide, porque não um presidente mentecapto na Comissão Europeia? A continuar assim, não tarda a síndroma de Down será condição necessária para o preenchimento de cargos protocolares.

Internamente, a saída de Burroso não representa por si só um problema. Ele que vá, para o mais longe possível, e de preferência que leve consigo todos os outros.

Assim, o problema não resulta da saída de Burroso, mas da permanência dos demais.



Também não deixa de ser curiosa a leitura dos acontecimentos, opondo forma e substância, dizendo grosso modo que «a Constituição diz que os eleitores votam em partidos mas os eleitores votam em pessoas». En passant, instala-se a noção de que a Constituição da República não passa de um documento ridículo, uma mera cartilha para mestres-de-cerimónia que não é para levar a sério nos momentos importantes, quando há uma semana atrás era uma trincheira de referência, só contornável por via de um referendo.

Penso que o Sampaio só pode é garantir a Constituição, nunca relativizá-la. O resto é negócio de bastidores, para um hipotético PSD de bom-senso impedir internamente que o palhaço vaidoso do Santana Lopes adquira um protagonismo que não merece e para o qual não está habilitado.

O que se não fosse tão destrutivo para o país até seria bom, na medida em que assim, a médio prazo, purgar-se-ia o país em várias frentes.



___________________________________________________________
ADIÓS, MAMÁ CARLOTA

I

Alegre el marinero
Con voz pausada canta,
Y el ancla ya levanta
Con extraño rumor.
La nave va en los mares
Botando cual pelota.
Adiós, mamá Carlota;
Adiós, mi tierno amor.

II

De la remota playa
Te mira con tristeza
La estúpida nobleza
Del mocho y del traidor.
En lo hondo de su pecho
Ya sienten su derrota.
Adiós, mamá Carlota;
Adiós, mi tierno amor.

III

Acábanse en Palacio
Tertulias, juegos, bailes,
Agítanse los frailes
En fuerza de dolor.
La chusma de las cruces
Gritando se alborota.
Adiós, mamá Carlota;
Adiós, mi tierno amor.

IV

Murmuran sordamente
Los tristes chambelanes,
Lloran los capellanes
Y las damas de honor.
El triste Chuchu Hermosa
Canta con lira rota:
Adiós, mamá Carlota;
Adiós, mi tierno amor.

V

Y en tanto los chinacos
Que ya cantan victoria,
Guardando tu memoria
Sin miedo ni rencor,
Dicen mientras el viento
Tu embarcación azota;
Adiós, mi tierno amor

[Vicente Riva Palacio]

Sucessão.

"A população de Algoso, no Distrito de Bragança, apanhou este fim-de-semana um susto com a queda de algo do céu, que os astrónomos contactados pela Lusa acreditam tratar-se de um meteorito.

«Com a descrição feita, diria que foi realmente um meteoro», disse hoje à Lusa a astrónoma Alfredina do Campo, do Observatório Nacional de Astronomia.

Segundo os relatos da população, por volta das duas e meia ou três horas da madrugada de sábado, foi avistada uma bola de fogo a «cair» do céu, que se desintegrou no ar. Parte dessa bola terá caído num lameiro junto à aldeia, provocando um pequeno incêndio."


Mais.

P.S. Qual meteorito qual carapuça. É o sucessor de Durão. Estamos safos.

Phoenix.

"Os homens que usarem com muita frequência o telemóvel podem ver a sua fertilidade reduzida a um terço. Quem avança com a notícia é o jornal inglês 'The Sunday Times'. A reportagem é baseada numa investigação científica que chegou à conclusão que o uso excessivo do telefone celular afecta nocivamente o esperma."

Mais.

P.S. O meu já foi para o lixo. Phoenix.

Ida para Bruxelas


Com o recente convite formulado pela presidência irlandesa ao primeiro ministro português Durão Barroso abre-se um horizonte político novo em Portugal, quer pelo ineditismo de vermos um político no activo ser “chamado” a assegurar um cargo de relevo na Europa e no mundo, quer pela situação política criada em Portugal.

No momento em que escrevo ainda não se sabe qual será a posição do Presidente da República em relação ao futuro da actual legislatura, nem sequer qual a reacção oficial de Durão perante esta situação, mas há questões de interpretação política que podem desde já ser tiradas.

Ao nível da governação, é sabido que Durão pela sua personalidade era o único que inequivocamente permitia uma boa articulação entre o PSD e o CDS na actual coligação nascida do acordo pós eleitoral e que permite o funcionamento da actual maioria, o que convém aos partidos que a compõem.

Ao PSD porque lhe permite governar sem sobressaltos, e sem ter que fazer a cada momento acordos parlamentaras quer à esquerda quer à direita ao CDS que apesar da fraca capacidade eleitoral, lhe permitiu ocupar três pastas chave no Governo.

É óbvio quer no PSD existem anti-corpos grandes à presença de Portas no Governo e ainda mais à sua liderança de um partido com o qual o PSD tem um acordo pós eleitoral com incidência governativa.

Mas seja qual for o resultado desta situação nova criada e que até quarta ou quinta-feira deverá ser conhecido, apesar dos timings serem geridos pelo Presidente, há interpretações políticas que devem ser tiradas e conclusões que em nada abonam para o prestígio das instituições e da política.

Quero ainda dizer que esta situação criada, e apesar das boas ou más razões para o convite endereçado a Barroso para presidir à Comissão Europeia, este prestigia Portugal, já que é a primeira vez que um português virá a ocupar um lugar de relevo evidente na cena mundial, depois de José Cutileiro na UEO e de Freitas do Amaral na ONU.

Não que essa presidência ao ser assegurada por um português possa vir a trazer proveitos políticos ou materiais em Portugal, e nem sequer é suposto que um presidente da Comissão Europeia, como a nacionalidade de qualquer comissário, beneficie o país da sua nacionalidade, mas pela visibilidade que um país como o nosso pode vir a ter no seio da nova Europa dos 25.

