segunda-feira, janeiro 31, 2005

Imagens.





As imagens que nunca aparecem na nossa comunicação social.

Exemplo.

A elevada participação do povo iraquiano nas eleições de domingo vem confirmar novamente a falência da nossa comunicação social. Dominada pela esquerda, durante o período que antecedeu as eleições desdobrou-se em esforços para criar no cidadão a imagem do "mais que previsível falhanço eleitoral". Desde comentadores manhosos até entrevistas a iraquianos (curiosamente sunitas) tudo valeu. Mais. No próprio dia chegaram a chamá-las de sangrentas, tentando transmitir a ideia de que a ameaça dos terroristas tinham sido cumprida. Infelizmente houve atentados mas não foram mais mortíferos que os habituais.

Sejamos francos. Os iraquianos foram votar e a sangria prometida pelos terroristas não existiu. Escusam de vir com as habituais desculpas manhosas como os americanos obrigaram-nos a votar, o religioso Al Sistini decretou uma Fatwa na qual quem não votava ia para o inferno, etc, etc. Se isso fosse verdade, a adesão teria sido de 100% como no tempo de Saddam.

Que não haja dúvidas. Os terroristas sofreram uma enorme derrota. Ao contrário dos espanhóis, os iraquianos não se deixaram intimidar e foram votar. Somente parte dos sunitas não votaram por medo e porque politicamente não lhes interessava. Mas a maior derrotada foi a nossa comunicação social. Essa comunicação social que chama "resistentes" a puros terroristas. Essa comunicação social que aparece a divulgar sondagens relevando o aumento dos votos na esquerda, explorando os erros e os pseudos-erros de Santana, escondendo os de Sócrates e andando com o Louçã ao colo. A tal que tenta influenciar o sentido de voto. A tal que no dia seguinte vira "o bico ao prego" como se nada tivesse sucedido.
Longe de cumprir a sua obrigação, essa comunicação social embrulha-se cada vez mais no descrédito, reflexo da sua corrente ideológica tendenciosa.

Pergunta-se: há diferença entre censura fascista e informação democrática ideologicamente orientada?

Vergonha.

Fala a Grande Loja de Cascais. Mais concretamente do voo de 16 milhões de euros do erário público para o binómio "desporto-turismo”. Curiosamente o seu Hospital é dos piores do país. Não há camas vagas nas urgências, nem mesmo macas para receber os doentes que chegam. Para quando a construção de um novo Hospital?

Dúvida.

Ouvindo a opinião de certos democratas que dizem estar a favor do povo iraquiano, fico na dúvida se não conseguem, com o seu imenso ódio anti-americano, causar mais baixas no Iraque que os próprios “resistentes” vulgo terroristas.

A ética de Freitas.

"Freitas do Amaral é presidente da Assembleia Geral da Caixa Geral de Depósitos, nomeado pelo accionista Estado. Apesar disso, não se coibiu de, como jurisconsulto, dar um parecer à Comissão de Trabalhadores do banco, em que se pronunciou pela ilegalidade da transferência parcial de fundos da CGD para a Caixa Geral de Aposentações, promovida pelo Governo para "mascarar"o deficit da Contas Públicas.Não sei se a operação montada pelo Governo é ou não legal. E duvido que seja através destas operações de cosmética contabilística que se poderá garantir a consolidação orçamental. Mas não é disso que trato agora.O que preocupa neste momento é a posição assumida por Freitas do Amaral. Não sei, também, se, estatutariamente, há ou não um conflito de interesses entre a actuação de Freitas como presidente da AG da CGD e o parecer que deu, contrário às posições de quem o nomeou. Mas há uma coisa que me parece clara: no domínio dos princípios e da ética, Freitas do Amaral deveria ter recusado a "encomenda" da Comissão de Trabalhadores.
Eu sei que, se na 5ª feira passada, Freitas do Amaral tivesse escrito, na Visão, um artigo favorável ao Governo, talvez nós nunca tivéssemos sabido deste episódio. O que seria grave. Nós só soubemos do episódio, porque Freitas escreveu um artigo de apelo ao voto no PS. Foi isso que levou o Governo a desencadear a polémica. O que também é grave.Mas não devemos ficar pelo contexto. Factos são factos. E os factos dizem claramente que Freitas do Amaral deu um parecer que não devia. Se em vez de jurisconsulto fosse advogado, teria a perna o Conselho Deontológico.Freitas do Amaral nunca me enganou. Mesmo quando fui membro da Comissão Política Nacional do partido que fundou."
Dos ilustres colegas do Incursões.

31 de Janeiro

Nascimento e morte do Cardeal D. Henrique. D. Henrique I nasceu a 31 de Janeiro de 1512 e morreu a 31 de Janeiro de 1580) foi o décimo-sétimo Rei de Portugal, tendo governado entre 1578 e a sua morte, 1580. É conhecido pelos cognomes de O Casto (devido à sua função eclesiástica, que o impediu de ter descendência legítima), O Rei-Cardeal (igualmente por ser eclesiático) ou O Eborense/O de Évora (por ter sido também arcebispo daquela cidade e aí ter passado muito tempo, e inclusivamente fundado a primeira Universidade de Évora, entregue à guarda dos Jesuítas).

Henrique era o quinto filho de D. Manuel I e sua segunda mulher Maria de Espanha, e era irmão mais novo do Rei D. João III. Como se compreende, Henrique não tinha tido a esperança de subir ao trono. Bem cedo na sua vida, Henrique recebeu o sacramento da ordenação, para promover os interesses portugueses na Igreja Católica, na altura dominada pela Espanha. Ele subiu cedo na hierarquia da Igreja, tendo sido rapidamente Arcebispo de Braga, Arcebispo de Évora e Grande Inquisidor antes de receber o título de Cardeal.

Henrique, mais do que ninguém, empenhou-se em trazer para Portugal a ordem dos Jesuítas, tendo utilizado os seus serviços no Império Colonial. Ele serviu como regente para o seu sobrinho de segundo grau Sebastião, após 1557 e mais tarde o sucederia como rei, após a desastrosa Batalha de Alcácer-Quibir em 1578. Henrique renunciou então ao seu posto clerical e procurou imediatamente uma noiva por forma a poder dar continuidade à Dinastia de Avis, mas o Papa Gregório XIII, que era um familiar dos Habsburgos, não o libertou dos seus votos.

O Rei-Cardeal morreu em 1580 sem ter nomeado um conselho de regência que pudesse escolher o sucessor. O requerente dinástico mais próximo era o rei Filipe II de Espanha que, em Novembro de 1580, enviou o Duque de Alba para reivindicar o Reino de Portugal pela força. Lisboa caiu rapidamente e Filipe foi eleito Rei de Portugal, com a condição de que o Reino e seus território ultramarinos não se tornassem províncias espanholas.

Wikipedia.

autoexpulsão.

"Em Inglaterra um árbitro de futebol expulsou-se a si mesmo de uma partida oficial, levando a que o encontro fosse adiado. O juiz, Andy Wain, justificou a expulsão por se ter excedido na forma como discutiu com o jogador a decisão quanto à validade de um golo. Anday Wain, de 39 anos, foi designado para arbitrar neste domingo um encontro das divisões secundárias inglesas, entre o Royal Mail AYL e o Peterborough North End, que se disputava em casa deste último.
Aos 63 minutos, com o resultado empatado a 1-1, um golo foi validado ao Royal Mail, levando aos protestos por parte dos jogadores do Peterborough.

O mais exaltado foi claramente o guarda-redes, McGaffin, que dirigiu algumas bocas ao juiz da partida. Mas quem perdeu as estribeiras foi mesmo o árbitro. De cabeça perdida, Wain atirou ao chão o seu bloco de apontamentos, cartões e apito e envolveu-se num confronto físico com o jogador. Já mais calmo, recuperando a serenidade, decidiu expulsar-se e dar o jogo por terminado. «Fui muito pouco profissional. Se um futebolista fizesse isso, seria de imediato expulso. Foi isso que fiz a mim mesmo», disse Wain, citado no The Sun.

O árbitro pediu, no entanto, que o seu comportamento mereça algum cuidado no julgamento. «Não devia ter sido nomeado para a partida ou pelo menos devia ter sido substituído. O meu sogro morreu ontem, dias depois de a minha mulher ter sido diagnosticada com cancro. omentos antes do começo do encontro fui informado que um dos meus amigos morrera de ataque cardíaco aos 38 anos. Estava de rastos psicologicamente quando apitei para iniciar o jogo.» "

Assim não há apito dourado que resista.

Pois pois.

"Diga o que disser o doutor Santana Lopes, difame o que difamar, invente o que inventar, o PS tem a preocupação única de ter um compromisso com os portugueses, discutir aquilo que os preocupa e não discutir casos, porcarias como aquilo que anda a tratar o Doutor Santana Lopes" -Jorge Coelho

Alguns exemplos:

1/ "O PS considerou ontem “clarificadas” as dúvidas sobre a situação fiscal do primeiro-ministro, Santana Lopes, que levaram à apresentação na véspera de um requerimento na Assembleia da República (AR), com vista ao esclarecimento da situação."

2/ "O líder socialista, José Sócrates, afirmou esta sexta-feira recear que a sugestão de Bagão Félix para que Freitas do Amaral se demita da Caixa Geral de Depósitos (CGD) seja uma «retaliação» pelo apoio do fundador do CDS ao PS."

Obrigado.

Agradecemos a informação do 24 Horas. Graças a ela, ficámos a saber que o processo Casa Pia só estragou a vida aos arguidos. Quanto às testemunhas e aos abusados nada diz, pelo que se deduz que foram favorecidas. Só não compreendemos porque é que alguns deles tentaram suicidar-se. Talvez devido ao excesso de alegria sentido!!!!

Felizmente a nossa comunicação social é tão independente que dá um gosto imenso ler.

Grande lição.

"Oito milhões de iraquianos votaram hoje nas primeiras eleições multipartidárias do país em mais de 50 anos, segundo as primeiras estimativas, apesar dos vários ataques que provocaram pelo menos 45 mortos e uma centena de feridos. Segundo a Comissão Eleitoral Independente (CEI) iraquiana, e realçando que não há resultados ainda oficiais, oito milhões de eleitores terão participado nas eleições, ou seja, cerca de 60 por cento dos 14 milhões de recenseados. Apelando à máxima cautela no que diz respeito a números, o representante da ONU para as eleições reconheceu, no entanto, que a participação ultrapassou as expectativas"

Uma lição de democracia dada ao mundo, especialmente aos cobardes espanhóis, aonde só os homossexuais ficaram a ganhar. Triste triste, é ouvir as desculpas dos profetas esquerdistas anti-americanos. Falharam em toda a linha e não têm coragem de assumir. Razão porque este país está no estado em que está.

domingo, janeiro 30, 2005

Um dia na vida do país.

Deus está atarefado a despachar processos quando do Tribunal Divino chega a informação que os funcionários judiciários estão em greve. Fartos de apanhar pneumonias devido à ausência de instalações, decidiram pressionar para ser construídas paredes e acabar finalmente com as correntes de ar. Deus resolve telefonar para Júdice a queixar-se do sucedido, mas este está tão ocupado a dizer mal do sistema judicial e a comprar Quintas que não lhe liga nenhuma. Deus decide então enviar Guterres à Terra, para resolver o problema através do diálogo. Chegado ao aeroporto, Guterres descobre que não há aviões devido a uma providência cautelar interposta pelo advogado Martins. Enquanto passeava pelo aeroporto tentando descobrir uma solução, encontra Garcia Pereira a vociferar contra a concentração de poderes divinos em Deus. Mais à frente, na secção de cargas, Jerónimo assobia alegremente enquanto levanta um saco de cassetes proveniente da velha Rússia. Ainda mais à frente, na sala de espera, Miguel Portas explica aos seus discípulos como drogar e abortar de vez em quando traz benefícios para a saúde. Ao lado, Paulo Portas contempla em êxtase kits militares expostos numa montra. Sonha com um submarino a afundar um barco cheios de mulheres que transporta um contentor. Mais à frente, Durão, perdão, José Manuel anda de um lado para o outro a treinar o "inglês for UE". Ao lado, Fernando Rosas ensina crianças a fumar através de SMS nos telemóveis.


