terça-feira, maio 31, 2005

A amnésia, o ridículo ou a vergonha na cara

Texto que pode ser adaptado a pequena peça ou guião, sendo as personagens as habituais, ou sejam:

Os humanos que fazem de camelos e ursos, que se limitam a observar; os humanos que dirigem este sítio sofrendo de doença avançada da memória mais ou menos recente,( não provando o erro de Descartes), conforme a conveniência; mas sem que se encontrem lesões no cérebro, mesmo usando as tecnologias mais avançadas, incluindo a tomografia por emissão de positrões, RMN e outras que o povinho tanto gosta de fazer, principalmente se for ao corpo todo e de graça e toda a legião de humanos que normalmente, só faz encolher os ombros e dizer«Ehec», enquanto o subsidiozinho não falhar, e os babecos e as hienas, a rosnarem, a babar e a rir, - ( com certeza já viram o riso mais cínico da espécie animal... ) -, à espera que as coisas acalmem, como é hábito, para que anunciem as grandes obras públicas, de grande monta, como foram os casos do CCB, a Expo e os estádios do Euro, sendo a ordem irrelevante.

Hoje, o tempo acordou quente e húmido, com nuvens pesadas no horizonte; - deve vir aí grande trovoada, diz o meu avô toupeira-; mas trabalhando, também se pensa e observa.

E que observei hoje?

Um facto surpreendente e que com certeza, deve ter irritado e admirado alguns humanos deste sítio, um pouco mais atentos, facto que presumi pelos gestos, imprecações e pelo tipo de linguajar, que me esquivo de comentar, por achar impróprio, por ser feito de pragas, a que só faltou a praga do cigano ao guarda republicano, que ele (guarda), não entendeu logo;- (...que tenhas morte de grilo...)-; e que os humanos que moram perto de mim usaram, quase temendo pela saúde de um deles, tal a quantidade de adjectivos usados.

De que se tratou então?

Nada mais, nada menos, que o uso de uma expressão proibida pelo politicamente correcto há 31 anos, mais dia menos dia, ou seja, o apelo ao patriotismo, ainda por cima devido a uma causa, de zero ponto qualquer coisa, que ninguém neste sítio sabe de facto, se é, ou se não é, ou lá o que quer que seja. Por muito menos, qualquer bom cristão, novo ou velho, diria logo para não invocar o nome Deus em vão, e apontaria a fogueira do inferno se fosse em outra época.

Patriotismo? O que é? Perguntei ao meu avô.

Meu querido neto, é o amor de um conjunto das pessoas que se associaram entre si por afecto e vontade, numa nação, quer esteja ou não organizada num estado independente.

Então e estes humanos dirigentes têm moral para invocar tal pedido? Não ouvi a resposta do meu avô. pois começou uma tal tempestade, com chuva, raios e coriscos que tivemos que nos situar num local seguro da toca...



A verdade da mentira (actualizado).

"Um homem de origem africana, com cerca de 30 anos, assaltou ontem à mão armada, pouco depois das 13h00, a dependência bancária do Finibanco de Vale do Lobo, Loulé. O suspeito que, segundo testemunhas, teria bigode, entrou calmamente nas instalações empunhando uma arma encoberta por um jornal, actuou de forma rápida e conseguiu subtrair cerca de quatro mil euros do local, depois de, supostamente, ter ameaçado os funcionários com a arma."

CM

A história está mal contada. O africano ficou preocupado com a queda do euro devido ao "não" francês. Inteirou-se do seu valor (Euro) face ao dólar, comprou (melhor, ofereceram-lhe) um jornal para o ajudar a passar o tempo na fila de espera e foi ao banco levantar a sua massa. Como é sabido, a feroz concorrência jornalistica obriga à oferta de brindes para aumentar a venda de determinado jornal. Foi o que aconteceu. O brinde que vinha dentro do jornal que ele comprou era uma pistola. Trata-se de um brinde invulgar o que denota a sorte do homem. Sorte essa que aumentou com a generosa oferta de quatro mil euros. Ainda lhe quiseram oferecer mais mas ele recusou. Um exemplo que demonstra como Portugal é um país de oportunidades para os imigrantes.

P.S. A "festa" só não acabou no habitual tiroteio porque as balas só são oferecidas na edição de amanhã do jornal. Enfim. As habituais desvantagens das promoções.

Portugal em movimento.

"Os pensionistas vão pagar mais impostos em 2006. Esta é a consequência directa da medida ontem anunciada pelo ministro das Finanças de uma aproximação gradual, para efeitos de IRS, da dedução específica das pensões (categoria H) à dedução específica da categoria A (trabalho por conta de outrem). Estamos a falar de uma diferença de cinco mil euros que actualmente está isenta de qualquer imposto."

CM
Durante a campanha eleitoral, José Sócrates prometeu que iria tirar 300 mil idosos do limiar da pobreza e está a cumprir. Sem alimentação e medicamentos vão deixar de contar para as estatísticas. Os que sobreviverem são aqueles que não pagam os devidos impostos. O homem afinal sempre cumpre as promessas.


P.S. Felizmente que ele se esqueceu dos "pobrezitos" da banca. Esses podem "fugir" não é?

Breves esclarecimentos.

A propósito da “crise existencial” do Fod-i-do, achamos por bem fazer este pequeno comentário:

Escrevemos neste Blog pelo simples prazer de escrever. São horas que damos por bem empregues dada a satisfação que obtemos como compensação. Não fazemos a mínima ideia se o Blog é pouco ou muito conhecido, nem isso nos preocupa. Até por que se fosse muito conhecido, não teríamos tanta liberdade de movimento. Efectivamente o que nos preocupa, é escrever material com credibilidade, dentro dos limites impostos pelo nosso conhecimento das coisas e pelo nosso gosto pessoal.

Um dos ganhos que tal acarreta é o facto de podermos escrever o politicamente incorrecto mas que reconhecemos como verdade. O tal politicamente incorrecto que afasta muitos leitores deste sítio e atrai outros menos “interessantes”. O tal politicamente incorrecto que leva à “clandestinidade” do Blog e ao anonimato de alguns leitores. Eventualmente até, se calhar, afastou outros “escribas” deste Blog.

Estamos conscientes disso mas tal situação não nos impede de explanar certas verdades que mais ninguém se atreve a escrever. Nomeadamente sobre o estado social do país, matéria movediça que ninguém parece quer resolver e afecta a maioria dos cidadãos.
Desengane-se todavia quem pensa que defendemos a extrema-direita ou movimentos afins. O nazismo é um cão raivoso que tem de manter-se preso na corrente porque, uma vez solto, torna-se incontrolável e tem de ser abatido.

Fica o esclarecimento.

Gostariamos de agradecer:


- A todos que enviaram imagens de sofás e cadeirões, dizendo: "Queres ser campeão? Então espera sentado". Foi um bom conselho. Isso de esperar 18 ou 19 anos dá experiência nestes assuntos;

- A todos os que enviaram avisos sobre possíveis doenças transmissíveis pelo "mofo" acumulado desde 1993. Não se preocupem, pois Portugal já passou epidemias bem piores, nomeadamente os 18 e 19 anos acima referidos. Mas como o agradecimento é sincero, fica uma sugestão: RENNIE ou KOMPENSAN para a azia;

- A todos os que enviaram o aviso de que tinha problemas na versão Word 1.0 de 93/94, que não conseguiam escrever "Benfica Campeão". A grande maioria dos portugueses reportaram o facto à Microsoft, e eles desenvolveram a aplicação "1 a 0" versão 04/05, pelo que já podem escrever as tão desejadas palavras, que não irá ocorrer qualquer problema;

- A todos que enviaram o vídeo do Gato Fedorento, "O adepto do Benfica". É um grande momento de humor. Embora continuemos a querer ganhar por "quinje a jero", conclui-se mais uma vez, que não é necessário ganhar com algumas goleadas para ser campeão (a outra foi na longínqua época do treinador John Mortimore);

- A todos os que enviaram menus de restaurantes com "Salada Russa", após a eliminação do Benfica pelo CSKA (tivemos azar...apanhamos os russos no Inicio da UEFA, houve quem tivesse mais sorte e só apanhou no fim). Esqueceram-se que a referida salada se serve fria.

Gostariamos, ainda, de AGRADECER:

- Ao Ricardo, por ser benfiquista e nos fazer rir muito, com as suas actuações. É sem dúvida, dos melhores em Portugal;

- Ao facto do Mourinho ter saído do FCP. Foram menos 20 pontos, em relação à época passada. De facto, um grande treinador, que transforma o mediano em óptimo;

- Ao Pitbull, ao Leandro, ao Areias, ao Leo Lima, ao Fabiano Fabuloso, ao Pepe, ao Claudio, ao Del Neri e ao Luis Fernandez;

- Ao Trapattoni, que nos fez ganhar o campeonato, mesmo piorando 9 pontos, em relação ao ano passado. Isto apesar de termos sido eliminados da UEFA pelo vencedor desta prova, para quem não sabe, o CSKA ("a melhor equipa que defrontamos esta época");

- Ao Peseiro, pela frase acima referida;

- Aos russos que, a 18 de Maio, gritaram "Viva o Benfica";

- Ao Luisão que, em Janeiro, após derrota com o Beira-Mar afirmou: "Em Maio vamos ver quem festeja!". Ele tinha razão. Foi o marcador de um dos golos mais decisivos dos últimos tempos;

- Ao fantasma da Luz, que após ter feito um penalty sobre o Jardel, na época 2001/2002, redimiu-se e fez a falta sobre o guarda-redes do Sporting, no dia 14 de Maio, na Luz;

- Ao Manolo Vidal (que considerou legal o golo do benfica) e ao Soares Franco, que afirmou: "Não temos nada a reclamar em relação ao golo." [declaração logo após o jogo da Luz]. Finalmente, alguém que conseguiu tirar o filtro verde do televisor;

- Ao Pampilhosa, por não estar na Taça de Portugal, na altura em que se disputava a 33ª Jornada, o que impediu novamente a "limpeza" de cartões amarelos (alguém poupou 15000 euros);

- À Bandeira de Portugal, que nos vai emprestar as Quinas para os equipamentos;

Só para não haver confusões: quando falo no Ricardo, estou a referir-me ao Ricardo de Araújo Pereira, do Gato Fedorento"

E ao FCP por nos ter lembrado.

Obrigado

Volta Fátinha.

"Decido hoje suspender as minhas funções de Presidente de Câmara de Felgueiras, não por qualquer assunção de culpa. Bem pelo contrário. Faço-o porque o poder judiciário já demonstrou claramente ser sua intenção impedir-me de as exercer e neste momento considero que o mais importante será contribuir para que se criem todas as condições processuais para a minha participação no julgamento"

Fátima Felgueiras
Esperamos que os aviões não estejam cheios nessa altura e permitam o regresso da senhora para poder defender-se. Antevemos uma tarefa difícil dado a embirração da justiça com a senhora.

Apelo "sentido".