Mesmo que se considere que esta é uma candidatura de recurso e que agrada aos dois principais blocos da EU, já que os candidatos naturais de cada um desses blocos viu a sua candidatura ser vetada pelo bloco antagónico.

Nem sequer vou discorrer sobre uma atitude que Durão poderia assumir semelhante à do primeiro-ministro luxemburgês que após a sua eleição para o pequeno país recusou liminarmente a hipótese de ser convidado, já que tinha assumido um compromisso como o seu eleitorado, e daí essa recusa.

Portanto a ver vamos, caso Durão aceite, qual o papel que os grandes países da EU e os blocos lhe reservam, para que a sua presidência não seja uma mera continuidade da mediocridade que marcou a de Romano Prodi.

O prestígio dessa presidência também depende do desempenho que Durão venha a ter e da dinâmica que pode imprimir para a continuação da construção europeia, agora recentemente alargada.

As considerações sobre este caso despoletado na passada sexta feira são sobretudo de ordem interna e há já consequências políticas para Barroso, para o seu partido, para a coligação e para o Governo da República, para além de considerações gerais políticas que se podem tirar e que podem ser objecto de muitas interpretações políticas.

1.
Ao aceitar o cargo, como tudo leva a crer, Barroso deixa no PSD a responsabilidade de escolher e propôr um sucessor para assumir o cargo de Primeiro Ministro, e nesse caso terá que ser forçosamente uma personalidade que compatibilize o PSD com a continuidade da actual coligação.

Tratando-se de uma coligação por interesse, é natural que ambos os partidos desejem a sua continuidade, mas para isso a personalidade que vier a assumir o poder terá que ser capaz de a assegurar.

A figura de Santana Lopes parece ser a mais consensual para esse desiderato.

Simplesmente a Santana não são reconhecidas capacidades nem perfil para o cargo, já que a sua prestação nos cargos políticos para os quais tem sido eleito têm deixado muitíssimo a desejar, e a sua prestação à frente da maior autarquia do país tem-se notabilizado por um imobilismo atroz que nem a polémica construção do túnel do Marquês permite disfarçar.

Nada do que foi prometido foi feito ou pelo menos iniciado desde os estranhos projectos relacionados coma reabilitação do Parque Mayer ou do Casino, como as ideias meritórias mas meramente eleitoralistas, como as de devolver a cidade ao jovens, através de construção mais acessível no centro da cidade, continuação do combate à desertificação do centro da cidade, restrições ou reformulação do trânsito na cidade, políticas pró-activas de combate ao insucesso escolar ou ao nível da acção social da Autarquia, uma política cultural autárquica inexistente, etc.

Crê-se que a ser nomeado Primeiro-Ministro, sob proposta do PSD e a ser aceite pelo Presidente Sampaio, se verifique a concretização do famoso Princípio de Peter, a somar ao facto de Santana passar a ter pela frente um resto de legislatura de apenas dois anos, o que não lhe permitirá lançar linhas de governação consequentes.




2.
Barroso e o PSD, tal como o seu parceiro de coligação sempre disseram que Guterres fugiu às responsabilidades após a derrota eleitoral autárquica de Dezembro de 2001, deixando o “menino nos braços” do PSD, que com altíssima missão patriótica foi chamado a governar (os eleitores decerto se esqueceram de chamar o CDS, mas ambos os partidos emendaram rapidamente, esse esquecimento), e encaminhado o país para o progresso económico e social para 2006, e mesmo para 2010, tomando Barroso e os estados maiores dos partidos da coligação como adquirido que a vitória nas legislativas de 2006 estavam antecipadamente ganhas.

Claro que agora com esta mais que previsível ida para Bruxelas fica a dúvida sobre qual a posição do PSD e do CDS perante tão precipitada saída de Barroso do Governo.

Foi fuga perante os resultados de há duas semanas na Europeias?

Foi fuga perante os resultados económicos e sociais em Portugal que tardam e ser positivos?

Foi fuga perante a falta de popularidade governamental e perante a crise social da população e descrédito perante a actual maioria?


3.
Guterres também fora sondado para presidir à Comissão Europeia em 99, mas recusou liminarmente essa hipótese, preferindo o governo de Portugal.

E após a derrota autárquica de Dezembro de 2001, não abandonou o Governo devido a um convite aliciante na cena internacional.

Preferiu antes que em Portugal houvesse uma clarificação política, para, segundo as palavras dele evitar que em Portugal se caísse numa situação pantanosa.

Como se explica agora que os estados maiores dos dois partidos da coligação fujam à possibilidade de eleições, e insistam num sucessor, sem que ao menos os órgãos máximos do PSD se pronunciem sobre a sucessão do líder?

4.
Se é certo que formalmente os eleitores votam em partidos, cada vez mais a pessoalização da política indica que muitos eleitores votam nos líderes, nos cabeças de lista.

No caso de Lisboa, os eleitores preferiram Santana a João Soares, e dado que aí o PSD concorreu só, os eleitores do CDS votaram em Paulo Portas.

Também Carmona Rodrigues e Henrique de Fretas, actuais membros do Governo foram eleitos para a Câmara da capital, mas nada disso parece interessar.

Claro que Portas foi para o Governo, e agora Santana se prepara para lhe ir fazer companhia

E Barroso em Bruxelas está longe do lugar para o qual os eleitores do PSD em 2002 o elegeram e nele confiaram.

Por este andar, um dia estaremos a ser governados pelos suplentes das listas.

5.
Finalmente a curiosa nota do voluntarioso líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia que ontem apareceu nas TV’s, a congratular-se com tão honroso convite para o nosso país:

Leu o papel em que afirmou o respeito que o CDS reserva perante a decisão a ser tomada pelo Presidente Sampaio, que deve ser isenta de pressões, mas acrescenta que o CDS-PP também considera serem de respeitar os resultados eleitorais de 2002.