Guterres, farto de tentar dialogar com os transeuntes sem qualquer sucesso, resolve voltar para o céu e informar Deus do seu insucesso. À saída do aeroporto tropeça numa mala enorme, colocada ao lado de uma banca aonde o advogado Sá Fernandes vende talões de portagens, talões de restaurantes, extractos de chamadas de telemóveis e outros álibis, a arguidos desesperados. Num outra banca, Filipe Viera oferece copos de champanhe promovendo a venda dos seus pneus marca "Hum hum". Veiga ajuda-o, dissertando sobre as capacidades do champanhe no que é corrigido pelo menino Tonecas. Entretanto, Pinto da Costa que vem embarcar Quaresma para o Barcelona por troca com Deco, Ricardo Carvalho e Maniche, grita para Filipe Vieira e Veiga "olá a ambos os dois, penso eu de que. Ando muito mal do fígado. Excesso de champanhe. Sabem?" Ao seu lado segue "Sousa Tavares" que pára para dar uma sessão de autógrafos, devido ao sucesso do seu último sucesso "Scolari, o maldito". Trata-se de um tratado aonde explica porque, apesar do treinador ter levado a selecção nacional a ganhar 2 euros e três mundiais, continua a não ser bom treinador. Atrás, aparece Reinado Teles com um senhor careca de bigode a promover o turismo internacional. Mais à frente, Dias da Cunha, encadeado pelo sistema de luzes é mordido pelo Bobby depois de ter pisado o Tareco. Valentim Loureiro aproveita para explicar aos polícias que aparecem para restaurar a ordem, o significado do elogio "merdas" proferido para as autoridades. Na livraria, Mário Soares oferece a Sampaio o manual "Presidente de todos os portugueses (socialistas)". Em frente, Louçã desenha na parede um lindo retrato de Portas, acompanhado por revolucionárias palavras de ordem denegrindo os homossexuais, enquanto dá uma entrevista à RTP enaltecendo a coragem dos gays portugueses e prometendo defender esse lobby quando for eleito primeiro-ministro.


Mais à frente, num pronto-a-vestir, o seu amigo Sócrates tentava trocar um fato que tinha trocado na véspera por outro que já tinha sido trocado na antevéspera, o qual por sua vez já tinha sido trocado... Perante a cara chateada do empregado, Sócrates jurava que esta era a última troca. Chegado à paragem do Metro, Guterres descobre que os trabalhadores desta empresa iniciaram uma greve contra o excesso de greves levado a cabo pela Carris. Chateado, decide voltar para o céu e informar Deus do seu insucesso . Apanha um Táxi cujo motorista parece-lhe familiar. "Não o conheço?" pergunta. "Não sei" responde o taxista. "Sou sobrinho de um autarca." Guterres desiste de puxar pela cabeça. "Esqueça. Devo estar a fazer confusão. Leve-me para o céu". Chegado ao Céu, o taxista cobra-lhe 500 euros para um percurso de 100 Euros. Indignado com o roubo, Guterres começa a mandar vir com o taxista. Este responde-lhe que 300 Euros é pelas malas e 100 euros é pelo intenso monólogo a que foi submetido. Guterres grita-lhe que não tem malas e apresenta-lhe um cartão da SIC. O taxista cai de joelhos a suplicar para não o desgraçarem visto ser o único ganha-pão da família e dá 250 Euros a Guterres para esquecer tudo. Guterres não aceita. Paga-lhe os 100 euros e vai-se embora, não sem antes receber do Taxista um poster com um lindo pântano, que o vai ajudar mais tarde . Mal sai do Táxi, começa a ser apedrejado por António Marinho que o confundiu com um juiz, obrigando-o assim a fugir pela rua abaixo. Cansado dos acontecimentos, decide ir ver TV para relaxar antes de fazer o relatório a Deus.

Liga a SIC e observa atentamente uma reportagem sobre o novo negócio brasileiro de Fátima Felgueiras, venda de telemóveis com descontos para juízes. Muda para a TVI GOLD e encontra o Prof. Marcelo a explicar porque razão, estando um dia com céu limpo, não poderá ficar nublado e eventualmente chover a potes. Isto tudo através de gestos porque o Prof. ainda não decidiu quebrar o silêncio a que se submeteu. Liga a RTP e encontra Louçã a explicar porque mente e não perde. Chateado, resolve ir relatar o seu insucesso. Depois de "dialogar" com ele mais de 3 horas, Deus resolve lançar um novo dilúvio para castigar a ousadia dos mortais. Mas ao abrir a torneira celestial, só cai uma gota de água. A empresa "Águas divinas" encontra-se em greve. Furioso, decide lançar fogo à Terra. Contacta o Sindicato dos Incendiários mas nada feito. Estes também encontram-se em greve, reivindicando um novo tipo de fósforos que não suje as mãos. Desesperado, Deus envia Santana à Terra. Chegado ao aeroporto, depois de muito charme, consegue um jacto particular pilotado por mulheres. Depois de aterrar na Terra, parte numa limusine para o Tribunal. A meio do caminho passa pelas Docas e resolve parar, invocando assuntos de Estado. Sentado numa das esplanadas, resolve conceber um plano para descentralizar as Docas.

Enquanto observa um estranho mergulhador com um sotaque carregado nos "r", cria um novo tipo de Docas: "as secas", que coloca na Amadora, para animar ainda mais a vida nocturna dos habitantes dos Bairros Cova da Moura e 6 de Maio. Para facilitar ainda mais essa diversão, despede os comandantes da Polícia local. Chega finalmente ao Tribunal, antecedido por batalhões de jornalistas, e em directo pelas TVs. Depois de muita conversa, consegue que todas as funcionárias do tribunal voltem ao trabalho com a promessa de tomar um copo na Kapital. De regresso ao aeroporto, encontra o irmão Sócrates num duelo de "capa e espada" com João Soares. Pede-lhe para não chegar atrasado às gravações do programa "Marretas" na RTP. Este, chateado com as provocações, espeta-lhe várias facas nas costas. Chegado vitorioso, começa a abrir discotecas e bares no Céu. Deus chateado com o atrevimento dele, decide, juntando o útil ao agradável, livrar-se dele e castigar um pequeno país periférico, cheio de chatos insatisfeitos e embirrentos. Chama então Santana e envia-o como primeiro-ministro cheio de boas recomendações, um retrato do Papa e uma incubadora à prova de choque.


A sua chegada não corre da melhor maneira. Devido a problemas técnicos, aterra em cima da nova plantação de rosas de Sampaio, estragando-as. Sampaio fica chateado e promete vingar-se. Chegado a Sº Bento, depois de muitas trocas de lugares e cabeças, escolhe finalmente a sua equipa. De entre os escolhidos, destacam-se o mergulhador do sotaque setubalense e vários amigos faquires, que terão papel fundamental na criação de cicatrizes em Santana. A nova vida política de Santana torna-se uma chatice porque retira-lhe muito do tempo livre. O que não o impede de faltar a compromisso menores para poder participar nas festarolas de arromba. E assim se ia passando o tempo, com mais ou menos facadas, até que um dia um papagaio daltónico engoliu a cassete errada e começou a debitar asneiras esquerdistas na varanda da sede do partido. Furioso, um dos amigos de Santana resolveu assustar o papagaio. Sampaio, protector dos animais, resolve roubar a cadeira a Santana e manda fechar um café aonde se juntam intelectuais a discutir futebol, mulheres e fado. Santana fica furioso e manda os seus amigos todos para casa, prometendo não fazer mais nada como 1º ministro. Sócrates mete-se ao barulho. Quer voltar a ser importante. Num discurso demolidor, ataca Santana. Como tinha-se esquecido de levar os óculos, trocou os programas eleitorais, acabando por ler o do seu inimigo em vez do seu. Baralhados, os seus amigos resolvem corrigir as afirmações.


Santana, feliz da vida, manda fazer um discurso de resposta. Por manifesto engano, o autor entrega-lhe a constituição da equipa do Benfica, transformando o discurso de vitória em guião para um episódio dos Marretas . Santana desiste de fazer discurso e dedica-se a inaugurar tudo e mais alguma coisa. Guterres oferece o CD de Simon and Garfunkel "Sound of silence" a Sócrates e anuncia a oferta do seu best-seller de retórica a quem votar no seu amigo.

Entretanto é descoberto um novo tipo de mamífero que muda de cor conforme a cenoura que lhe põem em frente dos olhos. Estudos mais aprofundados revelaram tratar-se de uma doença chamada “presidencialidade”, que acarreta perda da memória e do controle dos movimentos corporais. É facilmente transmissível pelos olhos e afecta mais quem está exposto à política. Longe desta confusão toda, um elegante e sensível artista de cinema brasileiro disputa a vitória com um robot do futuro, fechados numa quinta. A apresentadora do concurso trava brilhantes diálogos intelectuais com um burro cientista, a quem por manifesta falta de tempo apelidaram de tenor. Por seu lado, um perigoso homicida, farto de colocar anúncios nos jornais e dar entrevistas nas TVs, desesperado pelo desprezo a que foi submetido pelas autoridades, decide entregar-se à polícia. Mas não tem sorte. É mandado de volta para o campo. Na capital, o advogado de Bibi, Martins, é agraciado com um relógio gentilmente oferecido pelo tribunal.
Por esta altura, Deus, farto de tanta bacorada, desiste de ajudar esse estranho país.

Eleições Iraque

"A taxa de participação nas eleições está a ultrapassar as previsões em várias regiões do Iraque, adiantou aos jornalistas o representante das Nações Unidas na Comissão eleitoral iraquiana, Carlos Valenzuela. "

Portugal Diário.

Nas poucas reportagens credíveis, aonde houve o cuidado de entrevistar verdadeiros iraquianos e não analistas de sofá tendenciosos, eles (iraquianos) afirmaram a sua intenção de votar. O próprio embaixador explicou que, das 18 províncias iraquianas, só havia perigo em três ou quatro. Claro que a nossa cominicação social só notícia estas. Claro que é normal que os sunitas não queiram votar. Alguns por medo, outros por chantagem e o resto porque está consciente que o regime de Saddam deixou uma pesada factura.

A originalidade do BE.

"O secretário-geral do PCP acusa o Bloco de Esquerda de ser uma força que corre "atrás do foguetório mediático", "disserta acerca de tudo e nada", "passa a vida a apresentar propostas originais que têm anos de vida e de combate pela mão do PCP e da CDU, seja em relação à despenalização do aborto, seja ao combate aos 'off-shores', à quebra do sigilo bancário, seja na exigência de uma política de saúde dirigida à toxicodependência"."

O BE é um enorme bluff. Diverte ver circo mediático que os seus apoiantes fazem.

Integração social.