"Faço um apelo ao espírito patriótico e ao sentido de responsabilidade das associações sindicais e patronais e, por seu intermédio, aos trabalhadores e aos empresários portugueses" dado que as "condições de resposta à crise orçamental e às suas causas mais profundas» serão «tanto melhores quanto mais forte for a capacidade de concertação entre o Governo e os associações representativas dos interesses económicos e sociais".

Jorge Sampaio

Aonde o espírito patriótico mais se reflecte é nas viagens presidênciais. Perdão? Estamos a ver mal a coisa? É o exemplo da tal vida para além do déficite, que tem como máximo interesse o reforço das relações internacionais? Ok. Ok. Pedimos desculpa pela Blasfémia.

segunda-feira, maio 30, 2005

O monstro e a arte da retórica, ou a forma enganar o vulgo.

O meu avô toupeira, de vez em quando, ensina-nos coisas e fala-nos de humanos que existiram em tempos recuados.Um destes humanos era Michel de Montaigne que já citei, mas que não resisto, em voltar a recordar, de "A vaidade das palavras": "Aríston definiu sabiamente a retórica como a ciência de persuadir o povo; Sócrates e Platão, como a arte de enganar e lisongear; e aqueles que isto negam na sua definição genérica, confirmam-no por toda a parte nos seus preceitos. Os Maometanos proíbem-na de ser ensinada às crianças por causa da sua inutilidade. E os Atenienses, ao tomarem consciência de que a sua prática, a qual gozava de todo o crédito na sua cidade, era perniciosa, ordenaram que a sua parte principal, que consiste em mover paixões, dela fosse retirada juntamente com os exórdios e as perorações.É um instrumento inventado para manipular e agitar turbas e multidões desordenadas, e que, à maneira da medicina, só se emprega nos Estados doentes."

Esta observação, fez-me pensar neste sítio, onde habito, onde o olhar, baço e manso, dos humanos que nele habitam,como o olhar dos bois de trabalho, puxados pelo nariz, confirma que é impossível lutar contra a mentira, tantas vezes repetida, que os faz ficar na dúvida ou pior sem dúvida e logo sem esperança.Os fazedores de opinião, que são parte, de um grupo bem adestrado de humanos que, por comerem à mão, têm de ouvir a voz do dono, têm uma missão, que é alimentar o monstro. Um humano, que como já disse, por quem não nutria especial simpatia,e que foi Primeiro Ministro deste lugar, foi expulso do grupo; dizia um amigo rato da cidade, que por não ter "pedigree", eu dir-lhe-ia, que por não ter o cheiro do grupo, e como acontece com as ratazanas, são expulsas e a maior parte das vezes chacinadas, logo ali. No caso dos humanos foi expulso da forma como todos nós sabemos para dar lugar a outros cônsules, usando uma estratégia semelhante , só que ao contrário, da que diz, Assurancetourix no seu post.

E o monstro? Que monstro é esse? - perguntam os mais jovens. O monstro, não é mais que as próprias pessoas humanas, ou seja uma grande legíão de brutalizados, por uma caixinha chamada de mágica, os analfabetos, e ainda uma imensidão de subsidiados, de isentos de pagar tudo e mais alguma coisa, com a justificação de que têm direitos, sem mais. Deste monstro, fazem parte muitos humanos, que recebem pensões e subsídios, um chamado logo de garantido, e quase iguais, aos dos humanos que pagaram o porvir, de toda uma vida, chamando a isto de estado solidário, principalmente se o dinheiro não sai do bolso deles, e dos seus apaniguados.Este é o monstro que sustenta e eterniza no poder esta gente e que cada vez os enriquece mais, a eles e aos seus grupos.

Este monstro, o chamado estado social, que criou o indivíduo desresponsabilizado dos seus deveres em relação à sociedade, chamando pai ao estado; os pais que não lavam, nem cuidam das suas crias, que as abandonam e chegam a vendê-las (lembro-me da Joana); famílias que não tratam dos seus velhos, que os abandonam em prol da sociedade de consumo, porque é de facto incómodo e difícil viver, depois de acreditar nas promessas, dos arautos da facilidade.


Um pensamento:
«Nos sistemas democráticos parlamentares, o poder reside nas assembleias e nos partidos, onde se dissolve e degrada; e quando as dificuldades se acumulam, e os partidos se transformam em clientelas do Tesouro, então surge um clamor por "um governo que governe".»


Comentário da Toupeira

Compreender o "herói" de Dubai.

Eu saí do duche e vi uns senhores com o traje tradicional do Dubai ao lado do meu amigo. Achei aquilo estranho mas, como a casa dele também servia de estúdio de música, e entravam e saíam muitas pessoas diariamente, limitei-me a cumprimentá-los e ir para o quarto vestir-me. Veio um senhor atrás de mim. Achei aquilo um disparate. Foi então que o meu amigo me explicou que aqueles senhores eram da polícia, qualquer coisa parecida com a nossa judiciária e que nós tínhamos de os acompanhar.

Expliquei-lhes que não me dava jeito nenhum ir com eles porque tinha um encontro marcado para as quatro da tarde, mas que a seguir ia lá ter. Eles insistiram e só quando me algemaram é que percebi que a situação era mesmo mais grave. De qualquer forma, sempre pensei que aquilo se resolveria rapidamente. Mal sabia eu …"

Ivo Ferreira.

Sábado 25 de Maio de 2005
Estava difícil. Foi preciso algemá-lo para finalmente perceber. Nas suas sugestões, esqueceu-se de sugerir a obrigação dos polícias estrangeiros (não portugueses) acompanharem-se do material necessário para desenhar, melhorando assim a qualidade das explicações aos turistas com mais dificuldades de compreensão. Turistas como ele.

Um curiosidade. Por aquilo que se lê, ele é mesmo herói para a comunicação social ou ajuda a vender mais graças ao Bloco de Esquerda? Já temos a nossa resposta mas gostaríamos de ouvir outras. Só por curiosidade.

Sondagens convenientes.

"Se novas eleições legislativas de realizassem hoje o PS manteria a maioria absoluta. De acordo com uma sondaggem revelada este segunda-feira pelo Diário do Notícias a popularidade dos principais líderes partidários caiu junto dos portugueses, de acordo com o barómetro mensal divulgado."
Continuam a gozar connosco. Depois desta monumental desilusão Socrática, quem vai votar neles? Há muito gente com amor à camisola rosa mas daí à dar maioria... Repare-se também como este resultado é publicado numa altura muito, muito conveniente. Precisamos dizer mais?

Todos diferentes, todos muito muito "iguais".

"Seis pessoas ficaram feridas em sequência de um tumulto numa festa africana de solidariedade, ontem de madrugada, nas imediações da estação da CP de Monte Abraão, Queluz, na Linha de Sintra. No parque da Refer da estação de Monte Abraão, palco da festa, tudo decorreu sem problemas até pouco depois das 23h00. “Foi então que alguém atirou um copo de cerveja para o palco”, diz Joaquim Pipa.Os organizadores interromperam a festa, o que motivou a ira das cerca de cinco mil pessoas ali presentes. “Atiraram latas, garrafas, e até pedras da calçada para o palco”, descreveu uma fonte policial. Os quatro agentes da PSP, ali de serviço, viram-se obrigados a pedir à esquadra da Amadora um reforço de duas Equipas de ntervenção Rápida. As forças policiais foram recebidas à pedrada e com tiros de pistola. Conseguiu dispersar a multidão com disparos de espingarda anti-motim. Seis homens, entre os 15 e os 23 anos, eceberam assistência no Hospital Amadora- Sintra."

Mais um alerta para o relatório da Amnistia Internacional. A polícia ataca, por motivos racistas, cidadãos indefesos que inocentemente se divertiam. Mais. Eles até estavam a limpar a zona. Veja-se o cuidado que eles tiveram em juntar o lixo (latas, garrafas, e até pedras da calçada ) todo no palco. Ao contrário de muitos nacionais, são gente asseadinha. O pior foi que, para disfarçar, a polícia até colocou agentes à paisana armados no meio dos pobres africanos que até tiveram o cuidado de disparar contra os colegas (polícias).

Curiosidades francesas.

"Um homem oriundo do Norte de África foi ontem abatido a tiro em Perpignan, no Sul de França, apenas uma semana após o assassinato de outro natural da mesma região ter provocado tensões naquela cidade. O crime de ontem terá sido cometido por três ciganos que seguiam numa viatura."

A verdade da mentira.

"Os dois minutos começam a contar quando os homens de capacete entram no banco. Clientes e funcionários são ameaçados com armas de fogo e os assaltantes, a quem ainda ninguém viu a cara, recolhem o dinheiro das caixas e desaparecem a toda a velocidade em motos de grande cilindrada. Cento e vinte segundos que, desde Novembro, já se repetiram mais de uma dezena de vezes em outras tantas dependências bancárias da Grande Lisboa.

24-11-2004

Primeiro assalto do grupo. Três homens precisam apenas de dois minutos para assaltar o Montepio Geral, da Parede. Todos de capacete e armados de pistolas, os atacantes roubam centenas de euros. Fogem em duas motos.

29-12-2004

O cenário é outra vez a Parede, no concelho de Cascais. O alvo é a dependência local do Banco Nacional de Crédito. Dois homens, com capacetes e armados, ameaçam os funcionários e fogem com 500 euros.

16-01-2005

Dá-se o primeiro assalto em Oeiras. A dependência local do Milenium BCP é atacada por dois assaltantes. O método é idêntico: capacetes na cabeça e armas nas mão. Vão-se embora, de moto, com centenas de euros.

28-01-2005

O ‘gang’ ataca na Abóboda, concelho de Cascais. Funcionários do Montepio Geral são dominados por três homens armados que, em poucos minutos, conseguem roubar cerca de 600 euros.

10-03-2005

É o único registo de dois assaltos do ‘gang’ no mesmo dia. Depois de atacarem o Milenium BCP de Porto Salvo, Oeiras, dois ‘motards’ conseguem assaltar, uma hora mais tarde, um balcão do mesmo banco no Parque das Nações, Lisboa.

16-03-2005

Outra vez em Cascais, o ‘gang’ ataca um estabelecimento de jogos – a Casa Viola. Quatro homens com caçadeiras de canos serrados irrompem pela loja. Dois minutos bastam para os assaltantes arrecadarem mais 4500 euros.

18-05-2005

Foi o dia em que a Polícia esteve mais perto dos assaltantes. Dois homens, que tinham acabado de assaltar o Banco Totta, na Avenida Copacabana, em Oeiras, fogem de moto em direcção a Porto Salvo, onde ficam encurralados. Com a PSP e a GNR no seu encalço, conseguem, ainda assim, escapar
."

Claro que, apesar disto, ainda aparecem estatísticas a afirmar o contrário.

domingo, maio 29, 2005

Défice para quem?


"[O défice público] será muito acima dos 5% e próximo dos 6%."

"Nós não vamos aumentar os impostos, porque essa é a receita errada. Não vamos cometer os erros do passado. As prioridades são: aposta no crescimento económico, reduzir a despesa e combater a fraude e evasão fiscal."