Se isso não é condicionalismos e pressões de um partido de 7% de eleitorado perante a necessária decisão presidencial, não sei o que será.

Mas do CS-PP há que esperar de tudo, desde o célebre caso do Metro do Terreiro do Paço, em que este partido forçou o PSD a antecipar-se às conclusões da Comissão de Inquérito parlamentar, e culminando na palhaçada do Ministro Valente de Oliveira ter escondido os relatórios do Tribunal na gaveta sem deles ter dado conta à AR.

Como nota final, se se respeitassem os resultados eleitorais de 2002, julgo que o CDS-PP não terá grandes razões para sorrir, já que é altamente duvidoso que um partido de 7% possa ter três ministros no Governo da Nação e dois euro-deputados.

Mas falta ainda saber qual a decisão de Sampaio, perante esta situação.




Segue a República Checa.


Uma das melhores equipas do Euro.

domingo, junho 27, 2004

Devassos.



Uns devassos esses checos.

Efeitos da derrota.




O que faz a derrota. Até murcham os cornos.

Manisfestações do BE.

"O calor que se sentiu hoje em Lisboa não chegou para aquecer a marcha do Orgulho Gay, que este ano teve escassa adesão e contou com críticas de alguns activistas à partidarização do desfile.

A Opus Gay não participou este ano na organização da marcha, ao lado de outros grupos de defesa dos direitos das lésbicas, gays, bissexuais e transgénero (LGBT) porque a associação, pela primeira vez, "não foi convidada".

"Não fomos convidados para nada", disse à Agência Lusa o dirigente da Opus Gay, António Serzedelo que participou mesmo assim no desfile "porque a marcha é de todos" e "merece ser celebrada independentemente das orientações políticas".

"O que nos divide são as bandeiras político-partidárias e o que nos une é a orientação sexual. Isto é um dia para todos e serve para comemorar o orgulho de ser gay", notou.

António Serzedelo afirmou que "a ILGA e outras associações estão ligadas ao Bloco de Esquerda" e que a Opus Gay não foi convidada para integrar a organização por ser "independente".

O responsável da Opus Gay entende que deve haver um envolvimento político associado a este tipo de comemorações, mas não partidário.

O dirigente do Bloco de Esquerda (BE) Miguel Portas e a deputada Isabel Castro dos "Verdes" responderam ao apelo dos organizadores para participar no desfile.

Miguel Portas resolveu estar presente porque se trata de "uma marcha pela afirmação da liberdade e igualdade de direitos". "


Mais.

P.S. Tratou-se de mais uma manifestação do BE para sacar votos e não para defender os gays. Como bem disse o responsável da Opus Gay, isso não lhes interessa..

"Os direitos dos fumadores".

"A forma extremamente violenta com que alguns cronistas fumadores se opõem à proibição de fumar em restaurantes e em outros lugares afins é, no mínimo, surpreendente, sobretudo quando querem colocar os epítetos de "fascistas" e de "fundamentalistas" naqueles que defendem essa medida.

Se eu vou almoçar ou jantar a um restaurante, não é certamente apenas para encher o "bandulho". É, obviamente, para saborear uma boa refeição, caso contrário comia em casa. Ora, se tenho ao meu lado um indivíduo a fumar e, quem diz a fumar, diz a cheirar a suor, é impossível saborear a comida, porque a comida, pura e simplesmente, deixa de ter sabor e cheiro. Este simples facto devia dar-me o direito de não pagar a conta. Aliás, um número significativo de fumadores também não suporta o cheiro do tabaco quando está a comer.

Antigamente, quando as pessoas se respeitavam umas às outras e imperavam as regras da boa educação, um indivíduo, antes de acender um cigarro, porque tinha a perfeita consciência de que o fumo incomodava, pedia sempre permissão às pessoas que estavam ao pé.

Mas hoje, qualquer pessoa acha que tem o direito de incomodar as outras.

É, por isso, que é necessária tanta legislação. E da mesma forma que um indivíduo que bebe deve poder fazê-lo num restaurante, mas deve ser proibido de guiar, também o fumador deve poder fumar dentro do seu veículo e impedido de o fazer num restaurante. E a razão é óbvia: beber num restaurante não incomoda ninguém, conduzir com álcool pode prejudicar muita gente; fumar dentro do seu veículo não incomoda ninguém, fumar num restaurante prejudica terceiros.

Só já falta os comedores de pastilhas elásticas reclamarem o direito de as colar nos tampos das mesas e das cadeiras.

Infelizmente, a maioria dos fumadores acha-se dona do mundo e pensa que toda a gente tem de se sujeitar ao seu vício. No outro dia estava na praia e no toldo ao lado do meu, estava um casal de fumadores. Durante todo o dia, fumaram mais de 2 maços de cigarros. E o que é que fizeram às beatas? Enterraram-nas na areia, como é óbvio. Fazendo as contas, facilmente se conclui que aquele casal, durante o seu mês de férias, vai enterrar, num espaço de três metros quadrados de areia, cerca de 1500 beatas de cigarro. Acham isto normal? Mas há algum fumador que não faça isto?

Mas não é só na praia... As nossas ruas, jardins, vasos de flores, etc, está tudo pejado de beatas de cigarros. Mas dizer a um fumador que não deve atirar as beatas para o chão, nem enterrá-las na areia da praia, é violar os seus direitos... Ou, como eles dizem, é ser fundamentalista. "


Santana-Maia Leonardo

sábado, junho 26, 2004

Alguns adeptos ingleses tinham piada.

Pois.

"O presidente da Câmara Municipal do Marco de Canaveses apresentou hoje, publicamente, desculpas aos magistrados que o julgaram, por declarações que fez contra eles, mas salientou que se sente inconformado com a sentença."

Mais.

P.S. Sempre dissemos que ele era educado. Ninguém acreditava.