"Era para ser uma rusga como qualquer outra, mas os 80 efectivos da GNR depararam-se ontem com uma dificuldade acrescida para fazer cumprir os mandados de busca que tinham para quatro habitações de um acampamento cigano em Albergaria-a-Velha. Os suspeitos de tráfico de droga e furto estavam barricados dentro das casas, com portas e janelas reforçadas por barras de ferro, o que impedia a entrada dos guardas, que acabaram por ter de esperar que os indivíduos lhes autorizassem a entrada.

Apesar do contratempo, que pode ter sido suficiente para o desaparecimento de várias provas, a acção policial saldou-se na detenção de cinco pessoas – uma mulher de 40 anos e os quatro filhos, entre os 17 e os 26 anos – e na apreensão de 8 armas de fogo, cinco armas brancas, 16 500 euros em dinheiro, 165 doses de cocaína e 102 de haxixe, ouro e variado material furtado."

É este o futuro padrão de actuação das forças da ordem. Esperar até que os cidadãos lhe concedam autorização para actuar. Felizmente que os agentes vão munidos de alimentos e aproveitam para fazer um piquenique enquanto esperam.

P.S. Até apostamos que a longa espera se deveu ao tempo que os ciganos levaram a juntar o material ilegal (armas, droga, etc) facilitando assim o trabalho aos agentes da autoridade. Agora sim, nota-se uma verdadeira intenção deles (ciganos) se integrarem na sociedade. Termos como “és um grande cigano” vão perder o sentido pejorativo e tomar um sentido mais celestial.

O verdadeiro trapalhão.

"O túnel do Marquês foi considerado a “trapalhada das trapalhadas”. Em causa está a promessa de Santana Lopes de inaugurar o novo túnel até ao fim de 2003."

Aqui está uma trapalhada do PS em que eles teimam em passar a bola para o PSD. Já se viu que o “cívico” Sá Fernandes, além de não ter razão, até já conta com movimentos contra si, formados por cidadãos prejudicados pela sua civicamente incompreensível atitude. E ele, fazendo birinha, continua a insistir no mediatismo, tentando atrasar ainda mais a obra com manobras manhosas . Por isso era melhor o PS estar calado, afinal a “sua” trapalhada está a prejudicar milhares de cidadãos.

Concerto ridículo.

"Lisboa dividiu-se. Pela manhã, o Partido Socialista visitou os locais onde considera que a autarquia falhou nas intervenções que prometeu, apontando erros do actual executivo. À tarde, o presidente da Câmara, Carmona Rodrigues, mostrou a obra feita e recordou o que o PS não fez. Duas visões sobre a mesma cidade."

Duas faces da mesma moeda num concerto ridículo que teima em demorar a acabarem. Já não há paciência


Utopia?

"A Escola Secundária Felismina Alcântara, em Mangualde, foi na sexta-feira à tarde evacuada depois de terem sido encontradas onze velas de Gelamonite 33 – barras de dinamite utilizadas nas pedreiras – que tinham sido levadas para o interior do estabelecimento escolar por um grupo de cinco alunos do oitavo ano."


Porque pensamos que o combate ao terrorismo é utopia?

sábado, janeiro 29, 2005

A tal comunicação social tendenciosa.

"Um rocket atingiu hoje a embaixada dos EUA, situada na "Zona Verde" de Bagdad, uma área de segurança máxima onde estão localizadas as embaixadas ocidentais e os edifícios do Governo interino iraquiano. O ataque que originou uma forte explosão no edifício vitimou mortalmente duas pessoas e feriu outras quatro."

Segundo um repórter baseado em Bagdad, a embaixada dos EUA é atingida todos os dias. Só que desta vez houve vítimas. Porque insiste a comunicação social em apoiar os terroristas? Só porque é anglo-americana?

Como é?

"Uma mulher com cerca de 50 anos, residente em Vila Franca de Xira, foi, quinta-feira ao princípio da noite, colhida mortalmente por um comboio rápido junto à estação de Alhandra. Desde 7 de Dezembro passado este é o terceiro acidente ferroviário mortal ocorrido naquele sítio, o que está a gerar preocupação e revolta entre moradores, autarcas e bombeiros locais. O acidente de anteontem deu-se cerca das 19h45, envolvendo um comboio que fazia a ligação entre Lisboa e a Beira Alta. A senhora teve morte imediata.

Nas últimas sete semanas morreram, também ali, uma idosa de 78 anos e um homem de 56. Jerónimo Caetano, comandante dos Bombeiros de Alhandra, defende que é necessário tomar medidas urgentes, porque a passagem não tem cancelas, nem sinalização luminosa ou sonora."

Como pode isto ser possível?

Luto

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e, por inerência, do Conselho Superior da Magistratura (CSM),Dr. Jorge Aragão Seia, faleceu na madrugada de sábado em Lisboa, aos 68 anos.

A Justiça e o Direito estão de luto. Morreu uma figura cimeira do sistema judicial e do Estado português.


Comunicação social.

"A campanha vergonhosa que os meios de comunicação social estão a realizar contras os partidos de governo está a atingir proporções dramáticas, até mesmo para o mais desatento observador. O que se passa é uma incrível duplicidade de critérios jornalísticos na esmagadora maioria dos órgãos de comunicação social. Tudo o que o PSD faz está mal e cheio de erros e tudo que a esquerda realiza, está correcto e motivador. O radical Dr. Louça é elevado ao patamar do político respeitado, mesmo quando insulta escandalosamente o líder do CDS. O Presidente do PS, que não consegue disfarçar a contradição constante em que caem as suas propostas políticas, tem sido aclamado pela imprensa como o futuro Primeiro-ministro. Mesmo as sondagens que têm sido reveladas, caem no ridículo que ninguém acredita nelas. Num dia temos o PS com 40 % e o PSD com 32% e no dia a seguir temos os mesmos partidos com 46% e 28%. A comunidade jornalística, de isenta tem pouco ou nada, apesar do que deveria ser ensinado no ensino superior. É lamentável que os portugueses estejam a ser enganados desta forma. Espero que no dia 20 de Fevereiro estes “jornalistas” tenham a resposta merecida. Homens como o Dr. António Mexia, Dr. Pedro Aguiar Branco, Dr. Fernando Negrão merecem ter a sua oportunidade de governar este país… A tralha guterrista que se prepara para tomar de assalto o poder já lá esteve, e com os resultados que se viu…."

Do Virtualidades.

Magia.

"Um encontro entre o cabeça de lista por Braga do PS, António José Seguro, e sindicalistas da UGT acabou ontem por ser dominado pelas críticas de João Proença ao programa eleitoral socialista. O responsável máximo da UGT e membro da Comissão Política Nacional do partido, considera “hilariante” a proposta de reduzir 75 mil trabalhadores da Função Pública, bem como as previsões de criação de 150 mil postos de trabalho."

Não se riam. Sócrates é mágico. Os seus poderes fazem inveja ao David Copperfield.

Professores

"O Ministério da Educação substituiu uma professora que está de baixa por doença por outra que está a gozar uma licença de maternidade, na Escola Amarela, em Leiria. As aulas foram retomadas por uma professora de apoio, que também tem estado de baixa por doença."

CM

Quem lê esta notícia ainda pensa que os professores estão todos de baixa.

Outro mundo.

"Comparado com Jorge Mendes Veiga é um menino de coro"

Paulo Barbosa

CM

Coerência e respeito.

"Já foi o homem mais odiado pela esquerda portuguesa. Chamaram-lhe "fascista", entre outros mimos. Acusaram-no de sabotar a Revolução dos Cravos. Insinuaram até que pretenderia restaurar a ditadura salazarista. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades Diogo Freitas do Amaral é hoje uma espécie de herói da esquerda - o homem que ousou romper com a sua família política para pedir uma maioria absoluta socialista, suscitando vaias conservadoras. O secretário-geral do PS, José Sócrates, gaba a "nobreza de carácter" deste "espírito livre". Há menos de 20 anos, o mesmo partido apontava-o a dedo, como se constituisse uma ameaça à liberdade."

A coerência nunca foi o forte da esquerda. Depois recente caso do orçamento, temos agora o de Freitas. Enfim.

P.s. Mesmo não se gostando do homem, o Independente não podia fazer esta capa de Freitas. Tem de haver respeito.

Reforço?

"Agora já é oficial. Nuno Assis, que treina no Benfica desde o início da semana, foi ontem apresentado oficialmente como o novo número 15 do clube da Luz, que deverá representar nos próximos três anos e meio."

Parece estar a melhorar. Já agora. Será que os sócios do Benfica vão repetir a triste figura de quarta-feira, que foi, ir assistir ao jogo com um lenço branco numa mão e o cachecol na outra?

Como é que ficamos?

"José Veiga desilude Vieira...
O passo decisivo para o "afastamento" entre Vieira e Veiga terá sido dado neste mercado de Inverno, quando Veiga prometeu fazer dinheiro com a colocação de cinco jogadores, dinheiro que serviria depois para reforçar a equipa com três atletas de real valor. Veiga falhou em toda a linha conseguiu apenas acertar as rescisões com Zahovic e Argel, que saíram da Luz a custo zero, mas Sokota, por exemplo, foi parar à equipa B depois de falhadas todas as tentativas de o colocar em Inglaterra. E das grandes contratações prometidas, desde Robinho a Karagounis, nenhuma chegou à Luz."


"Vieira diz-se 'feliz' com José Veiga
Entre o José Veiga e Luís Filipe Vieira não há problema algum, não há divergência alguma e estamos muito felizes com a presença de José Veiga dentro da Benfica, SAD"


Então como é que ficamos?

Diz-se de Veiga.
Diz-se de Vieira.

sexta-feira, janeiro 28, 2005

Sondagens.

"Santana Lopes afirmou, quinta-feira à noite, num jantar comício em Olhão, perante mais de 2000 militantes, que está montada uma “megafraude” em torno das diferenças percentuais entre os diferentes partidos reveladas pelas sondagens. «Ou se vem a confirmar as previsões que são feitas nas sondagens, e nós saberemos reconhecê-lo se assim fosse, ou, desta vez, se tal não vier a acontecer, não vai ficar tudo na mesma e as responsabilidades vão ser pedidas"

Pois é. Umas vezes as sondagens servem. Outras não.



Verdade?

"O primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, admitiu hoje que teve dívidas às Finanças relativas a juros e justificou que isso pode acontecer a qualquer cidadão que vive do seu salário."

A sério?

Eles mentem, eles ganham.

"Ao contrário do que ingenuamente proclamava o cartaz do Bloco de Esquerda ("Eles mentem, eles perdem"), nenhum deles perdeu pela mentira do Iraque: Bush foi reeleito e Blair está a caminho de o ser. Durão Barroso foi promovido a Bruxelas"

Miguel Sousa Tavares.

O próprio BE é um exemplo disso.


Azar??

"Um condutor que tentou o suicídio e acabou por provocar um acidente ferroviário em Los Angeles pode vir a ser condenado à morte. Juan Manuel Alvarez tentou suicidar-se quarta-feira à noite numa linha de comboio dos subúrbios daquela cidade dos EUA. Desistiu no último momento, mas o seu jipe terá ficado preso na linha, segundo um administrador da companhia ferroviária Metrolink, David Solow. Com o seu suicídio falhado Alvarez conseguiu provocar o choque de três comboios e a morte de 11 pessoas. Além de 11 acusações de homicídio "em circunstâncias especiais", que lhe podem valer uma condenação à morte. O delegado do Ministério Público do estado de Los Angeles já disse que está determinado a fazer cumprir a lei. "

Desespero?

