sexta-feira, setembro 30, 2005

Até amanhã.



Só para tapar as rachas (da parede).

Portugal profundo.

"Problemas do Fim do Mundo:

1. Gente que fugiu de países à procura de um futuro melhor.

2. Por causa da cor ninguêm lhe aluga ou vende uma casa ou apartamento (sim, há racismo em Portugal).

3. Vida de pobresa sobre o signo da bebida, trabalho duro pouco remunerado e alguma incapacidade de poupar para criar um futuro melhor.

4. O próprio bairro é um gueto onde se estigmatizam (os de fora) e que é estigmatizado (os de dentro).
"

Retirado da Insustentavel Leveza.


A autora do comentário mora em Leiria, que fica no Portugal profundo. Só isso explica e desculpa boçalidades como a exposta no nº2.

Ser português.

"Francisco Louçã visitou, esta quinta-feira, o bairro do Barroncho, um bairro de barracas no concelho de Odivelas. O líder do Bloco de Esquerda ouviu queixas de quem está há mais de 20 anos há espera de uma casa em condições.

Este bairro serve de abrigo a uma população pobre e na maioria imigrante. O realojamento destes moradores está muito atrasado por falta de dinheiro camarário, mas em Odivelas o que não falta é construção. Muito perto do bairro de barracas vão surgir brevemente novos prédios
."

E o que tem a ver a construção com a falta de dinheiro camarário? Querem obrigar os construtores a doar casas ao imigrantes?

Qualquer dia, o cidadão vai ser obrigado a contribuir com uma dízima para os imigrantes poderem aproveitar despreocupadamente as piscinas das suas mansões gentilmente oferecidas pelos construtores.

"Mais de seis dezenas de famílias, que viviam em bairros degradados do concelho de Cascais, receberam ontem a chave da nova casa. Trata-se de um bairro construído na Adroana, freguesia de Alcabideche, com 272 fogos, 129 dos quais para o plano especial de realojamento (PER) e os restantes 143 para venda a custos controlado.

Satisfeito com a sua nova casa estava Ângelo Orence, de 52 anos «Finalmente vou ter uma casa digna, até aqui vivia num buraco de uma garagem no bairro das Neves», contou. Também Ilda Botelho, de 63 anos, estava radiante. Logo que recebeu a chave correu para conhecer a sua nova habitação. «Tenho vivido no bairro do Fim do Mundo e agora chegou a hora de ter uma casa com todas as comunidade», dizia. Já o filho, António Botelho, lembrou que «este novo bairro tem um defeito para quem tem de usar transportes colectivos, já que fica longe a paragem do autocarro e os horários são demasiado espaçados. Para além disso, não há iluminação entre o bairro e a paragem. "

Este é um problema que a autarquia diz que vai ser estudado com a operadora da zona. «Vamos tentar encontrar uma solução de consenso para que o bairro tenha um melhor serviço de transportes públicos», garantiu o vereador responsável pelo PER, Rama da Silva
."

Os antigos moradores da Adroana é que ficam a ganhar. Graças aos imigrantes têm finalmente luz e melhoria do serviço de transportes públicos. Algo que reinvidicavam há muito mas a sua condição de cidadania portuguesa impedia de obter.

Servidos nos primórdios por uma estrada de Terra, os moradores da Adroana passam agora a ter uma estrada novinha em folha e um novo recinto aonde vão efectuar-se as feiras (antiga feira de Cascais).

Num país aonde as minorias têm mais direitos, ser português só serve para pagar impostos e votar.

P.S. "Segundo o presidente da autarquia de Cascais, no início do PER (Programa Especial de Realojamento) existiam 2000 famílias recenseadas, das quais foram já realojadas 1700. "

A verdade da mentira.

"O realojamento da família de Edina estava previsto para o final do ano. Mas a tragédia que ontem vitimou mãe e cinco filhos veio colocar novamente na ordem do dia o problema do degradado bairro do Fim do Mundo, que não há meio de ter fim. O Programa Especial de Realojamento (PER) da Câmara de Cascais já devia estar concluído e, apesar de algumas intervenções, há ainda 178 agregados à espera de casa nova. Acabar com o Fim do Mundo foi uma promessa feita por muitos autarcas, mas cuja solução tem demorado a acontecer."

Porque tem a solução demorado a acontecer? Sabido da existência do PER, os moradores chamam familiares e amigos para construirem novas barracas ali, no intuito de terem casas à borla. Como, evidentemente, ficam fora do PEC, organizam manifestações contra as demolições no bairro (ler aqui) para convencerem a opinião pública a pressionar as autarquias a dar-lhes casas novas. Partidos políticos como o Bloco de Esquerda aproveitam para brilhar na comunicação social utilizando a habitual falácia do racismo, conseguindo assim publicidade à custa dos impostos pagos pelos contribuintes.

"Euridice acredita que Deus passa todos os dias à porta do seu cabeleireiro e depois se perde nas ruas estreitas do que resta do Bairro das Marianas. “Isto é o Inferno no Paraíso e é Ele que nos ajuda”, lamenta, encostada à parede verde da barraca, uma das poucas ainda de pé naquela que já foi uma das zonas mais problemáticas de Cascais – terra de luxo mas também de ilhas de miséria com nomes assim: Fim do Mundo e Marianas.

A loura de óculos escuros, que conduz o BMW na estrada junto ao bairro, nunca irá arranjar o cabelo no salão Nekas. “Este cabeleireiro é a minha vida, é o meu trabalho”, diz Euridice, que exibe o diploma na parede. Uma e outra vivem em dois mundos que não se cruzam, separados por uma fronteira que ninguém vê, mas que todos conhecem
."


Fazemos votos para que o politicamente correcto nos obrigue a visitar diaramente um bairro degradado ao melhor estilo dos beatos. E a ter relações comerciais e prestações de serviços só nesses locais.

"Uma tragédia sem paralelo abateu-se, ontem, sobre o Bairro do Fim do Mundo, no Estoril, onde um incêndio ceifou a vida a seis pessoas, uma mulher guineense de 39 anos e cinco filhos com idades entre os cinco e os 18 anos. Despertadas do sono pela força das chamas, ainda de madrugada, clamaram por socorro, mas acabaram por perder a vida, encurraladas dentro de uma barraca, enquanto aguardavam pelos bombeiros.

Sabe-se, para já, que as chamas deflagraram na sala, junto à porta, deixando encurralada a família. A janela maior da casa, construída em tijolo, com cobertura de madeira e zinco, estava protegida por uma grade, o que impossibilitou a fuga. As restantes janelas eram demasiado pequenas para servirem de meio de salvação
."

JN

Mais uma prova da necessidade de emendar a política actual de imigração. Mas, para resultar, longe das habituais falácias defendidas pela esquerda.

EPUL:

"O último concurso da EPUL de atribuição de 305 casas, em Lisboa, gerou o descontentamento de muitos concorrentes – viram na lista publicada na internet que vários jovens foram sorteados em simultâneo como efectivos e suplentes. Pela primeira vez a EPUL - Empresa Pública de Urbanização de Lisboa - não devolveu o dinheiro da inscrição dos jovens a quem não foi sorteada uma casa. A inscrição de 9112 jovens rendeu à EPUL uma receita de 245 mil euros. "

Curiosidade: a sede da EPUL passou a ser na R. Professor Fernando da Fonseca, Edifício Visconde de Alvalade, perto do Estádio de Alvalade. Quem quiser informar o valor da renda, faça favor.

Marques Mendes - O "inocente"

De acordo com o Barómetro da Marktest para o DN e TSF relativo ao mês de Setembro, o Partido Socialista cai nove pontos na intenção de voto dos portugueses, baixando dos 43 por cento de Julho (em Agosto, devido ao Verão, não se publicou o barómetro) para uns escassos 34 %. Em sentido inverso, o PSD de Luís Marques Mendes é quem mais "lucra" com o descontentamento em torno dos socialistas, subindo oito pontos, dos 31 para os 39 por cento na intenção de voto dos portugueses.

in www dn.sapo.pt

Efectivamente a memória dos portugueses é curta demais.

Parece que se esqueceram das tropelias de Durão/Santana.

Da incompetência, das promessas mal cumpridas, pelo agastamento com que olhavam para todos. Pode-se argumentar: Mas o PSD é igual ao PS quando está no poder (pelo menos o PS de Sócrates, esse imitador de 2 categoria do liberal Blair).

Mas se são iguais, porque sobe agora o PSD? Marques Mendes nunca teve responsabilidades governativas de peso nos governos de Cavaco e no Governo de Durão?

Marques Mendes é um inocente e virgem da política? Não terá ele também responsabilidades objectivas sobre o que se passou recentemente e sobre o actual estado económico e social do país?

Ontem Mendes reclamou a presença de Sócrates em Felgueiras para condenar as afirmações de Fátima, quando é para todos sabido que ela não é a candidata do PS a essa Autarquia.

Que tal se Mendes dissesse algo sobre as últimas afirmações do seu colega de partido Alberto João Jardim?

Assim se descredibiliza a política caseira e se aprofunda o divórcio entre a Nação e a classe política decadente que nos governa.

