sábado, abril 30, 2005

30 de Abril de 711.


"Em 711 (século VIII), os Muçulmanos iniciaram a conquista da Península Ibérica. Comandados por Tarik atravessaram o Estreito de Gibraltar e venceram os cristãos visigodos na batalha de Guadalete. Depois da batalha, os árabes foram alargando as suas conquistas pela Hispânia da qual, por fim, ficaram senhores. Às suas investidas escapou, porém, uma parte das Astúrias onde se refugiara um grupo de visigodos sob o comando de Pelágio, duque da Cantábria. Uma caverna servia simultaneamente de paço ao rei das montanhas, e de templo de Cristo. Por vezes, Pelaio e os seus companheiros desciam das montanhas para atacar os acampamentos árabes ou as aldeias despovoadas de cristãos.

Abdulaziz (ou Abdul-el-Aziz) subjugara a Lusitânia e a Cartaginense e, saqueando, as cidades do Norte, que lhe abriam as portas, atacava as que tentavam resistir."

Mais no Wikipedia.

Seis = Medidas = Seis

"Segue um postal, de mangadalpaca, alusivo a uma faena:

O engenheiro José Sócrates veio anunciar na Assembleia da República seis - medidas – seis, destinadas a «desbloquear o sistema judicial» por haver situações de «bagatelas processuais» que não teriam dignidade para que os Tribunais delas se continuassem a ocupar.

1. Reduzir as férias judiciais de dois para um mês.
Muito já foi dito. Acredita-se que, sendo uma medida emblemática de uma certa «teimosia política», apanágio do engenheiro Sócrates, poderia até ter algumas virtualidades, desde que enquadrada num pacote mais vasto de medidas: vamos ver se não terá resultados contra-producentes. A lógica de produtividade dos tribunais não tem a ver só com o(s) tempo(s) de trabalho. Poderia pensar-se em consignar algum tempo das férias judiciais para a necessária formação dos magistrados. Mas, isso nem sequer esteve nas argutas cogitações do governo (sabendo-se que a formação contínua dos magistrados é cada vez mais necessária). Por outro lado, se os trabalhadores judiciais não podem ser favorecidos, também não poderão ser prejudicados, face aos demais trabalhadores.

2. Aumentar o limite da não punibilidade dos cheques sem provisão para € 150,00.
Não parece mal, mas não pode ser verdade que esse tipo de processos ocupe o número de magistrados anunciado. O crime de cheque sem provisão perdeu expressão estatística (embora tivesse tendência para um recrudescimento). Por outro lado, aí apenas se constatará uma transferência de processos, do foro criminal para o foro cível, sem grande alcance para o sistema.

3. Suprimir a renovação automática das apólices de seguros.
Essa medida contrariará directivas internacionais em matéria de defesa de consumidores, e irá contrariar ainda mais os interesses das seguradoras. Vamos ver a sua viabilidade e eficácia.

4. Pulverizar por todas as comarcas, em função do domicílio do consumidor, o foro de apreciação das questões relacionadas com o (in)cumprimento de obrigações contratuais.
Esta medida não terá qualquer impacto, podendo até, nalgumas comarcas, perturbar o seu funcionamento, ao mesmo tempo que a sua redução nas comarcas «colonizadas» pelas empresas prestadoras de serviços (telemóveis, crédito ao consumo, etc.), que, de certa forma, se haviam «especializado», não será relevante.

5. Aumento do valor do procedimento de injunção para € 15.000,00.
O despacho dos processos transitará do juiz para as secretarias judiciais.

6. Conversão de transgressões em contra-ordenações.
As poucas que ainda existem, não são, de forma alguma, bloqueadoras do sistema. Se se está a pensar nas transgressões de passagem na Via Verde sem pagar, não vão faltar recursos e as subsequentes execuções das coimas, pois que essas dificilmente consentirão o pagamento no acto (para isso, teriam que posicionar vários carros-patrulha da BT em cada portagem).

Em suma- Não serão significativos os impactos destas seis-medidas-seis. Trata-se de um primeiro pacote, é certo. Mas o que não se pode é deixar de constatar uma clamorosa contradição de princípio: o engenheiro Sócrates queixou-se de que o sistema judicial prejudicava a eficácia (ou eficiência? Acho que ninguém sabe!) do tecido económico e empresarial. Mais uma providencial descoberta para justificar sucessivos erros de políticas económicas e fiscais, para não falar da falta de modernização dos empresários (continua a ser a única categoria profissional sem exigência de um mínimo de qualificações) e das empresas, mas enfim, o que é preciso são apoios do Estado e fundos da U.E., para não se entrar em colapso económico, tudo por culpa do sistema judicial…
Simplesmente, estas anunciadas medidas, se bem repararem, não são nada amistosas da instrumentalidade que o sistema judicial era suposto assegurar «ao serviço da economia». Pelo contrário. Vão ser altamente lesivas dos interesses de muitas empresas.

P.S.
Há tempos, escrevemos um post sobre o «Esplendor do Direito Penal do Inimigo», criticando a proposta de rusgas policiais acompanhadas por magistrados, anunciada pelo ministro A. Costa (o outro, o ministro de Estado).
Ao que parece, o dr. Costa veio fazer mea culpa, reconhecendo que, afinal, tinha «laborado em erro». Regista-se, com justiça, a assunção do erro, a ser sincera…

Daí que se diga: um pouco mais de coerência. Ou, pelo menos, de reflexão. "

mangadalpaca©

Da Grande Loja.

Em exibição.

Do Marques Mendes que herda uma prestação governamental miserável que o impede de levantar a voz em temas que envolvam a prestação do Governo, sendo obrigado a fazer perguntas caricatas como aquela da prioridade dos referendos. Tadinho do Marques Mendes...

Do amigo Jumento.

A vida excedentária.

"O PS fez aprovar no Parlamento um projecto de Lei que estabelece a liberalização do aborto até às 16 semanas de gravidez e prevê um novo referendo sobre a sua liberalização até às... 10 semanas!...

Depois do embaraço (não confundir com embarazo...), surge a clarificação. Coube ao líder parlamentar Alberto Martins apresentar a posição oficial do PS: "Para que não haja dúvidas, tudo o que é excedentário é eliminado"...
"
Do amigo Caldeira.

Portugal em movimento.

"O Governo apresentou, esta sexta-feira, seis medidas para descongestionar os tribunais. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, José Sócrates, na abertura do debate mensal do Governo, em que a reforma do sector da Justiça é o tema central."
Curiosamente nenhuma passa pela simplificação dos trâmites processuais. É que tal medida teria efeitos em termos de celeridade e economia processual. Pelos vistos não é isso que se pretende.

Jornalismo.

"A substituição de penas de prisão por serviço cívico sempre mereceu uma forte contestação das corporações ligadas à administração da justiça e à reinserção social. Os juízes, por exemplo, resistem muito a condenar a penas alternativas, uma vez que o cumprimento destas mantém a sua responsabilidade sobre o arguido durante um longo período, ou seja dá bastante mais trabalho do que mandá-lo para a prisão.Do mesmo modo as chefias e funcionários do Instituto de Reinserção Social têm reclamado que não têm meios, nem cultura funcional, para andarem a acompanhar com eficácia o cumprimento das penas durante um, dois ou três anos. É que a execução destas penas obriga a coordenar trabalho com autarquias (câmaras e juntas de freguesia), com organismos públicos (escolas, institutos, etc.) ou empresas que se dispõem a aceitar horas diárias ou semanais de trabalho por indivíduos que lhes são enviados pelos tribunais."

DN.

É este tipo de jornalismo de que gostamos. Prático e informativo. Uma maneira "profunda" de ver as coisas.

Ciganos

"Elementos da comunidade cigana de Tomar (Santarém) acusam os donos de alguns bares locais de impedirem o acesso dos seus jovens aos estabelecimentos nocturnos, por "discriminação". Um dos membros do grupo contestatário, Almerindo Lima, disse que os jovens da comunidade cigana foram impedidos de entrar nos bares por questões de "racismo", tendo feito queixa à PSP. Caso os donos dos bares não recuem, estes munícipes ponderam apresentar queixa contra os comerciantes ao Alto Comissariado para as Minorias Étnicas. A recusa dos donos dos bares terá ocorrido após alguns desacatos alegadamente realizados por outros elementos de etnia cigana. Confrontado com esta questão, Lopes Martins, comissário da PSP, considera que a situação deverá ficar resolvida este fim-de-semana após reuniões com os donos dos bares."

Concordamos inteiramente. Nem é preciso muito esforço para que os bares com ciganos ficam mais animados. Toda a gente sabe que eles são boa companhia. Pena é os outros clientes não compreenderem isso e fugirem.

sexta-feira, abril 29, 2005

Grisalhos, carecas e carepas:

Vigor transmutativo.

Saúde para o povo

Classes menos abastadas às 10h.


Terapia de choque para as classes pobres.

Teoria dos Anjos.

Os anjos são seres estranhos porque não têm sexo e porque não têm costas.


Poderemos, portanto, inferir que terão duas frentes e porque não tendo um par de asas saindo das costas ( por as não terem ), deveriam sair do peito , e como tudo indica terem dois, teriam também dois pares de asas, saídas do peito, o que lhes conferiria o título de biplanos , categoria notável na família dos aviões.


Assim sendo, resta agora confabular se seriam ou não bimotores o que lhes conferiria o estatuto de bombardeiros, posição já respeitável em qualquer ramo da família alada. Consta que antigamente participavam activamente na contemplação , mas agora desde que há o Big Brother, só pensam no facto de não terem sexo.


Pensa-se que já formaram um comité, pedindo ao Altíssimo, que lhes trocasse um dos pares de asas e um motor, por um simples e mediamente dotado pirilau.

Silêncio.

"O jovem cineasta português Ivo Ferreira está preso no Dubai, Emirados Árabes Unidos, desde 5 de Abril por ter fumado haxixe numa habitação que partilhava com um amigo, disse hoje à Agência Lusa o seu pai. Ivo Ferreira está preso numa cadeia situada numa esquadra do Dubai, onde - segundo o relato do pai - ficou três dias algemado e virado para a parede, recebendo algumas pancadas nas costas."

Estranhamos o silêncio do Bloco de Esquerda sobre este assunto. Será que adianta alguma coisa se dissermos que o comandante da polícia é um agente americano da CIA?

Segurança.

"Não se pode sair à rua sem ser assaltado, violada ou agredido" Não exageremos. O país é relativamente calmo e as taxas de criminalidade até são baixas. As pessoas é que são demasiado cobardes e entram em pânico por tudo e por nada. Dantes, nas épocas salazaristas em que havia "autoridade" a criminalidade era muito pior. Lembro-me do meu avô dizer que não se podia andar á noite, de automóvel, nas estradas ao pé de Castelo Branco pois os carros eram sistematicamente assaltados, até punham troncos de árvore nas estradas! O mesmo para o Pinhal de Leiria. Infelizmente a memória é fraca e tende a mitificar o passado, Nunca deve ter havido tanta segurança como agora."