ENTREVISTA A JUDITE DE SOUSA NA RTP, DIA 14 DE ABRIL DE 2005.


Mentiu quando em campanha eleitoral fez promessas que sabia não poder cumprir, quando já sabia da situação económica e financeira do país.

Mente agora quando insiste em dizer que não tinha ideia dessa situação.

Vitor Constâncio apresenta uma previsão para final de 2005 e nesse sentido acrescenta-lhe Despesas de Investimento ainda não verificadas no valor de 796,2M€ que empolam o valor apresentado em 0,57%. Assim, os 6,26% resultantes estão na verdade muito próximos do 6% que Sócrates em 14 de Abril dizia conhecer.

Efectivamente a situação é muito grave e o défice "calculado" por Constâncio pode-se revelar inferior à realidade. É um relatório coxo, já que não apura toda a dívida, aceitando como correcto o valor de 2,86% apresentado no orçamento, e não calcula o endividamento das autarquias e regiões autónomas que podem representar um buraco, melhor, uma autêntica cratera. Parece-me incrível como num pequeno país com uma população inferior à de Londres, as Finanças e a Economia não estejam totalmente informatizadas e controladas de modo a que Ministérios das Finanças, Tribunal de Contas, Banco de Portugal, saibam concretamente a situação do país. Faz lembrar certas xafaricas que recusam a máquina registadora e contabilidade, preferindo umas folhas de papel metidas numa gaveta.

Sócrates mente mais uma vez ao país, prometendo que em 31 de Dezembro de 2007 terá diminuido o défice para os 3% exigidos por Bruxelas. Quem ouviu a excelente entrevista de Medina Carreira ontem na SIC Notícias, terá ficado a saber que as medidas agora anunciadas não resolverão a causa do crescimento galopante da Despesa Pública. Estão novamente a serem pedidos sacrifícios inglórios a todos os portugueses.


A assembleia geral da petrolífera confirmou o nome de Murteira Nabo como presidente da companhia e reconduziu outros três ilustres socialistas: Pina Moura (em representação dos espanhóis da Iberdrola), José Penedos (presidente da REN) e Eduardo Oliveira Fernandes (ex-secretário de Estado Adjunto do ministro da Economia, Braga da Cruz).

Todos prontinhos para ordenados chorudos e as regalias do costume. Afinal para que é que se sobem os impostos, se não para manter o Estado Social com mordomias para estes senhores ?"

Do Galo Verde.

Comentário.

"O meu avô Toupeira citava há dias um humano chamado Montaigne, dos seus escritos, em " A vaidade das palavras", o seguinte:

"Um retórico do passado dizia que o seu ofício era fazer que as coisas pequenas parecessem grandes e como tais fossem julgadas. Dir-se-ia um sapateiro que, para calçar pés pequenos, sabe fazer sapatos grandes. Em Esparta ter-lhe-iam dado a experimentar o azorrague por professar uma arte trapaceira e mentirosa."Se assim fosse neste sítio, haveria muito poucos candidatos a cargos políticos... O pior são os prejuízos causados pelas palavras, esses deveriam ser julgados, e não na urna de voto...

A propósito de mistificação e mentira, esta é a demonstração da forma como toda a oligarquia no poder trata os humanos deste sítio. Nem sei como foi permitido que Santana Lopes publicasse este artigo, que situação está por detrás desta fuga de informação, à censura instalada nos media? Este homem por quem não nutro especial simpatia, foi destruído por todos,usando armas de todo o tipo e da forma mais abjecta pelos seus correlegionários, também chamados de companheiros de partido, oferecendo a vitória com maioria absoluta, a quem tinha estado no poder e o largou, por ter um líder que pura e simplesmente desertou. Foi agora repescado por um organismo onde grassa a corrupção e que ainda existe por conveniência dos estados.

Mas o que será preciso dizer mais, sobre a mistificação de factos, sobre a criação de verdades, que depois se verifica serem inverdades,e que dizer dos economistas de cartilha igual, e da forma como Bruxelas aceita como verdadeiro, o que afinal é um truque de contabilista ,conforme o interesse ou os interesses.


Já agora, vale a pena perguntar: -será que o deficit, é mesmo o que diz o Governador do Banco de Portugal? Será que é outro? Será que há rubricas que se tiraram, ou rubricas que se podem ainda lá pôr, até acabar o exercício? Porque se insiste na subida dos impostos e logo na destruição de empresas que vivem no fio da navalha, e na destruição e empobrecimento da grande maioria da classe média baixa, e na passagem para o purgatório dos que se seguem? Porque não se baixam os impostos, é com medo de Bruxelas?

Está demonstrado que baixando o IVA, o IRS e o IRC e outros, acabam ou diminuem de forma drástica a fuga, evasão e o contrabando, o resto é retórica de gente mal intencionada e parasita."

Comentário da Toupeira.

Parabéns Setúbal.

O Vitória de Setúbal venceu a final da Taça de Portugal pela terceira vez, depois de 38 anos sem alcançar o triunfo. Após ter perdido por duas vezes com o Benfica na Superliga (4-0 na Luz e 2-0 em Setúbal), a equipa de José Rachão derrotou finalmente o Benfica. O jogo ficou marcado pela aterragem de um dos 12 pára-quedistas que participaram na animação anterior ao encontro, na bancada, entre adeptos do Benfica.

O jogo não teve praticamente interesse de tão mal jogado. O Setúbal controlou a partida. O seu meio campo mostrou uma maior frescura física, que acabou por ser determinante no desfecho final da partida. No Benfica, a ausência de Luisão, a quebra de forma das pedras chaves da equipa e a falta de opções que o limitado plantel do Benfica tem fizeram o resto.

Efectivamente o Benfica queimou o tempo de jogo, demonstrando uma clara falta de ideias, muita lentidão e uma impressionante falta de motivação para um jogo que nunca procurou vencer.

Parabéns Setúbal, de regresso às competições europeias na próxima época, na Taça UEFA, onde não participava desde a época 1999/2000.

Homossexualidade??? Nem eles gostam!!!!


Além do mau cheiro, fomenta o vício (tabaco).

O treinador defensivo.

Nome - Giovanni Trapattoni

Idade - 66 anos (17/03/1939)

Naturalidade - Cusano Milanino

Palmarés - 1 Liga dos Campeões, 3 Taças UEFA, 1 Taça das Taças, 1 Supertaça Europeia, 1 Taça Intercontinental, 7 Campeonatos Italianos, 3 Taças de Itália, 1 Supertaça de Itália, 1 Campeonato Alemão, 1 Taça da Alemanha, 1 Supertaça da Alemanha e 1 campeonato português.

Equipas treinadas: Juventus, Inter, Bayern, Cagliari, Fiorentina, Selecção Italiana e Benfica.


O tal treinador defensivo que não serve a cultura benfiquista.

Enganados.

"A 17 de Novembro de 2004, logo após o Congresso do PPD/PSD e dias antes do anúncio da dissolução da Assembleia da República, durante o debate sobre o Orçamento do Estado de 2005, o deputado Jaime Gama disse, no encerramento do debate pelo PS, que nas contas do seu partido, o défice, sem Receitas Extraordinárias, era superior a 6%. Este ponto é de fundamental importância e desmistifica muito do que tem sido dito e escrito. O Partido Socialista foi para as eleições legislativas apresentando propostas com base num cálculo do défice orçamental superior de 6% do PIB."
Santana Lopes.
Para variar, o PS enganou o país. Além de ir novamente ao bolso.

Imigração.

"A Plataforma das Organizações de Imigrantes lança hoje em Lisboa um abaixo-assinado para exigir uma "verdadeira política de imigração" em Portugal.O abaixo-assinado será lançado durante o plenário da Plataforma das Organizações de Imigrantes, que reúne várias associações de imigrantes e anti-racistas, as centrais sindicais CGTP e UGT e a Obra Católica."

Não é bem isso que eles querem. Na verdade, eles querem alterações às leis da Nacionalidade e da Imigração de maneira a permitir o aumento da mão-de-obra escrava e o desemprego, este com a particularidade de ser financiado pela depauperada segurança social, que já nem dá para pagar os subsídios de desemprego dos nacionais. Depois venham falar-nos do défice.

Cantinho do crime.

"O Destacamento da GNR de Albufeira efectuou, na noite de sexta-feira para sábado (entre as 22h00 e as 06h00), a operação “Feriado em Segurança”, durante a qual foram surpreendidos dois indivíduos a cometer um roubo por esticão na via pública. Um deles acabou detido, enquanto o outro conseguiu pôr-se em fuga. Os militares procederam ainda à identificação de mais de uma dezena de pessoas, de várias nacionalidades. No decurso da operação, por volta da 01h00, militares da GNR que trajavam à civil detectram dois indivíduos num automóvel Fiat Uno, de cor vermelha e com matrícula inglesa, a levar a cabo um roubo por esticão, nas proximidades da Estação de Tratamento de Águas Residuais de Vale Faro. O homem detido é de nacionalidade portuguesa, embora tenha nascido em França. O suspeito tem 31 anos de idade e reside no concelho de Albufeira."
A fama da impunidade nacional é tão grande que já vêm de França e de Inglaterra roubar cá. Impressionante.
"Seis pessoas sofreram ferimentos ligeiros após a intervenção da polícia para sanar os distúrbios ocorridos numa festa realizada no parque de estacionamento junto à Estação de Caminhos-de-ferro do Monte Abrão, revelou hoje à Agência Lusa fonte da PSP. "Estavam centenas de pessoas numa festa organizada por um Centro Social Africano. Houve alguma desordem e confusão que obrigou à intervenção da PSP", indicou a mesma fonte, sublinhando que os incidentes ocorreram cerca das 23:30 de sábado. Segundo a mesma fonte, dos seis feridos ligeiro, dois foram transportados para o hospital Amadora-Sintra, um deles com hematomas, provocados pelos disparos das armas anti-motim, e o outro com uma bala alojada na perna."O projéctil que foi encontrado na perna de um dos feridos não é do calibre utilizado pelas armas da polícia, o que demonstra que alguns dos indivíduos que se envolveram nos distúrbios estavam armados", referiu um oficial da PSP."


A alegria africana é tão intensa que as suas festas acabam sempre em distúrbios. As melhores delas conseguem até ter uns tirinhos para alegrar. Todos diferentes, todos (des)iguais.

Já agora. O SOS Racismo anda à procura de uma maneira de imputar as culpas à polícia apesar de o projéctil não ser do calibre utilizado pelas armas da polícia. Aceitam-se sugestões.

Ser político é o máximo.

"O líder do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, disse ontem estar indignado com a nomeação do ex--presidente da Câmara Municipal do Porto, Nuno Cardoso, para a administração da empresa Águas de Portugal."
O Fernando Gomes foi para a Galp depois de ter sido chumbado nas eleições para a Câmara. Nuno Cardoso foi chumbado pelos próprios órgãos do Partido e acabou por ir para as Águas de Portugal. Ambos foram compensados por terem sido chumbados, perdão, prejudicados pela Câmara do Porto. Mas como dirá um bom eleitor do PS “o PSD teve mais boys”. Embora o PS esteja ainda a começar, é uma frase que fica bem a quem gosta de honrar a camisola que traz vestida, apesar de “passar fome”.