"José Sócrates e Manuel Alegre invocaram hoje o apoio manifestado por Freitas do Amaral ao PS para sustentarem que é do "interesse nacional" o objectivo socialista de atingir um resultado de maioria absoluta nas próximas eleições. "Freitas do Amaral apelou hoje ao voto no PS com a coragem que só espíritos livres o podem fazer, mas fê-lo também por nobreza de carácter e em nome do interesse nacional", declarou o secretário- geral do PS, José Sócrates, durante um comício em Alverca."

Será que Sócrates está tão desesperado que até recorre ao apoio de um perigoso inimigo direitista reciclado?

quinta-feira, janeiro 27, 2005

Golpe de mão.

Segundo o Expresso, a defesa de Vale e Azevedo vai recorrer da decisão do Tribunal da Boa-Hora, invocando que “a ter existido falsificação (de documentos) foi pelo uso e não por fabricação dos documentos. E o tribunal considerou provado que não houve prejuízo para o clube, apenas intenção de mascarar resultados para dar uma melhor imagem das contas.”

Significa isto que Vale enganou os sócios do Benfica apresentando resultados contabilísticos falseados.

No entanto tal não afectou a estima destes pelo ex-presidente. Antes pelo contrário. Conhecido o Acórdão, começou a circular um documento intitulado “Inquérito – consulta aos sócios do S.L.B. aonde os proponentes pretendem criar uma base de dados dos seus defensores para “no momento oportuno e necessário, poder, com rapidez e segurança, contactar as “hostes” para a realização de operações consideradas indispensáveis para levar a efeito acções de desinfecção do clube e ao mais alto nível do poder de decisão.”

Felizmente que, além de caricata, esta acção não conta com muitos apoiantes, havendo no meio deles algumas surpresas. De qualquer forma, fica na retina esta tentativa de golpe de mão.

Freitas.

"Confesso que cada vez menos tenho ilusões, se algumas vez as tive, muito menos heróis. É concerteza da idade e dos cabelos brancos. Alguma direita escandalizou-se, ou talvez, não com o apoio do Prof. Freitas do Amaral ao PS e o seu apelo a uma maioria absoluta do Eng. Sócrates. Confesso que o assunto não me atrai, afinal o homem só vale um voto. Não me interessa pois saber que o Prof. Freitas apoie desinteressadamente o Eng. Sócrates, é mais um, mas já me interessa, e muito, em nome da clarificação, saber se o PS, depois de ganhar as eleições e formar governo, vai apoiar, sem mais, o Prof. Freitas, ou melhor os interesses que o Prof. Freitas representa como front-end da Petrocontrol, na luta pelo controlo da GALP, agora que tudo pode, ou não, voltar à estaca zero. Sou um cínico, já sei."

O habitual tiro certeiro do amigo Manuel da Grande Loja.

Será que nasceste nos anos 50, 60, 70 ou 80 ?

Será que nasceste nos anos 50, 60, 70 ou 80 ? Como conseguiste sobreviver? Os carros não tinham cinto de segurança, nem apoio de cabeça nem seguramente airbags No banco de tràs era a festa, era"divertido" e não era "perigoso" As barras das camas e os brinquedos eram multicolores ou pelo menos envernizadas e com tintas contendo chumbo ou outros produtos toxicos Não havia protecção infantil nas tomadas eléctricas, portas das viaturas, medicamentos e outros produtos quimicos de limpeza Podia-se andar de bicicleta sem capacete Bebia-se agua da mangueira de rega , num chafariz ou não importa qualquer outro sitio, sem que fosse agua mineral saida de uma garrafa estéril ... Faziamos carros com caixas de sabão e aqueles que tinham a sorte de ter uma rua asfaltada inclinada junto de casa podiam tentar bater records de velocidade e aperceberem-se, tarde demais, que os travões tinham sido esquecidos... Apos alguns acidentes, o problema era normalmente resolvido! Tinhamos o direito a brincar na rua com uma unica condição estar de volta antes de anoitecer.

E não havia GSM e ninguém sabia onde estavamos nem o que faziamos... Incrivel! A escola fechava ao meio-dia para almoço, podiamos ir comer a casa . Arranjavamos feridas, fracturas e às vezes até partiamos os dentes , mas ninguém era levado a tribunal por isso. Mesmo quando havia grande bagunça, ninguém era culpado excepto nos mesmos . Podiamos engulir toneladas de doces , torradas com toneladas de manteiga e beber bebidas com Açucar de verdade , mas ninguém tinha excesso de peso, porque estavamos sempre na rua. Podiamos partilhar uma limonada com a mesma garrafa sem receio de contagio . Não tinhamos Playstation, Nintendo 64, X-Box, jogos video, 99 programas de TV por cabo ou satelite , nem video, nem Dolby surround , nem GSM , nem computador , nem chat na internet , mas nos tinhamos.... amigos ! Podiamos sair, a pé ou de bicicleta para ir a casa de um colega, mesmo se ele morasse a varios km , bater à porta ou simplemente entrar em casa dele e sair para brincarmos juntos . Na rua, sim na rua no mundo cruel! Sem vigilancia! Como é que isso era possivel? Jogavamos futebol so com uma baliza e se um de nos não era seleccionado uma vez, não havia traumas psicologicos, nem era o fim do mundo! Por vezes um aluno talvez um pouco menos bom que os outros tinha que repetir. Ninguém era enviado ao psicologo ou ao pedopsiquiatra. Ninguém era dislexico, hiperactivo nem tinha " problemas de concentração".

O ano era repetido e pronto cada um tinha as mesmas oportunidades que os outros. Nos tinhamos liberdades, erros, sucessos, deveres e tarefas ... e aprendiamos a viver e a conviver com tudo isso. A pergunta é então: mas como conseguimos sobreviver ? Como pudemos desenvolver a nossa personalidade ?Serà que tu também és desta geração? Se sim, envia este email aos teus contemporaneos, mas também aos teus filhos, sobrinhos e sobrinhas, etc. para qu'e eles vejam como era ,naquele tempo ! Eles vão achar que a nossa época era aborrecida .... ah, mas como eramos felizes !

É a vida.


Mesma luta.

"Freitas do Amaral pede maioria absoluta para o PS nas próximas eleições"

Freitas, Monteiro e Portas. O mesmo percurso e a mesma ambição.

Os dilemas do Benfica.

"Se vivemos na época do "show-business", no Benfica há falta de "show" e excesso de "business". Pelo menos é essa a única ilação a tirar da forma como os encarnados iniciaram a temporada: tropeçando nos próprios pés. A gestão do sr. Luís Filipe Vieira, do sr. José Veiga e do sr. Trapattoni parece inquinada de raiz. Todas as soluções tácticas, no relvado, são discutíveis sobretudo quando um clube não vence, mas neste caso a bola de neve de erros e casos mal explicados parece não parar de rolar. Poder-se-ia começar pela constituição da nova "equipa maravilha" prometida pelo sr. Vieira.

A escolha do sr. José Veiga, um então empresário FIFA, com demasiados anti-corpos (veja-se a forma como saiu o sr. Tiago?) para chefiar o futebol foi um erro claro, isto para já não falar na sua condição de accionista maioritário de uma outra SAD da Superliga. A indecisão na escolha do treinador foi outro. A contratação de dois guarda-redes que podem ser titulares é mais uma machadada na contínua pressão que tem sido feita sobre o sr. Moreira desde que este, contra ventos e marés, provou ser um guardião de futuro. A pressão sobre os jogadores que não fazem parte do núcleo que era (ou é?) representado pelo sr. José Veiga, é notória - basta ver o sr. Manuel Fernandes, após assinar novo contrato, passar de jogador da equipa B a titular contra o Anderlecht e de o sr. Ricardo Rocha pagar no banco a factura de ter dito que queria sair.

A isso alia-se opções discutíveis do sr. Trapattoni, demasiado visíveis no jogo contra os belgas, em que a sua força para formar um 11 base parece estar condicionada por interesses laterais (como é que o sr. Carlitos, que não tinha experiência de Superliga ou não tinha alinhado uma vez a sério pelo Benfica, é titular num jogo onde a experiência era um valor seguro?). Sem Liga dos Campeões o Benfica vai ter de repensar o seu "business". Só resta saber quando é que os jogadores começam a ser vendidos a pataco para alguém realizar mais-valias."

fsobral@mediafin.pt

Viva a política.

"O presidente da Câmara da Amadora considerou ontem que o Governo deve parar o projecto de conclusão da CRIL, antes de mais por se tratar de um Executivo de gestão e porque estamos perante uma matéria que tem merecido a contestação de autarcas e população."

Os interesses do P.S. acima dos de Portugal. Dá gosto ter estes políticos.

Até quando?

"Três rapazes de 16, 18 e 19 anos foram detidos anteontem, ao fim da tarde, no bairro de Santa Filomena, Amadora, após roubarem várias pessoas, ameaçando-as com facas. A “aventura” durou três horas e os jovens fizeram-se transportar sempre em viaturas furtadas, soube o CM junto da polícia. O grupo de salteadores agiu entre as 15h30 e as 18h30. Tudo começou na Avenida da Liberdade, em Monte Abraão, Queluz, quando os jovens furtaram diversos artigos do interior de uma viatura. No local furtaram um Ford Fiesta. Mas por pouco tempo, dado que a viatura parou avariada.A seguir, apropriaram-se de um Fiat Uno vermelho na Rua António Silva, também no Monte Abraão, e foram até Oeiras, onde, no interior de uma oficina, roubaram um telemóvel a um homem.
Esta viatura acabou por ser abandonada no parque de estacionamento da Fábrica da Pólvora, em Barcarena. No mesmo local furtaram um Fiat Uno branco e neste foram até às traseiras do centro comercial de Massamá, onde entre as 16h40 e as 17h00, abordaram um homem para lhe roubar o telemóvel. Às 17h50 ainda em Massamá, na Avenida João Barros, cruzaram-se com outro homem tendo-lhe roubado o telemóvel com a ameaça de uma faca. Por fim, às 18h30 pararam um carro na Avenida 25 de Abril, em Massamá, e imobilizaram os dois ocupantes com a ameaça de uma faca, roubando-lhes os telemóveis. Fugiram e após perseguição foram parados no bairro de Santa Filomena, Amadora.

Vamos ter de aguentar isto mais tempo?
"A Justiça e os Serviços Prisionais estão agora ‘em cima’ do assassino de Abrantes, a vigiar todos os seus movimentos. A licença de saídas precárias de Américo Piçarreira, o triplo homicida devolvido ontem à cadeia de Vale de Judeus, vai ser revogada e o seu processo reavaliado por um juiz do Tribunal de Execução de Penas."
O processo vai ser reavaliado? Fixe. O Piçarreira corre o risco de ser solto e indemnizado.

quarta-feira, janeiro 26, 2005

Benfica segue em frente.


O Benfica eliminou o Sporting da Taça no melhor jogo de futebol das últimas temporadas!!!!! Seis golos e períodos de bom futebol que ninguém esperava ver. Tecnicamente mais forte, o Sporting dominou o meio campo, chegando a obrigar o Benfica a jogar só no contra-ataque durante a segunda parte da partida. Novamente ficou patente a inexistência do nº 10 e a falta de classe de muitos jogadores do Benfica, nomeadamente João Pereira, que simulando uma inexistente agressão, provocou a expulsão do criativo sportinguista Hugo Viana.

Sinceramente custa-me a perceber como podem atirar um telemóvel para o relvado. Parece que os apoiantes do Benfica conseguem ter menos nível que certos jogadores. Triste também o abandono prematura do estádio, que se transformou numa ridícula marcha-atrás depois de as bancadas «explodiram» com o golaço de Simão que restabeleceu de novo a igualdade. Com estes sócios que só sabem culpar o treinador e defender a mafia do futebol, o Benfica não vai longe.