Felicidade.

"Quando se dirigia a pé para as aulas, ontem de manhã, em Lisboa, um jovem de 16 anos foi atacado por um homem, armado com uma faca, para o assaltar. Resistiu e acabou por ser ligeiramente ferido."
A felicidade que o cidadão tem em saber que o seu filho pode ser ferido num assalto a caminho da escola. Isso mesmo apesar de ser uma crinaça com 16 anos. É por estas e outras que temos orgulho em morar neste Portugal e ter estes políticos.

Parecia mal.

"Francisco Louçã diz que Valentim Loureiro e Avelino Ferreira Torres são dois exemplos de "descarada corrupção autárquica". O líder do Bloco de Esquerda diz que este é o tempo certo para a honestidade voltar à política local. "

Tocou ao de leve Felgueiras. Compreende-se. Parecia mal.

quinta-feira, setembro 29, 2005

Até amanhã.

Promessas eleitorais.

"O candidato socialista à Câmara de Sintra, João Soares, prometeu hoje criar dez mil novos lugares de estacionamento no concelho, caso vença as autárquicas de Outubro, a maioria dos quais junto às estações ferroviárias. "

Deve estar a contar com a IC19 em hora de ponta.

"O candidato do PS à Câmara de Lisboa, Manuel Maria Carrilho, prometeu esta quinta-feira que, se for eleito, haverá cinco novas esquadras de proximidade na cidade, o que será conseguido através de «um entendimento com o Governo»."

Com a falta de efectivos políciais existente, devem ser esquadras fantasmas.

Gente estranha estes portugueses.

"Faltam cerca de quatro mil polícias nas esquadras portuguesas. A denúncia é feita pelo Sindicato de Profissionais da Polícia que diz estar a chegar-se a um ponto de ruptura. Devido à falta de homens, muitas esquadras estão impossibilitadas de realizar patrulhas nas ruas.

A esquadra do Calvário, em Lisboa, é apenas uma das que, diariamente, sofre com falta de homens e de meios. De acordo com o sindicato, nas várias divisões de Lisboa há 1 900 polícias a menos.
No concelho da Amadora, um dos mais críticos, há esquadras que têm apenas um homem de patrulha. "

Ser polícia é ter uma profissão bem paga, sem riscos e com excessos de regalias. Razão porque o governo quer acabar com elas. Só não se entende é a modéstia dos portugueses ao evitarem ingressar em tal carreira. Estranha gente que prefere ficar no desemprego a ser "rico".

Ilusionistas mentais.

"A candidata do Bloco de Esquerda à Câmara da Amadora, Diana Andringa, visitou esta quarta-feira o Bairro da Cova da Moura. Acompanhada de Francisco Louçã, Diana Andringa criticou a acção policial em que se «entra e trata, de uma forma geral, de maneira violenta os moradores, que reagem depois, algumas vezes, naturalmente, de forma violenta, e que também cometem acções violentas antes». O Bloco de Esquerda não quer acabar com o bairro, defende que é preciso mudar a imagem da Cova da Moura e dar melhores condições às pessoas que aqui vivem."

É verdade. Um exemplo disso foi o que aconteceu com o agente Ireneu Diniz (ler
aqui). Só que aqui houve batota e não o deixaram responder naturalmente de forma violenta.

Depois de tentar negar o arrastão, Andringa continua a fazer história (triste). Desta vez, no ‘albergue’ de evadidos com mandados de captura nacionais e internacionais, refúgio ideal e cada vez mais procurado pelos fugidos à Justiça e centro de tráfico de droga e de armas
.”

Felizmente que existe um Portugal profundo pronto a dar votos aos “ilusionistas” do Bloco de Esquerda. Felizmente que existe um partido que defende os criminosos.

P.S. Seria chato dizermos que “a Polícia apenas avança para o coração do bairro em casos de emergência – e, mesmo assim, com reforços e redobrados cuidados. Nenhum agente está autorizado a andar sozinho pelas ruas da Cova da Moura (ler aqui).


Sim. Não queremos ofender o Portugal profundo que acredita nos ilusionistas. Já agora. Porque não querem acabar com o Bairro? Deve ser pelo formato, tipo ‘Triângulo das Bermudas’.

"Esta é a minha candidata".

«Há vários elementos nos autos, fortemente credíveis que nos fazem concluir pela facilidade com que a arguida, por si, e por interpostas pessoas, procura interferir no domínio da prova, obstaculizando à recolha de novas provas e procurando destruir e desvirtuar as já adquiridas, como é o caso, a título de simples exemplo, das influências junto da testemunha Joaquim Freitas [um dos denunciantes do «saco azul», entretanto constituído arguido] e dos propósitos de manipulação da opinião pública através de alguma imprensa, meio onde parece movimentar-se com bastante agilidade».

Adriana Faria refere ainda que «a fuga para o exterior, na forma em que ocorreu e com enorme alarme social» acarretou «prejuízos para a instituição que administra a Justiça e que todos os cidadãos devem dignificar, respeitar e honrar, não só quando as decisões lhes são favoráveis». Considera, ainda, que a antiga presidente «se colocou acima da lei». O «manifesto perigo de fuga» foi, segundo a magistrada, «uma das principais razões» que motivaram a aplicação da prisão preventiva, em 2003, e sublinha que «
este perigo de fuga é por demais evidente, não já para um jurista, mas até mesmo para o mais comum dos cidadãos
, até mesmo para quem não tem por costume ler qualquer um dos jornais diários».

Depois de já ter fugido uma vez à justiça, a arguida «não poderá ser agora compensada por toda esta sua actuação», sob pena de se provocar «um alarme social de proporções mal definidas na comunidade nacional», defendia a procuradora. Finalmente, sublinhava que «actualmente, a situação é bem mais gravosa» do que em 2003, já que agora a arguida já está pronunciada por 23 crimes. O conjunto de tais crimes é susceptível de aplicação de uma pena máxima de prisão de 25 anos.
"

Portugal Diário.

"Esta é a minha candidata", grita o Portugal profundo de Felgueiras.

Maravilhoso Portugal profundo.

"É preciso dizer aos paizinhos que quem quiser votar em mim tem que pôr o voto na cruz do fim, na última do boletim. Desta vez não é no PSD. Mas devem dizer principalmente aos avós. Ainda há gente em Gondomar que não sabe ler nem escrever e agora não é para votar nas setinhas nem nas chaminés. É nos dois pauzinhos, no Valentim."


Valentim Loureiro dirigindo-se às crianças do 1.º ciclo CEB do Vinhal.

Relatório anual.

"O último relatório anual feito pelo Conselho Superior de Magistratura, ontem divulgado pelo jornal "Público", contabiliza 94 tribunais considerados "deficientes" ou "muito maus" em termos de produtividade e apreciação global. De notar que o 2.º Juízo de Felgueiras, onde ocorre o processo da ex-autarca da cidade, Fátima Felgueiras, foi considerado "notoriamente deficiente", enquanto a apreciação feita ao 2.º Juízo de Gondomar, onde decorre a investigação do processo "Apito Dourado", foi de "global deficiência". "

JN


Não era preciso esperar pelo relatório anual.

Camisa Bomba

Assim vai o país.

"Os Serviços Sociais do Ministério da Justiça (SSMJ) não são mais caros do que o regime geral de saúde da Administração Pública, a ADSE, para onde vão transitar a maioria dos beneficiários daquele sistema.

Segundo cálculos do Jornal de Negócios, feitos a partir das contas daqueles dois regimes, os SSMJ tiveram, em 2004, um encargo médio com a saúde dos seus beneficiários de 485 euros, menor do que a capitação da ADSE, de 530
euros
."



Jornal de Negócios.

Complicados.

"Amigos e familiares de um jovem assassinado após uma rixa de trânsito envolveram-se ontem em desacatos com as autoridades à porta do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa, pontapeando um carro da GNR em que pensavam que seguia o alegado homicida. O debate instrutório ao caso da morte do jovem de 24 anos, baleado com três tiros, em 28 de Março, após um desacato de trânsito, decorreu ontem de manhã no TIC."

Homicídio não tem palavras. Mas essa família e os amigos são muito complicados nas suas incivilidades.

Campanha.

"O candidato da coligação PSD/CDS à Câmara do Porto, Rui Rio, foi esta noite, uma vez mais, insultado e agredido com ovos, sacos do lixo e pedras, ao visitar o bairro de Aldoar, no Porto. Antes da chegada ao local, o autarca disse ter sido informado que uma recepção insultuosa o aguardava e constatado que o PS já tinha entregue material de campanha aos moradores. Face à sucessão de incidentes, o candidato do PS, Francisco Assis, acusou Rio de proferir comentários «brejeiros». «A tentativa de identificar com o PS aqueles que o não tratam da forma mais adequada, revela que está a perder a serenidade».

Assis esqueceu-se de Felgueiras. Já não deve ter nódoas negras. Já agora. Diz-se que ontem, no Estádio do Dragão, distribuíam-se panfletos azuis e brancos dizendo que por vontade de Rui Rio não haveria Estádio do Dragão.