Comentário de O RAIO.

Lamentamos mas tal não é verdade. Para verificar tal, basta morar ao pé de um desses bairros ou andar de comboio na linha de Sintra. De noite não há praticamente ninguém nas ruas e nos comboios além dos gangs. Todos os dias a polícia entra nesses bairros para ir buscar carros roubados e são recebidos à pedrada, a tiro, etc. Os condutores não param nos sinais com medo de serem assaltados. O IC19 está cheio de carros pela simples razão que têm medo de andar de comboio.

Mais. Quem mora nas casas à volta tem barras nas janelas. Os preços das casas são dos mais baratos da região de LIsboa. A própria polícia não quer "trabalhar" na esquadra da Amadora.

Imagine só que próprio presidente da Câmara da Amadora, disse na TV que um dia teve de dar boleia a duas senhoras que vinham a ser perseguidas por um gang que as queria assaltar. Ele próprio sugeriu que a zona fosse considerada de excepção para efeitos de tomar previdências. Morreram 3 polícias em dois meses.

Bastar dar uma olhada (clikar no sublinhado):

Marcha pela paz;

Reorganização do patrulhamento;

Autarca defende videovigilância para a Amadora;

Agressões a polícias aumentaram seis por cento em 2004;

Aumento dos gangs;

Polícia aqui não manda;

Na região metropolitana de Lisboa acontece mais de metade da criminalidade de todo o país;

Amadora é um concelho de excepção.

Dúvidas:

Como explicar a certos cidadãos que nunca ouve tanta segurança como agora:

Reclusos em casa.

Ou que podem dormir descansados:

Carro roubado abalroou três.

Ou que o filho não é assassinado por causa de um telemóvel:

MORREU POR UM TELEMÓVEL.

Ou que os próprios polícias não são assaltados:

APANHARAM-ME MESMO DE SURPRESA;

Ou que morar perto duma esquadra não dá segurança, nem mesmo à própria esquadra:

CLIMA DE MEDO À PORTA DE ESQUADRA;

Mas o que teria mais piada era trocar de lugar com eles.

Medo dos tiros, das navalhas ponta-e-mola, dos gangs.

quinta-feira, abril 28, 2005

A ter em conta.

Sobre um email que corre por aí, antes deve-se ter em conta que:

O pagamento voluntário da coima passa a ser efectuado no acto da verificação da contra-ordenação, ou seja, o condutor terá de pagar a coima (pelo valor mínimo) ao agente que detecta a infracção e levanta o auto. (Art.º 173.º)

Se o condutor não pretender efectuar o pagamento voluntário imediato da coima, deve prestar depósito, também imediatamente, de valor igual ao mínimo da coima prevista para a contra-ordenação praticada. Esse valor será devolvido se não houver lugar a condenação. (Art.º 173.º)

Se o infractor não pagar a coima no momento, ou se não efectuar o depósito referido, o agente de autoridade apreende o título de condução, ou os títulos de identificação do veículo e de registo de propriedade, e emite uma guia de substituição, válida pelo tempo julgado necessário, e renovável até à conclusão do processo. Quando efectuar o pagamento, os documentos serão devolvidos ao condutor. (Art.º 173.º)

Nas situações em que a notificação é enviada para a residência do infractor, o prazo para pagamento voluntário das coimas, bem como para apresentação de defesa, foi reduzido de 20 para 15 dias úteis. (Art.º 172.º e 175.º)

Se, em qualquer acto de fiscalização, o condutor, ou o proprietário do veículo, tiver coimas em atraso, terá de proceder ao seu imediato pagamento. Caso contrário, será apreendido o título de condução ou os títulos de identificação do veículo e de registo de propriedade. (Art.º 174.º)

28 de Abril de 1974

Masce Penélope Cruz. Uma das atrizes espanholas de maior projeção internacional da atualidade, Penélope Cruz Sánchez nasceu em abril de 1974, em Madrid. Filha de um comerciante e de uma cabeleireira, Cruz desde criança mostrou interesse por atividades artísticas, sempre divertindo sua família com suas imitações de comerciais de TV. Com o tempo, focalizou seus interesses na dança e ingressou no Conservatório Nacional da Espanha, onde estudou balé clássico por nove anos. Sua promissora carreira de bailarina, entretanto, começou a perder o rumo quando, aos 15 anos, Penélope foi escolhida entre 300 outras garotas numa agência caça-talentos, o que resultou em diversos convites para atuar em programas de TV e videoclips da MTV espanhola. Logo ela estava escalada para o elenco da série de TV La Quinta Marcha (1990).


Não demorou muito para fazer sua estréia no cinema. Em 1991, Cruz ganhava um papel em El Laberinto Griego, de Rafael Alcázar. Era apenas o começo. No ano seguinte sua carreira dava um grande salto: após fazer uma rápida participação em Trama Mortal, com Timothy Dalton, Penélope Cruz estrelava num papel de grande destaque em Sedução, filme que faturou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 1994, além de ter recebido 8 Goyas, uma premiação equivalente ao Oscar na Espanha.
A partir daí, Penélope começou a atuar em cerca de três grandes produções por ano. Seguiram-se La Ribelle, Por Amor, Só Por Amor, As Lobas, Preso Na Escuridão, entre outros longas. Depois das cenas picantes de nudez em Jamón, Jamón, de J.J. Bigas Luna, a atriz emergia como símbolo sexual.

Mais.

Podeis fumar, Julietas.

Eletroterapia

Mais um caso esporádico






O "Joaquim da Joana"



aparece ferido com uma facada no pescoço e recolhe ao
hospital de S. José



Manuel de Oliveira, de 24 anos, natural de Lisboa, filho de Francisco
de Oliveira e de Rosa de Oliveira, manipulador de massas, é um indivíduo
muito conhecido em Alfama e na polícia pelo Joaquim da Joana,
tendo figurado em diversas desordens e acompanhando sempre com rufias.



Hontem, de madrugada, um tanto
ébrio, apresentou-se a jorrar sangue de um grande ferimento no pescoço,
ao guarda 1.597 que o acompanhou ao hospital de S. José, onde,
depois de pensado pelo médico de serviço, sr. dr. Torres Pereira,
recolheu à enfermaria de S. Francisco, em vista de ser pouco
satisfatório o seu estado. Contou que, tendo andado toda a noite na
pândega, em companhia de José Tavares, trabalhador das obras públicas,
foram dar fundo a um baile popular que se realisava no beco das Cruzes, em
Alfama, onde estiveram de gorra com vários indivíduos, vindo d'ali
acabar de se embriagar para uma taberna de um indivíduo de nome Elias, no
beco de S. Miguel.

Deixando na taberna o amigo e saindo cá fora para se dirigir a um
mictório, veio por detráz d'ele um indivíduo, que diz nao conhecer, o
qual vestia um casaco de ganga, que lhe vibrou a facada no pescoço,
pondo-se depois em fuga para não mais ser visto.

Parece que o Joaquim da Joana não diz a verdade e que muito bem
conhece o seu agressor, reservando-se para, quando estiver curado, tirar
d'ele a desforra.

------
Segundo fontes anónimas ligadas à Procuradoria Gaulesa da República, o agressor parece ser um indivíduo de etnia africana, residente na Cova da Moura e frequentador habitual dos comboios da linha de Cintra.

Notavelmente radiotiva...

Este país.

"O regresso de Valentim Loureiro à Liga de Clubes foi assinalado com críticas contundentes à Polícia Judiciária (PJ) e à justiça portuguesa, bem como, embora de forma menos expressiva, a Cunha Leal, que o substituiu, interinamente, no cargo"
Não se compreende o regresso, quanto mais as críticas.

Portugal em movimento.

"O ministro da Administração Interna admitiu hoje que o anunciado projecto de acompanhamento de operações policiais por elementos do Ministério Público pode ter resultado de um erro de interpretação jurídica do Governo sobre algumas competências da polícia. Esta posição do ministro António Costa surge depois de um parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) contrário à necessidade de elementos do MP acompanharem a polícias em acções preventivas de identificação, revista e busca.
"Sempre ouvi dizer que as polícias tinham perdido competências para fazer aquilo que se denomina de rusgas. Estávamos em erro. Temos de fazer uma distinção clara entre situação preventiva e repressiva."

Portugal Diário.
O Ministro ouviu dizer e caiu em erro. Por muito menos Santana já a comunicação social tinha dado nas orelhas ao Santana.

CONTRA OS ABORTOS

Modo de vida.

"Um homem de 24 anos foi atingido com dois tiros de pistola disparados por um irmão, durante uma rixa ocorrida às 02h00 de ontem num acampamento cigano situado na Quinta do Peso, Nelas. Segundo os familiares dos envolvidos, o autor dos disparos, que se encontra a monte, agiu em defesa do pai, “que estava a ser agredido pelo filho”.

Sempre achámos o modo de vida dos ciganos interessante. Esperamos que a moda pegue. Trata-se de mais uma família simpática e de bons costumes, a tal família modelo da ONU.

Granja

"Não poderia ter corrido pior a estreia de Adelino Granja no julgamento da Casa Pia. Advogado de uma alegada vítima que acusa Bibi, Granja começou as perguntas a Catalina tropeçando no que, efectivamente, queria perguntar. E requereu a junção aos autos do livro A Revolta dos Gansos, da sua autoria. Não se percebeu o efeito doutrinário da obra."
Há muito que não se percebe o papel de Granja enquanto alegado advogado de uma vítima.

Tanto??

"Durante cinco meses, entre finais de 2003 e 2004, o agressor, de Aveiro, semeou o pânico no meio estudantil de Coimbra, ao interceptar estudantes que violava ou coagia sexualmente, sob ameaça de um ‘x-acto’ ou chave de fendas. O tribunal condenou-o em cúmulo jurídico a 11 anos de prisão, dando como provados 18 crimes: dois de violação consumada, sete de rapto, seis por tentativa de violação, dois de coacção sexual e um acto exibicionista."
11 anos por 18 crimes? Tanto? O juiz excedeu-se.

quarta-feira, abril 27, 2005

FUTEBOL EM MÁ COMPANHIA.

"Se o país está como está, porque é que o futebol há-de ser diferente ? É só agarrar nos jornais e ler:

CORREIO DA MANHÃ - Os investigadores do Apito Dourado interceptaram uma conversa telefónica entre Pinto da Costa e um alto dirigente do clube madeirense (NACIONAL), na véspera de um desafio, da qual resultam indícios de corrupção. O telefonema sob escuta era o de P.da C. e nessa conversa alertava-se para o facto de um tal A.D. (Augusto Duarte) estar 'à espera do rebuçadinho'. A resposta foi tranquilizadora: o interlocutor que estivesse descansado, 'pois está-lhe garantido'.