Finalmente.

"Um homem de 25 anos de idade, de nacionalidade portuguesa, agrediu agentes da PSP de Faro ao resistir à detenção, depois de ter sido surpreendido a roubar no interior de um veículo estacionado numa rua da baixa da capital algarvia."
São tão raros os assaltos praticados por portugueses, mesmo no próprio território nacional, que o próprio jornal dá ênfase à nacionalidade do meliante. Arriscamos a afirmar que o homem começou a trabalhar para pode contribuir para baixar o défice

sábado, maio 28, 2005

Comentário

"Tenho andado atarefada, na minha missão interminável de limpar a toca e os túneis, e estar sempre atento aos predadores, pelo que a minha divisa, ensinada pelos meus antepassados é :-" Semper paratus". Em conversa com uns primos, e com outros membros da nossa comunidade, na natureza, parece que tudo voltou ao normal, no mundo dos humanos deste sítio, ou seja, regressou uma paz pôdre, e a maior parte deles, dos que contribuem com o seu trabalho, têm aquele olhar resignado, que se vê, ou que se via antigamente, nos bois de trabalho, puxados pelo nariz. Entretanto um grupo de políticos, a que já se pode chamar grupo, protesta porque foram pagas indemnizações, mas pouco protesta pelas nomeações, assunto que considero irrelevante, mas serve para marcar território. Diz o meu avô, que estão criadas as condições, para haver uma situação como a que aconteceu neste sítio há cerca de 70 anos, e por esta altura do ano, apenas se referindo às causas, ou seja, a ditadura parlamentar, o nepotismo político dos partidos,todos eles, sem excepção, e a catástrofe económica e financeira a que têm conduzido o sítio.

Apenas as condições, porque os meios não existem, os netos dos culpados do desastre a que levaram o sítio até Maio de 26, souberam preparar o terreno e destruir todas as instituições que ainda funcionavam, incluindo a domesticação dos militares e de outras forças, salvo raríssimas excepções. Este regime chamado de democrático, criou pequenos césares, com pequenos impérios, que se juntando e deram origem a uma oligarquia instalada, que vive de facto do trabalho da grande legião de humanos, que fazem de ursos e camelos. Estes nepotes ou validos, juntos por várias organizações que trabalham nos subterrâneos, e na sombra, corroem o poder do chamado estado utilizando, os outros poderes, sejam eles entendidos como se quiser, como armas de arremesso, incluindo cães de guarda, a quem se opõe aos seus desígnios. Agora inventaram um monstro, que será uma repetição dos anteriores, mas o monstro, o verdeiro, não é aquele a que chamam de deficit, o verdeiro monstro é o que sustenta e eterniza esta gente no poder, é o chamado estado social e a sua clientela.

Sobre este monstro haverá muito que falar, desde o seu número, até às situações que o sustentam, algumas delas iníquas, e muito caras, obrigando mais uma vez a serem os mesmos a pagar. As soluções são sempre as mesmas, levando à destruição de muitas pequenas empresas, que não entram nos telejornais, nem nos escritos dos fazedores da chamada opinão pública, aumentando e alimentando o monstro, em número de humanos, que passam de um nível de equilíbrio financeiro familiar, ao de pobreza indigente. Assim vai este sítio. Deixo um pensamento, aos que acreditam nos valores que nos querem fazer esquecer: " Apertados na faixa ocidental da Península, entre um vizinho poderoso e o mar imenso, estamos condenados a viver em cada momento o drama da nossa vida:... e é sempre o mesmo perigo, é sempre o mesmo milagre."


Comentário da Toupeira

Dualidade.

Leia aqui a entrevista a um dos skinheads de Coruche e tenha uma ideia da dualidade de critérios no tratamento dos “dois extremos civilizacionais” nacionais. Uma ideia de como em Portugal é permitido à extrema-esquerda delapidar o país impunemente enquanto a extrema-direita não pode sequer abrir a boca. Uma ideia de como o país não é nada democrático. Longe disso.

Não estamos aqui a defender a extrema-direita mas sim a exigir igualdade de tratamento. A extrema-esquerda deve ter o mesmo tratamento.

Iraque europeu.

"O presidente da Câmara Municipal da Amadora, Joaquim Raposo, considerou que a morte de mais dois agentes da PSP vem provar que a Amadora é um concelho de "excepção" que precisa de medidas urgentes. "Infelizmente, vem reforçar o que tenho dito nos últimos anos, que a Amadora é um concelho de excepção que precisa de medidas urgentes"

CM.
"Na multicultural e problemática Amadora – onde há uma média de 38 crimes por dia e apenas dez esquadras da PSP.

O rés-do-chão onde reside tem uma característica ‘sui generis’. Há grades brancas em todas as janelas. Uma moda seguida por todos os vizinhos.

Sou prisioneira no meu próprio país. Tudo mudaria se as leis fossem menos brandas"

“Regra número um: não sair à noite. Regra número dois: evitar cruzar-se com grupos juvenis numerosos.

Ler texto completo aqui.
Aproveitamos para pedir ao Ministro Costa o destacamento de polícias para a Amadora nos dias de voto. Se querem que as pessoas vão votar, ao menos que lhes proporcionem a dignidade de poderem exercer o seu direito cívico em segurança. Seria chato alguém sair de casa para prestar um favor aos políticos e ser assaltado.

Sejam honestos.

"A criminalidade violenta na Área Metropolitana de Lisboa diminuiu 3,5 % nos primeiros quatro meses do ano face ao mesmo período do ano passado, informou a PSP. No mesmo período, a criminalidade geral diminuiu 19%."


Com governo novo, aparecem logo boas novas. Seria menos trabalho para o ministro da administração interna. Só que se calhar não é bem assim. Vejamos:

1 / "Seis polícias foram mortos em Portugal nos últimos três anos, três dos quais este ano (2005). Os números indiciam uma perigosa escalada da violência e não deixam margens para dúvidas sobre o clima de insegurança reinante na Amadora."

2/ "A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu mais de 220 armas de fogo nos primeiros quatro meses deste ano e só em Lisboa já efectuou perto de 80 detenções por crimes contra a propriedade praticados com recurso a armas de fogo, ou seja, mais de metade dos casos registados em 2004. Números que, segundo fontes da PJ, representam um aumento em relação ao ano passado."

3/ "Três militares da GNR da Anadia viram-se, ontem de madrugada, envolvidos num recontro com criminosos que, só por sorte, não resultou em morte. Os disparos sobre a GNR – pelo menos uma dezena – serão provenientes de armas de vários calibres. Os acontecimentos, que agora estão a ser investigados pela Polícia Judiciária, começaram às 03h20, quando um número não determinado de indivíduos, que uma testemunha aponta entre sete e doze, furtou uma caixa multibanco, que se encontrava cravada numa das paredes do Moita Rugby Club da Bairrada."

4/ "Um agente da PSP da Costa de Caparica, Almada, foi agredido à cabeçada por um vendedor ambulante de etnia cigana. O polícia foi atingido quando tentava acalmar uma discussão entre vendedores ciganos e pescadores locais, nas imediações do Restaurante O Barbas. O agressor foi detido"

5/ "Um homem de 49 anos, técnico da PT, foi ontem sequestrado por quatro indivíduos, pouco depois de estacionar o carro perto de casa, em Almada. A vítima foi obrigada a fazer vários levantamentos em caixas Multibanco e foi abandonada. Os criminosos levaram-lhe o automóvel."

6/ "A Directoria de Faro da Polícia Judiciária (PJ) deteve , na passada quinta-feira, em Quarteira, dois homens estrangeiros , cuja nacionalidade as autoridades não divulgaram, ambos de 42 anos, residentes em Faro, acusados da prática dos crimes de sequestro, agressão e roubo de um compatriota."

7/ "O comandante-geral da GNR, tenente-general Mourato Nunes, ordenou a mobilização de militares que prestaram serviço no Subagrupamento Alfa, no Sul do Iraque, para reforço de patrulhamento nas zonas de maior criminalidade nos concelhos de Loures, Sintra e Almada."

8 / "Pensam duas vezes antes de levar o cão à rua ou fazer compras no mini-mercado. Sentem-se mais seguros em casa, protegidos por janelas gradeadas ou persianas corridas. Eles têm medo. Medo dos tiros, das navalhas ponta-e-mola, dos gangs. Este é o pesadelo de muitos moradores da Amadora... O rés-do-chão onde reside tem uma característica ‘sui generis’. Há grades brancas em todas as janelas. Uma moda seguida por todos os vizinhos. “Decidi colocá-las há pouco tempo. Não tenho medo de viver sozinha. Mas sinto-me mais segura com elas”, justifica. Quando se mudou há quatro anos da solarenga vila de São Pedro do Estoril para o Bairro da Mina, na Amadora, não imaginou que os assaltos à luz do dia e os tiroteios se tornassem numa rotina diária. “Pensei que isto só acontecesse no Brasil ou num país da América Latina.”

9/ "Um trio de jovens, suspeito de pelo menos uma dezena de roubos violentos à mão armada, ocorridos no concelho de Sintra, foi anteontem à noite detido pela GNR após ter cometido mais dois crimes. O segurança de uma discoteca, suspeito de receptar o produto dos roubos, foi constituído arguido. Segundo apurou o CM, os jovens detidos – dois com 20 anos e um de 19 – são guineenses, não têm cadastro, e moram em Massamá (dois) e Loures mas conheceram-se na escola que frequentavam, em Benfica."


Exmos. senhores políticos.

O truque, de tão repetido, já não engana ninguém. Nós, cidadãos, sabemos que só contamos para pagar impostos e oferecer tachos através do voto. Só exigimos uma pequena coisa: um pouco de pudor. Enganem-nos com arte e não, assim, tão descaradamente. Todo o mundo sabe que a criminalidade violenta tem vindo a subir de tal forma que os agredidos já nem fazem queixa. Até as dezenas de criminosos presos mensalmente não ajuda para a diminuição, tal é o sentimento de impunidade reinante.

Não nos queiram enganar com falsas notícias. Se não conseguem combater o crime, demitam-se!!!!

sexta-feira, maio 27, 2005

Um post só para aumentar as audiências.



Agradecemos a ideia à Grande Loja.

Cantinho do crime.

"A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de quatro estrangeiros em Lisboa, de entre 24 e 60 anos, suspeitos de falsificar documentos de identificação, numa investigação desenvolvida ao longo de dois meses. De acordo com a PJ, os documentos que permitiam a usurpação da identidade eram vendidos por montantes entre os 4.000 e os 6.000 euros, a candidatos à residência e à cidadania europeia. Os detidos foram já submetidos a interrogatório judicial, tendo dois deles ficado em prisão preventiva e os restantes sujeitos a apresentações periódicas em posto policial."