A brava "resistência" iraquiana.

"A televisão do Qatar Al-Jazira difundiu hoje um vídeo, atribuído ao grupo do jordano Abu Mussab al-Zarqaui, ligado à Al-Qaeda, que mostra três alegados reféns turcos, os quais ameaça decapitar se a Turquia não retirar, em 72 horas, os seus cidadãos que trabalham no Iraque."

Público.

P.S. A "resistência" continua a sua luta "louvável". Nem os próprios irmãos islâmicos escapam.

Manifestação espontânea.

"Uma mensagem via telemóvel, não identificada e que está hoje a ser enviada a muitos portugueses, apela à mobilização “contra Santana Lopes" para primeiro-ministro, na sequência da eventual saída de Durão Barroso do cargo de chefe de Governo, para assegurar a presidência da Comissão Europeia.

“Todos a Belém no domingo [amanhã], às 19h00, contra Santana Lopes primeiro-ministro! Abaixo um Governo da "treta"! Envia este sms a toda a gente, já!”, anuncia a mensagem, não identificada."


Público.

P.S. Apostamos que a esquerda vem dizer depois que foi uma manifestação espontânea. Tal como em Espanha. Entende-se. É o tudo ou nada deles.


Tudo resolvido.

Para a comunicação social há acordos, compromissos, etc. Até já existe um novo presidente da Comissão, um novo primeiro-ministro e até novos ministros. Está tudo resolvido. Maravilha. Quem tem esta comunicação social, tem tudo.

"Vota em quem lhes bate forte".

"Tomaremos uma posição contrária em Estrasburgo e votaremos contra o nome de Durão Barroso para presidir à Comissão Europeia" afirma Miguel Portas."

P.s. Ainda bem que alguns portuguess elegeram-no para dar milho aos pombos no Parlamento Europeu. É bom para ele, para os pombos e para o país.

Estabilidade governativa.

Pacheco Pereira tem toda a razão quando afirma que "o governo de gestão só pode ser dirigido por quem tem legitimidade na orgânica governamental: o número dois do governo», ou seja, Manuela Ferreira Leite.


Consta.



Consta que Pedro Santana Lopes vai suceder a Durão Barroso na chefia do Governo e do PSD.

Assim anda o nosso Portugal.

Um agente da Divisão da Amadora da PSP ficou ontem sem a pistola na sequência de uma intervenção no Bairro das Fontainhas. O agente foi, a dado passo, cercado por um grupo de indivíduos, que lhe conseguiram roubar a arma de serviço, fugindo em seguida com a pistola.

Eram 20h15 quando um homem gritou por socorro na Estrada Militar da Damaia. Estava a ser assaltado por dois jovens que lhe levavam o telemóvel.

O polícia de giro avançou na direcção dos jovens, correndo, perseguidor e perseguidos, em direcção ao Bairro das Fontainhas.

No entanto, assim que entra naquele local, o agente vê-se rodeado por cerca de uma dezena de jovens que, após algumas agressões, lhe sacam a arma do coldre.

Quando os reforços policiais chegaram já não havia vestígios nem da arma nem de quem a tivesse levado. A pistola de serviço distribuída aos agentes da PSP da Amadora é uma Hk de 9 milímetros.

Um indivíduo, menor de idade, havia sido entretanto detido e levado à esquadra da Venda Nova, sob suspeita de roubo da arma. No entanto, a falta de provas levou a que fosse libertado pouco depois."


C.M.

P.S. O BE por certo vai pedir explicações. Agredir um polícia e roubar-lhe a arma também deve ser esclarecido. Ou só tem interesse esclarecer a detenção dos jovens que andam a roubar?

Adieux France



Depois da Espanha, Itália, Alemanha e Inglaterra, segue-se a França no regresso a casa antecipado. O Euro está cada vez mais empolgante.

sexta-feira, junho 25, 2004

To "Daily Mirror" with love - Part 2.



"Roubados"
Edição de hoje, 25 Junho.




"Desculpem, nós fomos enganados"
Edição de amanhã, 26 Junho, corrigindo a barbaridade publicada hoje.

To "Daily Mirror" with Love.


"Daily Mirror" oferece Hamburgers e chuteiras "Rooney".



Nós oferecemos Hamburgers "Postiga" servidos na Luz.



E desaconselhamos vivamente as chuteiras "Rooney". Como se pode ver na imagem, além de aleijarem, passam a vida a cair do pé e dão mau aspecto a quem as usa.

Obrigado.



Estranha descoberta

Em Maio deste ano fui surpreendido por um telefonema do Prof. Schnaps Fürmich, da Universidade de Bratislava.

Geólogo de formação, ele não me soube dar muitos pormenores sobre a escavação paleontológica que tinha visitado. Disse-me apenas que tinha surgido em Lisboa um esqueleto muito interessante que merecia ser objecto de investigação adequada. O esqueleto, presentemente a céu aberto, está localizado junto à Rua do Arco do Carvalhão, já em pleno Vale de Alcântara, zona de liós e de basalto aos quais acrescem os materiais sedimentares próprios de uma zona hidrologicamente activa, designadamente calcários miocénicos, areias e argilas.

O esqueleto fossilizado, aparenta ser de configuração jurássica. Encontrado num patamar superficial, aquela classificação parece pouco consistente com o conjunto de depósitos envolventes.

Num exame sumário, o esqueleto que aparenta ser de um animal adulto, evidencia marcas típicas da acção de predadores, possivelmente carnívoros necrófagos, a julgar pelos restos de um esqueleto de um saurópode bípede que parece associado ao primeiro. Esta é pelo menos a conclusão prévia dos investigadores do Departamento de Paleontologia do Museu Nacional de História Natural, da Universidade de Lisboa, para quem o animal teria sido vítima de uma queda, ao descer a arriba de Campo de Ourique possivelmente dirigindo-se para a Ribeira de Alcântara.