Dias da Cunha (em declarações antes do jogo Sporting-Beira-Mar que os leões venceram com um golo limpo anulado aos aveirenses): ' O que me apetece perguntar é até quando o escândalo da arbitragem vai continuar? De acordo com as notícias que saíram nos jornais, um senhor árbitro que dirigiu os jogos do Sporting e do F.C.Porto conseguiu anular um golo à nossa equipa, no encontro com o Sporting de Braga e, numa jogada seguinte, validou um golo ao F.C.Porto, conseguido numa situação irregular... A verdade é que o poder político, o Governo e a Assembleia da República não podem ignorar o que está a acontecer'.

João Bartolomeu (Presidente da União de Leiria): 'Estou bastante triste e preocupado com o estado do futebol e por isso venho aqui 'sala de imprensa do Estádio Magalhães Pessoa' narrar alguns factos graves, pois já há dois anos que ando calado e não posso continuar assim... Sem querer levantar suspeições(?) em torno do Benfica, tenho de dizer que antes do jogo-derrota por 0-1 frente ao V.Guimarães-fui advertido para uma possível expulsão do Helton 'o que veio a acontecer'... Dá a sensação de que algo está a passar-se. Se quiserem digam e não vamos à Luz no sábado'.

Petit - 'A meu ver os jogadores do Rio Ave não fizeram quase nada para ganhar. Até parecia que havia qualquer coisa por trás...Incentivos? Se calhar houve, para jogarem desta maneira. Parecia que estavam a jogar uma final. Há que averiguar!'.

Todas estas citações dizem apenas respeito à semana que passou. O que me espanta é que ainda haja quem invista nas SAD. Com tantas suspeições à volta do futebol, com a constante desacreditação que os principais dirigentes lançam, o que me espanta é que ainda haja gente que paga para ir aos estádios!".

Jorge Perestrelo in "ripa na rapaqueca" 24 HORAS 12 de Abril de 2005

ABSOLUTAMENTE DE ACORDO MAS AS CRÍTICAS PODERIAM SER MAIS CONTUNDENTES. E OS DIRIGENTES ? QUAL O SEU PAPEL ? PORQUÊ TANTO INTERESSE NO DIRIGISMO DESPORTIVO POR PARTE DE TANTO "BORGESSO" ?

Do amigo É FARTAR, VILANAGEM.

Kamelot - Black Halo.


Dado o passado recente deste colectivo era já aguardado com alguma expectativa o sucessor conceptual de “Epica”, a continuação da visão muito pessoal dos Kamelot da obra “Fausto” de Johann Wolfgang von Goeth. Com vários convidados Shagrath (Dimmu Borgir), Jens Johansson (Stratovarius), Simone Simons (Épica) entre outros, o power melódico com fortes influências de progressivo e arranjos orquestrais, estamos perante o melhor registo dos Kamelot e um dos melhores lançados no presente ano.

Tal como em todos os trabalhos dos Kamelot só ouvindo duas ou três vezes é que somos capazes de assimilar na perfeição todos os pormenores. É humanamente impossível estarmos habilitados a escutar à primeira todos aqueles pormenores de composição e produção, mais uma vez a cargo de Sacha Paeth e Miro. Apesar de estarem enquadrados num estilo tão amaldiçoado por muitos, os Kamelot editam um disco aonde é quase impossível apontar defeitos.

Enfim, arriscam-se a rebentar todas as escalas possíveis nas avaliações da imprensa especializada a cada vez que editam um novo registo. Por esta altura talvez já se esperasse algo mais em termos de inovação estética – algo que acontece mas de uma forma que, para muitos, poderá ser imperceptível – mas a verdade é que “The Black Halo” está orgulhosamente ao nível dos seus directos antecessores. E diz tudo.

Loud.

Mais.

Excesso de poder das minorias.

"O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, aproveitou hoje as comemorações da autarquia portuense alusivas ao 25 de Abril para criticar o excessivo poder que, na sua opinião, as minorias têm em Portugal, nomeadamente a comunicação social. Face a um poder político democrático "fraco e com fraca capacidade de resposta", disse o autarca, surgem "poderes fácticos que actuam, naturalmente, segundo os seus próprios interesses e a sua própria lógica e não, seguramente, num quadro de referência global".

"É justamente por isso que hoje é tão complicado resolver problemas óbvios do ponto de vista do interesse da maioria da sociedade - porque as diversas minorias que, em cada caso perdem os seus privilégios, têm um poder exagerado, capaz de pôr em causa qualquer resolução que, para benefício do interesse público se pretenda tomar", disse. Tudo isto, considerou, cria um "quadro de crescente ingovernabilidade que tende, demasiadas vezes, a sobrepor o interesse corporativo ao interesse colectivo
".

Nem mais. Certas minorias têm mais poder que as maiorias. O país nunca andará para a frente com tal gente. Um exemplo é a visibilidade mediática que o Bloco de Esquerda tem. Muito mais do que os partidos mais votados em relação a eles. Como explicar isso a não ser pelo controle da comunicação social por elementos discretos nos sítios chaves?

Juventude africana.

"É jovem, com idade compreendida entre os 14 e os 20 anos, mora num bairro degradado, é descendente de africanos, tem escolaridade baixa ou problemas nos estudos. Este é o perfil do delinquente que actua em grupos de três a cinco elementos, na linha de Sintra, refere o comandante da Divisão de Segurança a Transportes Públicos, comissário Francisco Fernandes. Acrescenta que "estes jovens são de segunda e terceira geração de imigrantes, os pais trabalham e estão muitas horas fora de casa".

DN.

Nós tivemos mais sorte. Os nossos pais, não só deixaram de trabalhar depois de nascermos, como passaram a receber o triplo dos respectivos ordenados. Estavam também proibidos de ausentar-se mais de uma hora da habitação, com a obrigatoriedade de um ficar sempre um connosco enquanto o outro não estava presente. Quanto aos nossos avós, estes eram doutorados em agricultura no Norte e sempre tiveram abundância de alimentos. Só frequentaram as filas de racionamento durante a segunda grande guerra para cumprimentar os amigos e jogar às cartas. Como também, além dessa vezes, raramente saíam de casa, aproveitavam para tirar mestrados por uma espécie de e-mail da época que, infelizmente, ninguém consegue explicar nos tempos actuais.

Tanto os nossos avós como os nossos pais sabiam ler na perfeição. Mais os nossos avós, que dominavam várias línguas embora ninguém percebesse o que eles diziam. Devido ao pouco tempo que os filhos lhes concediam, raramente escreviam e quando o faziam, desenhavam uma cruz para poupar tempo. Por causa disso, diziam as más-línguas que na aldeia remota aonde eles viviam era tudo analfabeto menos o padre. Tinham vários médicos à sua disposição embora nunca tenham chamado nenhum deles por pura vergonha. Sabe-se hoje, que uma espécie de avião criado por Leonardo Da Vinci poderia transportá-los de Lisboa ali em menos de um minuto. Infelizmente, não sobrou nenhum exemplar dele (avião), pelo que actualmente são mais conhecidos os dinossauros que esse avião.

Isso sim, era qualidade de vida.

Quanto ao acompanhamento obrigatório, trata-se do modelo social vigente na sociedade portuguesa desde Dº Sebastião que beneficia todos os filhos de portugueses para além da quarta geração. Infelizmente ainda não é aplicável aos descendentes de africanos embora já o seja a descendentes de chineses, brasileiros, eslavos, árabes, judeus, etc, etc. Só falha mesmo é com os africanos. Já foi nomeada uma comissão de estudo presidida pelo cientistas do SOS Racismo e Bloco de Esquerda para tentarem encontrar uma explicação. Sabemos de fonte próxima da comissão que a resposta varia entre o racismo e a xenofobia anti – africana, havendo também hipótese do chavão "os brancos também roubam". Embora tal não aconteça na linha de Sintra por manifesto excesso de concorrência.

Manual de sobrevivência.

"Conselhos.
Para não facilitar tanto a prática de roubos, o comandante da Divisão de Segurança a Transportes Públicos da PSP, comissário Francisco Fernandes, aconselha os utentes a estarem "atentos para terem a percepção certa do que se passa à sua volta. Quando viajar em horas tardias e o comboio circular com pouca gente, deve mudar para outra composição se desconfiar que elementos suspeitos se encontram perto".Em caso de ameaça, "deve ceder os seus bens e não oferecer resistência, evitando actos de violência por parte do agressor", diz o mesmo responsável, alertando "as senhoras para não deixarem a mala sobre o banco. Devem levá-la ao colo e presa com as mãos
".


A associação “Democracia em Movimento” vai distribuir manuais de sobrevivência aos utentes da Linha de Sintra aonde será ensinado, entre outras coisas, vários sorrisos e frases de agradecimento aos ladrões pelo facto de terem-se dignado a perder o seu tempo a assaltar criatura tão sem importância, bem como as quantidades monetárias que deverá ser portador em função da hora e percurso.

O último capítulo vai lembrar o estigma colonialista para melhor aceitação da situação por parte das vítimas.

Será distribuído conjuntamenente um guia com as plantas das carruagens para que as vítimas possam mudar de composição ao desconfiar que elementos suspeitos se encontram perto, bem como fotografias de belos rostos de suspeitos tiradas de um filme de zombie.

Aos menos sensíveis, será ministrado cursos extras de salto em andamento da composição mediante o pagamento da quantia que a vítima tenha disponível (depois dos vários roubos sofridos) na altura da inscrição.

Depois de ler o livro, quem conseguir viajar uma semana de comboio sem ser assaltado, será Doutorado Honoris Causa numa cerimónia mensal a efectuar na Cova da Moura.

O prefácio está a cargo do Bloco de Esquerda. Os primeiros 1000 volumes serão autografados pela SOS Racismo e associações afins. Com um extra de 10 euros, será também entregue uma fotografia devidamente autografada pelos dirigentes dessas associações e um kit de dardos.
Para quem tenha vontade de estrebuchar, será lembrado as vantagens de se viver em democracia embora não seja possível usar as melhores: movimentar-se em segurança.

Expresso do Texas 3.

Falta de meios na PSP

João Dias

Sindic. Ferroviário da Revisão
Porque há insegurança na linha?

Devido à ineficácia do modelo de policiamento e à falta de meios da PSP em termos humanos e materiais. No final de 2003 propusemos à CP um policiamento fixo nas estações mais perigosas, entre Benfica e Amadora. Afinal, acabaram com os polícias gratificados que ficavam em permanência nas estações e contrataram seguranças privados, mas esses elementos nem sequer podem dar ordem de detenção, não têm qualquer tipo de arma e a sua actuação é muito limitada. Só podem comunicar e alertar a polícia.