Breves considerações:

1/ Chiuuuu. Nem se devia dizer quatro estrangeiros.

2/ Apostamos que eram vendidos na Amadora, dizemos nós que somos má língua.

3/ Estrangeiros sujeitos a apresentações periódicas? E provavelmente ilegais. Estes já se safaram.
"O Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL) vai reunir-se quarta-feira com a secção portuguesa da Amnistia Internacional (AI) para explicar porque razão "alguns factos" dão origem a queixas, na sequência do último relatório da organização. "
Valia a pena se a AI estivesse interessada no assunto.
"Um homem encapuzado, armado com uma pistola, anda a espalhar o medo pelas farmácias do Ribatejo. Em duas semanas, assaltou quatro estabelecimentos com a ajuda de um cúmplice e ‘amealhou’ perto de 2450 euros. Nesta onda de assaltos, que está a ser seguida de perto pela Polícia Judiciária de Leiria, nem os clientes escapam."
Por certo tomou algum medicamento fora e prazo, "pirou" e vinga-se. Agora assaltar os clientes é chato. Não se deve misturar negócio com prazer.
"A directora da estação pública espanhola foi chamada a a dar explicações pelo Partido Popular, em pleno Congresso, sobre a referência a um casamento homossexual no programa infantil "Los Lunnis". O espaço intitulado de "Bodas diferentes", que foi para o ar na semana passada, mostrou uma peça, a terceira do programa, em que um dos pares era constituído por dois homens. O primeiro exemplo mostrava um estrangeiro a casar com uma espanhola e o segundo a união de noivos catalães segundo rituais antigos. "

JN.
Um estrangeiro a casar com uma espanhola? Um casamento homossexual? Tudo num programa infantil? Democraticamente estão a arrebanhar a juventude para a causa das minorias (homossexualidade e imigração) ao melhor estilo do nazismo.

Ops.


O avião nada tem a ver com Bin Laden. É simplesmente Zeus que vem pedir um autógrafo ao Brad Pitt quando este estava a rodar o filme Tróia. Reparem como o tipo está todo badalhoco. Deve cheirar a cavalo à distância.

Sugestões para combater o défice.

"O secretário-geral do Partido Comunista Português, Jerónimo de Sousa, apelou esta quinta-feira à mobilização dos trabalhadores contra as medidas de austeridade ontem anunciadas pelo primeiro-ministro e anunciou uma campanha de esclarecimento da opinião pública sobre o défice público."
Além de não sermos comunistas, também não trabalhamos na função pública. Habitualmente discordamos mas aqui temos de dar o braço o torcer. Jerónimo de Sousa tem razão. As soluções apresentadas por Sócrates não vão tocar no fundo do problema. Vejamos: a descida de 6.83% para 6.2% (0.63%) prevista para o final do ano, resulta de receitas exResulta de receitas extraordinárias (aumento do IVA, do ISP e do imposto sobre o tabaco) e por uma não medida (congelamento das progressões na carreira e de suplementos remuneratórios, aumento da idade da reforma para os 65 anos e retirada de direitos na protecção à doença, inclusive no pagamento das baixas, reduzindo o seu valor para 65%). Sugerimos as medidas apresentadas pelo PCP:

"Como várias vezes tem proposto o PCP, é possível e decisivo fazer crescer as receitas fiscais, sem mexer nas taxas hoje aplicadas, através do alargamento da base tributária e do combate à fraude e à evasão fiscais. Fazendo pagar impostos a quem hoje não paga ou foge legalmente ao pagamento, através do planeamento fiscal. Fazendo pagar impostos aos que fogem ilegal e fraudulentamente às suas obrigações fiscais. Não é um acto corajoso fazer pagar o preço das dificuldades aos mesmos do costume. Acto corajoso era tocar nos intocáveis, no capital financeiro, nos grandes grupos económicos.

Nós defendemos, entre outras, as medidas para a reposição da tributação efectiva e socialmente justa das mais-valias, impondo, em sede de IRS, o princípio do englobamento das mais-valias relativas a partes sociais e outros valores mobiliários, e no que concerne às SPGS (sociedades gestoras de participações sociais) instituindo um sistema efectivo de tributação das mais-valias obtidas; o aprofundamento do regime de tributação das empresas financeiras, aproximando as suas taxas de IRC da taxa nominal (25%); estabelecendo um quadro claro e restritivo das relações das instituições de crédito residentes com as suas sucursais instaladas em «zonas francas»; a revisão do regime de reporte de prejuízos em sede de IRC, visando impedir o planeamento fiscal ilícito; a revisão drástica dos privilégios ilegítimos concedidos às zonas francas (off-shores), nomeadamente às operações e instituições financeiras e às sociedades gestoras de participações sociais, tendo por meta a sua completa abolição (só aí o Estado poderia arrecadar 4 mil milhões de euros!); a reforma dos impostos sobre o património, com a criação de um imposto geral sobre o património mobiliário e imobiliário; a tributação das operações de venda de títulos em Bolsa ou fora dela, e bem assim das operações cambiais não suportadas em transacções comerciais; o reforço efectivo do combate à fraude e evasão fiscais.

Para o PCP, o combate ao desequilíbrio das contas públicas exige uma intervenção privilegiada e decidida do lado das receitas, o que não significa abandonar uma intervenção persistente do lado das despesas. Para o que temos proposto um permanente rigor e disciplina na realização das despesas públicas e um aumento da eficiência das administrações públicas. Rigor, disciplina e eficiência nas despesas públicas, o que não é sinónimo de redução da despesa global. O peso global da despesa em percentagem do PIB é inferior à média dos países da área euro e está largamente abaixo da registada nos países nórdicos. A opção pela redução drástica da despesa, que domina o discurso e a prática da direita e do centro do espectro político, tem um suporte de natureza essencialmente política, visando criar as condições que conduzam à «inevitabilidade» de conter ou congelar os salários na administração pública e de promover a mercantilização, a privatização dos serviços e funções públicas, com particular enfoque nos sistemas de saúde e da segurança social.

Há muito que propomos o fim do laxismo nas dotações de despesas não essenciais, desnecessárias e injustificáveis; o combate à multiplicação de instituições e serviços públicos com funções sobrepostas; a imposição rigorosa de transparência na concessão de auxílios públicos a interesses privados; a restrição nas despesas nos gabinetes dos membros do governo; o reforço do controlo e promoção da racionalização financeira dos serviços da administração pública, incluindo os serviços e fundos autónomos.

Como medidas concretas imediatas propomos o fim da publicidade institucional não obrigatória; a redução dos custos com o software nos serviços do Estado (o Linux) em vez do pagamento de verbas avultadas à Microsoft; o por termo às derrapagens de milhões e milhões de euros nas obras públicas e às despesas excessivas com a contratação exterior de serviços, estudos e pareceres com o desaproveitamento da própria administração pública.

Mas o défice orçamental (e a dimensão da dívida pública) não é a questão central da nação. É um problema mas não é o problema crucial. Os problemas centrais do País são o crescimento económico, o desenvolvimento sustentado, a defesa e expansão dos sectores produtivos e o combate ao desemprego
."

Ler tudo aqui.

Dúvida.

"Pelo menos 18 pessoas morreram esta sexta-feira devido à explosão de uma bomba – ao que tudo indica um ataque suicida - numa mesquita nos arredores de Islamabad, Paquistão, anunciou a polícia local. Centenas de xiitas muçulmanos estavam concentrados no santuário de Bari Imam nos arredores de Islamabad quando se deu a explosão."
Parece que abriu a caça aos Xiitas. Será que eles passaram a ser cruzados do ocidente? Que explicação vai emanar das cabecinhas pensadoras em defesa deste puro terrorismo? Bush? A América? A exploração ocidental? Xiitas espiões ocidentais?

Cidadão bufo.

"O ministro de Estado e Finanças, Luís Campos e Cunha, confirmou ontem que as declarações de IRS de todos os contribuintes vão, a seu tempo, ficar disponíveis na Internet.Assim, qualquer cidadão poderá ficar a conhecer quanto é que o seu vizinho ou colega de trabalho ganha por ano, basta para tanto consultar a ‘net’ e verificar se os seus rendimentos dão para pagar o carro de luxo e a casa de campo... Nas palavras de Campos e Cunha, esta medida é também muito importante para o mundo dos negócios, “porque permite saber se a pessoas com quem vai fazer negócio é honesta ou não”. Naturalmente que esta medida tem alguns efeitos perversos, pois convida à delação."

CM.

Com esta medida pretende-se transformar os vizinhos em denunciantes. Ou seja, deixa de ser tarefa do estado criar mecanismos para fiscalizar essas situações. Mais. Esta medida irá facilitar os criminosos a extorquir e roubar, ao criar uma lista pública para acções de burlas e outros crimes. Esta nem a direita se atrevia a fazer. Que dizem os constitucionalistas desta brutal inconstitucionalidade?

Grande Zapatero.

"Uma bomba explodiu esta sexta-feira numa estação de comboios de Barakaldo, no País Basco. O engenho explosivo, que não fez qualquer vítima, causou estragos na bilheteira da estação."
Concordamos inteiramente. Os transportes públicos devem ser gratuitos. Quanto à política de Zapatero, esta vai de vento em popa como se pode ver.

Mais racismo.

"Três cabo-verdianos, com idades entre os 21 e os 36 anos, foram detidos ontem de madrugada, pela GNR de Almancil, na posse de duas armas proibidas: um revólver de calibre 32 e uma pistola 6.35 com munição na câmara e pronta a disparar. Os indivíduos, que se encontram em situação irregular no País, foram interceptados pela GNR depois de uma abordagem à viatura em que circulavam. Os indivíduos serão presentes hoje ao Tribunal Judicial de Loulé."

Breves considerações:

1/ Cabo-verdianos apanhados com armas? Só pode ser mentira. No máximo seria ferramentas de trabalho da construção civil. É do conhecimento público que este Portugal necessita desesperadamente de mão-de-obra dos imigrantes, pelo que estes não podem dar-se ao luxo de desenvolverem outras tarefas que não as da construção civil.

2/ Esperamos que não os retenham muito tempo no tribunal. É chato para os moços estarem à espera tanto tempo para o juiz os mandar em paz para casa.

3/ Claro que eles vão deslocar-se ao tribunal para julgamento. Iam lá perder essa festa por alguma coisa deste mundo.

Habitual racismo.

"Um homem de 36 anos foi detido ontem à tarde pela GNR de Viana do Castelo, após ter esfaqueado um jovem durante uma rixa num café em Santa Marta de Portuzelo. O agressor, de etnia cigana, tinha já sido detido na segunda-feira após o furto por esticão de um fio de ouro a uma mulher, no centro da cidade de Viana do Castelo. Conforme noticiou o CM, o suspeito foi então cercado pela população e entregue à GNR de Viana. Presente ao juiz de instrução criminal na terça-feira, o assaltante ficou a aguardar julgamento em liberdade mediante apresentações periódicas. Hoje, o detido terá novamente de ser conduzido a Tribunal, para determinação das medidas de coacção, desta vez pelo crime de tentativa de homicídio, por força da agressão ocorrida ontem, pelas 16h30, no Café Martins, onde a GNR teve de proteger o agressor, ameaçado pelos clientes.A vítima foi transportada pelos Bombeiros ao Centro Hospitalar do Alto Minho com ferimentos ligeiros nas costas, supostamente provocados por uma navalha."