<Ver foto>

PORTUGAL....no BRASIL

..

Goodbye England.


Grande adversário.



O meu enorme respeito por este senhor.


Uffffff....


Agradecimentos:


Saltou do banco para marcar o golo do empate.


Um grande jogador que saltou do banco para marcar um grande golo. Não merecia falhar o penalty. Nem as críticas que lhe têm sido dirigidas.



Defendeu e marcou o golo da vitória.



Se alguém ainda continua a ter dúvidas que o homem percebe de futebol...


quinta-feira, junho 24, 2004

Mais logo.



Novamente todos os caminhos vão dar à Luz.

Vende-se imóvel


T0, 6m2,local arejado, vista panorâmica para o rio, facilidade de estacionamento. Precisa algumas obras.
Contacto: presidente@cml.pt

Novo WC.


À noite, quando o "aflito" tiver de acender a luz, deve ser de gritos.

"Poderosos vencem".

"O Tribunal da Relação de Lisboa absolveu ontem cinco dos arguidos do caso Moderna e aliviou substancialmente as penas dos dois únicos arguidos que considerou culpados: José Braga Gonçalves e Pedro Garcia Rosado, este último condenado a dois anos de pena suspensa.

O recurso do Ministério Público, apresentado pela procuradora-geral adjunta, foi derrotado em toda a linha. Maria José Morgado havia pedido a condenação dos arguidos pelo crime de associação criminosa, mas, em vez do agravamento penal, acabou por assistir a uma redução substancial das penas. A magistrada já fez saber que vai recorrer para o Supremo Tribunal de Justiça."


C.M.

P.S. Parece que a Maria José Morgado não é aquela coisa do outro mundo que diziam.

Domínio islâmico.

"Abu Musab al-Zarqawi, o líder do grupo radical que na terça-feira divulgou a decapitação de um refém sul-coreano, colocou ontem num site na internet uma mensagem na qual ameaça assassinar o primeiro-ministro interino do Iraque, Iyad Allawi, e combater os americanos "até o domínio islâmico regressar à Terra". "

Público.

P.S. Gostamos muito dessa do "domínio islâmico". Trata-se de uma figura de estilo, dado que os fundamentalistas só pretendem correr com os americanos do médio oriente.



"O que é que tem o Barnabé que é diferente dos outros?"

Tenta o Barnabé, na sua xenofobia politicamente correcta, atribuir as culpas à polícia, na morte do jovem do Bairro 6 de Maio. Sem provas dispara forte e feio, à boa maneira da extrema esquerda:

“José Carlos terá sido sequestrado por agentes policiais que o algemaram e o levaram para lugar incerto, onde terá sido brutalmente espancado para confessar quem teria roubado uma carteira.” --> O local incerto é a esquadra da Reboleira, Amadora, facilmente localizável num mapa visto só existir essa. Qualquer pessoa brutalmente espancada fica com vestígios externos e internos. No entanto, a autópsia não revela vestígios de lesões traumáticas. Mas se diz que foi brutalmente espancada, há que acreditar.

Por curiosidade, contou-me que foi o próprio pai que lhe bateu, depois de ele e o “gang” roubarem uma carteira com 100 euros a um velhote. Constou-me também que se quiserem encontrar mais “bons” rapazes deste género, é passar pelo local de onde partem as camionetas dos Hipermercados, perto da estação da Amadora. Mais. Se quiserem provar sensações mais fortes, levem um bom telemóvel à vista na mão quando passarem por perto deles. Estejam descansados que não correm perigo algum, dado que a polícia nunca anda por ali.

“Depois de ter sido entregue à família em muito mau estado, José Carlos esperou muitas horas no hospital para ser atendido.” --> Melhor dizendo, esperou dois dias porque só foi ao hospital na sexta-feira e o “brutal espancamento” ocorreu na quarta-feira.

“Isto é tudo o que sei. Mas acho estranha a coincidência de um rapaz de 16 anos morrer depois de um espancamento e de nenhuma relação haver entre os dois factos. Mas devo ser eu, que sou desconfiado.” --> Não diria desconfiado...

Como o rapaz faz parte da minoria protegida, mesmo que tenha morrido de causas naturais, tal facto jamais será aceite. A história do inocente desgraçadinho que morre às mãos dos cobardes polícias compõe melhor o ramalhete.

Como o autor não se refere à violência que os moradores usaram para manifestar a sua indignação (apedrejamento de polícias, carros particulares e viaturas dos Bombeiros da Amadora, disparos contra os mesmos polícias), deduz-se que é legítima, justificada e como tal, além de inquestionável, deve ser apelidada de heróica.

P.S. Para quem ainda não descobriu, aqui está um exemplo do que o Barnabé tem de diferente dos outros.

quarta-feira, junho 23, 2004

Voller e o nosso Filipão.

A Alemanha regressa mais cedo. Tal como a Itália, também leva uma lição para estudar. O Euro está “estranho” sem a Espanha, a Itália e a Alemanha.




Paralisação.

"O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) recusou a entrada em Portugal a 3.508 estrangeiros entre 26 de Maio, quando foram repostas as fronteiras por causa do Euro 2004, e segunda-feira, revelou hoje fonte daquela polícia.

Fonte das Relações Públicas do organismo adiantou à agência Lusa que as recusas de entrada se repartiram pelas diferentes fronteiras: 1.668 na região algarvia (área do Guadiana e Aeroporto de Faro), 494 no norte (Tuy, Valença, Quintanilha e Aeroporto do Porto), 236 na região centro (Vilar Formoso e Termas de Monfortinho), 985 na região do Alentejo (Caia, Marvão, São Leonardo e Vila Verde Ficalho) e 125 no Aeroporto de Lisboa."


Mais.

P.S. Sem esta mão-de-obra imprescindível, lá paralisou a construção civil.

Páginas amarelas para cegos.