Ainda a habitual inexistência de criminalidade.

"A PSP do Porto voltou a deter, anteontem, um grupo suspeito de vários assaltos e que, em Maio passado, já tinha sido apanhado após uma aparatosa fuga às autoridades. Trata-se de quatro indivíduos, com idades entre os 18 e os 39 anos, três dos quais tinham sido, na altura, postos em liberdade pelo tribunal. O grupo está agora indiciado por cerca de duas dezenas de furtos de e no interior de veículos - com predilecção pelas garagens colectivas -, levados a cabo nos concelhos do Porto, Gaia e Santa Maria da Feira. São ainda suspeitos de alguns roubos, falsificação de matrículas e tráfico de droga."
É o que dá gozo nisto. Tantas vezes são postos em liberdade que a polícia deixa de ter necessidade de fazer retratos. A certeza da impunidade é tanta, que os bandidos vão começar a apresentar-se nos tribunais de livre vontade sem escolta polícial.

"Quatro homens, com idades compreendidas entre os 20 e os 22 anos, assaltaram, com ameaça de caçadeira, na tarde de terça-feira, o estabelecimento comercial "Mercado Africano", na Quinta de S. João das Areias, Loures. Os assaltantes levaram 130 euros e o teclado de um computador. A PJ tomou conta da ocorrência."
Atenção que ainda falta o rato, o monitor e o resto do computador. Eventualmente também a printer. Vão voltar de certeza.

"Ana, nome fictício, tinha visto "uns espanhóis há uns dias" na aldeia onde reside, Ribeira da Azenha, perto de Vila Nova de Milfontes, como recordou ontem ao JN. Tinha visto também, anteontem, "outros carros - pareciam da polícia". E só ontem à tarde, "com as notícias" e o contacto com o JN, ligou os factos e percebeu que a sua pacata aldeia tinha sido afinal palco de uma das apreendidas cerca de 2,75 toneladas de cocaína - a segunda maior apreensão este ano e a terceira em cinco anos -, e foram detidos sete espanhóis, dois deles cabecilhas e ligados a um dos mais poderosos clãs de tráfico de droga da Andaluzia, os Camachos, com interesses também em várias áreas empresariais. Os Camachos estão referenciados em Espanha assim como junto das autoridades norte-americanas."

Os mais poderosos clãs espanhóis de tráfigo estão a instalar-se as sua bases em Portugal. O governo tem de rever o IRC que anda a cobrar aos estrangeiros. Não podem ter mais regalias que os nacionais.

Criminalidade continua inexistente.

"Quatro homens assaltaram esta quarta-feira à mão armada e de rosto descoberto uma agência bancária da Caixa Geral de Depósitos (CGD) na Trofa, disse à agência Lusa fonte policial.

De acordo com a GNR, o assalto ocorreu na Rua Abade Inácio Pimentel, pelas 12:15, quando os quatro homens entraram na agência bancária, ameaçando os presentes com duas pistolas
. "

Assaltaram a CGD pelas 12h15? Deviam estar a precisar de dinheiro para almoçar.

quarta-feira, setembro 28, 2005

Sound of silence.


Hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
Because a vision softly creeping
Left its seeds while I was sleeping
And the vision that was planted in my brain
Still remains
Within the sound of silence

In restless dreams I walked alone
Narrow streets of cobblestone
Neath the halo of a street lamp
I turn my collar to the cold and damp
When my eyes were stabbed by the flash of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence

And in the naked light I saw
Ten thousand people maybe more
People talking without speaking
People hearing without listening
People writing songs that voices never shared
No one dared
Disturb the sound of silence

"Fools," said I, "you do not know
Silence like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach you"
But my words like silent raindrops fell
And echoed
In the wells of silence

And the people bowed and prayed
To the neon god they made
And the sign flashed out its warning
In the words that it was forming
And the sign said "The words of the prophets
Are written on the subway walls
And tenement halls"
And whispered in the sound of silence.

Simon and Garfunkel

Até amanhã.

Hiperativa.

"Um atentado suicida cometido hoje por uma mulher num centro de recrutamento da polícia, na zona noroeste do Iraque, matou cinco pessoas e deixou 30 feridas, um dia depois do anúncio da morte de um alegado terrorista da Al-Qaida."

De acordo com as filosofias deles, o mártir têm direito a setenta e tal virgens. Trata-se de uma fufa "hiperativa". Estamos sempre a "aprender" com eles.

Revisores exigem mais segurança.

"Olhamos para as primeiras carruagens e somos informados que está no comboio um grupo «mesmo só para o gamanço. Entraram ali no Cacém. Tenham cuidado», adverte o revisor. Esta é das zonas mais problemáticas. Aliás, a linha de Sintra tem seis estações que são especiamente complicadas, diz João Dias: «Sta. Cruz-Damaia, Reboleira, Amadora, Cacém, Rio de Mouro e Mercês». É nessas zonas que moram as pessoas «de uma classe social muito específica, não vale a pena negar. São pessoas que não estão bem integradas na sociedade e são problemáticas por natureza», explica João Dias. A própria linha tem características muito próprias: «a proximidade existente entre as estações faz com que grande parte dos utentes use este transporte sete ou oito vezes por dia. Há pessoas que vão da Reboleira a Santa Cruz como quem vai à farmácia ou à mercearia».

Mais aqui.

O que não se diz.

"Cindy Sheehan saltou para as páginas dos jornais em todo o mundo em Agosto quando decidiu, depois de ter perdido um filho no Iraque, fazer uma vigília contra a guerra mesmo em frente ao rancho do presidente George W. Bush, no Texas.

Para quem não sabe, esta mulher alega que Bush é culpado pela morte do seu filho no Iraque. Entre outros devaneios, chama aos insurgentes "freedom fighters" e pediu a retirada das tropas americanas da ocupada Nova Orleães. O que ela e os lame media não contam, é que o filho de Cindy voltou a alistar-se no Exército de forma voluntária em 2003, sabendo que poderia ser enviado para o Iraque."

Da Elise.

Antunes Varela.

Morreu Antunes Varela, um dos melhores juristas portugueses de sempre. Licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra em 1943, Antunes Varela doutorou-se nesta mesma faculdade sete anos mais tarde, vindo a tornar-se professor catedrático.

Entre outras obras, Antunes Varela publicou códigos de Processo Civil, dos Registos Civis e do Notariado, bem como o Código Civil de 1966 e legislação sobre registo comercial.

Além da Universidade de Coimbra, este professor universitário leccionou também nas universidades Católica e Lusíada e na Faculdade de Direito da Universidade da Baía, no Brasil.

Favores.

"O processo de tráfico de droga que envolvia os irmãos Jaime e Mário Pinto, os camionistas que lideraram o bloqueio da ponte 25 de Abril em 1994, terminou ontem no Tribunal de Loures, com a condenação a sete e oito anos de cadeia. O juiz-presidente do colectivo, Manuel Rodrigues, votou, no entanto, vencido, salientando que "absolveria todos os arguidos", considerando que o trabalho da PJ "violou desproporcionalmente as garantias de defesa dos arguidos".

É preciso não esquecer que os irmãos Pinto prestaram um favor à esquerda na queda do governo de Cavaco. E os favores devem ser pagos ...

terça-feira, setembro 27, 2005

Até amanhã.

Metros complicados.

"A linha azul do metro vai ficar ligada à linha de Sintra, a partir de 2009, através de um interface na Reboleira, anunciou hoje a secretária de Estado dos Transportes. "A Reboleira é uma freguesia com elevada densidade populacional. Estamos a identificar os pontos negros dos transportes nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto e os estudos determinaram que seria importante fazer a ligação entre estes dois eixos (ferrovia e metropolitano)", frisou a mesma responsável.

O Governo vai, entretanto, abandonar a ideia anunciada pelo ex- ministro social-democrata, António Mexia, de avançar com uma linha de metro para servir o centro histórico da cidade. "A linha das Colinas foi desaconselhada do ponto de vista físico e de rentabilidade social e económica", afirmou a governante, argumentando que
o sistema de mobilidade "não se consegue apenas à custa do Metro".

A estação da Reboleira tem de um lado o estádio e o Bingo do Estrela da Amadora, o antigo empreendimento habitacional do J. Pimenta e do outro lado, tem a Bombardier, Bairros sociais africanos e o Bairro do Bosque. Claro que se o Metro chegasse à zona histórica, servia as freguesias do Casal de São Brás, da Falagueira, da Venda Nova, da Venteira, da Mina, Moinhos da Funcheira. Mais: nas estações de Metro da Amadora circulam diariamente 55 mil utentes. 15 mil usam diariamente a estação da CP da Reboleira. Mas como essas Freguesias todas juntas não têm a densidade populacional da Reboleira ...

Assim o Metro vai servir os outros bairros sociais (Cova da Moura é servida pela nova estação da Damaia/Santa Cruz), os terrenos da Bombardier e o Bingo/Estádio do Estrela. Com um bocado de sorte, os incivilizados vão estender a emoção da linha de Sintra ao Metro.