P.S. O Trapattoni esteve bem embora eu tivesse preferido o Mantorras em vez do Carlitos. Se calhar foi poupado.

Beijos.

"Durante um beijo, mais de 40 mil parasitas e 250 tipos de bactérias diferentes passam de uma boca para outra, revelaram cientistas suecos. Os especialistas descobriram ainda que 0,7 gramas de proteínas, 0,45 gramas de lípidos e 0,19 gramas de outras substâncias orgânicas são também trocados."

Diário Digital.

Deve ser isso que torna os beijos mais deliciosos. Esperamos que os cientistas fiquem por aqui...

Casamento das Arábias.

"A professora portuguesa que se apaixonou através da Internet por um paquistanês percorreu meio mundo para se casar. A festa durou três dias. Já regressou a casa, mas o seu príncipe encantado aguarda por um visto de entrada em Portugal.

Os olhos de Célia não mentem – de cada vez que fala no seu casamento as pupilas brilham de alegria. “Foi uma festa muito bonita”, recorda com um sorriso na berma dos lábios. Foram três dias de festa rija para celebrar a união com um homem que não conhecia. Numa terra que não conhecia e que fica do outro lado do mundo. Tudo correu às mil maravilhas e por isso ela sente-se a mulher mais afortunada do mundo. “Estou muito feliz. Em paz comigo própria”, repete com palavras vestidas de convicção.

Foi um salto no escuro e as coisas podiam ter corrido mal”, acrescenta. Tem razão. Não é todos os dias que uma mulher portuguesa se apaixona na Internet por um paquistanês e depois de três meses de namoro ‘on-line’ decide ser sua mulher. “Não me arrependo de nada”, dispara Célia, como que a querer matar as dúvidas que ainda persistem na cabeça de algumas pessoas.

Célia conheceu o seu príncipe encantado numa das suas viagens por um ‘chat’ italiano. Foi amor à primeira tecla. “Desde o primeiro dia que li a sinceridade nos seus olhos”, admite com um brilhozinho de felicidade. Por isso, nem pestanejou quando apenas dois dias após o primeiro encontro ele lhe pediu em casamento. As amigas bem a avisaram – “não vês que ele só quer casar contigo porque precisa de um visto para a Europa”, disseram – mas ela não lhes passou cartão. “O meu amor por Mohammed é uma questão de fé”, responde.
Como seria de esperar, a chegada da loura portuguesa não passou despercebida naquela pequena vila. “As pessoas olhavam-me com surpresa. Mas eram discretas e amorosas”, adianta. Mas a notícia correu mais depressa do que uma gazela e, num abrir e fechar de olhos, todos ficaram a saber que ela iria ser a personagem principal de um verdadeiro casamento das Arábidas. “Estava tudo planeado. Só tive de vestir trajes lindíssimos, esboçar o meu melhor sorriso, sincero, e não me preocupei com mais nada.


Adorámos o parágrafo "a chegada da loura portuguesa não passou despercebida". Diz tudo. Compreendem agora porque é que a Maria é a revista mais lida neste avançado país?

Punições?

"A captura de Américo Pissarreira acabou também por colocar um ponto final quanto à identidade do mesmo. Isto porque, além da qualidade de fugitivo, Américo Pissarreira ganhou protagonismo por ter concedido entrevistas em que, afinal, não era ele, como viria a dizer posteriormente. No dia 12 de Janeiro, o Fórum Prisões, uma organização não governamental, chegou a anunciar publicamente que estava a mediar o processo de entrega às autoridades e que - recusando-se a revelar o local e a hora - Américo Pissarreira iria entregar-se. Tal, como se verificou, nunca aconteceu e Pissarreira garantiu à SIC que não contactou com ninguém do Fórum Prisões. Ontem, a jornada do recluso chegou ao fim."


O que se passou é grave. O Fórum Prisões deve ser “dissolvido” dada a sua falta de credibilidade. A TVI e jornal Correio da Manhã multados por divulgarem falsas notícias. A SIC por ter tido contacto com o foragido e não ter o denunciado às autoridades polícias, violando a lei (tratava-se de um perigoso homicida que tinha morto 3 pessoas).Mas como em Portugal tudo fica impune...

terça-feira, janeiro 25, 2005

Já lá vai um ano.

Esmolinha por favor.


Aviso.

A comissão de mártires vem por este meio informar os aspirantes a mártir que não vão ter direito a nenhuma das suas prometidas virgens, dado o excesso de lotação verificado ultimamente.

Aproveitamos também para informar que, devido à devastação alarve que essa turba raivosa tem provocado nas nossas reservas virginais, a partir de hoje só serão servidas velhas gordas e usadas em lugar das delicadas clássicas virgens.

Com os melhores cumprimentos

A comissão de mártires.


Parabéns Eusébio.

Consciência pesada?

"Jorge Sampaio quis ontem colocar um ponto de ordem sobre a campanha eleitoral. Num discurso na Universidade dos Açores sobre cidadania, o Presidente da República deixou sérios avisos ao PS e alguns recados ao PSD para que não esgrimam argumentos que desaparecem “na espuma”.
Sampaio devia ter pensado nisso antes de dissolver o parlamento.

Sou uma mulher!

"O pai, Nené, ex-futebolista do Benfica, sonhava ter uma filha e quando Filipa nasceu só o sexo era masculino. Tudo o resto era de mulher. Mas só após anos de luta atingiu essa condição. Hoje, é manequim.

Filipa Gonçalves nunca teve comportamentos masculinos, esperma ou pêlos no corpo. Sempre brincou com bonecas e no meio das raparigas. Na escola sentiu o peso da diferença. Era muitas vezes ‘gozado’ por ser um rapaz com alma de rapariga. “Olhavam-me com ar suspeito e elas davam-se às mil maravilhas comigo”, revela Paula Filipa Gonçalves, hoje modelo profissional. Aos três anos “já ia a psicólogos e a psiquiatras”, devido ao comportamento efeminado. Os gestos, as atitudes, os desejos de qualquer menina dessa idade corriam-lhe no sangue. “Os meus pais acharam estranho, mas os médicos disseram que era uma fase e que passava com a idade”, conta a filha do ex-futebolista do Benfica Nené e sua mulher Iria.

“Eu sempre soube, desde muito tenra idade, que ia ser a Filipa que sou agora.” Hoje, com 24 anos, é uma mulher completa. Ao corpo e à alma juntou o sexo que a sorte não lhe deu à nascença. “O meu pai já tinha um filho e desejava muito uma rapariga e o destino acabou por fazer-lhe a vontade.” O pai esteve sempre ao seu lado no momento em que percebeu “estar perante um filho diferente”. O apoio foi total, quer financeiro quer humano. “Nunca precisei de trabalhar ou de prostituir-me porque tive o apoio incondicional dos meus pais. Se não fossem eles não estaria aqui.” Depois da operação, levou dois anos em tribunais e processos para lhe mudarem o bilhete de identidade.“O meu pai gastou fortunas com advogados e burocracias.” A manequim elogia Nené, porque “é muito difícil um pai perceber que tem um filho que se olha ao espelho e se vê como mulher, mas que ao despir-se da cintura para baixo nota que algo não encaixa naquele corpo”.

O seu nome foi invertido do masculino para o feminino e ficou a chamar-se Paula Filipa Gonçalves. O passo final, a operação de mudança de sexo, foi feita na Suíça, em 1999
. "
CM.

Agora que já é mulher, aproveitamos para dar-lhe os parabéns. Esperamos ansiosamente pelo nascimento do seu primeiro filho natural, fruto dum namorado(a) condigno(a).

P.S. Esta é a mulher ideal do Bloco de Esquerda. Nunca será presa por abortar.

Padrinhos juniores.

"Duas irmãs de 15 e 13 anos estiveram sequestradas por algumas horas no Bairro do Regado, no Porto, por indivíduos ligados ao ‘Grilo’, o rapaz de 15 anos morto com um tiro na cabeça em Guifões, Matosinhos, na sequência de um disparo alegadamente acidental efectuado por um seu compincha de assaltos, o ‘Marreta’, de 21 anos. O sequestro teve por finalidade obrigar ‘Marreta’ a comparecer a um encontro a fim de liquidar uma dívida de que ‘Grilo’ era credor. As raparigas, namoradas dos dois amigos (a vítima mortal e o homicida confesso), seriam o isco para convencer o jovem a ir ao local.Segundo fontes próximas do caso, ‘Marreta’ teria uma dívida por liquidar ao ‘Grilo’. Gente ligada a este último não desiste de cobrar a dívida e depois de terem tentado, em vão, encontrar o homicida atraíram no sábado a sua namorada a um bairro portuense, onde a mantiveram cativa até que ele comparecesse no local.A jovem, de 15 anos, estava acompanhada pela irmã, de 13 (namorada de ‘Grilo’).

A verdade é que ‘Marreta’ não apareceu e as irmãs acabaram por ser libertadas após alguns “apertões”. A PJ investiga os pormenores da história, considerando existirem suspeitas de crime de sequestro.Recorde-se que, tal como o CM noticiou, na noite de Passagem de Ano o Igor, ou ‘Grilo’, foi mortalmente baleado pelo Cláudio, o ‘Marreta’. Segundo a PJ, ter-se-á tratado de um acidente, quando a pistola era empunhada pelo Cláudio. Do mesmo entendimento foi o juiz, que depois de ouvir o homicida permitiu que aguardasse julgamento em liberdade, isto apesar de ter colocado o corpo de ‘Grilo’ num terreno anexo ao apartamento onde o crime ocorreu. O caso desenrolou-se em casa das namoradas de ambos, as duas irmãs de 13 e 15 anos. Os jovens eram conhecidos das autoridades por pertencerem ao gang da Lapa, responsável por dezenas de assaltos e furtos, alguns deles violentos. Já depois deste incidente, a Polícia deteve alguns elementos do grupo, que, todavia, continua activo. "

Um delírio este nosso Portugal.

SANTANA AO ATAQUE !

Ontem, em mais um comício de pré-campanha, o actual Primeiro Ministro, Pedro Santana Lopes fez mais um ataque cerrado ao Presidente da República.

Não vamos agora discutir os méritos ou deméritos da decisão de Sampaio.

A atitude de Sampaio em Junho, ao reconduzir a actual maioria formada pelo PSD e pelo CDS-PP, foi constitucional, valendo-se Sampaio dos poderes políticos específicos que cabem ao Presidente da República e de que este dispõe.

Essa atitude desagradou na altura aos partidos da oposição, e ditou mesmo a demissão de Ferro Rodrigues do cargo de Secretário-Geral do PS.

Santana foi escolhido pelo Conselho Nacional do PSD para Presidente do Partido, e Sampaio convidou-o a formar Governo.

Perante um Governo em evidente desagregação, perante a falta de liderança de Santana, o que levou a que quase diariamente houvesse ministros a contradizerem-se em público, e perante casos em que um dia um determinado ministro dizia ou anunciava uma coisa, para que no dia seguinte, ou no próprio dia Santana o desdissesse, Sampaio, usando exactamente do poder político que uma Constituição semi-presidencialista lhe dá, acabou por dissolver a Assembleia e avançar para as eleições antecipadas.

Desta vez, a oposição aplaudiu, e a actual maioria condenou.

Nada a apontar até aqui.

Mas ontem, em comício de pré-campanha, Santana Lopes atacou o Presidente por algo que revela falta evidente de memória, o que em si só não seria condenável, ou então má fé.