Qual a solução?

Colocar mais polícias a patrulhar a linha e as estações e dar- -lhes meios de comunicação eficazes. Também é preciso o Governo devolver a autoridade à polícia. Os agentes estão conscientes de que, se tiverem uma atitude mais pró-activa e atingirem algum suspeito, ainda se arriscam a ser penalizados, com processos internos, suspensões e cortes nos salários. Por isso, os próprios polícias acabam por se retrair em certas situações.

A videovigilância é eficaz?

Empresa investiu na videovigilância nas estações e a bordo dos comboios. Mas isso não impede os assaltos. Há ladrões que nem se preocupam em ser filmados, porque andam de gorros tão enfiados na cabeça que quase só se vê os olhos. Assim não se consegue identificá-los.

Os revisores também são vítimas?

Todas as semanas há escaramuças com revisores. Mensalmente registam-se dois ou três casos de agressão. No final de 2004, um colega foi esfaqueado numa mão, na Reboleira, quando interveio para tentar impedir um roubo a uma pessoa dentro do comboio.

Registam-se muitas ocorrências?

Roubos de telemóveis, malas e carteiras são quase diários. E, se calhar, só se sabe uma ínfima parte, porque as pessoas já acham que não vale a pena apresentar queixa.

Quais as horas de maior perigo?

À noite nota-se que os passageiros viajam com o credo na boca. Os passageiros até se afastam quando deparam com situações de risco. Vão muito sossegadinhos e a rezar para que ninguém se meta com eles.

Expresso do Texas 2

"Os roubos são praticados por delinquentes menores, que se sentem impunes, pois sabem que, se forem apanhados pela polícia, passada meia hora já estão na rua outra vez, porque não podem ficar detidos"

"entram grupos de dez a 12 jovens que limpam a carruagem toda e saem na estação seguinte, pelo que a polícia já não chega a tempo de intervir
"

Expresso do Texas

Medo. Um utente que mora no Cacém diz ter vizinhos que "saem tarde do trabalho e passaram a utilizar o carro, porque têm medo de viajar de noite no comboio".

Mala. "Há dois meses, pelas 18.00, uma rapariga ia a sair do comboio na Damaia. Quando as portas se abriram, três jovens saíram atrás dela, roubaram-lhe a mala por esticão e fugiram, fazendo a rapariga cair ao chão", contou Carina.

Fio.
Maria, que já viaja nesta linha há cinco anos, viu, no final do ano passado, durante a tarde, um rapaz com menos de 20 anos roubar uma idosa. Ele ia sentado ao lado da senhora e, quando o comboio estava prestes a arrancar, levantou-se, pôs-lhe a mão ao pescoço, puxou-lhe o fio e saiu a correr antes de as portas fecharem".

Pulseira. "Há três anos, pelas 22.00, seguia de Sete Rios para o Cacém. O comboio parou na Reboleira e, quando apitou, um jovem passou, arrancou-me a pulseira de ouro e saiu a correr com outros dois", lembra Manuel.

Telemóvel. Há um mês, uma amiga de Rita "escrevia mensagem no telemóvel e um homem tentou tirar-lho quando o comboio abriu as portas. Ela deu-lhe um safanão e ele saiu a correr
".
1/ Embora os acontecimentos aqui descritos sejam desfasados no tempo, toda a gente sabe que num dia mau para a criminalidade (mais calmo) acontece o dobro disto.
2/ Parece que finalmente se começa a perceber por que razão os comboios vão "vazios" enquanto o IC19 continua entupido.

Ramal de Sintra ou linha do Texas.

"Utilizar a estação da Damaia é pisar um terreno perigoso - não só durante a noite mas também à luz do dia. O pior é que qualquer crime cometido na zona de maior risco - a passagem superior de acesso à Cova da Moura - não fica registado para a posteridade, porque as quatro câmaras de videovigilância residentes foram arrancadas dali. Só ficaram os fios, pendurados."

"Assaltar pessoas nos comboios é quase como roubar um chupa- -chupa a uma criança", diz um utente da linha de Sintra. Outros concordam com esta comparação e explicam que o modus operandi é quase sempre o mesmo."Normalmente actuam em grupos de três e vão percorrendo as carruagens de um lado para o outro para escolherem o alvo. Quando o comboio pára na estação e abre as portas, dois ficam a segurá-las. O comboio apita e eles sabem ter três ou quatro segundos para actuar. Um rouba por esticão o telemóvel, o fio ou a mala, corre para a porta e os três saltam com o comboio já em andamento, largando as portas para se fecharem". A descrição é feita por Luís Maria, do Sindicato dos Profissionais de Polícia, que costuma patrulhar a estação da Damaia, uma das mais críticas da linha. "Os roubos são praticados por delinquentes menores, que se sentem impunes, pois sabem que, se forem apanhados pela polícia, passada meia hora já estão na rua outra vez, porque não podem ficar detidos", salienta João Dias, dirigente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante."

"Agora começam a aparecer com mais frequência casos de armas de fogo na linha. Por vezes, passamos revista a alguns passageiros e temos apreendido armas. Se esta divisão tivesse mais elementos, quase de certeza que já tínhamos apreendido mais armas", diz um agente que patrulha os comboios.Na sua opinião, "deveria haver mais agentes para um policiamento mais eficaz. Muitas vezes somos só quatro agentes para cobrir toda a linha"."É quase impossível aumentar o patrulhamento à noite, quando há maior perigo, porque o efectivo é muito reduzido", conclui
."

Ler textos completos aqui, aqui e aqui.

Racismo.

"A ‘Operação Liberdade’, desencadeada pela Secção Regional do Combate ao Banditismo da Polícia Judiciária (PJ) do Porto, levou ontem à detenção de 22 homens pertencentes a diversos clãs ciganos de Mirandela, Alfândega da Fé, Vila Flor, Murça, Chaves, Meda, Ílhavo e Torre de Moncorvo. A Polícia Judiciária atacou assim uma tentacular rede suspeita de aliciar portugueses para trabalharem em Espanha: as vítimas acabavam por ser presas por tempo indeterminado em quintas agrícolas e obrigadas a trabalhar como escravas, sem qualquer remuneração. "
Aonde anda o SOS Racismo? É assim que se premeia as tentativas de integração dos ciganos na sociedade? Depois não querem que a ONU faça relatórios a alertar para o racismo existente em Portugal. Liberdade já para esses inocentes.

Justiça.

"O Tribunal de Instrução Criminal do Porto mandou libertar esta terça-feira três homens, condenados por assaltos a carrinhas de valores, suspeitos de assassinarem um agente da PJ e que estavam em prisão preventiva a aguardar um recurso sobre a condenação. Segundo Noémia Correia Pires, advogada ligada ao processo, a libertação destes homens, que estavam detidos ao abrigo deste processo desde 21 de Janeiro de 2001, foi determinada por excesso de tempo de prisão preventiva e tendo em conta que o acórdão (sentença) nunca transitou em julgado devido a vários recursos."

Ainda há dúvidas de que o Processo Penal foi concebido para favorecer os criminosos e prejudicar duplamente as vítimas. Curiosamente desta justiça do "Santo Ofício" não escreve António Marinho no Expresso. Porque será?

Lindo discurso.

A esperança que um novo ciclo político traz consigo – e que não pode ser frustrada – constitui uma grande oportunidade para se fazer o que é preciso fazer”. E, assim sendo, “não há tempo a perder nem responsabilidades a transferir. Que cada um assuma as suas”.


Jorge Sampaio

Comemorações do 25 de Abril - Assembleia da República.

Foi Sampaio que lá colocou Sócrates. A sua responsabilidade vai acompanhá-lo pelo resto dos seus dias. Pensamos nós de que ...

terça-feira, abril 26, 2005

Sentido de humor.

"O antigo chanceler alemão Helmut Kohl namora com uma mulher 34 anos mais nova – noticiou ontem o jornal ‘Bild am Sonntag’. Maike Richter, de 41 anos, economista, trabalha no Ministério da Economia e conheceu Kohl, de 75 anos, quando o ajudou a escrever as memórias. Segundo aquele jornal germânico, Richter é uma “pessoa inteligente, com sentido de humor”.
Não temos dúvidas que só pode ser uma pessoa inteligente com sentido de humor. Diríamos muito sentido de humor mesmo.

Decidam-se.

«Parecia que estávamos a jogar numa partida de apresentação do Benfica. O árbitro até ficou com umas botas do Benfica. Só faltou tirar a camisola por baixo. O fiscal de linha esteve sempre a olhar para o nosso lado a ver se reagíamos. Chegou a uma altura em que fui-me embora. Estava enojado.»

Carlos Xavier
Treinador-adjunto do Estoril

Respeito muito este árbitro, mas há coisas que não se entendem. Somos constantemente empurrados para a nossa baliza. Faltas, expulsões, são coisas em demasia. Hoje [domingo] aconteceu o mesmo

Litos
Treinador do Estoril

Nós a pensar que era uma situação anormal aonde o Benfica era levado ao colo. Afinal parece é que os árbitros não gostam do Estoril. De qualquer forma a memória é curta.

Tudo calmo.

"A madrugada de ontem, em Salvaterra de Magos, foi sobressaltada com três tiros de pistola. E caído no solo, sem vida, ficou um jovem de 25 anos. Eram cerca das 03h00."
E o número de homicídios vai aumentando mas a criminalidade, segundo o governo, continua sem honras de merecer grande preocupação.

Uns e outros.

"O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas (ACIME) recusou hoje as críticas da União Romani de ter "discriminado as organizações ciganas", defendendo que em causa estão critérios de rigor, imparcialidade e objectividade. Domingo, a União Romani - União de Todos os Ciganos Portugueses anunciou que vai boicotar um estudo sobre as comunidades ciganas em Portugal e pedir ao Governo que não reconduza o padre Vaz Pinto como alto-comissário para a Imigração e Minorias Étnicas. Em causa está, segundo a União Romani, a decisão do ACIME de "impedir as organizações ciganas de poderem candidatar-se à realização de um estudo sobre as comunidades ciganas em Portugal e sobre as limitações que se colocam à sua inclusão social".

Portugal Diário.


Não sabemos quem é mais cigano. Estão bem uns para os outros sendo que os ciganos defendem mesmo os seus interesses.

Tanta dificuldade.