"Claro que o sistema de mobilidade não se consegue apenas à custa do Metro". Existe a fluida IC19, a CRIL acabada, a estrada dos Cabos de Ávila (que na hora de ponta é vilmente apelidada de parque de estacionamento) e todo um conjunto de entradas e saídas rodoviárias na cidade de uma fluidez tão extraordinária que, passado meia hora ainda parece que estamos no mesmo sítio. Ilusão óptica claro.

Resumindo: a terceira maior cidade do país só tem Metro na periferia e quem quiser ir de carro, que continue a desfrutar das cinco “fluidas” entradas para a cidade. Ou sinta as emoções do velho Farwest, mais conhecido por Linha de Sintra.

Ver o mapa dos Concelhos da Amadora aqui.

"Os moradores dos Olivais Norte/Encarnação (Lisboa) contestam o traçado previsto para o Metro na ligação entre Oriente e o Aeroporto. Ontem, no cinema da Encarnação, perto de 170 pessoas reuniram-se com o presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria dos Olivais, José Rosa do Egipto, para expressarem objecção perante a futura demolição de quatro vivendas e 40 famílias serem desalojadas. Os moradores recusam ainda uma obra que irá provocar fissuras em 91 edifícios. Rui Rodrigues, membro da Comissão de Moradores, disse ao CM que a extensão do Metro irá afectar cerca de duas mil pessoas, acrescentando que “muitos dos habitantes contestam a passagem do Metro pela Encarnação, pois entendem que os autocarros satisfazem as necessidades”

A Avenida de Berlim vai directa do aeroporto à Gare do Oriente. Directa e em linha recta. Tendo como perpendicular a Avenida Doutor Alfredo Bensaúde, podia fechar ao trânsito o tempo suficiente para serem feitas as obras do Metro sem chatear ninguém.

Ver o mapa aqui.

Porta de entrada.

"Portugal é o mais importante País de trânsito de prostitutas da América do Sul para Espanha, Holanda, Alemanha e França. De acordo com um estudo do Instituto Europeu para a Prevenção e Controlo do Crime (HEUNI), para além de ser uma porta aberta para a prostituição na Europa, Portugal é uma grande fonte de tráfico de mulheres - portuguesas e estrangeiras - para exploração no País vizinho."

DN


Portugal é uma porta de entrada para tudo. E ainda querem mudar a lei? Para quê? Condecorar a criminalidade no 10 de Junho?

Guiness já.

"A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, ontem, a detenção de um indíviduo de nacionalidade brasileira, de 28 anos, suspeito de dez assaltos à mão armada, em casas de câmbio, na zona de Lisboa. O valor total dos assaltos está calculado em 20 mil euros.

Segundo fonte da PJ, o alegado assaltante revela experiência na prática destes crimes, pois mantinha sempre a calma durante os assaltos (uma dezena, desde o fim do ano passado) e utilizava o metropolitano de Lisboa para as suas deslocações
."

Portugal é a terra ideal para se conseguir entrar no Guiness. Razão porque este brasileiro imigrou para cá e já ia no décimo assalto à mão armada quando a concorrência, manhosamente, o colocou fora de jogo. Mas é inquestionável o seu sucesso. Os assaltados até lhe ofereciam bilhete de Metro para ele poder deslocar-se melhor.

Libertados.

"O exército americano libertou ontem 507 detidos na prisão de Abu Ghraib para lhes "permitir estar com a família e celebrar o mês santo do Ramadão" que começa em Outubro, podia ler-se num comunicado. As forças dos EUA e o Governo iraquiano prevêem libertar mais de mil prisioneiros durante a semana. Esta é a segunda iniciativa do género; a primeira teve lugar em finais de Agosto e levou à libertação de mil detidos de Abu Ghraib."

Mais uns que já podem ir ter com as virgens. E como não são egoistas, vão levar inocentes com eles.

"A detenção de sete ucranianos, seis homens e uma mulher, por suspeita da prática dos crimes de associação criminosa, associação de auxílio à imigração ilegal, extorsão, roubo, lenocínio, tráfico de mulheres e falsificação de documentos foi o resultado de uma operação que envolveu 80 inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), anteontem desencadeada em vários locais do Algarve.

O grupo, agora desmantelado, tinha em seu poder instrumentos utilizados para descargas eléctricas em pessoas, o que indicia a prática de torturas sobre mulheres para as extorquir e obrigar à prática da prostituição. Caso oferecessem resistência eram castigadas. As vítimas eram jovens prostitutas – entre os 18 e os 30 anos –, quase todas com muito boa apresentação e de várias nacionalidade, sendo todas vindas do Leste Europeu.

A utilização de mulheres imigrantes – muitas delas em situação ilegal – na prática da prostituição é um negócio cada vez mais frequente no Algarve. Indivíduos, na sua generalidade imigrantes, tornam-se donos de um negócio que já movimenta muitos milhares de euros. O recurso à violência sobre as mulheres é uma prática muito comum
."

CM

Por isso o lobby da imigração quer alterar as leis. Há que compreender o multiculturalismo.

MONTRAS DE LISBOA - Em nome da desigualdade

MONTRAS DE LISBOA - Em nome da igualdade

(Com o patrocínio de Lipton Ice Tea)

Defesa das vítimas sai caro ao PGR

"Cinco anos volvidos, Souto Moura tornou-se numa das figuras mais criticáveis da actualidade, facto para o qual contribuíram algumas das suas intervenções nos processos judiciais em curso. Apesar da sua actuação em prol da melhoria do funcionamento da Justiça, da investigação criminal e do empenho na luta contra a corrupção, foi o desenrolar destes processos que mais cicratizes lhe valeram. E inimigos também.

“Não houve memória futura, ao contrário do que aconteceu nos Açores, porque Carlos Cruz não é ‘Farfalha’ e Paulo Pedroso não é o dr. Arruda”. A frase, proferida por Souto Moura há um ano, espelha a posição que o Procurador-Geral da República assumiu ao longo do processo Casa Pia.

Souto Moura colocou-se desde o início ao lado das vítimas de abusos na instituição, facto que lhe valeu uma colecção de inimigos. De Mário Soares a José Miguel Júdice, várias personalidades pediram a demissão do procurador. Mas Souto Moura resistiu e manteve a coerência.

No relatório anual da PGR de 2003, lamentou a existência de “claras tentativas para aniquilar as vítimas” e, numa nota de Imprensa divulgada após a detenção de Paulo Pedroso, escreveu: “Infelizmente muitos dos que reclamavam uma Justiça implacável ‘doa a quem doer’ surgem agora como detractores do modo como o caso tem sido tratado
”.


CM

Sinais evidentes da baixa de criminalidade.

"O vandalismo andou à solta na noite de sábado para domingo em Sacavém. A mais de meia dúzia de carros, nas ruas Júlio Dinis e Alta da Palma Carlos, foram esfaqueados os pneus. Em alguns casos, de todas as rodas. "

Promessas de um governo falhado...

"A primeira maioria absoluta do partido socialista, foi conseguida á custa de um conjunto de promessas, que mesmo antes das eleições, já se sabiam ser impossíveis de concretizar. Nada que anteriormente não tivesse acontecido, mas este governo fez questão de mostrar que era diferente, antes, durante e depois das eleições.

Prometeu que não aumentaria os impostos. Reconhecendo que Portugal possui o quadro fiscal mais oneroso para os contribuintes singulares da União Europeia, que as empresas pagam impostos sobre uma burocracia, a quem apenas ao Estado podem ser pedidas responsabilidades, associado á demora da justiça na análise de processos de concursos públicos, tudo somado apenas reflecte o elevado índice de desinvestimento que se verifica na economia. O governo aumentou o IVA de 19 % para 21 %, recuperando apenas 0,2 % do défice e colocando em causa a única variável que alimentava a economia o consumo privado. Ao mesmo tempo subiu a ponderação do ISP, aumentando ainda mais o preço dos combustíveis, tudo para que a obra-prima das scuts possa continuar a ser financiada, agora também por que não usa.

Prometeu que seriam precisos mais estudos na segurança social. Desmentiu em pleno debate Pedro Santana Lopes. Não só não apresentou qualquer estudo, como mexeu e mal na questão das pensões. Continua a ser possível acumular pensões e vencimentos em cargos públicos, quando a falência da segurança social aconselharia sacrifícios também para os detentores de cargos públicos que acumulam. E no fundo as medidas que tomou apenas agravaram o número de contribuintes que preferiram estar reformados do que estar a trabalhar mais 10 anos. Faltou-lhe coragem e inteligência, mas ao mesmo tempo vê o valor pago a título de rendimentos de inserção e fundo de desemprego subir acima dos 10,00 %. É o estado social em pleno, só que assente num sistema de protecção social completamente falido.

Prometeu um choque tecnológico. Prometeu uma solução para á Galp. Prometeu 150.000 empregos. A única coisa que cumpriu foi a tradição socialista em lançar obras públicas sem estar provada a rentabilidade económica das mesmas. Não abriu mão da OTA e do TGV, porque serão estes que garantirão os 150.000 empregos em construção civil e afins, e o choque tecnológico não passou ainda do papel. Da Galp, o problema que na verdade foram os socialistas que criaram através da pena de Pina Moura, apenas é assente que serão os espanhóis a ditar o negócio.