Queixou-se Santana Lopes de Sampaio ter recebido Marcelo Rebelo de Sousa após o obscuro caso que culminou da saída deste da TVI e das suas homilias semanais.

Que nunca Sampaio recebera um cidadão para ouvir as suas queixas pessoais.

Santana perante estas desbragadas declaração revelou má fé, ou no mínimo, falta de memória.

Ou ter-se-á Santana Lopes esquecido que em tempos, era ele ainda presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, e perante um sketch humorístico transmitido na SIC, em que a sua figura era usada, Santana declarou que iria abandonar a carreira política e pediu, a esse propósito uma audiência ao Presidente Sampaio?

E não se lembrará ele que Sampaio o recebeu?

Sampaio recebeu-o, ouviu-o.

E Santana, ao contrário do anunciado, dramática e solenemente, não só não abandonou a carreira política, como acabou por se candidatar à Câmara de Lisboa, e foi depois eleito vice-presidente do PSD.

E agora é Primeiro Ministro, e antes disso não disfarçou a sua vontade em se candidatar a Belém.

E actualmente, para além de Presidente do PSD, prepara-se para concorrer a estas eleições para o cargo de Primeiro Ministro reeleito, se assim os eleitores o decidirem.

Que estranho abandono da carreira politica a dele!

E que grande falta de memória!

Afinal Santana tem falta de memória, ou recorre ao discurso falacioso e fácil?

"As autoridades portuguesas desmantelaram 56 redes de crime organizado em 2003, das quais 35 relacionadas com o tráfico de estupefacientes, indica um relatório do Conselho da Europa divulgado segunda-feira.

O relatório assinala que, apesar da maioria dos suspeitos serem portugueses, assiste-se a uma maior diversidade nas actividades e nacionalidades dos suspeitos de integrarem redes de crime organizado
."

Quem disse que Portugal não era um país de oportunidades para os imigrantes?

Sonhos.

O sonho vai continuar a ser um sonho, não é verdade amigo baixote?

segunda-feira, janeiro 24, 2005

Closer.

Dois é muito, três uma multidão. Então e quatro? “Closer”, a adaptação para cinema da peça de teatro homónima, mostra-nos a complicada teia de relações de amor/ódio entre quatro personagens. Dois homens e duas mulheres cujas vidas (e camas) se vão intersectando, numa trama cada vez mais complexa de mentiras e (des)ilusões.

A HISTÓRIA
Dan (Jude Law) é um escritor, a residir em Londres. Enquanto a fama não bate à porta, ganha a vida a escrever obituários. A sua vida muda quando conhece Alice (Natalie Portman), uma jovem americana em quem repara quando por pouco não é atropelada à sua frente. Para Alice, o encontro com Dan significa amor à primeira vista; para Dan, Alice é a musa de que precisava para acabar de escrever o seu primeiro romance. Mas depressa o escritor começa a cansar-se da exigência da namorada...


É então que conhece Anna (Julia Roberts), uma fotógrafa contratada para tirar a sua fotografia para a capa do livro, prestes a ser editado. Dan fica encantado com a confiança de Anna e começa a namoriscá-la. O desgosto chega quando a fotógrafa se cruza com um dermatologista chamado Larry (Clive Owen) e rapidamente decide casar com ele. Dan não se conforma e continua a desejar Anna, tornado-se seu amante. A frustração torna-se evidente quando a fotógrafa se recusa a deixar o marido por ele. As relações de traição e conflito entre as quatro personagens, ilustradas de forma notável pelos actores, são o combustível do filme, adaptado de uma peça de teatro pelo realizador e produtor Mike Nichols.


Tendo Londres como cenário, Perto de Mais é uma comédia divertida e poderosa, sucessora dos clássicos de Nichols, "Who's Afraid of Virginia Woolf" e "Carnal Knowledge" e que conta já com cinco nomeações para os Globos de Ouro.

I have a dream.

I have a dream, a song to sing
To help me cope with anything
If you see the wonder of a fairy tale
You can take the future even if you fail
I believe in angels
Something good in everything I see
I believe in angels
When I know the time is right for me
I'll cross the stream - I have a dream

I have a dream, a fantasy
To help me through reality
And my destination makes it worth the while
Pushing through the darkness still another mile
I believe in angels
Something good in everything I see
I believe in angels
When I know the time is right for me
I'll cross the stream - I have a dream
I'll cross the stream - I have a dream

I have a dream, a song to sing
To help me cope with anything
If you see the wonder of a fairy tale
You can take the future even if you fail
I believe in angels
Something good in everything I see
I believe in angels
When I know the time is right for me
I'll cross the stream - I have a dream
I'll cross the stream - I have a dream

ABBA

Exercício realista.

"O cenário imaginado pelo Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC) era aterrador. Um grave desastre entre quatro automóveis no cruzamento do Alto da Boa Viagem, na zona de Caxias, arredores de Lisboa, faz um carro cair em chamas na linha-férrea. O fogo propagou-se a uma carruagem que circulava em direcção à capital. Como se isto não bastasse, dois barcos com passageiros a bordo encalham na margem Norte do Tejo. Resultado destes acidentes em cadeia: 3 mortos, oito feridos graves e 26 feridos ligeiros. Tudo, porém, não passou de um exercício para afinar as operações de socorro chefiadas pelo coordenador distrital do SNBPC, Moreira Vicente. No final, o balanço foi positivo. No entanto, o coordenador distrital de Lisboa do SNBPC, Moreira Vicente, confessou um “ligeiro atraso na chegada de algumas ambulâncias”. “Tiveram de ir dar uma volta maior que o esperado”, referiu ao CM. Entusiasta deste tipo de exercícios, a presidente da Câmara de Oeiras constatou que “as sete corporações do concelho funcionaram bem”. “Os constantes exercícios efectuados ajudaram nesta situação
Atraso na chegadas das ambulâncias? Não precisavam de levar o exercício tão a sério.

Assembleia República

A Assembleia da República das Bananas, depois de um estudo muito apurado e ainda mais exaustivo que durou longos meses, resolveu autodissolver-se. O seu presidente, Maximus Pobreza, afirmou que, ponderado o baixo salário auferido pelos seus membros, o arrepiante e degradante ar de pelintra dos seus fatos "Rosa Teixeirus" e o desconhecimento da nova moeda que poderia causar enganos na contagem das esmolas auferidas nas paragens de Táxi, único meio de subsistência, a grande maioria dos deputados decidiu tomar a iniciativa inédita da autodissolução.

Aproveitando a paragem, resolveram todos inscreverem-se no curso "conheça a nova moeda", no intuito de não serem enganados no valor das esmolas pelo povo vulgar, esses ricaços gananciosos. Entretanto, Augustinus resolveu, imbuído no espírito da quadra festiva que se vive, oferecer várias peças de roupa dos seus modelos a cada um dos pobres parlamentares.

Eventualmente alguns teriam de andar com o peito descoberto, outros com as nádegas e, finalmente, outros com as pernas. Mas moda é moda e antes isso, que um ar desenxavilhado de maltrapilho.

domingo, janeiro 23, 2005

Benfica de 3ª classe.

Após a frustrante exibição em Alvalade e o exuberante jogo com o Boavista, o Benfica voltou a desiludir os seus adeptos, desperdiçando uma boa ocasião para alcançar de forma isolada a liderança na SuperLiga. Trapattoni teve de recorrer a Paulo Almeida devido ao castigo de Manuel Fernandes, substituição forçada que marcou o jogo do Benfica e tornou a equipa "encarnada" coxa no meio-campo.

Sozinho na tarefa da criação, Petit não conseguiu fazer com que o Benfica jogasse no seu meio campo, preferindo sempre os lançamentos, o que facilitou a defesa do Beira-Mar. Sem nenhum homem no miolo capaz de fazer a diferença, o Benfica passou a apostar tudo nas alas. Simão e Geovanni até mostravam vontade, mas faltava o apoio mais efectivo dos laterais Miguel e Fyssas.

Para agravar ainda mais, Petit e Simão jogaram nos limites dos cartões e a iminência de falharem o jogo com o Sporting para a Taça na próxima quarta-feira condicionou o seu jogo; principalmente o do médio, menos afoito nas cargas sobre os adversários.

No segundo tempo, o técnico italiano teve de recorrer a um mais móvel Carlitos e tirar o inexistente Paulo Almeida. E até Mantorras teve de ser chamado, saindo o nulo Karadas. O Benfica só a espaços conseguia incomodar a defesa do Beira-Mar, até que aos 66 minutos Tanque Silva matou o jogo marcando o seu segundo golo.

Os habituais comentadores da TV não compreendem o que se passa com este Benfica que depois de derrotar o Boavista perde com um Beira-Mar do fundo da tabela. Não querendo tirar o mérito à equipa de Aveiro, o certo é que a falta do criativo número 10 não conseguiu ser disfarçada. Se o jovem Manuel Fernandes ainda consegue disfarçar, Paulo Almeida e Carlitos estão a anos-luz. Isto apesar de virem rotulados de estrelas. Mas o facto é que só são estrelas para carecerem o valor das transferências.

Triste figura a dos adeptos assobiando Trapattoni no final. Contando a quantidade de treinadores que se sucederam no Benfica desde o último campeonato ganho por Toni, conclui-se facilmente que a culpa não é do Treinador.

Pois é meus amigos, o problema do Benfica reside na má política de contratações e não no treinador. Enquanto os adeptos não perceberem isso, a dupla Veiga / Vieira vai sobrevivendo e negociando. E isso vai custando ao Benfica.

P.S. O que é feito de Moreira?

É só fazer as contas...

"O PS propõe-se reduzir em 75 mil o número de funcionários públicos sem fazer despedimentos, partindo do princípio de que 150 mil funcionários se reformarão nos próximos anos e que só metade deles serão substituídos por outros novos.Parece boa ideia, até ao momento em que começamos a pensar nas consequências dessa estratégia sobre as despesas. Ora vejamos. Quando um funcionário se reforma, o Estado poupa no seu salário, mas passa a pagar-lhe todos os meses a respectiva pensão de reforma. Por outras palavras, uma despesa é substituída por outra de diferente natureza mas de montante pouco inferior.

Logo, quando Sócrates promete que só entrará um novo funcionário por cada dois que saiam para a reforma, está, na prática, a prometer aumentar a despesa pública, dado que os que saem não a diminuem significativamente e os que entram, sendo ainda por cima forçosamente licenciados, fá-la-ão crescer.Depois, há outro problema. Nos termos do programa anunciado, o PS propõe-se criar 150 mil postos de trabalho nos próximos postos de trabalho. Todavia, como o Estado dará para esse objectivo um contributo negativo de 75 mil postos, do que se trata efectivamente, em termos brutos, é de criar não 150 mil mas 225 mil postos de trabalho. De outra forma, a promessa não será cumprida.Estará a escapar-me algumas coisa?"


Pobre país (mais uma para a contabilidade do amigo Mompox).

Fenómeno.

"O senhor não sabe o que é gerar uma vida. Não tem a minima ideia do que isso é. Eu tenho uma filha. Sei o que é o sorriso de uma criança. Sei o que é gerar uma vida."

Francisco Louçã.

Pensavamos que só as mulheres é que geravam vidas. Este Louçã é um fenómeno.

O GUIA PARA O BOM ORGASMO



Ficámos a saber que há bons e maus orgasmos.
Felizmente que os nossos foram sempre dos bons.

Quem tiver 14 Euros para gastar...

Descoberta.