"As Páginas Amarelas lançaram a primeira versão de uma lista telefónica para cegos, referente ao Sul e Ilhas do país, contando publicar ainda este ano mais quatros edições de outras regiões, anunciou hoje a empresa.

A lista em Braille, uma iniciativa do Programa de Responsabilidade Social da empresa, contém apenas informações de utilidade pública, números de telefone de urgência e de serviços de aconselhamento e apoio."


Mais.

P.S. Fixe. Agora só faltam os telefones para cegos.

Espectáculo.

"A «febre nacionalista» que invadiu o país a propósito do Euro 2004, enfeitando janelas e carros com a bandeira portuguesa, está a ter um efeito perverso em Bragança: o roubo do símbolo nacional hasteado em mastros públicos.

Um exemplo ocorreu na principal avenida da cidade, a Sá Carneiro, onde esvoaçam bandeiras portuguesas nos edifícios particulares, mas o mastro da Junta de Freguesia da Sé, situada num centro comercial, que devia exibir o símbolo nacional está nu."


P.D.

P.S. É mais barato e emocionante do que comprar.

Mundo perigoso.

"Um idoso que estava a ser transportado para o hospital morreu terça-feira à tarde perto de Viana do Castelo, depois da ambulância em que seguia ter colidido com um ligeiro, disse fonte da Brigada de Trânsito da GNR. "

Mais.

P.S. Mais valia ter ido de táxi. Phoenix.

"Portugal em movimento".

"1/ A British teenager has been seriously injured after he was attacked in the Algarve in Portugal.

The 19-year-old was slashed in the neck with a sharp instrument, thought to be a knife.


He was attacked on a main street in Portimao, about 120 miles south of Lisbon, and his assailant fled, police said.

2/ A German fan was taken to hospital in Lisbon after trying to fight off three assailants who robbed £1,400, a cell phone and six tickets for the Germany v Czech Republic."


Sky News.

P.S. Haverá melhor incentivo ao turismo?


Igualdade.

"Os primeiros resultados da autópsia ao jovem residente no Bairro 6 de Maio, na Amadora, que morreu na sexta-feira, afastam a hipótese de ter sucumbido devido a lesões provocadas por agressão. Mais afastadas também ficam as suspeitas dos moradores daquele bairro, que responsabilizavam a PSP pela morte do jovem, acusando os polícias de o terem agredido na esquadra da Reboleira, onde foi conduzido no dia 16 (quarta-feira), por suspeita de furto."

D.N.

P.S. Por uma questão de justiça e igualdade, a polícia devia manifestar-se violentamente no bairro, arremessarando objectos contra as casas, incendiando carros dos moradores e ferindo alguns no braço.

Tabaco rouba anos de vida.

"Uma das mais longas investigações sobre os riscos do tabaco concluiu que os fumadores morrem, em média, 10 anos mais cedo do que os não-fumadores. A boa notícia é que deixar o vício, mesmo aos 50 anos de idade, pode diminuir o risco para metade, refere o estudo, que levou meio século a ser feito."

Público.

P.S. Oh meus amigos. O que são meses de cobalto em face de uma semana
de enorme prazer?

Todos amigos.

"Um dos menores queixosos no processo de pedofilia da Casa Pia foi encontrado no sábado na companhia de um dos arguidos do processo, que tinha sido libertado pelo Tribunal da Relação."

Mais.

P.S. Vale a pena o Estado estar a gastar dinheiro no julgamento? São todos amigos.

"Portugal em movimento":

"O Governo quer aplicar uma discriminação positiva nos passes sociais a partir do próximo ano, uma vez que reconhece que o actual tarifário dos transportes públicos de Lisboa, em que todos pagam o mesmo, independentemente dos rendimentos, é injusto."

Mais.

P.S. Ora aqui está uma boa ideia. Como os empresários ganham pouco (conforme respectivas declarações de IRS), os seus passes sociais serão baratuchos. Alguns até serão subsidiados pelo estado. Mais. Com um bocado de sorte até começam a deixar os carros em casa e a viajar de transporte.

terça-feira, junho 22, 2004

Ciao Itália.

Itália regressa a casa sem glória, com uma lição para ser estudada profundamente.

Grande Pinto da Costa.

Pinto da Costa agradece a Scolari ter escalado os jogadores do FCP para jogarem na selecção, aumentando assim o seu valor para a previsível futura venda. Curiosamente não falou de Baía (fora do mercado de transferências) e de Paulo Ferreira (já vendido).

Vítima da insegurança do 3º mundo



Stephen Smith, adepto inglês de Wolverhampton, futilmente assassinado quando festejava a vitória da sua selecção.

Paz á sua alma.

Segurança ou o politicamente correcto.

Um cidadão estrangeiro vem a Portugal para apoiar a sua selecção nacional. Na madrugada, a meio da celebração da vitória, é absurdamente assassinado por um imigrante ilegal, referenciado como criminoso no seu país. Um ilegal no meio de milhares que circulam livremente pelo país, escudados pelo excesso de direitos conferidos às minorias.

O fútil assassinato é manchete por todo o lado. Pelo mundo fora, a imagem do país é denegrida com razão. A cada vez maior insegurança que grassa e a impotência das forças da ordem em combatê-la entrevadas pelo politicamente correcto, ressalta aos olhos do cidadão vulgar.

A democracia impõe a aceitação de toda a imigração pertencente às “queridas” minorias, sem a possibilidade de questionar a sua verdadeira intenção. Um pequena referência negativa a essa minoria e o chavão “racismo xenofobia” decapita o corajoso autor.

Nada a fazer. A eterna justificação de perseguição xenófoba confere mais direitos às minorias que ao vulgar cidadão. Este limita-se a servir para dar “tacho” aos políticos intocáveis, pagar os impostos e aceitar silenciosamente ser roubado e agredido em qualquer lugar.