"Cerca de 70 por cento dos 6500 candidatos a polícias já foram eliminados nas provas físicas. Ou seja, cinco mil jovens não aguentaram a dureza das corridas, saltos e flexões. Falta saber o resultado de um teste psicotécnico e passar por outras três etapas eliminatórias. O que a avaliar pelos sindicatos da PSP significa que só por milagre os 749 lugares do 11.º Curso de Formação de Agentes, a começar em Outubro, serão ocupados."
Impressionante. Tanta dificuldade para alcançar uma profissão bastante mal paga e cujo risco é a morte. Não chorem por que não perderam nada.

segunda-feira, abril 25, 2005

25 de Abril de 1945.

Patrulhas do 1.º exército dos Estados Unidos entram em contacto com forças russas perto de Torgau.


"Após uma longa jornada de sofrimentos e vitórias, através de terras e mares, e em meio às batalhas mais sangrentas os exércitos dos grandes aliados atravessaram a Alemanha e uniram-se-lhe as mãos. Sua tarefa será agora a destruição de todos os remanescentes militares alemães, que possam oferecer resistencia, o aniquilamento do poder nazista e a subjugação do Reich de Hitler. Para essas tarefas existem disponíveis poderosas fôrças e unimo-nos em verdadeira e vitoriosa camaradagem e com a inflexível resolução de realizar nosso dever, custe o que custar. Marchemos, pois, para a frente, contra o inimigo."

Churchill

"Em nome do govêrno soviético dirijo-me a vós, comandantes e homens do Exército russo e dos exércitos dos nossos aliados ocidentais. Os exércitos vitoriosos das potências aliados, que travam a guerra da libertação da Europa, desbarataram as fôrças alemãs e fizeram junção no território da Alemanha. Agora, nossa tarefa e nosso dever consistem em completar a destruição do inimigo, forçando-o a depor suas armas e a aceitar a rendição incondicional. O exército russo realizará essa tarefa até o fim, e cumprirá seu dever para com os povos das nações amantes da paz e para com o nosso próprio povo. Saúdo, pois, as valorosas tropas dos nossos aliados que agora se encontram no território da Alemanha, ombro a ombro com as tropas soviéticas, imbuídas da mais completa determinação de executar seu dever até o fim."

Estaline


"Os exércitos anglo-americanos, sob o comando do general Eisenhower, uniram-se às fôrças soviéticas onde pretenderam, isto é, no coração da Alemanha nazista. O inimigo teve suas fôrças cortadas em dois. Esta não é, porém, é hora da vitória final na Europa, mas essa hora aproxima-se cada vez mais. É a hora pela qual o povo americano, o povo britânico e o povo soviético sofreram e lutaram por tanto tempo. A união das nossas armas no coração da Alemanha tem uma significação para o mundo, significação que ele não deixará passar despercebida. Significa, primeiro, que se desvaneceu a última e vã esperança de Hitler e de seus adeptos. A frente comum e a causa comum das potências aliadas nesta guerra, contra a tirania e a deshumanidade, foram demostradas por fatos depois de demonstradas por muito tempo, na determinação de todos os seus elementos. Nada pode enfraquecer ou dividir o objetivo comum dos nossos exércitos veteranos, de prosseguir no seu propósito vitorioso até o triunfo final aliado na Alemanha. A segunda junção das nossas fôrças, neste momento, indica-nos e a todo o mundo, que a colaboração das nossas nações, na causa da paz e da liberdade é uma colaboração eficaz, que pode sobrepujar as maiores dificuldades da mais extensa campanha de história militar do mundo e obter êxito. As nações que podem elaborar planos e lutar juntas ombro a ombro, em face de obstáculos como a distância, os idiomas diversos e as comunicações, que sobrepujamos, podem viver juntas e podem trabalhar juntas, no árduo labor da organização do mundo para a paz futura. Finalmente, esta grande vitória das armas e da estratégia aliadas é uma homenagem à coragem e à determinação de Franklin Delano Roosevelt, que não há palavras capazes de expressá-las. E isso só poderia ter sido realizado pela persistência e coragem dos marinheiros, soldados e aviadores das Nações aliadas. Mas, até que os nossos inimigos tenham sido finalmente subjugados na Europa e no Pacífico, não deverá haver relaxamento algum do esforço na frente interna, em apoio dos nossos heróicos soldados, marinheiros e aviadores pois que, como todos sabem não haverá pausa nas frentes de batalha."

Truman


Uma conseqüência da derrota da Alemanha na Segunda Guerra Mundial foi o surgimento de dois Estados. Com isso, o país tornou-se o marco divisório de dois blocos e sistemas político-econômicos antagônicos, liderados pelos EUA e pela União Soviética. Em nenhuma outra parte do mundo a Guerra Fria se manifestou com tanta intensidade. A divisão alemã persistiu até 1990.

Após a capitulação das tropas alemãs em 8 e 9 de maio de 1945, foram presos os membros do último governo do Reich, encabeçado pelo almirante Karl von Dönitz. Juntamente com outros líderes da ditadura nazista, ele respondeu por crimes de guerra e contra a humanidade perante o Tribunal de Nurembergue, instaurado pelos Aliados.

As quatro potências vencedoras - Estados Unidos, Inglaterra, França e União Soviética - assumiram o poder e dividiram o território em quatro zonas de ocupação. Sob o controle soviético, ficaram os territórios a leste dos rios Oder e Neisse. Berlim também foi dividida em quatro sectores.


O germe da guerra fria e os diferentes sistemas de domínio no Ocidente e no Leste geraram divergências entre os Aliados, que não conseguiam definir uma política comum para a Alemanha vencida. Na Conferência de Potsdam, de 17 de julho a 2 de agosto de 1945, que deveria estabelecer as bases de uma nova ordem européia no pós-guerra, só houve consenso quanto a quatro pontos: a necessidade de desnazificar, de desmilitarizar a Alemanha, descentralizar a economia e reeducar os alemães para a democracia.

Muitas indústrias alemãs haviam escapado aos bombardeios, mas a pequena oferta de produtos estava longe de satisfazer a demanda e os aliados confiscaram grande parte da produção para o pagamento da reparação de guerra. A política econômica restritiva dos aliados só mudou quando se impôs a convicção de que a Alemanha Ocidental poderia ser um importante baluarte contra o avanço do comunismo soviético.

Embora recebesse ajuda dos EUA desde 1946, foi só com o programa de luta contra "a fome, a pobreza, o desespero e o caos" que a Alemanha Ocidental recebeu o impulso decisivo para iniciar sua reconstrução. O chamado Plano Marshall disponibilizou 1,4 bilhão de dólares de 1948 a 1952. A zona de ocupação soviética não teve a mesma sorte, tendo que arcar sozinha com os custos de sua recuperação, além de sofrer a sangria das reparações de guerra (que também afetou a parte ocidental) e desmontagem de fábricas, estradas de ferro e instalações levadas para a União Soviética.

11 Horas 45 minutos.

«Na sequência das acções desencadeados na madrugada de hoje com o objectivo de derrubar o regime que há longo tempo oprime o País, as Forças Armadas informam que de Norte a Sul dominam a situação e que em breve chegará a hora da libertação.

Reafirma-se o desejo veemente de evitar derramamento de sangue mas igualmente se reafirma a decisão inabalável de responder decidida e implacavelmente a qualquer oposição que as forças militarizadas e policiais pretendam oferecer. Recomenda - se de novo à população que se mantenha calma e nas suas residências para evitar incidentes desagradáveis cuja responsabilidade caberá integralmente às poucas forças que se opõem ao Movimento.

Chama-se a atenção de todos os estabelecimentos comerciais de que devem encerrar imediatamente as suas portas, colaborando desta forma com o Movimento, de modo a evitar açambarcamentos desnecessários e inúteis. Caso esta determinação não seja acatada será forçoso decretar o recolher obrigatório.

Ciente de que interpreta fielmente os verdadeiros sentimentos da Nação, o Movimento das Forças Armadas prosseguirá inabalavelmente a missão que a sua consciência de portugueses e militares exigem. Viva Portugal!»

10 horas 35 minutos.

«A população civil não está a respeitar o apelo já efectuado várias vezes para que se mantenha em casa. Muito embora o controlo das acções desencadeadas seja quase tota1, tendo já o ex-ministro do Exército abandonado o Ministério e entrado em contacto com oficiais superiores do comando do Movimento, pede-se mais uma vez à população que permaneça nas suas casas a fim de não pôr em perigo a sua própria integridade física. Em breve radiodifundido um comunicado esclarecendo o domínio da situação».

8 horas 30 minutos

"As Forças Armadas Portuguesas apelam para todos os habitantes de cidade de Lisboa no sentido de recolherem a suas casas nas quais se devem conservar com a máxima calma. Esperamos sinceramente que a gravidade da hora que vivemos não seja tristemente assinalada por qualquer acidente pessoal para o que apelamos para o bom senso dos comandos das forças militarizadas no sentido de serem evitados quaisquer confrontos com as Forças Armadas. Tal confronto, além de desnecessário, ó poderá conduzir a sérios prejuízos individuais que enlutariam e criariam divisões entre os portugueses o que há que evitar a todo o custo. Não obstante a

expressa preocupação de não fazer correr a mínima gota de sangue de qualquer português, apelamos para o espírito cívico e profissional da classe médica esperando a sua comparência nos hospitais a fim de prestar a sua eventual colaboração que se deseja sinceramente desnecessária. A todos os elementos das forças militarizadas e policiais o comando do movimento das Forças Armadas aconselha a máxima prudência a fim de serem evitados quaisquer recontros perigosos. Não há intenção deliberada de fazer correr sangue desnecessariamente mas tal acontecerá caso alguma provocação se venha a verificar. Apelamos portanto para que regressem aos seus quartéis, aguardando as ordens que lhes serão dadas pelo Movimento das Forças Armadas. Serão severamente responsabilizados todos os comandos que tentarem, por qualquer forma, conduzir os seus subordinados à luta com as Forças Armadas. Informa-se a população que no sentido de evitar todo e qualquer incidente ainda que involuntário deverá recolher a suas casas mantendo absoluta calma.

A todos os componentes das forças militarizadas, nomeadamente às forças da GNR e PSP e ainda as forças da Direcção-Geral de Segurança e Legião Portuguesa, que abusivamente foram recrutadas, lembra-se o seu dever cívico de contribuírem para a manutenção da ordem Pública, o que na presente situação só poderá ser alcançado se não for oposta qualquer reacção às Forças Armadas. Tal reacção nada teria de vantajoso pois conduziria a um indesejável derramamento de sangue que em nada contribuiria para a união de todos os portugueses. Embora estando crentes no civismo e bom senso de todos os portugueses no sentido de evitarem todo e qualquer recontro armado apelamos para que os médicos e pessoal de enfermagem se apresentem nos hospitais para uma colaboração que fazemos votos seja desnecessária.