Prometeu que não realizaria receitas extraordinárias, porque as mesmas revelam uma má gestão orçamental e não resolvem o problema de fundo. Ao decidir privatizar mais 5,00 % da EDP, e realizar um encaixe de 430 Milhões de euros até ao final do ano, o governo deixou cair a última promessa que lhe era devida, pois isto não é mais do que uma receita extraordinária, e que apenas revela que afinal a solução é uma artificial consolidação á custa daquilo que tanto criticou...as receitas extraordinárias
. "

Publicado por António Duarte na Grande Loja

Afinal...

"Afinal... o drama no Superdome em NO foi muito menor do que o esperado:
"Everything was embellished, everything was exaggerated," said Deputy Police Superintendent Warren Riley. "If one guy said he saw six bodies, then another guy the same six, and another guy saw them - then that became 18.
"


Retirado da Elise.

Estreia da semana.

"Dentro de Garganta Funda
Título original: Inside Deep Throat
De: Fenton Bailey, Randy Barbato
Com: Dennis Hopper (Voz), Larry Flynt, Wes Craven

Foi filmado em seis dias por 25 mil dólares; foi banido em 25 estados. O Governo norte-americano quis proibi-lo e tornou-se num dos filmes mais lucrativos da história do cinema. Sexualmente explícito, lançou uma revolução sexual e cultural quando a luta pela libertação sexual e pela igualdade de direitos entre homens e mulheres estava no seu auge. Trinta anos após "Garganta Funda", este documentário coloca frente-a-frente as intenções de quem fez o filme e as consequências culturais, sociais e políticas que provocaram
. "

Público.

segunda-feira, setembro 26, 2005

Devo eu?


Devo eu dizer que te quero
E que a espera me destrói o desejo
Devo eu ser sincero
E revelar-te o que penso.

E se eu quiser transformar
Chapinhar na calmaria
Por certo vou molhar
O rosto da tua alegria

Um homem pode sempre dançar
Segurado no seu encanto
E pode sempre inventar
As ilusões do seu tamanho.

Devo eu, devo eu
Devo eu, ser sincero.

António Manuel Ribeiro

O Triunfo dos Porcos.

O Triunfo dos Porcos - no original Animal Farm - é um romance alegórico da autoria de George Orwell. No Brasil,o título do romance é Revolução dos Bichos.

É, acima de tudo, uma sátira ferozmente crítica da Rússia Soviética, mas é também uma alegoria sobre todas as revoluções. Foi publicado pela primeira vez em 1945 e como, nessa altura, a URSS era aliada a Inglaterra, o autor teve alguma dificuldade em publicar o livro.

O Triunfo dos Porcos é contado por um narrador neutro na terceira pessoa, e passa-se numa quinta algures em Inglaterra. Esta localização indefinida é o primeiro passo para tornar esta fábula universal.

Tudo começa quando um velho porco, o Velho Major, convoca os animais de Manor Farm para uma reunião na qual expõe o sonho que teve: os animais sempre viveram subjugados pelo homem, embora este tenha capacidades inferiores às de qualquer deles. O homem é a única criatura que consome sem produzir - diz ele. O [Velho Major] sonha com a revolução que libertará os animais deste jugo e comunica aos outros o seu sonho, numa canção chamada [Animais de Inglaterra], que expõe a sua filosofia, o [Animalismo]. Três dias depois, o Velho Major morre.

Mas os animais começaram a pensar nas suas vidas de outra forma, e organizam-se para preparar a revolução. Nesta altura começam a distinguir-se dois porcos - Napoleão e Bola de Neve. Eles começam a dar forma ao Animalismo e quando, alguns meses depois, o Sr Jones, o dono da quinta, que em tempos fora um bom agricultor e tratava bem os seus animais mas começou a beber e a maltratá-los, regressa a casa embriagado e se esquece de alimentar os animais, a rebelião estala. O Sr Jones ainda tenta reagir, mas é expulso pelos animais, que destroem os chicotes e outros símbolos das sua servidão e festejam a sua vitória comendo uma ração extra.

A quinta é rebaptizada com o nome de Animal Farm - A Quinta dos Animais - e os porcos, considerados os mais inteligentes entre os animais, redigem sete mandamentos que são escritos na porta do celeiro e que passarão a reger a vida da nova quinta. São eles os seguintes:

1º - Tudo o que tem duas pernas é inimigo.

2º - Tudo o que tem quatro pernas ou asas é amigo.

3º - Nenhum animal usará roupas.

4º - Nenhum animal dormirá numa cama.

5º - Nenhum animal beberá álcool.

6º - Nenhum animal matará outro animal.

7º - Todos os animais são iguais.

Também fica acordado que nenhum animal entrará na casa - transformada em museu - e que nenhum animal contactará com os humanos. Como os animais menos inteligentes têm alguma dificuldade em apreender os sete mandamentos, os porcos resumem-nos num slogan muito simples: Quatro pernas bom, duas pernas mau!, que é repetido incessantemente pelas ovelhas.

Algum tempo depois, o Sr Jones tenta recuperar a quinta mas é vencido. Bola de Neve tinha estudado as tácticas de guerra de César e organiza os animais que, sob a sua direcção, lutam corajosamente pela sua liberdade. Bola de Neve e o cavalo Boxer recebem medalhas pela sua bravura em combate e Napoleão também é condecorado, apesar de não ter lutado. Este será um motivo de frequentes divergências entre os dois porcos.

Bola de Neve concebe então os planos para a construção de um moinho de vento que produzirá energia para a quinta. Mas Napoleão não concorda com ele e, com a ajuda de seis cães que roubou à mãe em cachorros e criou secretamente, expulsa Bola de Neve da quinta e convence os animais de que este é um traidor, que esteve sempre do lado do Sr Jones e que nunca recebeu uma medalha.

Empreende-se, apesar de tudo, a construção do moinho de vento. As horas de trabalho são sucessivamente alargadas e as rações de comida cada vez mais curtas, embora os porcos continuem a engordar e a prosperar. Eles comem, por exemplo, todas as maçãs e todo o leite, com o argumento de que são alimentos necessários à saúde dos porcos e estes são indispensáveis ao bom andamento da revolução.

À medida que o tempo passa, os porcos empreendem negociações com agricultores da região - e garantem aos outros animais que nunca se tomou a resolução de não contactar os humanos, isso foi apenas uma invenção de [Bola de Neve], transformado no arqui-inimigo da revolução. Decidem depois passar a viver na casa e quando os animais vão reler os mandamentos na porta do celeiro, eles vão sendo modificados:

4º - Nenhum animal dormirá numa cama com lençóis.

ou

5º - Nenhum animal beberá alcoól em excesso.

ou ainda

6º - Nenhum animal matará outro animal sem motivo.


Ao fim de um ano de trabalho, quando o moinho está quase pronto, é destruído por uma tempestade. [Napoleão] acusa [Bola de Neve] da destruição do moinho e empreende-se imediatamente a sua reconstrução. O hino [Animais de Inglaterra] é banido uma vez que a sociedade ideal que ele descreve, diz [Napoleão], já foi atingida sob o seu comando. Mais horas de trabalho, menos comida e, ao fim de mais dois anos, o moinho está de novo em vias de conclusão. É então que o [Sr Jones] ataca a quinta. Os animais vencem, mas o moinho é de novo destruído. A reconstrução leva três anos. A comida é reduzida ao mínimo e, um dia o cavalo [Boxer] adoece. É levado por uma carroça e, embora [Napoleão] diga ao animais que ele foi para o hospital, o burro [Benjamim] lê a inscrição na carroça e vê que ele foi vendido a um fabricante de cola.

[Napoleão] e os outros porcos celebram, em conjunto com os agricultores da vizinhança, a eficiência da sua quinta, enquanto os animais trabalham duramente com parcas rações de comida. Ao olhar pela janela para dentro de casa, os animais apercebem-se de que não conseguem já distinguir os porcos dos homens. O slogan que as ovelhas repetem mudou ligeiramente Quatro pernas bom, duas pernas melhor! (1) O último mandamento, que era o mais importante, foi também alterado e feito único. Diz agora:

Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros.


--------------------------------------------------------------------------------

(1) De facto, em inglês, a alteração, a nível fónico é muito ligeira: o primeiro slogan é Four legs good, two legs bad! e o segundo é Four legs good, two legs better!.

Wikipedia.

Até amanhã.

Água radioactiva.

"A Associação de Defesa dos Consumidores (DECO) encontrou níveis elevados de radioactividade nas marcas de água Pedras Salgadas e Vidago. Num estudo realizado a 49 amostras de água da rede pública e engarrafada a DECO detectou ainda «indicadores preocupantes» em sete localidades de Portugal. "

Isto explica o comportamento de alguns "conhecidos" nossos. Mais valia beberem vinho ...

Estranhos amigos.

"Sete presumíveis islamitas radicais suspeitos de estarem a planear atentados em França foram hoje detidos numa operação anti-terrorista nos arredores de Paris e a oeste do país. "

Não há dúvida que os árabes tratam bem os seus "amigos".