Essa percepção de inferioridade e abandono faz crescer o medo e o sentimento de revolta. Lentamente começa a questionar a eventual existência de democracia, quando não lhe é permitido exercer o seu elementar direito de livre mobilidade, dado o perigo de ser facilmente assassinado por um qualquer motivo fútil.

Ontem.

Nova versão da Bíblia.

Depois de ler a notícia da "Marca" só nos ocorre o seguinte texto:

"Livro II-Joaquim e Manel

No tempo que se seguiu, Deus não interferiu mais com a vida das suas criações, deixando que estas governassem, livremente, os seus destinos. João conheceu Elsa por duas vezes, tendo-lhe nascido dois filhos. Neste momento, Deus percebeu a existência de grandes falhas no vocabulário do homem e da mulher. Como o termo "conheceu" não Lhe pareceu suficientemente descritivo, Deus criou logo uma série de termos novos e ricos a que chamou "palavrões" e que seriam daí em diante usados com grande frequência. Assim, criou Deus a "brejeirice".

Segundo esta nova terminologia, João f*deu Elsa por duas vezes, tendo-lhe nascido dois filhos a que chamaram Joaquim e Manuel. João f*deu Elsa uma outra vez, tendo nascido um terceiro filho a que chamaram Oit. Após isto, Deus achou por bem que as restantes vezes que João f*desse com Elsa não ficassem registadas, pois tal ocuparia muito espaço e violaria a intimidade do casal.

Os filhos de João e Elsa casariam, por sua vez, e teriam filhos das suas mulheres. Percebendo que, no mundo, só existiam João, Elsa e os seus três filhos e que a origem das esposas de Joaquim, Manuel e Oit não não eram suficientemente claras, Deus criou a incoerência para lidar com este problema. Joaquim era lavrador e Manuel era pastor e ambos deviam prestar tributo ao Criador de seus pais com a oferta do melhor das suas produções. Oit era cantor lírico e foi dispensado de prestar tal tributo.

Deus olhava primeiro para as ofertas de Manuel e prestava menos atenção às de Joaquim pois Manuel, por ser pastor, ofertava a Deus a melhor carne dos seus rebanhos enquanto que Joaquim apenas trazia perante o Senhor os molhos de ervas daninhas que colhia nos campos. Mais tarde, Deus lembrar-se-ia de criar os cereais e as colheitas úteis para tornar mais fácil a vida aos lavradores. Joaquim não gostava desta situação e, um dia, convidou Manuel para ir ao monte dizendo-lhe "Vem comigo ao monte para ver se este machado é tão afiado como parece". Manuel foi e assim nasceu a ingenuidade.

Ao chegarem ao monte, Joaquim lançou-se sobre Manuel e matou-o. Deus estava a ver e disse-lhe "Mataste o teu irmão, Joaquim?" ao que Joaquim respondeu "Não, Senhor". Então Deus questionou Joaquim "Então o que é que o cadáver dele está a fazer a teu lado com o teu machado cravado em sua testa?" ao que Joaquim replicou "Aquilo não é o cadáver de meu irmão, Senhor, mas um arbusto que a ele se assemelha".

Ao ouvir isto Deus achou por bem melhorar a capacidade do Homem para mentir pois, daquele modo, não iria muito longe. "


Autor desconhecido.

Guerra é guerra.

EL CENTRAL PORTUGUÉS PIDE PERDÓN
Andrade engañó a los españoles al asegurar que Rusia iba ganando 3-1
MARCA. Lisboa

"Pido perdón a todos los españoles, jugadores y aficionados, porque a mí me engañaron desde el banquillo y por eso dije que Rusia iba 3-1". Jorge Andrade fue el pasado domingo el portavoz de la marrullería.

Andrade asegura que le llamaron desde su banquillo y le comentaron que Rusia iba ganando 3-1, resultado que con el 1-0 a favor de Portugal, que había convertido Nuno Gomes, clasificaba a España y Portugal para los cuartos de final. “Díselo a los españoles”, le dijeron a Andrade. El central del Deportivo se acercó a Fernando Torres y le comunicó la ‘buena’ noticia para los intereses de la selección dirigida por Iñaki Sáez. ‘El Niño’ lo extendió a sus compañeros.

Paralelamente, en la grada de los seguidores españoles, donde la ‘marea roja’ no sabía muy bien si España estaba o no clasificada, se cantó un gol ruso. Debió ser en el tiro al larguero de la selección de Yartsev. Los aficionados estaban convencidos de que España estaba clasificada porque el supuesto gol se extendió como la pólvora por el boca a boca.

Desde el banquillo, cuando quedaban cinco minutos para la conclusión del partido, Cañizares empezó a indicar a sus compañeros que se fuesen al ataque, que Rusia sólo ganaba 2-1 y estaban eliminados. Era tarde ya...

“No me gustan esas cosas”
En la zona mixta los jugadores españoles contaron que los portugueses les habían engañado. Marca preguntó a Jorge Andrade allí mismo: “¿Quién le ha dicho a los españoles que Rusia ganaba 3-1?”. “Fui yo. ¡Qué rabia! Me han engañado. A mí no me gusta hacer esas cosas. Me lo dijeron desde mi banquillo y yo me lo creí y se lo dije a Torres. Pido perdón, prometo que yo no sabía que les estaba engañando. Me fié de mi banquillo”. A Jorge Andrade se le notaba muy preocupado y repetía: “Di que me da mucha rabia, que yo no soy así. Que me perdonen todos los jugadores y toda la afición española”.


Marca.

P.S. A sorte dos portugueses foi o banco espanhol não ter acesso à informação. Muito mau. Esperava-se mais deles.

Expresso on-line.

Não se percebe o critério que "O Expresso" usa para apagar posts. Permite o recurso ao insulto mais baixo e censura posts inofensivos.

Exemplo disso foi a censura do post versando sobre o adepto inglês assassinado por um ucraniano, que pode ser lido infra (11:07).