Breves considerações:

1/ O fio de ouro era dele. A velhota é que o roubou ao cigano (mais um caso à atenção do SOS Racismo);

2/ Como já tinha ido a tribunal na terça-feira, já é conhecido. Até estamos a ver o juiz: "olha o sr. Lelo por cá novamente."

3/ O facto de ter sido cercado pela população revela um aumento de racismo no país (atenção SOS Racismo e afins). Os ciganos têm o direito constitucionalmente defendido de só poderem ser detidos pelas autoridades políciais, com oferta de bolinhos e bebidas à descrição.

4/ A navalha já estava lá. O jovem é que avançou contra ela e aleijou-se como é natural.

5/ Se conseguir a proeza de ser preso novamente neste fim-de-semana, será considerado o Lelo exemplar do mês, com direito a quadro de honra no tribunal.

Vidente.

"Três homens encapuzados assaltaram o vidente de Meadela, no concelho de Viana do Castelo. Sob ameaça de arma, a vítima foi obrigada a entregar várias notas, em quantia que não consegue especificar, mas que estima em cerca de 500 euros. Segundo relato do vidente, um dos assaltantes pôs-lhe a mão na cara e depois o braço em volta do pescoço, enquanto outro lhe apontou a arma ao peito e puxou pela camisa, rasgando o bolso onde tinha o dinheiro. E fugiram com a receita do dia."

Este é um dos problemas dos videntes. Só conseguem adivinhar o futuro do outros e por isso este foi roubado. No entanto esta notícia dá-nos que pensar e muito. 500 euros receita do dia? C´os diabos. Que fazemos nós aqui?

quinta-feira, maio 26, 2005

Comentário.

"Segundo uns amigos ratos de cidade, que vivem num palácio, não muito longe do largo, com o nome destes meus primos afastados, contaram a estória que segue e que eu com palavras minhas descrevo:

Faltava de facto o início do capítulo de uma estória, tantas vezes repetida, ou seja, de mais um pedido de sacrifício aos humanos deste sítio. Mas, tal não aconteceu, se repararam. A arrogância deste humano eleito, por um grande número de desumanizados,de escravos, onde a moral destes, opõe um "não" a tudo o que não é seu, a arrogância como dizia, levou-o a nem pedir coisa alguma. Até porque não sabia de nada, assim como não sabia o guarda da caixa forte deste sítio e o sumo pontífice que põe e dispõe conforme os humores...

Ou melhor,esta grande mole de humanos condicionados por ele, e por todos os que fazem parte do seu séquito, amigos e alguns aliados de ocasião, a que eu chamei de babecos e hienas, à espreita da carniça restante de um estado putrefacto; (viram o comentário do aprendiz de merceiro, chamado de cavaco...?);leva a que, este eleito, despreza já,por deles não necessitar, a classe dos que desempenham nesta sociedade o papel de ursos e camelos.

De facto o sistema só necessita deles para criar mais valias e logo, a partir daí, castigá-los com mais impostos, para sustentar esta multidão de gente que de facto vive dos subsídios do chamado estado, e sendo muito mais que todos os outros, vão fazendo o sistema funcionar na perfeição. O papão anunciado não pôde ser muito reduzido, ou seja a redução será simbólica, porque de fora, estão a rosnar, ladrar e a babar-se todos os babecos e hienas, que reclamam o que lhes fora prometido e que vão viver à custa das grandes obras públicas que se avizinham, ou como gostam de chamar, de investimento público,com orçamentos derrrapantes como é hábito.
Assim cumprir-se-á mais um capítulo desta triste estória, deste pobre sítio que eu observo atentamente, e que já me causa medo em comentar...

Aqui, de facto, a experiência da democracia Pavloviana, funcionou em pleno, ou seja:
O povo em geral, o cão, que costumava salivar, à visão do doce, a que se associou o toque de uma campainha, já só saliva quando toca a campainha, ou seja,neste caso, a erudição mentirosa de todos os que mandam, querem mandar ou já mandaram neste sítio; " como pardais em ninho de andorinha"."
Comentário de Toupeira.

Motor a jacto.



Quer saber o que acontece no interior de um motor a jacto? Clique aqui.

Dualidades democráticas.

Durante o cerco israelita à Igreja da Natividade, em Belém, os terroristas (perdão resistentes) palestinianos usaram Bíblias para limparem o rabo como se pode ler aqui. Curiosamente a Newsweek, defensora do moral e bons costumes nada disse sobre o assunto mas teve o cuidado de inventar uma para inflamar os árabes. Nem ela nem ninguém, o que revela a dualidade de critérios que existe nas chamadas democracias. Dualidade que leva a esquecer certas notícias verdadeiras e à publicação de material forjado conforme o lado.

Lembramos que, apesar do desmentido da Newsweek, os árabes continuam em polvorosa e o acto impune. Porque será?

Seria interessante ouvir as opiniões dos frenéticos "defensores" dos árabes. É que só a boa qualidade do papel utilizado na feitura das Bíblias não explica tudo.

Carta aberta.

"Fiquei surpreendido com a nomeação para a Galp”. Com estas palavras, Fernando Gomes, deputado socialista e ex-presidente da Câmara do Porto, revelou ontem ao CM que tenciona “abandonar a vida política” e por isso manisfestou ao Governo disponibilidade “para ocupar uma função economista em qualquer empresa”.
Exmos Senhores do Partido Socialista.

Vimos por este meio informar vexas da nossa disponibilidade para ocupar qualquer lugar de administração em qualquer empresa pública. Se esse não for possível, aceitamos qualquer outro cargo equivalente. Aceitamos também a hipótese de ser num sector do qual não tenhamos conhecimento ou mesmo a devida competência. Como estamos desejosos de abandonar uma vida de muito trabalho e pouca remuneração, temos disponibilidade total.

Obrigado pela compreensão.

Zé dos anzóis

O cobrador.

"Sócrates, o cobrador dos fracos".

Porque será?

"Parecia um verdadeiro filme de acção americano". É desta forma que um conhecido empresário barcelense do sector têxtil descreve o assalto de que foi vítima, na madrugada de ontem, em Esposende, junto à rotunda da Solidal."Eu tinha acabado de sair do IC1 quando tive de parar num cruzamento. Foi então que, pelo menos, quatro homens saíram de um carro, que vinha logo atrás do meu, e se dirigiram a mim. Como tinha as portas trancadas, partiram o vidro do meu lado e abriram-me a porta", contou, ao JN, o empresário, que não quer ser identificado por medo de represálias e que sublinha ter saído de imediato da viatura."

Estas situações não aparecem nos relatórios da Amnistia Internacional. Porque será?

quarta-feira, maio 25, 2005

Grande jogo.


O Liverpool é o sucessor do FC Porto na Liga dos Campeões num dos melhores jogos de sempre.


O Liverpool depois de estar a perder 3 a zero ao intervalo, no segundo tempo o treinador espanhol Rafa Benitez mostrou toda a sua classe e igualou o feito de Mourinho. Mandou entrar Hamann para o lugar de Finnan e, em apenas seis minutos, aos 54, 56 e 60, Gerrard, Smicer e Alonso empataram o jogo, numa reviravolta que surpreendeu tudo e todos. Na lotaria das grandes penalidades o Liverpool acabou por ganhar.

O nosso Rui ainda chegou a tocar na bola.


Dudek foi o herói com defesas do outro mundo.



A idade parece não passar por Maldini. 36 anos. Quem diria.

Mais Bloco.

"O primeiro-ministro apresentou na Assembleia da República, esta quarta-feira, o Plano de Acção do Governo para combater o défice público excessivo. José Sócrates anunciou o já esperado aumento do IVA - para 21% - e agravamento nos impostos sobre o tabaco e os combustíveis, mas revelou também algumas medidas penalizadoras das regalias na Função Pública, sobretudo o fim das "subvenções vitalícias dos titulares de cargos políticos".

Curiosamente o Bloco de Esquerda ficou "calado". Longe vão os tempos dos ataques agressivos ao inimigo da direita. Parece que eles está mais preocupado em "correr com o Santanismo de Lisboa". Pois. Aquela história do PS ceder ao BE no aborto foi uma coincidência.

Teria piada ou talvez não.

"O relatório da Amnistia Internacional de 2005 sobre Portugal revela a existência de maus-tratos por parte da polícia e dos guardas prisionais, o «elevado» número de presos preventivos e denúncias de racismo e discriminação. Sem quantificar, o documento diz que a «polícia usou armas de fogo e balas de borracha de forma desnecessária ou desproporcional relativamente à ameaça». O texto da Amnistia Internacional sobre Portugal revela, também sem quantificar, que foram «denunciados casos de maus-tratos e outros tipos de abusos por parte de guardas em várias prisões», adiantando que «o gabinete do Provedor de Justiça parece não ter meios suficientes para cumprir a sua tarefa de forma completa e eficaz, incluindo a investigação das queixas dos detidos».
Quanto ao racismo e discriminação, o relatório admite que a falta de dados e estatísticas foi um obstáculo à avaliação da forma como a actuação das forças de segurança foi influenciada pelo racismo e discriminação. Contudo, a AI refere que «continuaram os relatos de policiamento conduzido de maneira discriminatória em zonas carenciadas, onde as pessoas pertencentes a minorias étnicas» se sentem alvo de discriminação por parte dos agentes."

Teria piada eles informarem quando e em que circunstâncias ocorreram as situações criticadas. Teria piada contabilizar os guardas que são alvo actos violentos por parte dos reclusos para comparar. Teria piada descobrir-se que a maioria dos presos morreram na prisão hospitalar de Sida. Teria piada dizer que tudo o que os guardas não deixam os reclusos fazer são abusos e maus tratos. Teria piada descobrir-se outras carecas no relatório. Só que depois o relatório deixaria de ter "piada".

Kinder surpresa

" No que respeita à classe política e altos titulares de cargos públicos, o primeiro-ministro declarou que o Governo pretende "pôr cobro a um conjunto de regimes de excepção que proliferam na administração pública e que são em muitos casos absolutamente injustificados". Segundo José Sócrates, no último Conselho de Ministros extraordinário, na terça-feira, o Governo decidiu apresentar "uma proposta legislativa que acaba com os privilégios injustificados do actual regime de subvenções vitalícias dos titulares de cargos políticos". Sócrates deu ainda como exemplos de privilégios injustificados a existência mecanismos sobre idade da reforma, sobre a fórmula de cálculo das pensões e de outras prestações excepcionais.