Compreender o Portugal profundo (revisto).

"De acordo com a sondagem da Intercampus realizada para o DN, TSF e TVI , e cujo trabalho de campo foi realizado anteontem (dia em que Felgueiras chegou a ortugal), Fátima Felgueiras, que lidera a candidatura independente "Grupo Sempre Presente", recolhe 38 por cento das intenções de voto no município.

Em segundo lugar, mas já a 11 respeitáveis pontos de diferença, aparece o candidato oficial do PS, José Campos. Depois, no terceiro lugar, e já a uns enormes vinte pontos percentuais de Fátima Felgueiras (recolhe 18 por cento das intenções de voto) está o candidato do PSD, Caldas Afonso
."

Sondagem resultado de 330 entrevistas pessoais realizadas no dia 21 de Setembro de 2005, dia em que Fátima Felgueiras regressou do Brasil e com os seus tradicionais apoiantes à pressionar à porta do tribunal, aonde a foragida esperava o desfecho da sua sorte judicial (ler aqui e aqui).

Se juntarmos a estas sondagens o regresso negociado com a PJ, o PS e a justiça (ver sentença exótica do tribunal), o mal disfarçado silêncio da oposição, os apoiantes mobilizados para saudá-la e o repentino aparecimento de cartazes de propaganda pelas ruas de Felgueiras (cuja foto foi tirada recentemente no Brasil) mal Fátima anunciou a sua candidatura, verificamos como a máquina está bem montada e os tentáculos são enormes (ler aqui e aqui). Agora tudo está nas mãos da habitual vassalagem do Portugal profundo (ler aqui).

"A juíza Ana Gabriela Freitas não deu como adquirido que Fátima Felgueiras fugiu, em Março de 2003, para o Brasil. Para a magistrada, que ontem decidiu libertar a candidata, o mandado de prisão preventiva emitido pelo Tribunal da Relação de Guimarães não foi executado porque a ex-autarca "encontrava-se ausente, ilegadamente, para o Brasil". Mais à frente no despacho, a que o DN teve acesso, Ana Gabriela Freitas afirma que a candidata estava numa situação de "aparente fuga à Justiça". "A persistência da medida de coacção de prisão preventiva não pode prevalecer como um valor em si mesmo, que poderia afrontar a própria Justiça, de que é mero e excepcional instrumento".

A magistrada recusou, assim, o pedido do Ministério Público, apresentado anteontem, para "a manutenção do estatuto coactivo da arguida". E considerou suficiente "a medida de proibição de a arguida se ausentar para o estrangeiro, prevista no artigo 200 n.º 1 do Código de Processo Penal". Uma medida que obriga à ex-presidente da Câmara de Felgueiras a entregar o passaporte, sem possibilidade de renovação."

Diz a "exótica" sentença "encontrava-se ausente, alegadamente no Brasil, numa aparente fuga à justiça" Mais: bastou entregar o passaporte Português e guardar o brasileiro para que o perigo de fuga se dissipe. Enfim: tal como diz a juíza, mais vale não afrontar a própria Justiça do que a moral da opinião pública.

Resumindo: correndo o risco de ser presa e julgada no Brasil no âmbito do «processo do futebol» (ler aqui), escudada no estatuto de imunidade que, ao abrigo da lei eleitoral autárquica, a livrava da prisão preventiva, não foi difícil a Fátima Felgueiras regressar a Portugal. Note-se que o risco estava tão bem controlado que nem caução, ou até mesmo a obrigação de permanência na habitação lhe foi aplicada.

Medidas essas aplicadas aos principais arguidos do processo e que ela esperava sofrer (ler aqui e aqui). Isto tudo esquecendo que ela em 2003 garantiu ao Tribunal que não iria fugir à Justiça e até considerava injurioso alguém pensar que era capaz de usar o seu passaporte brasileiro (ler aqui).

A maior ironia de todo o episódio reside no facto de o “sistema” lhe permitir, além da imunidade, publicidade à borla para a sua campanha, dada por toda a comunicação social, em detrimento dos outros candidatos. Isto esquecendo o simples facto de ela ter estado no Brasil a expensas do contribuinte recebendo o vencimento de presidente da Câmara (ler aqui).

“Golpe” mais perfeito do que este não há.

Mais um pequeno pormenor: o PS nunca chegou a concretizar expulsão de Fátima Felgueiras, tendo sido ela própria a pedir a sua desvinculação do partido em Agosto deste ano (ler aqui).

Tal como diz Pedro Lomba (ler aqui), "Fátima Felgueiras está há dois anos e meio a envergonhar a democracia e a justiça portuguesa e a sua candidatura à Câmara de Felgueiras só pode ser vista como um insulto"

Para terminar e parafraseado Vicente Jorge Silva “só falta agora os eleitores consagrarem nas urnas a moral da história e fazerem de Fátima Felgueiras, Avelino Ferreira Torres, Isaltino Morais ou Valentim Loureiro os novos heróis do povo" (ler aqui)


MANUEL ALEGRE

Manuel Alegre.

O homem que se apresenta finalmente após alguma hesitação.

Será ele um indeciso?

O que dizer de Cavaco, e da manutenção de mais este seu tabu, no que o chamado Homem Providencial se parece ter tornado mestre.

Terá medo de se começar a desgastar prematuramente, quando descer do altar da sua cátedra para o terreno do combate político?

Alegre, o homem que não quer ser responsabilizado pela divisão do partido que é dele e que ama, mas que perante as sondagens julgou, e quanto a mim bem, que haveria espaço na área da "esquerda democrática" para a sua candidatura.

O único óbice para uma candidatura de Soares será sem dúvida a sua idade, e o facto de ele ter afirmado que se candidatava apenas para evitar que a candidatura de Cavaco fosse uma espécie de passeio triunfal e plebiscitário.

Terá pensado bem, mas terá igualmente subestimado as capacidades de outros potenciais candidatos, nomeadamente Manuel Alegre, seu camarada de partido e amigo de há anos.

Alegre avança agora, convencido que pode congregar melhor, eventualmente na primeira volta, mais votos das esquerdas que Soares, e isso notou-se bem no nervosismo demonstrado nas declarações de Jerónimo e Louçã este fim de semana.

O anúncio da candidatura de Alegre veio fazer estremecer os planos de Soares, Jerónimo e Louçã.

Não são relevantes para já, as candidaturas de Carmelinda Pereira e de Garcia Pereira, ou a anunciada candidatura do advogado de Bibi.

Alegre vai fazer, estou convicto, uma melhor ponte segura entre as várias esquerdas.

Vê-se que, embora pragmático, é um homem que acredita em ideais, numa época em que o chamado pragmatismo impera, em que se vive no primado nas não-ideias, rendidas aos dogmas do neo-liberalismo reinante nas sociedades ocidentais.

Penso que Alegre leu bem a situação política, e penso que terá decidido bem.

Espero agora que a população de esquerda também faça uma boa leitura dessa nova situação.

E que o PS, caso Alegre tenha uma boa votação também saiba tirar as suas lições.

Por mim, desejo as melhores felicidades eleitorais e políticas a Manuel Alegre.

Compreender a comunicação social.

Código da Estradanão consegue reduzira sinistralidade

Seis meses depois da entrada em vigor do novo Código da Estrada, custa a ver sinais de frutos positivos na redução da sinistralidade e, ao contrário do que seria previsível, o número de autuações e detenções de automobilistas baixou significativamente em relação ao ano passado. Direcção-Geral de Viação (DGV), GNR e PSP reservam muita informação e são unânimes em considerar que "ainda é cedo" para tirar ilações sobre os efeitos da legislação que entrou em vigor a 26 de Março.Desde o início do ano e até ao passado dia 18, morreram nas estradas portuguesas 785 pessoas, segundo dados provisórios da DGV. Uma comparação rápida com o período homólogo do ano passado pode dar a tentação de considerar os números positivos - menos 27 vítimas mortais do que em 2004 -, mas o ganho é pouco mais que residual.

JN

Menos mortos nas estradas com o novo código

"Nos primeiros seis meses do novo Código da Estrada morreram menos 53 pessoas nas estradas portuguesas, em comparação com o período homólogo do ano passado. "

DN

Privilegiados.

"Um agente da PSP com o nariz fracturado. Outro com cortes na perna, resultantes de dentadas. Mais dois com escoriações ligeiras. As mossas foram causadas, ontem de madrugada, por um indivíduo de 47 anos, aposentado, que resistiu à detenção quando estava a provocar distúrbios no Bairro de S. João de Deus, no Porto. Na sequência da contenda, também teve de receber tratamento hospitalar. O incidente - mais um envolvendo agentes da autoridade no problemático aglomerado habitacional
- ocorreu pelas 6.30 horas.
"

JN

Como já aqui tínhamos referido, é por estes privilégios que o Sócrates quer cortar nas regalias deles. Então não é que os malandros dos polícias passam a vida no Hospital enquanto o cidadão comum tem de trabalhar?

Mandem-no para Portugal.