Atenção elementos das Forças Armadas e policiais: uma vez que as Forças Armadas decidiram tomar a seu cargo a presente situação, será considerado delito grave qualquer oposição das forças militarizadas, e policiais às unidades militares que cercam a cidade de Lisboa. A não obediência a este aviso poderá provocar um inútil derramamento de sangue cuja responsabilidade lhes será inteiramente atribuída. Deverão por conseguinte conservar-se dentro dos seus quartéis até receberem ordens do Movimento das Forças Armadas. Os comandos das Forças Armadas e policiais serão severamente responsabilizados caso incitem os seus subordinados à luta armada."

7 horas 30 minutos.

"Conforme tem sido transmitido as Forças Armadas desencadearam na madrugada de hoje uma série de acções com vista à libertação do país do regime que há longo tempo domina. Nos seus comunicados as Forças Armadas têm apelado para a não intervenção das forças Policiais com o objectivo de evitar derramamento de sangue. Embora este desejo se mantenha firme não se evitará responder decidida e implacavelmente a qualquer oposição que se venha a manifestar. Consciente que interpreta os verdadeiros sentimentos da nação o Movimento das Forças Armadas prosseguirá na sua acção libertadora e pede-se à população que se mantenha calma e se recolha às mas residências. VIVA PORTUGAL.

4 horas e 32 minutos

«Daqui Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas»

As Forças Armadas Portuguesas apelam para todos os habitantes da cidade de Lisboa no sentido de recolherem a suas casas nas quais se devem conservar com a máxima calma. Esperamos, sinceramente, que a gravidade da hora que vivemos não seja tristemente assinalada por qualquer acidente pessoal, para o que apelamos para o bom-senso dos comandos das forças militarizadas, no sentido de serem evitados quaisquer confrontos com as Forças Armadas. Tal confronto, além de desnecessário só poderia conduzir a sérios prejuízos individuais que enlutariam e criariam divisões entre os portugueses, o que há que evitar a todo o custo. Não obstante a expressa preocupação de não fazer correr a mínima gota de sangue de qualquer português apelamos para o espírito cívico e profissional da classe médica esperando a sua ocorrência aos hospitais a fim de prestar eventual colaboração que se deseja sinceramente desnecessária.»

Grândola Vila Morena

Grândola Vila Morena

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena


Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade


Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade

ZECA AFONSO

domingo, abril 24, 2005

E depois do Adeus.

E depois do Adeus.

Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.

Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder

Tu vieste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci

E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor que aprendi
De novo vieste em flor
Te desfolhei...

E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós

Paulo de Carvalho

Música: José Calvário
Letra: José Niza

Congresso do CDS-PP.

"Moção «2009» do eurodeputado recebeu mais 105 votos do que moção que apoiava Telmo Correia. Será confirmado como novo presidente esta manhã. Uma reviravolta que se confirmou durante a madrugada"



Essas eleições dp PP estão bem renhidadas. Nenhum deles imaginou tal dado a displicência com que encararam o congresso. Começou com «favas contadas» para Telmo Correia, mas o ex-ministro do Turismo geriu mal os silêncios e Ribeiro e Castro, em apenas um dia, entusiasmou a assistência com um discurso aguerrido e humilde. Quanto ao congresso, Telmo Correia passou mais tempo a responder ao discurso de Nobre Guedes e a falar do país, do que a replicar a Ribeiro e Castro. Ribeiro e Castro criticou a troca de lugares por apoios, levando os congressistas ao rubro com ironias e pedidos de aclamação para o outro candidato. Diferenças que dão a vitória.

Política Socrática.

"A FORMA insistente como José Sócrates tem remetido para Jorge Sampaio a responsabilidade pela convocação ou não do referendo ao aborto desagradou ao Presidente da República. Belém lembra que o líder do PS «foi rápido a propor uma data para o referendo à Europa mas quando se fala do aborto diz que compete ao Presidente decidir». E a maioria socialista é igualmente criticada pelo facto de «até agora, não se ter mostrado, no Parlamento, muito sensível às questões das datas". Esta semana, Sampaio chamou os partidos para frisar que lhes compete acautelar a viabilidade dos referendos que defendem. E para Belém é claro que a proposta de referendo ao aborto defendida pelo PS não é exequível. O Presidente não convocará o referendo antes do Verão e explicará, em mensagem à Assembleia da República, depois do 25 de Abril, as razões - políticas e técnicas - para a sua decisão.».
Expresso.

Já aqui tínhamos mencionado o novo estilo governativo inventado por Sócrates (Anunciar medidas que sabe de antemão não poder cumprir e desculpar a sua inviabilidade nos lobbys existentes). Só não estávamos à espera que ele usa-se bodes expiatórios do próprio partido.

Novas da selva.

"A discoteca tem sido palco de muitos desacatos e é uma vizinha indesejada pelos moradores do prédio. Eram cinco da manhã quando vários tiros de caçadeira foram disparados de um carro em andamento contra um grupo de pessoas que estavam à porta da discoteca África Minha. Dos cinco feridos resultantes dos disparos, uma rapariga de 17 anos está em estado grave no hospital de S. Francisco Xavier com ferimentos na face e no abdómen. Há 11 anos que os habitantes da rua de Aljubarrota deixaram de ter descanso. A música e os frequentadores da África Minha incomodam mas, apesar das muitas queixas, ninguém consegue fechar as portas a uma discoteca que funciona na sub-cave de um prédio de habitação, com uma saída de emergência, fechada, dentro das escadas do prédio. Os habitantes aprenderam a defender-se dos imprevistos do de fim-de-semana e já se habituaram a fechar as janelas e os olhos para o que se passa lá fora. "
Trata-se de mais um exemplo de mediatização. Estamos perante um acontecimento esporádico que não merece honras de notícia. Sugerimos que a partir de hoje, os jornais sejam proibidos de publicar notícias de acontecimentos criminais no país. Só alarma o povo e não reflecte a verdadeira dimensão da criminalidade. Não reflecte porque os jornais só mencionam um décimo do que se passa lá fora na selva.

sábado, abril 23, 2005

Dilema.

"Em Janeiro de 2004, Meiwes foi condenado por homicídio pelo Tribunal da Província de Kassel depois de confessar que tinha assassinado e comido parte do cadáver de um homem que tinha conhecido pela internet e que acedeu voluntariamente a servir as fantasias do canibal, que gravou tudo em vídeo."

CM.

Estamos perante o mesmo problema do aborto e da homossexualidade: o “assassinado” aceitou o convite e apareceu para ser morto. Como o corpo é dele e ele faz o que quer com o seu corpo, dada a convegência de vontades, o que o matou e comeu não pode ser acusado de homicídio. Bom, no aborto a opinião do bébé não é ouvida. Quanto à parte da homossexualidade ... deixamos para vocês.

Apito Dourado.

A Paixão de Pinto segundo o Independente. Clicar aqui.

Cantinho do crime.

"O dono de uma gasolineira de Viseu saiu de casa em pijama, de madrugada e, empunhando uma caçadeira, correu com quatro ladrões a tiro. A sorte dos assaltantes, que escaparam ilesos e sem consumarem o crime, foi a arma ter ficado sem munições."
É o Texas. Mas é rápido e eficaz. Deve ser este o país que os nossos governantes desejam.

"A divisão da PSP da Amadora deteve este mês 117 indivíduos na operação ‘Polícia em Acção’, revelou fonte daquela Polícia. A acção decorreu entre os dias 1 e 21 deste mês, em Queluz, Reboleira, Damaia, Alfragide, Brandoa, Alfornelos, Cacém, Venda Nova e Casal de São Brás."

Ainda ficaram milhares à solta.

"O comandante dos Bombeiros Municipais do Cartaxo assumiu quinta-feira o papel de polícia, ao perseguir e deter um assaltante que tinha acabado de roubar por esticão a carteira de uma mulher de 76 anos."

Não faz mal. O juiz trata do resto e dá empate.

"A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um homem suspeito de ser o autor dos tiros disparados terça e quarta-feira contra as instalações do Estádio do Farense. As diligências realizadas de imediato, com a colaboração da PSP de Faro, permitiram a identificação e detenção do alegado autor dos disparos, a quem foi apreendida uma carabina de fabrico chinês e munições «long range», de calibre 22. Segundo a PJ, "só por mero acaso não atingiu qualquer pessoa, apesar de haver treinos nesse momento". "



Outro com mais uma arma que nem a polícia conhece. Ainda bem que a criminalidade não está a aumentar. Até baixou. A comunicação social é que dá muito relevo às poucas (muitas) criminalidades existentes, não é sr. prof?

sexta-feira, abril 22, 2005

Os alarves.

"Leio a imprensa a propósito das declarações de Catalina Pestana no âmbito do processo Casa Pia. Releio por várias vezes a informação disponível no que respeita à 42ª audiência, nomeadamente às perguntas sugeridas por Serra Lopes, advogado de Carlos Cruz, sobre a personalidade e currículo da provedora.Serra Lopes é daqueles advogados cujo currículo fala por ele: era praticamente desconhecido antes de assumir o mandato de defesa de Cruz! Sabíamos dele ser marido de uma ex-bastonária da Ordem dos Advogados e pai da directora de “O Independente”. Desconhecem-se os litígios relevantes em que esteve envolvido e nunca o vimos tomar uma única posição que fosse em defesa dos direitos dos cidadãos. E, apesar de a sua geração se ter empenhado na luta pela liberdade, nunca vimos uma atitude sua, enquanto advogado e cidadão, de denúncia da ditadura e de defesa de um Estado de Direito Democrático. Como currículo, digamos que Serra Lopes não tem qualquer relevância de mérito no que respeita às grandes questões que se foram colocando na sociedade portuguesa."

Leia o resto no Cataplasma.

Coincidências?????

Quais são as coincidências:

1/ entre o "Não me despeço, vou andar por aí" de Santana e a maioria dos vereadores PSD da Câmara de Lisboa estarem contra a escolha do independente Carmona Rodrigues como candidato social-democrata ao município lisboeta nas próximas eleições autárquicas?

2/ entre o fim do casamento PSD/PP imposto por Marques Mendes e a escolha do independente Carmona Rodrigues como o melhor candidato?

A habitual esquerda.

"Um professor de psicologia da Universidade do Porto sustentou hoje que o sentimento de insegurança e medo "aumentou nos últimos anos" em Portugal por culpa da mediatização da criminalidade e de "políticas musculadas" do poder político.

O certo é que o sentimento de insegurança em Portugal "tem aumentado", frisou o investigador, sem no entanto conseguir esclarecer se o medo é baseado na criminalidade real ou se é uma "projecção fantasmal
"

Portugal Diário.