"Uma equipa de investigadores japoneses anunciou em Tóquio a descoberta de uma múmia perfeita e intacta no Egipto."

É porque ainda não conhecem um "colega" nosso. Mas o pior é que ele até fala...

Cheque em branco.

"O ex-presidente do PSD, Marcelo Rebelo de Sousa acusou no sábado, em Celorico de Basto, o líder do PS, José Sócrates, de ser «um guterrista de segunda classe» e de «estar a pedir um cheque em branco aos portugueses.» Dirigindo as suas críticas ao PS, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que, «apesar de ter fugido para não deixar o País no pântano, Guterres era mais concreto nas promessas que fazia do que José Sócrates.»

«Guterres dizia o que pensava sobre o papel do Estado e o do sector privado. Sócrates limita-se a pedir um cheque em branco sem dizer o que quer e o que vai fazer», reforçou. Por isso, para Marcelo, votar no PS é abrir as portas «a uma política de adiamento de decisões, de faz que anda mas não anda, de agradar a Deus e ao Diabo». Um comportamento «típico do guterrismo», disse."

Demagogia.

"ALGUNS DOS COMPROMISSOS SOCIALISTAS NO MANIFESTO ELEITORAL

AUTARQUIAS

O programa eleitoral do PS prevê a reforma do sistema de financiamento das autarquias. Neste quadro incluiu-se a revisão do regime de recurso ao crédito e as “modificações necessárias a tornar os municípios menos dependentes das receitas oriundas da construção civil, sem afectar os actuais níveis globais de financiamento, bem como a receita pública”.

Mudanças nos serviços autárquicos e regulamentação do regime de cooperação, abrindo a porta a parcerias público-privado para a concessão de serviços municipais, são outras das medidas.

EMPREGO E CÓDIGO
Os socialistas já tinham anunciado que pretendiam recuperar 150 mil empregos até ao final da legislatura e acrescentam, no programa de Governo, a viabilização de 200 “novas empresas de base tecnológica” – Plano Tecnológico. Pretendem triplicar o número de patentes registadas e não fazer grandes alterações ao Código de Trabalho.

Para a administração pública, o PS admite a saída de 75 mil funcionários (reformados) no prazo de quatro anos. A regra é a de por cada dois reformados só entra um novo trabalhador na Função Pública.
“Rigor nas finanças públicas”, “colocar o défice nos limites do Pacto de Estabilidade e Crescimento, sem recurso a receitas extraordinárias”, para o que conta com o crescimento económico (3 por cento ao ano até ao fim da legislatura), “combate à fraude fiscal”, “investimento público racional” e “incentivos ao investimento privado em áreas como o ambiente, energias e TGV”.

INGLÊS NO 1º CICLO
O PS quer generalizar o ensino de Inglês no 1.º ciclo. A obrigatoriedade de frequência de ensino ou acções de formação profissional até aos 18 anos, até 2009, é outra das novidades.

No ensino superior, o PS garante que “nenhum novo processo de criação de Universidade ou Politécnico será aberto durante a próxima legislatura” e não tenciona “aumentar, a preços constantes, o valor das propinas de frequência do primeiro ciclo (licenciatura) e adequando o valor das propinas à nova natureza do segundo ciclo (pós-graduações e mestrados)”.

REFERENDO AO ABORTO
António Vitorino anunciou ontem que o PS pretende propor a realização do referendo sobre a Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) nos mesmos termos que o foi em 1998.

Na altura, recorde-se, o resultado não foi vinculativo, isto é, o número de votantes não chegou aos 50 por cento. No programa eleitoral escreve-se que o PS “bater-se-á” contra a actual lei, pela via da consulta popular, porque considera a legislação “obsoleta e injusta”. “A despenalização da IVG é uma inadiável exigência de justiça”, pode ler-se no documento.

SCUT, TGV E HABITAÇÃO
O PS promete manter as SCUT “enquanto se mantiverem as condições que as justificaram. O aeroporto da OTA é para avançar, contando com o financiamento comunitário. O troço Lisboa-Porto em alta velocidade (TGV), a “diminuição progressiva da deslocação entre cidades de primeiro nível” para hora e meia a duas horas e a redução dos “custos totais dos transportes” compõem o quadro de promessas.

Para os jovens haverá acesso à habitação a custos controlados. A Lei das Rendas será revista em 100 dias.
"

Sócrates continua a prometer aquilo que não pode cumprir. Tal como os seus economistas já admitiram.

Trapattoni.

"O Benfica voltou ontem a descer ao inferno. Foi copiosamente derrotado, e em toda a linha, pelo Beira-Mar, que mereceu ganhar o jogo (0-2) e repetir o triunfo do ano passado, na estreia do Estádio da Luz. Perante um adversário medíocre, que não fez nada para sair vencedor, os aveirenses foram coroados, depois de já terem vencido no Dragão (e empatado com o Sporting). Dois golos de Tanque Silva derrotaram os benfiquistas, que voltaram a falhar novo assalto à liderança da SuperLiga, no início da segunda volta do campeonato. O final foi terrível para os jogadores: saíram sob terrível assobiadela e Trapattoni viu espalhados por todo o estádio milhares de lenços brancos. "


Claro que o problema do Benfica é o treinador Trapattoni porque até tem uma equipa repleta de vedetas, qualquer uma delas, sujeita a ser considerada o melhor jogador do mundo.

sábado, janeiro 22, 2005

Big Splash.


O Big Splash é uma teoria astronómica que postula a formação da Lua através do impacto de um planeta desaparecido, conhecido como Theia, com a Terra. A teoria foi proposta pela primeira vez em 1975 por investigadores do Instituto de Ciências Planetárias de Tucson e do Instituto Harvard-Smithsonian de Astrofísica. Desde então diversos trabalhos de modelação numérica têm vindo a detalhar esta ideia, que é actualmente considerada consensual na comunidade científica.
Wikipedia.

Sem comentários.





Guerra educada.

"Uma capitão e quatro sargentos da Polícia Militar do exército dinamarquês foram acusados formalmente pela Procuradoria do Ministério da Defesa de maus tratos a prisioneiros iraquianos num campo militar próximo de Bassorá, no sul do país, indicou a acusação. A militar de graduação mais elevada foi acusada de quatro casos de negligência no cumprimento do seu dever.

A oficial e os quatro sargentos são acusados de ter humilhado verbalmente os prisioneiros, «usando insultos como 'cão' ou 'porco'», além de lhes recusar alimentos e água e de os forçar a ajoelhar-se em posições incómodas durante os interrogatórios, afirmou o procurador militar Peter Otken. As acusações referem-se a três episódios isolados ocorridos em Março, Abril e Junho do ano passado. Otken afirmou que a acusação pedirá pena de prisão para os militares. A máxima sentença para estes casos é de um ano de prisão."

A guerra está a tornar-se uma coisa decente. Os prisioneiros durante os interrogatórios não podem ser mal tratados. Até porque quanto mais forem mimados mais colaboram. Deve-se evitar também chamar nomes feios aos rapazes. Sugere-se mais delicadeza. Que tal "torrãozinho de acuçar", "foufinho", "minha doçura"?

P.S. Não querem aplicar essas regras ao nosso trânsito? Já ouvimos chamarem nomes piores que "cão" e "porco" sem que nada lhes tenha acontecido.

Curiosidades de políticos.

"O social-democrata Marques Mendes, ex-ministro de Cavaco Silva e forte crítico da liderança de Pedro Santana Lopes no seio do PSD, está a preparar-se para a corrida à sucessão do actual primeiro-ministro em caso de derrota eleitoral. Marques Mendes faz parte das listas do PSD para as eleições de 20 de Fevereiro, encabeçando a lista de Aveiro."

É contra Santana mas aceitou ser cabeça de lista.

Criminalidade baixou.

Crimes violentos diminuíram 14,4 por cento em 2004:

É verdade. Veja-se alguns que ocorreram este mês:


"1/ Um homem de 26 anos foi atingido a tiro, quinta-feira, na sequência de um assalto na Rua Fernandes Tomás, no centro do Porto, disse hoje à agência Lusa fonte policial.


2/ A Polícia Judiciária está a investigar o caso de um homem que foi baleado no pescoço e posteriormente largado à porta do Hospital de Riba d'Ave, Famalicão, na noite de quarta-feira, disse hoje à Lusa fonte policial.

3/ Um triplo homicídio ocorreu hoje, cerca das 18:00, na freguesia de São João da Pesqueira, no distrito de Viseu, disse à Agência Lusa o oficial de serviço na GNR.

4/ Tensão em Setúbal por duplo homicídio

5/ Um homem matou ontem a mulher e um casal vizinho com vários tiros de caçadeira e suicidou-se, em São Xisto, freguesia de Vale de Figueira, São João da Pesqueira, Douro
."

Estamos mais descansados.

sexta-feira, janeiro 21, 2005

Falência da sociedade.

A recente entrevista do homicida foragido, confirmando-se a sua veracidade, vem demonstrar a falência da sociedade portuguesa:

1- Comunicação social desprovida de qualquer deontologia, aonde os fins a atingir justifica plenamente os meios empregues;

2- Organizações cívicas formadas por indivíduos que não estão preparados e que defendem interesses obscuros que não os tipificados nas suas características;

3- Advocacia que não se coaduna com o mediatismo;

4- Mau funcionamento da justiça;

5- Crescente inversão dos valores morais.

Ontem foi um dia muito romano

Revisão das leis?

"A Associação contra a Exclusão pelo Desenvolvimento (ACED) defendeu hoje uma nova política penal para Portugal, que reduza "drasticamente e rapidamente" o número de reclusos para um terço dos actuais.

Em documento, esta associação de defesa dos direitos dos reclusos, propõe que a redução do número de presos para um terço dos actuais se faça através da "revisão das leis da junção dos processos e dos cúmulos jurídicos", bem como da "qualificação do exercício e da dignidade dos Tribunais de Execução de Penas e outros meios"
."

Matar, roubar, violar vai deixar de ser crime?

Portugal no seu melhor.

"Seis das sete freguesias socialistas do Porto manifestaram-se hoje solidárias com o presidente da Concelhia, Nuno Cardoso, arguido no âmbito de um alegado favorecimento ao FC Porto e alvo de críticas do presidente da Distrital, Francisco Assis.

Numa reunião marcada apenas pela ausência do presidente da Junta de Freguesia da Sé, por doença, os autarcas mostraram-se particularmente críticos relativamente à forma como Francisco Assis comentou a conferência de imprensa que Nuno Cardoso produziu, um dia após a sua deslocação à Polícia Judiciária do Porto para ser ouvido
. Perante os jornalistas, o ex-presidente da Câmara do Porto apontou coincidências temporais sobre a sua chamada à PJ e admitiu eventuais interferências do poder político no poder judicial, facto que Francisco Assis considerou "grave" e a necessitar de provas "que irrefutavelmente demonstrassem a sua veracidade".


"Estes comentários de [Assis] produziram mais estragos a Nuno Cardoso do que a sua chamada à Judiciária", disse à agência Lusa o presidente da Junta de Massarelos, Justino dos Santos. Declarando "legítimo" que Francisco Assis tenha, "lá no seu íntimo", o desejo de ser ele próprio candidato à autarquia do Porto, Justino dos Santos considerou, contudo, que Nuno Cardoso continua "melhor posicionado, apesar dos últimos acontecimentos". "Se for ele o adversário de Rui Rio, vencerá. Tem melhor imagem nos bairros, nas associações, nos empresários", afirmou o presidente da Junta de Massarelos. "

São os políticos que temos. Só uma dúvida. Para quando a alteração legislativa que permita a um recluso exercer a presidência da Câmara?