"Vamos apresentar propostas no sentido da moralização e da justiça em nome do princípio da igualdade - e isto vale para todos, vale para os corpos especiais, mas também para os titulares de altos cargos públicos e de cargos políticos", referiu o chefe do executivo. Perante estas propostas, a bancada socialista ficou em silêncio, o que motivou gargalhadas entre os deputados dos grupos parlamentares do PSD e do
CDS-PP
."

Surpresa?

Ele há filhos e enteados...

O novo ciclo político nacional iniciado com a substituição de Ferro Rodrigues e a eleição de José Sócrates para Secretário-Geral do PS, continuado com as novas lideranças do PCP, do PSD e do CDS (curiosamente só no BE continuam as caras de sempre – que já cá andam desde 1991, pelo menos…), está quase concluído. Falta escolher um novo Presidente da República. Mas a escolha dos portugueses parece já ter sido feita, e só falta esperar que esse dia chegue. E que até lá, o actual PR possa acabar o seu mandato com dignidade. Coisa que duvido… Começa a não haver paciência para as “sampaiadas”.
A conivência com a incompetência “guterrista” (tudo aceitou, tudo calou, a tudo emprestou uma complacência de camarada colaboracionista), que tentou prolongar (lembram-se que, mesmo depois de Guterres ter avisado que saía por causa do pântano, o actual PR ainda tentou manter o PS e aceitar uma nova liderança?)...
Depois, perante o desastre que os membros do Governo PSD/CDS encontraram e quando todos os políticos responsáveis (e os dirigentes europeus à cabeça) apontavam como incontornável uma contracção da despesa pública para se conseguir uma indispensável redução do deficit público, que fez Jorge Sampaio? Numa primeira fase andou caladinho (possivelmente a tentar perceber se teria ou não “boa imprensa”), mas logo que pode, voilá, proferiu, urbi et orbi, que há mais vida para além do deficit! Afirmação temerária, mas ninguém teve a coragem de lhe recordar que tal seria possível quando se remendasse o buraco que ele e os seus camaradas socialistas haviam deixado!
Euro2004. A actividade económica acelera, a euforia e a confiança dos portugueses está em alta: todos os indicadores económicos apontam para o início da recuperação. Pela primeira vez desde 2002, os níveis de confiança de consumidores e investidores são positivos. Já se vislumbrava a esperança ao fundo do túnel. Entretanto, o então Primeiro-Ministro, é convidado para Bruxelas. Sampaio aceita e incentiva… depois encena uma paródia de exercício dos poderes presidenciais, consulta tudo e toda a gente (alguns em dobro). De Belém são constantes as cirúrgicas fugas de informação (que dão uma ilusão da decisão não tomada e alimentam as actividades de desgaste por parte de sectores da oposição). O discurso de anúncio de nomeação de Pedro Santana Lopes surge e Jorge Sampaio faz um flick-flack à retaguarda” e, pasme-se: informa que a crise existe, que contenção orçamental é a prioridade e que não aceitará que não se mantenha a forte contenção na despesa pública… de repente, Sampaio matou a vida que existia para além do deficit! A esquerda florida, impaciente, faz um ataque formidável ao PR, tudo é dito, tudo é insinuado, há gritos, há choros, há abandonos e amizades que terminam… Sampaio passa a “mal-amado” da esquerda herdeira das loucuras psicadélicas de 68. Mas há impaciências que se pagam caro!
A confiança dos consumidores esfuma-se com esta errática posição presidencial, mas Sampaio não se deixa impressionar e segue o seu caminho. Acolitado pelos media que se desencantaram com Santana, o PR vai deixando uns recadinhos aqui, uns sorrisos e alternados por uns cenhos façanhudos acolá, uns silêncios assessorados por convenientes fugas de informação, o caminho vai sendo aplanado. A histeria chega a ser tal que uma incauta afirmação de um ministro é aproveitada por um adversário interno de Santana no PSD para montar um show-off de 5ª categoria, mas a que todos dão um incompreensível eco: aqui d’el-Rei, que o Governo quer matar a Liberdade de imprensa! Porém nem um órgão de comunicação, umzinho que seja, defende um Governo que é acusado de controlar a imprensa (lembram-se? Ele era o Luís Delgado na Lusomundo, a Central de Informação, etc)! Imaginem se não controlasse nada?!? E que fez Sampaio? Recebeu o comentador mas recusou ouvir o Presidente do órgão de comunicação de que o outro se havia demitido. Fazem-se inquéritos e concluem que houve um almoço (de cunhados!) onde um (o patrão) diz (ao comentador) que ele deveria pensar em moderar as suas críticas… tal como outros sugerem aos seus jornalistas e comentadores que sejam mais agressivos com determinado sujeito afim de aumentarem as tiragens! Porém, em momento algum do inquérito ficou provada a existência de qualquer interferência do governo como razão de ser do tal almocinho de cunhados… Mas deixou-se ficar no ar a confusão… a quem convinha?
Quando “estava no ponto”, Sampaio foi vasculhar ao fundo de numa recôndita gaveta do palácio, reencontrando o seu velhinho cartão rosa e toma a peregrina decisão de, de facto, mostrar o quanto considerava a opinião daquele rol de gente que havia consultado para decidir a nomeação de Santana. Depois de uma (confessada) noite de insónia, mal dormido, recebe o PM e informa-o de que afinal não dará posse aos novos membros do governo pois (incumprindo o preceito constitucional que o obriga a ouvir o Conselho de Estado) decidiu dissolver a AR… mas (outra inovação) sem exonerar o Governo! Guardava-a para mais tarde, presume-se, dar uma nova “sampaiada”!: com um qualquer pretexto, demita o Governo em vésperas das eleições – para assim mais prejudicar a maioria!
Concretizado o plano, eis que ressurge o PS, agora com maioria absoluta. De repente os problemas acabaram! Até as listas de espera terminaram, a economia dá sinais de recuperação (a inflação baixou, a produtividade dos portugueses subiu) tudo graças a uma nova versão do “milagre… dos rosas”! Até a convocação do referendo ao Aborto é paternalmente adiada… aguardando momento mais conveniente para as pretensões dos abortistas. Só espero que não tenha sido assim para dar nova oportunidade a um candidato presidencial da área socialista… não me admiraria que este fosse um tema de campanha lançado por um candidato da esquerda e, com o costumeiro e conveniente eco da imprensa favorável, o candidato não socialista venha a ser constantemente assaltado com a pergunta: se for eleito convoca o referendo? É que se for assim, Jorge Sampaio ficará na história como um manipulador e exemplo de como não deve ser exercido um mandato do 1º magistrado da Nação num sistema semi-presidencial…
Venham as eleições… e quanto mais cedo melhor: será que Sampaio, para variar, não quererá surpreender-nos e abreviar a espera… demitindo-se? Ao menos, no fim, acabava com alguma dignidade!

João Titta Maurício

Cãezinhos de estimação.

"A Câmara do Porto tomou, ontem, uma posição relativa à permanência de animais perigosos e potencialmente perigosos nas habitações municipais. A autarquia está preocupada com o facto de certas raças de cães consideradas agressivas se terem generalizado um pouco por todos os bairros sociais e nem sempre serem levados para casa pelos seus donos como animais de companhia. São frequentes os relatos que apontam para o facto de muitos destes cães serem treinados para participarem em lutas."

DN
Para lutas? Para assaltos. Não há bairro que se preze que não tenha esses bichinhos de estimação. A solução passa por legislação nacional e não autárquica.

Palavras para quê?

"Os advogados da Casa Pia de Lisboa estão desde há um ano envolvidos numa batalha processual sobre o colectivo de juizes que irá apreciar o recurso de não pronúncia de Paulo Pedroso, Herman José e Francisco Alves. Desde a distribuição do processo ao juiz Carlos Almeida (em Junho de 2004), a sucessão de recursos e requerimentos não tem parado. O último passo prende-se com a apresentação de uma reclamação ao presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), juiz conselheiro Nunes da Cruz, porque o plenário das secções criminais rejeitou mais um requerimento dos advogados sobre o juiz Carlos Almeida.Este é mais um episódio de uma saga que se arrasta entre o Tribunal da Relação de Lisboa e o STJ desde o despacho da juíza de instrução Ana Teixeira e Silva, em 31 de Maio de 2005. Após a decisão da magistrada, os procuradores João Guerra, Cristina Faleiro e Paula Soares, juntamente com o advogado António Pinto Pereira (que representa as alegadas vítimas) recorreram para o TRL. O processo seria distribuído ao juiz desembargador Carlos Almeida, da 3ª. secção, mas como, entretanto, se iniciaram as férias judiciais, outro desembargador, Varges Gomes, ficou como relator. A análise do recurso iniciou-se e os desembargadores Cid Geraldo e Moraes rocha chegaram a colocar um "visto" nos autos. Certo é que, após a divulgação no blogue Do Portugal Profundo com da proximidade ao PS da mulher de Varges Gomes, os advogados da Casa Pia avançaram com um incidente de recusa. Incidente este que só viria a ser analisado já no início do ano judicial de 2004. Sendo assim, o STJ considerou que, uma vez ultrapassadas as férias judiciais, a questão já não se colocava, remetendo ao "relator natural" (Carlos Almeida) os autos."

DN
Desde Maio de 2004. Vale a pena comentar?

Ensino.

"A introdução da nota mínima nas provas de ingresso ao Ensino Superior poderá impedir a entrada de dez mil estudantes nas universidades e politécnicos do sector público e privado. Quase metade dos alunos que atingem o 12.º ano não o conseguem concluir à primeira. De acordo com as estatísticas da Educação do Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo, relativas a 2001/02, apenas 37 668 dos 71 778 alunos que frequentaram os cursos gerais do 12.º ano conseguiram concluí-lo. Ou seja, 34 110 alunos desistiram ou não conseguiram terminar o secundário com aproveitamento. No ensino recorrente, a percentagem de conclusões é bastante diminuta: apenas 16,6 por cento dos 76 111 estudantes matriculados chegaram ao fim com aproveitamento.
Nos outros anos do secundário, a percentagem de retenções e desistências é inferior: 20 por cento no 11.º (12 004 não passaram de ano, num universo de 60 107 matriculados) e 35,3 por cento no 10.º (dos 79 099 estudantes apenas 27 882 não avançaram). Dos 12 637 estudantes que o conseguiram, 1567 tinham mais de 30 anos de idade. De acordo com as estatísticas do Ministério da Educação, em 2002 ficaram retidos ou desistiram 42 413 alunos no 1.º ciclo (10,8 por cento do total), 41 061 no 2.º (15,5 por cento) e 70 114 no 3.º ciclo (19 por cento). Os números não espantam Emília Bigotte, docente e dirigente da Confederação Nacional das Associações de Pais,
pois “reflectem que o ensino não anda bem, sendo necessário que as escolas reflictam e decidam auto-avaliar-se
”.

No nosso tempo estudava-se. Mudam-se os tempos, mundam-se as vontades. Há que continuar a distribuir diplomas a ignorantes para que eles possam governar o país melhor.

Futuros doutores.