É verdade. Se não houvesse mediatização da criminalidade ninguém era assaltado nas ruas, nem se sabia o que era um assalto. Graças a essa mediatização começou-se a roubar para aparecer na televisão. Mais. As próprias vítimas telefonam aos delinquentes a combinar o seu assalto mediático.
A recente formação de milícias populares deriva de ser considerado "in" e não por mero resultado de ser assaltado vários vezes.
Também tem toda a razão na políticas musculadas. Um bom exemplo disso foi a morte dos dois polícias na Amadora. Se não tivessem a mania da musculação e fossem raquíticos, nada disso lhes tinha sucedido. O mesmo se passa com os juízes. Decretar Termo de Identidade e Residência a criminosos estrangeiros, chegados há dois dias ao país e sem residência fixa é o máximo dessas políticas musculadas. Melhor só aquele psiquiatra que afirmou, numa conferência de imprensa promovida por alguns dos arguidos da Casa Pia, “as crianças gostam de ser violadas por pessoas famosas”.

Não somos famosos, mas se ele nos passasse pelas mãos, ficávamos famosos e ele seria a pura confirmação das suas próprias palavras.

Resistência.

"Afinal havia reféns xiitas na cidade de Madain e foram todos os mortos. O presidente iraquiano, Jalal Talabani, informou que foram encontrados mais de 50 corpos em valas comuns ao longo do rio Tigre. Por sua vez, num estádio de Haditha, foram descobertos os corpos de 20 soldados."
Os xiitas são colaboradores dos americanos. Por isso a brava resistência iraquiana os trata assim. Existe um pequeno problema que é o simples facto de os Xiitas serem a maioria da população. Se calhar teria piada dar o poder aos Xiitas e sair do Iraque.

Casamentos felizes.

"O Congresso espanhol aprovou esta quinta-feira a alteração da lei que irá permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, passando Espanha a ser o terceiro país do mundo a aprovar esta medida, depois da Holanda e Bélgica."
Que bom, ficamos tão contentes por eles/elas sejam lá o que forem essas bichezas. Qualquer dia vai ser proibido o casamento entre heterossexuais. Mas nessa altura já não devemos estar por cá. Se estivermos, vamos para a Serra da Estrela imitar o Viriato.

Paciência.

A paciência tem limites. Já respondi 20 vezes a isto”. Catalina Pestana exaltou-se ontem durante a inquirição da defesa de Ferreira Diniz, na 43.ª audiência do julgamento do processo Casa Pia.”

CM.

Sabe-se que os advogados têm tendência a ser esquecidos. Convinha que a juíza lhes fornecesse actas com o que já foi dito para lembrá-los. Como o tempo é precioso, eles não vão importar-se dessa pequena “ajuda”. Caso contrário, cada um dos advogados dos arguidos vai continuar a fazer a mesma pergunta. Curiosamente alguns nem chegam a acrescentar uma vírgula para melhor compor a frase. Felizmente a provedora tem boa memória e “facilita-lhes” o trabalho.

quinta-feira, abril 21, 2005

Apanhado pela corrente.

Fui apanhado na corrente!

Agradeço à Elise o desafio que me lançou!

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?

Kristallnacht. Uma clara demonstração de como a memória humana é curta.

Já alguma vez ficaste apanhadinho por uma personagem de ficção?

Rei Arthur. O simbolismo do Santo Graal é devastador.


Qual foi o último livro que compraste?

" A política como profissão " de Max Weber. Excelente para compreender a nossa actualidade política.

Qual foi o último livro que leste?

" The History of the Decline and Fall of the Roman Empire " de Edward Gibbon. São curiosas as semelhanças com a actualidade.

Que livros estás a ler?

Um livro técnico que prefiro não mencionar.

Que Livros (5) levarias para uma ilha deserta?

1/ Colecção de manuais de sobrevivência,

2/ A colecção "O primeiro homem de Roma" de COLLEEN MCCULLOUGH.

3/ George Orwell

4/ Franz Kafka

5/ José Vilhena

6/ Maurice Duverger

Menciono os autores e não livros dado o tempo livre que haveria na ilha deserta para ler a totalidade das obras. O primeiro não conta dado ser uma necessidade.


A quem vais passar este testemunho (três) pessoas e porquê?

À Noguinhas pela forma como descreve o prazer que uma cereja dá.

À Noite por ser precisamente o contrário.

Ao Luís pela forma como sabe apreciar as coisas boas da vida.

E os vencedores são:

Quem encontra prazer na amizade.

Curiosidades

"A GNR tem o polémico IC19 debaixo de olho. E os motivos são óbvios: a principal estrada que liga Lisboa a Sintra, com passagem pela Amadora, ‘distribui’ trânsito com destino a alguns dos mais problemáticos bairros dos arredores da capital. Assim se justifica a apertada vigilância da Brigada de Trânsito (BT) que, para além do que já acontecera durante toda a madrugada do último dia nove – testemunhado na altura pelo Correio da Manhã – voltou ontem, entre as 2h30 e as 5h30, a encerrar por completo, não só os dois sentido do IC19, ao quilómetro 9, na zona do Cacém, Sintra, mas também o acesso do IC19 à CREL, as rotundas de Tercena e Massamá e ainda duas estradas concorrentes ao IC19, também na zona do Cacém."

CM.

Curiosamente o IC19 foi fechado em zonas longe da Amadora. Inclusivamente é fácil aceder da Cova da Moura à CRIL e desta à segunda circular, bem como à A5, A1 e A2. Ou seja, a qualquer ponto do país. Mas ficamos satisfeitos por eles não poderem aceder directamente a Sintra.

O regresso de D.Quixote.

"É uma luta cívica para impedir o actual projecto de construção do troço da Circular Regional Interior de Lisboa (CRIL) que une os nós da Buraca e Pontinha”. A frase é do advogado José Sá Fernandes, que se sustenta apoio num estudo que caracteriza a perigosidade do projecto como “fatal” para muitos condutores. “Não prevejo nada”, afirmou o famoso advogado enquanto aguardava serenamente pelas propostas de luta das várias organizações cívicas que se manifestam contra a viabilização do actual projecto para o último troço da CRIL. “São milhares de pessoas que são prejudicadas por esta obra.”

CM.

Mais uma iniciativa que reflecte a sua doentia necessidade de dar nas vistas e ser falado. Depois do seu estrondoso e vergonhoso falhanço no tunel do Marquês (se alguém tinha dúvidas das verdadeiras intenções dele) e que custou uma fortuna ao país, além de continuar a prejudicar os milhares de utilizadores diários do Marquês, o "Dr" volta à carga. Fala em milhares de pessoas prejudicadas. É verdade. Mas não é a população dos bairros envolventes à área do traçado. São os milhares de utentes que utilizam o parque de estacionamento conhecido como IC19 e segunda circular. Passam as manhãs todas parados horas em fila a poluir o ambiente. Mas isso não conta. Essa poluição é menos gravosa que o ruído sofrido pelos moradores da área.

Portugal em movimento.

"Eu vi-os mas não houve coragem para fazer nada”– é assim que esta testemunha recorda o assalto feito com uma retroescavadora ao Crédito Agrícola de Rio Mau, em Penafiel, ocorrido na madrugada de ontem. Os ladrões, com a pá traseira da máquina, levaram a caixa Multibanco com um peso aproximado de 800 quilos."

CM.

Em menos de um mês é o terceiro assalto do género.

Mais acontecimentos esporádicos.

Há dois dias seguidos que os treinos do Farense são interrompidos devido ao simples facto de a equipa estar a ser alvejada a tiro. Trata-se de acontecimentos esporádicos que não merecem qualquer atenção especial.
Leia aqui.

Independente condenado.

O jornal "O Independente" foi hoje condenado a pagar uma indemnização de 150 mil euros aos socialistas Ferro Rodrigues, Vieira da Silva e Paulo Pedroso por difamação no âmbito do processo Casa Pia, disse à Lusa fonte do PS. O caso foi julgado na 3ª Vara do Tribunal Criminal da Boa Hora, em Lisboa, que condenou "O Independente", a sua directora, Inês Serra Lopes, e a jornalista Adriana Vale a pagarem uma indemnização de 50.000 euros a cada um dos queixosos: Ferro Rodrigues, Vieira da Silva e Paulo Pedroso.

"A sentença, que poderá ser objecto de recurso por parte da defesa, refere que essa notícia provocou danos irreparáveis aos visados", agravada pelo factos de "os arguidos saberem que essa mesma notícia iria provocar efeitos devastadores na vida dos assistentes", refere a fonte do PS. O mesmo elemento do PS adiantou que o tribunal considerou que os arguidos fizeram
a referida notícia "sem terem garantido a veracidade dos factos".

Portugal Diário.

Salvo melhor opinião, assim vai o nosso jornalismo.

Silêncio é ouro.

"Quando se procura levar o jogo do Estoril não sei para onde... Como é que nestas circunstâncias, um clube que está a lutar pela sobrevivência despreza o factor casa, que tem tanta importância?", questionou Dias da Cunha. Depois, referindo-se a José Veiga, o dirigente 'leonino' disparou: "Acho que por trás disso está uma promiscuidade em termos de interesses de alguém que se não tem, já teve interesses na SAD do Estoril e é, aparentemente, o responsável pelo futebol do Benfica."

Indignado com as insinuações de Dias da Cunha, o dirigente 'canarinho' ripostou com uma questão, dirigida a Dias da Cunha: "Transparência é pagar a outro clube para que antecipe um jogo da Taça, para limpar cartões a um jogador?" O dirigente do Estoril referia-se ao entendimento a que o Sporting chegou com o Pampilhosa, para a antecipação do jogo para a Taça de Portugal
."

Muitas vezes o silêncio é ouro.

Figo

" O internacional português Luís Figo deu esta quarta-feira uma conferência de imprensa em Madrid, insinuando estar a ponderar o seu regresso à selecção portuguesa de futebol. Figo tem sido deixado no banco de suplentes do Real Madrid pelo treinador brasileiro Vanderlei Luxemburgo. Esta tarde, o atleta disse ao jornalista que tinha deixado a selecção para se dedicar por inteiro ao Real Madrid. "Neste momento, como não jogo, os pensamentos são diferentes", declarou Figo."

Figo quer jogar na nossa selecção por que não joga no Real. Se jogasse já não queria vir à selecção. Certo.

Se o prof...

Aqui que ninguém nos ouve: se o prof. Marcelo ouvisse Jorge Coelho a falar…

quarta-feira, abril 20, 2005

TIR.

"Os dois romenos (imigrantes ilegais) que burlavam nas caixas Multibanco ficaram com Termo de Identidade e Residência. Os compatriotas foram apenas identificados. Falta esclarecer a sua participação na acção do grupo. Os suspeitos, de 23 e 26 anos, encontravam-se em Portugal há poucos dias, e partilhavam uma casa, na Amadora, com dois outros homens e uma mulher, da mesma nacionalidade. Nenhum tinha a sua permanência em Portugal legalizada."
Uma boa decisão do tribunal essa do TIR. Sendo ilegais e por isso, sem residência fica, é fácil encontrarem-nos. Basta procurar na Amadora que, por acaso, é uma terra pequena com meia dúzia de habitantes.