P.S. Escusado será dizer que, seguindo este caminho, por "motivos técnicos" alheios à minha pessoa e vontade, ficarei impossibilitado de escrever no Expresso on-line.

Escola britânica proíbe alunas de usar mini-saias.

"Preocupado com o tamanho cada vez mais reduzido das mini-saias usadas pelas alunas, o Conselho Directivo de um liceu britânico decidiu tornar obrigatório o uso de calças. O sindicato dos professores considera que se trata de uma "regressão no tempo".

Segundo os responsáveis pelo liceu Kesgrave, de Ipswich, no condado de Suffolk, com a chegada do tempo quente, as bainhas das saias usadas pelas alunas subiram até níveis "impróprios", razão pela qual decidiram fazer algo. "Não só não queremos que as nossas alunas saiam daqui com um ar 'convidativo', consideramos que as mini-saias são pouco práticas, uma vez que grande parte das nossas alunas vêm para a escola de bicicleta", afirmou a presidente do Conselho Directivo, Margaret Young. "Pensamos que se trata de uma questão de bom senso", concorda o professor George Thomas."


C.M.

P.S. Essa não. Agora que as alunas estavam a um passo de aparecerem nuas, o que dava mais interesse às aulas...

Muito barulho.

"Um adepto inglês, de 27 anos de idade, foi morto com uma facada no coração, pelas 03:20 horas da madrugada desta terça-feira, na Rua da Prata, em Lisboa, depois de ter sido vítima de tentativa de assalto, noticia a SIC Notícias.

De acordo com a estação, o adepto inglês ainda foi transportado para o Hospital de São José, mas não resistiu aos ferimentos.

O alegado autor do golpe é um cidadão ucraniano que já detido pela Polícia de Segurança Pública (PSP)."


D.D.

P.S. O cidadão ucraniano faz parte da imigração que ajuda na reconstrução de Portugal. Trata-se de um trabalho violento que necessita que o trabalhador esteja em forma. Essa forma recupera-se com descanço nocturno. O adepto inglês estava a fazer muito barulho e não deixava o ucraniano descançar. Razão porque este foi obrigado a pôr o inglês na ordem. Exagerou um nadita. A história do roubo está mal contada. Os imigrantes estão cá para trabalhar, não para roubar. E são imprescindíveis.

segunda-feira, junho 21, 2004

Parabéns.

O Aviz celebrou um ano. Os nossos parabéns, infelizmente atrasados.

Moldura humana.



Fantástica.

Outros...

"O jornal londrino Guardian revela segunda-feira que uma vintena de iraquianos mortos a 14 de Maio em combate em Al-Majar al-Kebir, no sul do país, foram vítimas de tortura por parte dos soldados britânicos."

RTP.

P.S. Depois pedem desculpa dizendo que foram enganados e fica tudo em casa?

A moda do nosso Partido Socialista pega.


Cartão amarelo a Bush.

Inglaterra defronta Portugal nos quartos-de-final.

Vamos jogar contra o pintarola Beckham. É bom para as cervejarias, para Albufeira, para o metro, para a GNR, para o transporte aéreo e para o país. Se é bom para a selecção, logo se vê.

Uma questão de luz.


"Esta segunda-feira, entre as 18:00 e as 18:30, um adepto inglês lançou um foguete de sinalização (very-light) na estação de metro Baixa-Chiado, em Lisboa. O fumo instalou a confusão. De imediato a PSP no local deteve o autor do lançamento."


Mais.

P.S. Sempre achámos que a estação do metro Baixa - Chiado era muito escura. É natural que o moço precisasse de luz para poder tirar da carteira as moedas necessárias para comprar o bilhete. E melhor que um “very-light” para dar mais iluminação? Foi uma excelente ideia que deu outra vida à estação.

Finalmente.

Finalmente a nossa selecção fez um bom jogo. Portugal necessitava vencer a Espanha e cumpriu o seu objectivo. Entrando a todo o gás na tentativa de chegar depressa ao golo, apesar de jogar bem pelas alas (Cristiano Ronaldo e Figo ), a bola raras vezes chegava ao desamparado Pauleta. Vendo que não resultava, Scolari optou por Nuno Gomes na segunda parte, ponta-de-lança que procura mais a bola, tem maior mobilidade e cria espaços para o remate. Como agradecimento, Nuno marcou o golo decisivo.

Na segunda parte, a Espanha ganhou algum ascendente, intensificando a pressão. Novamente Scolari deu cartas. Vendo que estava a perder terreno no meio campo, trocou o esgotado Figo por Petit. A emoção aumentou, com as duas equipas na procura do golo, criando várias situações.

Ao contrário do que disse José Mourinho ( excelente a comentar o jogo ), a manutenção de Deco em campo foi uma grande cartada de Scolari. Com o efeito, Deco ia matando o jogo da Espanha com faltas cirúrgicas.

Costinha, Deco e Maniche abrilhantaram o meio-campo, Ricardo Carvalho, Jorge Andrade e Nuno Valente dominavam na defesa. Ronaldo e Figo foram espectaculares na primeira parte. Pena não jogarem o jogo inteiro. Miguel entendeu-se perfeitamente com eles. Pauleta precisa de companhia no ataque.

Com mais algumas afinações, temos equipa. Selecionador já temos.

domingo, junho 20, 2004

Schumacher vence GP de fórmula 1 dos Estados Unidos.

"O piloto alemão Michael Schumacher (Ferrari) prosseguiu domingo o seu autêntico passeio no presente Mundial de Fórmula 1, ao vencer o Grande Prémio dos Estados Unidos, nona prova do campeonato"



Um espectáculo a F1.

D. Nuno.

Se em Aljubarrota foi D. Nuno Álvares Pereira, no Alvalade XXI foi D. Nuno Gomes.

Hip hip hurra. Hip hip hurra.

Divulgue o seu blog!