Todos diferentes, todos iguais

"A um mês das eleições legislativas do próximo dia 20 de Fevereiro, o PS tem razões para estar apreensivo com a ligeira alteração da tendência de voto dos portugueses: depois de mais de dois meses muito perto de conseguir a maioria absoluta, uma sondagem do Correio da Manhã, realizada esta semana, indica que os socialistas estão mais longe de conseguir essa meta política, já pedida pelo eurodeputado socialista António Costa."

A diferença entre Sócrates e Santana não é grande. Se é que ela existe...


1947, partilha da palestina

..
Com o fim da II Guerra Mundial e os horrores do holocausto judeu, o movimento sionista passou a exercer uma maior pressão internacional para a criação de um Estado judeu. No dia 2 de abril de 1947, a Grã-Bretanha solicitou ao Secretário-Geral da ONU, Trygve Lie, a convocação de uma sessão extraordinária da Assembléia-Geral da organização, para estudo da “Questão Palestina”. Em 28 de abril, a A ONU reuniu-se e decidiu, em 5 de maio, criar a “Comissão Palestina”, composta de representantes de 11 Estados-membros.

No final de agosto, foram apresentados 2 projetos diferentes:

a) o projeto majoritário sugeria:
1) fim do Mandato britânico;
2) proceder à partilha da Palestina e criar nela um Estado judeu e um Estado árabe;
3) considerar a cidade de Jerusalém como zona internacional com o patrocínio da ONU.

b) o projeto minoritário previa:
1) fim do Mandato britânico;
2) criação de um Estado federal cuja capital seria Jerusalém, que se comporia de um Estado árabe e de um Estado judeu.

No dia 29 de novembro de 1947, na Assembléia-Geral da ONU, em Flushing Meadows, EUA, presidida pelo brasileiro Osvaldo Aranha, foi votada a partilha da Palestina, quando 33 Estados votaram a favor, entre os quais EUA, Rússia e Brasil. Treze Estados (10 países islâmicos, Cuba, Grécia e Índia) votaram contra a partilha e 10 abstiveram-se (entre os quais INLSTERRA ARGENTINA). Os votos que decidiram a favor da partilha vieram do Haiti, Libéria e Filipinas – considerados países “satélites” dos EUA –, os quais eram inicialmente contra a partilha, mas foram pressionados a votar a favor. Jerusalém teria status de cidade internacional. A ONU destinou aos judeus as terras mais férteis da Palestina, como a planície costeira e a planície do Esdrelon, além do Lago da Galiléia. Embora a população árabe, na época da partilha, comportasse 2/3 da população total da Palestina, de 1.936.000 habitantes, a ONU lhe destinou apenas 42,88% do território, com terras arenosas e pobres.
.
Votaram a favor: 33
Austrália, Bélgica, Bolívia, Brasil, Bielorússia, Canadá, Costa Rica, Checoslováquia, Dinamarca, República Dominicana, Equador, França, Guatemala, Haiti, Islândia, Libéria, Luxemburgo, Holanda, Nova Zelândia, Nicarágua, Noruega, Panamá, Paraguai, Peru, Filipinas, Polónia, Suécia, Ucrânia, União Sul Africana, U.S.A., U.R.S.S., Uruguai, Venezuela.
Contra: 13
Afeganistão, Cuba, Egipto, Grécia, Índia, Irão, Iraque, Líbano, Paquistão, Arábia, Saudita, Síria, Turquia, Yemen.
Abstenções: 10
Argentina, Chile, China, Colômbia, Salvador, Etiópia, Honduras, México, Reino .Unido, Jugoslávia.


Para se perceber o porquê deste "regresso" dos judeus à Palestina, e os movimentos que se empreenderam até se chegar à partilha do territótório é bom lembrar:

A 1ª diáspora ou dispersão judaica (exílio) ocorreu em 586 a.C., quando o imperador babilônico Nabucodonosor II destruiu Jerusalém e o Templo de Salomão, e deportou os judeus para a Babilônia (586-538 a.C.). A 2ª diáspora judaica começou a partir de nova destruição de Jerusalém e do 2º Templo (que havia sido reconstruído por Herodes), realizada por Tito em 70 de nossa era, e encerrou-se em 135, depois que os judeus se revoltaram com a paganização da cidade de Jerusalém, feita pelo Imperador Adriano, com um templo dedicado a Júpiter. Após essa revolta, os judeus remanescentes na Palestina foram proibidos de pôr os pés na Cidade Santa, que passa a se chamar Aelia Capitolina, e começam e se espalhar por todo o mundo, ficando um número insignificante deles na Terra Santa. Em 637, começa o domínio árabe sobre a Palestina, permeado por um curto domínio do Reino Latino (dos Cruzados), de 1099 a 1291, o qual foi desbaratado por Saladino, Sultão do Egito. A partir do início do século XIV, a Palestina se torna parte do Império Otomano, que perdurou até o fim da I Guerra Mundial (1918).
O SIONISMO

theodore herzl , PAI DO SIONISMO
O Sionismo, ideologia nacionalista que prega a volta dos judeus à Palestina, começa a tomar corpo principalmente depois das perseguições movidas contra os judeus na Rússia, devido ao envolvimento da judia Vera Figner no assassinato do Czar Alexandre II, em 1881, e do processo na França contra o Capitão Dreyfus, de família judaica, condenado em 1894 por um crime que não cometera. O judeu húngaro Theodor Herzl, autor do livro “Der Judenstaat” (O Estado Judeu), no qual aborda idéias de assentamentos judaicos na Palestina, observando a intolerância contra os judeus na sociedade, especialmente o Caso Dreyfus, organiza, em agosto de 1897, o 1º Congresso Sionista Mundial, na Basiléia, Suíça, ocasião em que afirma: “O sionismo é o movimento do povo judeu em marcha para a Palestina; mas, o retorno à Palestina deve ser precedida pelo retorno do povo judeu ao judaísmo”.

O Congresso Sionista reuniu 204 dirigentes judeus do mundo todo e as seguintes resoluções secretas foram tomadas em 3 dias de debates:
“1) Estimular a colonização da Palestina, povoando-a de judeus, mediante uma emigração metodicamente organizada;
2) Organizar o movimento judeu, unificando suas formações espalhadas pelo mundo;
3) Despertar, reforçar e mobilizar a consciência judia em todas as comunidades;
4) Atuar nos diferentes Estados para obter o apoio e a anuência dos mesmos para o movimento sionista”. (Hussein Triki, in “Eis aqui Palestina”, pg. 53)

“Quanto a Herzl, fixou, por sua vez, as fronteiras do Estado, como segue: vão do Nilo ao Eufrates e da margem direita do Nilo ao Mar Vermelho e a margem esquerda do Eufrates, a maior parte do Iraque e a totalidade da Jordânia e da Síria, sem falar, naturalmente, da Palestina”. (Hussein Triki, op. cit., pg. 67).

Assim, a partir do Congresso Sionista, começa a ocupação judaica da Palestina, a “Eretz Israel” ou a “pátria histórica dos judeus”, embora outros países fossem propostos para a criação de um novo Estado judeu, como a Argentina, o Chipre, o Sinai e Uganda.

Em 1880, havia cerca de 20.000 judeus na Palestina (Dictionaire Diplomatique, pg. 204). Em 1914, cerca de 30 kibbutzim já se haviam estabelecido na Palestina, somando 40.00 judeus, embora houvesse crescente restrição dos otomanos. Em 1919, já eram 56.000 (Survey of Palestine, TI, pg. 144). Em 1923, após o recenceamento da Administração Herbert Samuel, a Palestina contava com 757.000 hab, dos quais 83.000 eram judeus. A colonização era feita, principalmente, por meio dos “kibbutzim”, colônias agromilitares de inspiração socialista. Afirmou H. Samuel: “A política que tenho a missão de implementar no nome de S. M. compreende o fomento da imigração judia até o ponto em que haja alcançado um nível tal que permita afirmar o direito dos judeus de criar um governo judeu na Palestina”.

Entre 1920 e 1925, a Administração H. Samuel, em cooperação com “El Kahal”, havia introduzido na Palestina 50.000 imigrantes judeus, que vieram principalmente da Rússia e da Polônia. Entre eles destacam-se: David Ben Gurión, Golda Meir, Jacobo Shapiro, Haim Gebai, Mordkhai Bentof, Moshe Sharet. Ao final do Mandato britânico, eram 600.000 judeus. Em 1916, os sionistas eram proprietários de 241.000 dunums (1 dunum = 1.000 m²); em 1947, de 1.850.000 dunums.

A criação do Protetorado britânico sobre a Palestina, depois da I Guerra Mundial, realizada pela Liga das Nações (precursora da ONU), e a posterior criação do Estado judeu, foi uma traição da Grã-Bretanha ao acordo firmado com o Príncipe Faiçal, da Arábia Saudita, na Campanha Árabe contra os turcos, durante I Guerra Mundial, no qual se garantia “a unidade dos países árabes e a independência de todos esses países” – traição essa já vislumbrada por “Lawrence da Arábia” em seu livro “Os Sete Pilares da Sabedoria”, embora não conhecesse o conteúdo do Acordo Sykes-Picot. Lawrence era um oficial inglês, amigo dos árabes, e participou da campanha contra os turcos para a libertação da Península Arábica, Palestina e Síria.

Em 1916, o acordo “G.S.I(j)” foi firmado entre os sionistas e o Comando britânico na zona do Oriente Médio, pelo qual os britânicos armaram as brigadas da Hagganah – embrião do futuro Exército de Israel – e ficaram encarregados de seu adestramento na guerrilha.

Em 1917, David Ben Gurión e Isaac Ben Zvi formam nos EUA uma brigada de voluntários judeus americanos para combater os turcos no Egito e na Palestina. Durante a II Guerra Mundial, a Hagganah tinha cerca de 30.000 militares, entre os quais Moshe Dayan, herói da “Guerra dos Seis Dias”, de 1967.

No dia 2 de novembro de 1917, o Governo britânico reconheceu a “Declaração Balfour” – de seu Ministro do Exterior, Arthur James Balfour – que concedia o direito do estabelecimento de um “lar judeu” na Palestina. No entre-guerras, o Mandato britânico permitiu aos sionistas montar uma indústria bélica, que chegou a produzir “200 metralhadoras por dia, 400.000 cartuchos calibre 9 mm por mês, 150.000 obuses e 30.000 granadas calibre 3 polegadas; sem contar os morteiros pesados e leves e uma indústria muito adiantada de mina”. (Hussein Triki, op. cit., pg. 121).

Nessa época, milhares de judeus europeus imigraram para a Palestina, fugindo do nazismo, ocasião em que aumentaram os distúrbios entre árabes e judeus, e surgiram os primeiros grupos terroristas judeus, como o Irgun de Menachen Begin. O hebraico ressurgiu como língua oficial para os judeus na Palestina, graças principalmente ao trabalho de Eliezer Ben-Iehudá.

Com o fim da II Guerra Mundial e os horrores do holocausto judeu, o movimento sionista passou a exercer uma maior pressão internacional para a criação de um Estado judeu. No dia 2 de abril de 1947, a Grã-Bretanha solicitou ao Secretário-Geral da ONU, Trygve Lie, a convocação de uma sessão extraordinária da Assembléia-Geral da organização, para estudo da “Questão Palestina”. Em 28 de abril, a AGNU reuniu-se e decidiu, em 5 de maio, criar a “Comissão Palestina”, composta de representantes de 11 Estados-membros.

Divulgue o seu blog!