"Um grupo de seis estudantes, entre os 16 e os 19 anos, foi detido anteontem pela PSP do Barreiro, suspeitos de integrarem um grupo de 15 que, em Fevereiro último, assaltou à pedrada um homem de 30 anos. Os agressores, residentes em Cidade Sol, voltaram à sua vida normal. “Eles são estudantes e alguns até têm boas notas

"Alguns até têm boas notas"? Por certo serão futuros doutorados em violência gratuita. Como alternativa, poderão ser campeões olímpicos na modalidade de tiro ao alvo.

Racismo.

"O Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Valença deteve ontem uma mulher cigana que era procurada em Espanha há dois anos e meio por crimes de roubo e furto e que tinha um mandado internacional de captura. Na mesma operação, foram detidos também dois homens, familiares da suspeita, e referenciados por diversos crimes."

CM
Procurada em Espanha? E nós a pensar que só Portugal é que era um país racista. Coitados, libertem essas vítimas do racismo, da descriminação, etc etc.

Profissão de risco.

"Um homem de 40 anos, cabeleireiro, matou com várias facadas um jovem de 21 anos. O crime ocorreu na noite da última segunda-feira, no apartamento do agressor, na Rua Carlos José Barreiros, em Lisboa. Segundo fonte da PSP, o homicídio terá sido motivado por questões passionais."
Infelizmente o cabeleireiro não tinha os óculos postos, razão da sua fraca prestação. Confirma-se que a homossexualidade é uma profissão de risco. Mesmo entre os profissionais do ramo.

Zapatero.

"O escritor e filósofo Fernando Savater provocou esta semana uma autêntica tempestade política em Espanha ao revelar que o primeiro-ministro José Luis Zapatero lhe contou, numa conversa privada, ter recebido “há meses” uma mensagem da ETA, na qual o grupo terrorista afirma estar disposto a dialogar com o governo. Savater veio dizer depois que as suas declarações foram mal interpretadas, mas o Partido Popular acredita que “disse a verdade” e acusou Zapatero de “mentir ao país” ao afirmar que nunca teve qualquer contacto com a ETA.
A explosão de um veículo armadilhado ocorrida esta manhã numa rua do bairro de Sab Blas da capital espanhola, Madrid, causou oito feridos, nenhum deles com gravidade, segundo revelaram as autoridades locais."
A Espanha está cada vez mais insegura. Quem votou no Zapatero já deve estar bem arrependido.

terça-feira, maio 24, 2005

Comentário

"Os humanos que mandam neste sítio, de repente ficaram todos sem memória. Parece que uns por defeito próprio, que é caso do Presidente da República, sendo portanto do foro clínico, e já com sinais de completa irresponsabilidade dos actos, logo inimputável, outros, o que é mais grave, por alegada irresponsabilidade. O caso de um com nome de roedor é paradigma da classe instalada à boa maneira da I República, o que não será de estranhar, pois a oligarquia que hoje manda na grande mole de humanos adestrados que votam, sabe para quem fala.

Quando tiverem liquidado a classe chamada de média, vão ter que andar por aí, com guarda costas armados e vão ter de guardar as crias e as fémeas, dos perigos da criação de um povo estupidificado, sem qualificações, analfabeto funcional e sem noções do que é, ou era, o pilar mais importante desta sociedade, a família. Não vão faltar professores de formação na arte do crime violento, que importaram em nome de valores muito duvidosos e por gente de duvidoso valor. Portanto, em (quase)conclave, reuniram-se, os humanos que vão decidir, o futuro deste sítio, presididos por um Governador do Banco de Portugal que não sabia de nada, que desde Janeiro até agora falha quase em 3% nas previsões, e não dá orientações, porque não é esse o seu dever?!!

Depois o Primeiro Ministro que não fala com os humanos adestrados deste sítio, porque tem medo que não salivem, pois não tem rebuçados para acenar. Depois há uma grande multidão de hienas e babecos, que ganem, ladram e rosnam, ao cheiro da carniça, de um estado putrefacto;- "aumentem os impostos sobre tudo o que ainda mexa!..." Um, a que convencionaram chamar pai da democracia, outros grandes economistas, gestores de grandes empresas, que sobrevivem roubando o estado, porque este estado o permite, e outros ainda, ex. governantes da área económica, ou de outras, pois a sua formação é polivalente e leram da mesma cartilha, continuando a justificar em adultos, o nome de grandes mamíferos.

O apoio das organizações subterrâneas vai continuar, a encenação está estudada, depois do campeonato, haverá que sair alguma coisa nos mercenários da comunicação social, (aqui já não se chama censura), para atenuar o acto.

Deixo um preceito:
"A organização económica da Nação, deverá realizar o máximo de produção e riqueza socialmente útil, e estabelecer uma vida colectiva de que resultem poderio do Estado e justiça entre os cidadãos."

Comentário de Toupeira.

24 de Maio de 1941.


In the North Atlantic, the German Battleship Bismarck sinks the HMS Hood killing all but three crewmen on what was the pride of the Royal Navy. On 24 May 1941, accompanied by the heavy cruiser Prinz Eugen, she was found travelling through the Denmark Strait between Iceland and Greenland and engaged by a British force led by the battlecruiser Hood and the newly commissioned battleship Prince of Wales. The latter was newly completed and still being worked up (indeed, she sailed to meet Bismarck with dockyard workmen still on board completing her fitting out).


Hood was built as a fast battleship rather than a battlecruiser but still had relatively weak deck armour. Rather than let the inexperienced Prince Of Wales take the lead, she closed with the Bismarck to reduce the range - closer in, the Bismarck's gunfire would not have come down directly onto Hood's deck. Hood took one of the Bismarck's first salvos amidships. Moments later she was consumed by an explosion, splitting the hull into two sections which then sank rapidly with the loss of the complete crew of 1,418 bar three survivors. Hood was a modern design with the lessons of Jutland incorporated so a main magazine explosion was unlikely. It is possible that either the torpedo warheads on the mountings amidships or a secondary ammunition magazine had exploded and taken the main magazine with it.


Without the Hood the deputy commander ordered the Prince of Wales, all but one of her main guns out of action (due to mechanical failure rather than battle damage), to disengage and she escaped under a smokescreen. Her gunfire had struck Bismarck three times, one hit causing water to be introduced into fuel storage. This had the effect of reducing the range of the ship, from then on Bismarck kept at only 20 kts to conserve fuel, and leaving an oil slick trail. Bismarck headed for St Nazaire's dry dock in France for repairs, and although she continued to be shadowed by Norfolk, Suffolk and Prince of Wales, she eventually broke away and Prinz Eugen detached. With the intention of facilitating a quick recovery, the Bismarck never refueled — a decision that would later come back to haunt her. The result of the battle with Hood showed the effect of deploying a battlecruiser against a battleship, a role for which it was never designed.

Wikipedia

More here.

12 de Maio de 1949.


Termina o bloqueio ruuso à cidade de Berlim. Durante 28 anos, de 1961 a 1989, a população de Berlim, ex-capital do Reich alemão, com mais de três milhões de pessoas, padeceu uma experiência ímpar na história moderna: viu a cidade ser dividida por um imenso muro. Situação de verdadeira esquizofrenia geopolítica que cortou-a em duas partes, cada uma delas governada por regimes politicos ideologicamente inimigos. Abominação provocada pela guerra fria, a grosseira parede foi durante aqueles anos todos o símbolo da rivalidade entre Leste e Oeste, e, também, um atestado do fracasso do socialismo real em manter-se como um sistema atraente para a maioria da população alemã.


As Primeiras Pedras

"Terrível! Esta fronteira de pedra ergue-se... ofende/ os que desejam ir para onde lhes aprouver/ não para um túmulo de massa/ um povo de pensadores."

Volker Braun, 1965


Na manhã bem cedo do dia 13 de agosto de 1961, a população de Berlim, próxima à linha que separava a cidade em duas partes, foi despertada por barulhos estranhos, exagerados. Ao abrirem suas janelas, depararam-se com um inusitado movimento nas ruas a sua frente. Vários Vopos, os milicianos da RDA (República Democrática da Alemanha), a Alemanha comunista, com seus uniformes verde-ruço, acompanhados por patrulhas armadas, estendiam de um poste a outro um interminável arame farpado que alongou-se, nos meses seguintes, por 37 quilômetros adentro da zona residencial da cidade. Enquanto isso, atrás deles, trabalhadores desembarcavam dos caminhões descarregando tijolos, blocos de concreto e sacos de cimento. Ao tempo em que algum deles feriam o duro solo com picaretas e britadeiras, outros começavam a preparar a argamassa. Assim, do nada, começou a brotar um muro, o pavoroso Mauer, como o chamavam os alemães.


Berlim fora conquistada pelo Exército Vermelho em maio de 1945. De comum acordo, acertado pelo tratado de Yalta e confirmado pelo de Potsdam, entre 1944-45, não importando quem colocasse a bota ou a lagarta do tanque por primeiro na capital do III Reich, comprometia-se a dividi-la com os demais aliados. Desta maneira, apesar dos soviéticos tomarem antes a cidade, e também um expressivo território ao seu redor, tiveram que ceder o lado ocidental dela para os três outros membros da Grande Aliança, vitoriosa em 1945. Assim Berlim viu-se administrada, a partir de 8 de maio de 1945, em quatro setores: o russo, majoritário, o americano, o inglês e o francês. Com o azedar da relação entre os vencedores, em 1948 as quatro zonas reduziram-se a duas: a soviética e a ocidental. Em seguida, Stalin decidiu-se por um bloqueio total contra a cidade em represália ao Plano Marshall, que visava promover o reerguimento econômico da Europa destroçada pela guerra. Todas as estradas de rodagem e de ferro que ligavam Berlim com a Alemanha Ocidental foram então fechadas pelos soviéticos, na tentativa de fazer com que os aliados ocidentais desistissem da sua parte na cidade. Ou saíam ou os berlinenses morreriam de fome e frio.


A resposta norte-americana foi lançar mão de uma ponte aérea, a Berlin Airlift, que durou onze meses, de 25 de junho a 12 de maio de 1949, transportando milhares de toneladas de alimentos para manter os berlineses alimentados e aquecidos. O general Tunner aproveitou a ocasião, através da Operation Vittles, Operação Alimentos, para dar um verdadeiro show aéreo de eficiência: as toneladas diárias desembarcadas nos três aeroportos de Berlim saltaram de 5,4 toneladas ao dia para 7,8, sendo que em 16 de abril de 1949 ele fez com que, durante 24 horas ininterruptas, 1.398 vôos descarregassem 13 mil toneladas de carvão de uma vez só. Nos dois primeiros meses de operação, 100 mil toneladas haviam sido despejadas. Em vista disso, a ação soviética mostrou-se totalmente inoperante, obrigando Stalin a desistir por completo em 12 de maio de 1949. O toque de ironia quase surrealista daquela situação é que os mesmos aviões e as mesmas tripulações que três anos antes haviam bombardeado Berlim, agora mobilizavam-se para salvar seus habitantes de uma grande desgraça.

Divulgue o seu blog!