Nova teoria.

Ainda o pó não tinha assente e já Ratzinger era acusado de ter preferências ocultas pela ideologia nazi (ser simpatizante da juventude hitleriana no iníco dos anos 40). Ora Ratzinger nasceu em 1927 pelo que em 1940 tinha 13 anos. No fim da guerra tinha 18 anos acabadinhos de fazer. Por essa altura a situação na alemanha era a seguinte: no último ano da Guerra, a indústria alemã, apesar de ter produzido armas avançadas, nenhuma delas teve um impacto notável no combate pela superioridade aérea. Durante os anos vitoriosos de 1939-41, a indústria aeronáutica alemã deixou de impor um ritmo acelerado ao desenvolvimento dos sucessores dos tipos básicos de aeronaves com que a Alemanha tinha iniciado a Guerra. Uma estratégia de produção mais racional teria poupado a Luftwaffe do dilema de ter de combater em 1944 com aeronaves ou obsoletas ou de fabricação incompleta.

Um indício inequívoco da decrescente eficácia dos caças foi o ressurgimento das unidades de artilharia antiaérea como o principal elemento de defesa antiaérea territorial. A concentração de unidades antiaéreas alemãs ao redor de alvos chaves aumentou de forma dramática. A espinha dorsal dessa força era o canhão antiaéreo 36 de 8.8 cm; por volta de 1944, outros canhões aperfeiçoados de 10.5 e 12.8 cm foram incorporados. Embora as unidades antiaéreas tivessem sido de fato mais eficazes do que muitas análises pós-Guerra nos levariam a crer, o colapso da defesa aérea levou a uma dependência maior – e, em 1945, completa — das unidades antiaéreas. Antes de janeiro de 1944, os caças reivindicaram para si a responsabilidade pelos bombardeiros da Força Aérea do Exército dos Estados Unidos (US Army Air Forces) abatidos; entretanto, só no mês de junho de 1944, a antiaérea derrubou 201 aeronaves pesadas da Oitava Força Aérea – enquanto os caças abateram apenas 80. As instruções para as unidades antiaéreas enfatizavam que elas estavam autorizadas a abrir fogo em todas as altitudes do espaço aéreo, sem levar em consideração a possibilidade da existência de aeronaves de caça amigas na área. O princípio da doutrina do poder aéreo alemão do período anterior à Guerra, o qual atribuía aos canhões antiaéreos o papel dominante na defesa antiaérea, acabou por ser posto em execução tendo em vista o facto de os caças não terem atendido às expectativas.

Para alimentar a defesa anti-aérea foi necessário o recurso às crianças alemães e idosos, dado que os jovens de 16 anos já começavam a incorporar o exército no intuito de colmatar as pesadas perdas sofridas especialmente na frente leste. O alistamento era forçado e os desertores fuzilados sumariamente nas ruas. Naturalmente que nessas condições todos os alemães capazes (e muitos não capazes) serviram no exército alemão, a maioria desertando à primeira oportunidade. Nesse clima bélico, Ratzinger foi convocado para combater nos esquadrões antiaéreos alemães. Dispensado, acabou sendo recrutado primeiro pela legião austríaca e depois pela infantaria alemã, da qual desertou em menos de dois meses. Tendo em conta o fanatismo existente nessa altura na alemanha, se ele fosse simpatizante ñão tinha desertado na primeira oportunidade. Mais. O seu pai foi um anti-nazi e Ratzinger, graças aos estudos religiosos, conseguiu escapar às actividades da juventude Hitleriana, obrigatório na altura (a partir de 1941). O seu irmão foi obrigado registrado na juventude.

É preciso também ter em conta que Ratzinger foi foi amigo pessoal, conselheiro e braço-direito de João Paulo II.

Face ao exposto, sendo Ratzinger bastante jovem, ter sido incorporado à força no exército e influênciado por um pai anti-nazi, dificilmente o poderei considerar nazi. O único "pecado" de le foi não ter feito nada contra o regime nazi que lhe proporciona-se uma estadia num campo de concentração. Nada além de ter desertado do exército.
Trata-se de mais uma teoria, frouxa, inventada pelos do costume com os habituais objectivos.

Cantinho do crime.

"Dois romenos foram detidos pela PSP de Lisboa suspeitos de fazerem parte de uma rede que, graças a um dispositivo electrónico instalado em caixas Multibanco (ATM), duplicou bandas magnéticas dos cartões de débito de dezenas de pessoas. As vítimas, sem saberem, foram mesmo filmadas por uma microcâmara montada nos ATM, o que permitiu ao grupo filmar os códigos dos cartões para mais tarde os usar. Os suspeitos, de 23 e 26 anos, encontravam-se em Portugal há poucos dias, e partilhavam uma casa, na Amadora, com dois outros homens e uma mulher, da mesma nacionalidade. Nenhum tinha a sua permanência em Portugal legalizada.


Com a colaboração da SIBS e da UNICRE (entidades responsáveis, respectivamente, pela rede de caixas Multibanco e pela emissão de cartões de crédito e débito), os investigadores conseguiram determinar que tudo acontecia graças à colocação de um dispositivo electrónico (ver foto) nas ranhuras de caixas ATM de Lisboa (Telheiras e Benfica), e de vários pontos de Cascais e Amadora.A alteração era bem visível – o aparelho ficava destacado – mas as vítimas não desconfiavam e sem se aperceberem, permitiam a reprodução das bandas magnéticas dos seus cartões. Os códigos chegavam aos burlões graças a microcâmaras instaladas no topo das caixas ATM, que gravavam os lesados a digitarem os números secretos.Na posse de todos estes elementos, a rede usava simples cartões de plástico (como os cartões de pontos das gasolineiras), introduzindo nas respectivas bandas magnéticas os dados das vítimas. Os mesmos eram depois usados em benefício dos burlões na realização de compras
.


CONSELHO
A SIBS recomenda que, no momento de introdução do código secreto, o utilizador deve fazê-lo em condições de privacidade, protegendo a sua digitação do olhar de terceiros.

VERIFICAR
Deve ainda verificar-se se o ATM em uso apresenta um aspecto normal e não são visíveis quaisquer alterações, o que ao verificar-se será motivo para não utilizar o equipamento.

CM.



O que seria do nosso país sem este tipo de imigração?

Solução.

"Uma onda de furtos em residências está a provocar um sentimento de insegurança entre as pessoas de Caldas de São Jorge, em Santa Maria da Feira. A população afirma que a actuação da GNR é insipiente e falam em formar milícias para resolver o problema com as próprias mãos."

Actualmente, com este tipo de político, é a única solução contra a criminalidade. Não haja dúvidas disso.

Preocupação.

"O ministro de Estado e da Administração Interna, António Costa, afirmou ontem, na Figueira da Foz, que o baixo nível de água em algumas barragens nacionais pode inviabilizar a utilização de parte dos meios aéreos de combate a incêndios."

A água toda que ele vai meter durante o seu consulado vai resolver esse problema.

Mourinho.

"José Mourinho decidiu terminar a sua colaboração com a SIC. O treinador do Chelsea considera que as suas declarações no programa, emitido ontem, foram alvo de uma “utilização abusiva” por órgãos de comunicação social “de todo o mundo”.
Verdade seja dita. O programa correu mal e o próprio Mourinho também esteve mal.

Novo manual.

"Um manual europeu sobre práticas para melhorar a integração dos imigrantes nos países de acolhimento é lançado hoje, em Lisboa, pelo Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas (ACIME). De acordo com o manual, a integração dos imigrantes poderá ser igualmente melhorada através da simplificação na obtenção de documentos e na criação de associações."

Público.
O manual será obrigatório para todos os portugueses. No dia 25 de Abril de 2006, Francisco Louçã e outros elementos do partido vão fazer exame escrito ao país. Quem chumbar, será enviado para a Rwanda no intuito de frequentar um curso de refrescamento social. Regressaram a Portugal quando atingirem o estado Michael Jackson. Como estamos desejosos de aprender novas línguas e maneiras de estar na vida.

terça-feira, abril 19, 2005

Annuntio vobis gaudium magnum: habemus Papam!

Annuntio vobis gaudium magnum: habemus Papam!
Eminentissimum ac Reverendissimum Dominum Josephum Sanctae Romanae Ecclesiae Cardinalem Ratzinger, qui sibi nomen imposuit Benedictum XVI.

Esta foi a notícia que, célere, correu mundo... e como incomodou os jornalistas da SIC que preparavam mais uma acção propagandística pró-aborto (sob a forma de uma simples perguntinha: o que é mais importante, o referendo do aborto ou o referendo europeu? Será que posso dizer que um deles já vem atrasado e que outro só existe porque a extrema-esquerda manda e o PS obedece...?).

Agora são muitas as vozes que tudo de mal dizem... quando o homem ainda nem tomou posse do cargo! Ao contrário de outros que nunca ninguém soube para que fins se dispunham a ocupar um cargo, Bento XVI nunca será acusado de nada dizer sobre o que pensa! E que, assim e por isso, nem tem tempo para respirar... já lhe retiraram o "estado de graça"!
É no mínimo hilariante como os mesmos que há uns dias elogiavam João Paulo II pelo seu pontificado, vêm agora apregoar a desgraça apenas porque Bento XVI é tido como um continuador daquele!?! Então um é bom e o outro, acusado de ser seu continuador, já é uma desgraça?

Onde estavam estas vozes quando Boutiglione, um católico, foi discriminado por o ser e, por isso, impedido de ser Comissário europeu?!? Apesar de ter lá ficado um defensor dos terroristas do IRA e de um dos principais críticos de Boutiglione (um eminente e brilhante académico) ser um conhecido e confesso pedófilo... a vantagem deles é de serem ícones do esquerdalho internacional!

Se alguém julgava que a Igreja iria permitir que os seus maiores detractores conseguisse condicionar as escolhas livres da Igreja... estavam redondamente enganados!!!
É no mínimo hilariante que os herdeiros daqueles que desprezam a Igreja e os Papas (ousando afirmar a sua irrelevância porque não tem divisões) são os mesmos que agora se assustam com mais um continuador da mensagem de Redenção e Amor que nos trouxe Jesus! O mesmo Jesus que fundou a Igreja que rejeitam...

Uma frase final: se todos concordam que o mundo está mal, que a mundanidade do Presente é desprezível só mesmo um néscio é que poderia pretender defender que a Igreja devesse ceder e acompanhar essa mundanidade! A Igreja não é do Passado, nem do Presente... a Igreja vive "per secula, seculorum"!

Viva SS, o Papa Bento XVI

Divulgue o seu blog!