"O megajulgamento da célula espanhola da al-Qaeda chega hoje ao fim, quase quatro anos após a detenção dos principais suspeitos. O alegado líder do grupo, Imad Eddin Barakat Yarkas, mais conhecido como ‘Abu Dahdah’, pode ser condenado a quase 75 mil anos de cadeia – 25 anos por cada uma das vítimas dos atentados de 11 de Setembro de 2001 nos EUA, que ajudou a planear"

CM

75 mil anos de cadeia ??!! Coitadinho. Mandem-no para Portugal. Facilmente consegue emprego como Presidente de uma Câmara ou, na pior das hipóteses, de uma Junta de Freguesia.

Entra tudo em Portugal.

"Acusado pela justiça do seu país de 64 crimes por homicídio, rapto, terrorismo, falsificação de documentos e abuso de confiança, o indiano Abu Salem foi detido em Lisboa, em Setembro de 2002. Longe de conhecer o ‘currículo’ de Salem, a Polícia Judiciária apanhou-o na altura por falsificação de documentos – crime pelo qual cumpre quatro anos e meio de prisão. Pelo meio, e face à coincidência das datas, ficou a suspeita de que o indiano teria obtido a sua autorização de residência junto da rede de corrupção montada no interior do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

O indiano de 37 anos terá sido legalizado através de um falso atestado médico, com o qual conseguiu autorização de residência. O esquema é simples: não precisa de visto o estrangeiro que necessite de uma assistência médica prolongada, que o impeça de regressar imediatamente ao seu país
."

E os outros?

Finalmente o choque tecnológico.

"O primeiro-ministro prometeu ontem uma nova oportunidade aos desempregados com menos de 23 anos: aqueles que não terminaram a escolaridade obrigatória ou o 12.º ano podem fazê-lo em apenas três meses. José Sócrates, ao discursar após a apresentação do PNE – Plano Nacional de Emprego, no Centro de Congressos de Lisboa, disse mesmo que o 12.º ano de escolaridade deve ser o referencial mínimo de formação para todos os jovens portugueses. Esta pretensão do chefe do Governo é porque se sente “chocado” com os números da OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico relativos à formação escolar. Enquanto “só 20 por cento da população activa portuguesa tem mais do que o ensino secundário – lembrou José Sócrates – a média da Espanha é de 35 por cento, a dos países da Europa do Leste 60 por cento, e a média dos países da OCDE é de 70 por cento.”

CM


Sócrates tem de facto ideias brilhantes, só pecam é por excesso. Para quê demorar três meses se podem demorar só 15 minutos? Por este caminho, ainda se vai tirar a escolaridade obrigatória por correspondência.

Portugal: porta de entrada da Al-Qaeda.

"A cadeia de influências estava assegurada. Todos bem posicionados, tornavam o esquema perfeito. Do negócio nem se fala: centenas de imigrantes ilegais a pagarem, cada um, mais de 1500 euros de ‘luvas’ por uma autorização de permanencia em Portugal garantiam as receitas. Do lado do grupo esteve a alteração à lei que regula a
legalização de estrangeiros, em 2001
– curiosamente, ou talvez não, na altura em que esta rede entrou em actividade. A autorização de permanência veio substituir o visto de trabalho passado pelas autoridades do país de origem – e a responsabilidade de passar as autorizações passou a ser do SEF.

O número de pedidos de legalização por parte de imigrantes ilegais a residir em Portugal e noutros países da União Europeia disparou – fez-se então ‘luz’ para estes homens. Com dinheiro à vista, o processo era simples. Sempre que era exigida a elaboração de contratos de trabalho fictícios, assim como a constituição de empresas fictícias, o advogado resolvia. Sempre que eram necessários atestados médicos falsos – que podiam chegar aos mil euros –, o médico resolvia.

Da burocracia tratavam os funcionários, e da angariação de clientes tratavam os estrangeiros. Esta rede actuava de Norte a Sul do País e em toda a Europa. Os serviços eram requisitados sobretudo por árabes.
"
Mas como dizem as organizações de defesa dos imigrantes, é necessário alterar a lei. Ainda há um ou dois imigrantes que não conseguem entrar juntamente com os outros milhares. Ao menos alterem de modo a poder continuar a negociata.


Tudo com os melhores agradecimentos da Al-Qaeda claro.

Exame grátis.

domingo, setembro 25, 2005

O Analfabeto Político

"O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa nos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo. "

Nada é impossível de Mudar "Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar. "

Privatizado "Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário.E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence. "


Bertold Brecht

Jogada de bastidores.

"Conto estar aqui em Janeiro como candidato presidencial para derrotar Cavaco Silva", disse Manuel Alegre, 69 anos, numa intervenção durante a apresentação dos candidatos do PS à Câmara Municipal de Águeda, sua terra natal.

"Não venho para dividir, mas para somar votos à esquerda e forçar uma segunda volta nas eleições presidenciais. É a minha candidatura que o vai conseguir
".
Com um Mário Soares de imagem queimada, recorre-se a Manuel Alegre para tapar os buracos à esquerda que Soares vai abrir. A candidatura de Manuel Alegre serve simplesmente para forçar uma segunda volta aonde Soares vai procurar ganhar as eleições.

Sem comentários.

"O jantar de encerramento do Fórum do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP), que decorreu, sexta-feira num restaurante na antiga FIL de Lisboa, terminou com um episódio insólito. Dois carros da PSP encontravam--se nas imediações do restaurante, e aí ficaram até ao final. Depois os agentes começaram a multar os carros dos procuradores que se encontravam mal estacionados. E como, perante o novo Código da Estrada, as multas são pagas na hora, os magistrados autuados lá tiveram que fazer contas."

Violência doméstica.

"As mulheres imigrantes denunciam cada vez mais crimes de violência doméstica, e hoje já constituem uma em cada cinco vítimas, segundo os dados da Associação de Mulheres Contra a Violência (AMCV). As oriundas dos países africanos são as mais queixosas, mas todas recorrem mais às casas de acolhimento do que as portuguesas, por estarem mais vulneráveis e não possuírem uma rede de apoio familiar."

Por certo são só as que vivem com maridos brancos. É nestas alturas que a opinião sábia do Sr. Falcão faz falta.

Fracasso.

"Dezenas de milhares de manifestantes desfilaram ontem em Washington e Londres contra a guerra no Iraque e para exigir o regressos a casa das tropas americanas e britânicas.

Mas o que se pretendia ser uma jornada global de protestos contra a guerra, com manifestações agendadas para algumas das mais importantes cidades europeias e norte-americanas, revelou-se um fracasso. Enquanto em Copenhaga se juntaram entre 1500 a 2000 pacifistas, em Roma participaram apenas duas centenas e em Paris umas seis dezenas - algo que a AFP qualificou como "uma derrota total" dos organizadores
."

"Pode ser aldrabão, mas é simpático e faz qualquer coisa de palpável."

"O populismo, como sintetiza o professor do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, António Costa Pinto, "é a tentativa de ligação directa de um líder carismático à população, à revelia de um programa político, ultrapassando assim as tradicionais clivagens entre direita e esquerda".

Mais aqui.

"Agora, o que não pode suceder é alguém, com as responsabilidades públicas e políticas de Fátima Felgueiras, ter a tentação de se subtrair à justiça, sem que esse comportamento seja passível de sanção. Por mais simbólica que ela pudesse ser."

Mais aqui.

Confiança.

"O PS está nas mãos deste 'coordenador'. Enquanto assim for, quem poderá ter confiança no futuro? A resposta é simples só a malta do aparelho."

Retirado do Acção Republicana.

Gente especial.

"Desengane-se quem pensa que os homens e mulheres são muito diferentes. De acordo com um novo estudo norte-americano, o sexo masculino e feminino têm mais em comum do que aquilo que se pensa, sobretudo quando em causa estão as suas acções, o que lhes vai na cabeça ou o que dizem."

Mem mais. Basta ver a malta do esquadrão G.

A cantora é divertidíssima... a pretinha, que é um amor, a moçambicana”, disse Castelo Branco durante a conversa com Júlia Pinheiro, a partir da Sala de Transmissões da ‘1.ª Companhia’. Para José Falcão, do SOS Racismo, a frase, “embora seja dita de uma forma até simpática, tem, evidentemente, uma conotação racista e xenófoba”.

“Evidentemente que ele tem uma educação racista e xenófoba. Ninguém diz, em relação a ele, olha o branquinho do moçambicano”, refere acrescentando: “Isto é, acima de tudo, um problema de educação. Pelos vistos, ele até a acha ‘porreira’, amiga, simpática... São este estereótipos que mostram a educação que temos
”.


CM

Há alturas em que se nota que certas pessoas dizem bestialidades só para aparecer. É o habitual caso do Sr. Falcão. Quando há acontecimentos que merecem o seu comentário, não há quem o ouça ou veja. Quando se trata de infantilidades, como é o caso, aí vem ele dizer baboseiras para manter-se vivo na comunicação social. Toda a gente sabe que o Castelo Branco é cabrito e Moçambicano. A educação especial que tem recebeu-a em Moçambique. Por isso Sr. Falcão continue a hibernar que o país agradece.

Por tudo e por nada.

"E se no caso do furacão Katrina o Chefe do Estado norte-americano foi criticado pela resposta tardia das autoridades federais à catástrofe humana que se desenrolava em Nova Orleães, agora é criticado pelo facto de os planos de evacuação terem demasiadas falhas."
Tudo serve para atacar o Bush. Mas este excesso de ânsia turva a lucidez e eclipsa a razão.

Protesto.

O maneirista e a luta dos gerontes

Nos últimos dias o tempo tem estado enevoado de manhã, com orvalheiras intensas, o que poderá fazer com que alguma erva cresça, e digo qualquer erva, porque a natureza aqui não é esquisita, ao contrário do espírito de alguns humanos, que olhando para o campo pensam que as chamadas ervas daninhas não têm qualquer importância e que há umas melhores que outras, dependendo apenas do seu aspecto e porque não foram semeadas por mãos humanas.

No entanto a seca continua imparável, continuando o chão com fendas enormes, autênticas fracturas, coisa que decerto, se o Deus da Natureza permitir, será resolvido, se a chuva aparecer no seu tempo.

Já entre os humanos do sítio, não sei se as fracturas serão assim tão intensas, porque aquilo que o meu avô toupeira diz, é que o deverão ser, com o risco de se abrirem brechas enormes na sociedade, coisa que por vezes só poderá ser resolvida da pior maneira.

Vem isto a propósito das atitudes, do homem eleito pelos humanos deste sítio, que diz governar, e que afirmou, com a maneira arrogante do costume, mas cheia de tiques, (que eu como toupeira não entendo, - tipo mão partida), que a esmagadora maioria do seu grupo, tinha decidido apoiar a presidente de uma coisa a que chamam república, um geronte, que o já foi , que gostava de viajar, de andar de tartaruga em sítios exóticos, chamando-lhes viagens de estado, e que levava consigo todo o tipo de fauna do sítio, desde empresários falidos, a jornalistas, amigos dos amigos, artistas de todo o género, mas sempre paga pelos camelos e ursos do costume.

Esta resposta veio a acontecer, porque outro geronte, este poeta, decerto com obra interessante, e do mesmo grupo, decerto com o mesmo cheiro, também quer ser presidente do sítio.

Porque a república isto, e a república aquilo, e eu é que sou republicano, parecendo que só agora lhe voltou a memória, coisa decerto também própria de gerontes irritados.

Estas tristes situações, parecem antever uma luta de marretas, mas que não agradará nada ao humano dos tiques e maneirismos, que decerto se irritará mais, e mais irritado, mais tiques mostrará, a não ser que esteja a ser treinado para o não fazer.

Será disto que ri o prof. de economia, de 2ª categoria, que agora quer também ser presidente do sítio? Que mantém o tabu, decerto à espera de números, de que diz tanto perceber, e que tanto gosta de citar, coisa que um papagaio meu conhecido também é capaz de fazer, e com os mesmos efeitos práticos.

sábado, setembro 24, 2005

Artista português.

"Foram necessários apenas vinte minutos para que um indivíduo assaltasse, à mão armada, três bancos num pequeno perímetro da cidade de Lisboa. O homem, com a cara coberta apenas por óculos escuros largos, terminou o terceiro assalto, apanhou um táxi para o Cais do Sodré e desapareceu. "

Consta que deu uma grande gorjeta ao taxista. Um artista sem dúvida num país carecido de assaltantes cavalheiros.

A habitual leveza do BE.

"Está aberta a polémica no Bloco de Esquerda. Vários dirigentes bloquistas contactados pelo DN - incluindo dois membros da Comissão Política - criticam a ex-deputada Joana Amaral Dias por aceitar ser mandatária para a juventude da candidatura presidencial de Mário Soares. Outros bloquistas viram-se contra o próprio líder do BE, Francisco Louçã, acusando-o de permitir "duplicidades"na próxima eleição presidencial, em que é candidato.

"Já todos sabemos que Louçã apoiará Mário Soares na segunda volta. No fundo, existem dois candidatos do BE - um para a primeira volta [Louçã], outro para a segunda [Soares]. Isso só enfraquece a nossa posição, tal como as afirmações de Louçã ao dizer que aposta sobretudo na derrota de Cavaco Silva em vez de se mostrar simultaneamente contra Soares e Cavaco", disse ao DN Ana Flor, coordenadora nacional dos jovens do BE
."

E assim vai o partido da coerência ...

À atenção de Soares.

"Está a ser travada, pelo menos. E é verdade que, por vezes, quando ocorre um atentado, nos dá a sensação de impotência, graças à divulgação mediática massiva do acontecimento. Mas há inúmeros atentados que são abortados e que, por isso, não são passíveis de notícia. Creio que sim, que está a ser ganha, e não podemos desistir. O diálogo com os terroristas é impossível simplesmente porque eles não têm nada para oferecer senão a destruição e a morte. Há grandes semelhanças entre os terroristas e Adolf Hitler - ambos procuram apenas eliminar a diferença, não consideram o "outro" como semelhante, antes lhe retiram toda a humanidade, tornam os seus alvos infra-humanos e matam-nos sem pestanejar porque não os consideram pessoas.

"Peter Tarlow, sociólogo especialista no impacto do crime e do terrorismo na indústria do turismo

Também Mário Soares tem pouco ou nada para oferecer ao país.

Grande Cavaco.

"Falar neste momento de presidenciais é desviar as atenções dos graves problemas que o país tem, dos 400 mil desempregados e da dificuldade de produção nacional concorrer na cena internacional". Cavaco referiu ainda estar preocupado com o facto de Portugal ter perdido num só ano 13% de quota de mercado para a Alemanha e 11% para a Inglaterra, tendo já sido ultrapassado pela Eslovénia e pela República Checa, depois de já ter ficado atrás da Grécia."

E assim Cavaco, numa grande jogada de mestre, evita dar motivos ao PS para descentrar a atenção dos portugueses dos verdadeiros problemas do país. E assim vão faltando os trunfos a Sócrates para esconder as suas gritantes incapacidades em governar o país.

Portugal em movimento.

"A 3 de Outubro dezenas de homossexuais norte-americanos, na sua maioria idosos, vão embarcar, no Porto, no barco-hotel Infante D. Henrique, naquele que será o primeiro cruzeiro gay realizado no Rio Douro. São dez dias em que turistas abastados – o preço de cada viagem é 1554 euros – vão subir o rio de barco e visitar de autocarro as cidades de Braga, Porto, Vila Real e Lamego.

Com o objectivo de captar novos turistas no segmento gay e lésbico, cerca de 15 empresas participam no simpósio de apresentação das potencialidades nacionais junto de 60 agentes de viagens norte-americanos e da Europa, que se deslocaram a Lisboa a convite da IGLTA (Associação Internacional de Viagens Gay e Lésbicas) e da Associação de Turismo de Lisboa. É estimado em cem mil o número de gays e lésbicas que anualmente visitam a capital
."

sexta-feira, setembro 23, 2005

Até amanhã.



Com este calor estava mesmo a apetecer-nos um banhinho ...

Ser e parecer

"Vemos o Sol andar à volta da Terra, vemos a paisagem deslizar para trás de nós quando viajamos de comboio... Muitos outros exemplos poderiam ser citados para ilustrar as falsas interpretações da realidade a que a acrítica confiança nos sentidos nos pode conduzir. Mas, apesar disso, é-nos geralmente difícil duvidar das evidências sensoriais, sobretudo quando sabemos que, na grande maioria dos casos, essas evidências conduzem directamente a interpretações verdadeiras da realidade. Um confronto entre as fontes alternativas de conhecimento da verdade é bem ilustrado pela conhecida história, contada em várias versões (algumas delas com nomes atribuídos), e que corre assim. Alguém, confrontado pelo cônjuge com um flagrante acto de infidelidade, nega a evidência invocada e remata a troca de argumentos com a pergunta “filosófica”: “mas em que é que tu acreditas mais, naquilo que os teus olhos vêem, ou naquilo que eu te digo?”

Vem isto a propósito da perplexidade, que tem vindo a ser apontada por muitos observadores, suscitada pela aparente contradição entre a realidade económica e social que observamos no dia a dia à nossa volta e a que nos é sugerida pela análise das estatísticas e das notícias especializadas. De facto, esta análise indica-nos que vivemos uma crise. Mais latente do que profunda, é certo, mas uma crise, de qualquer forma. A economia cresce a um ritmo medíocre, muito abaixo do seu potencial, e tem vindo a perder competitividade sucessivamente; temos elevados défices nas contas com o exterior e nas finanças públicas; os indicadores de confiança e os inquéritos sobre a satisfação dos portugueses com a sua vida dão resultados baixos e domina um persistente pessimismo à nossa volta.

No entanto, observando a realidade, não se vêem sinais de crise, pelo menos como nos habituáramos a ver em crises passadas. O parque automóvel renova-se a um ritmo rápido e com crescente participação dos carros de gama alta, os restaurantes estão cheios, as estradas estão cheias, os destinos de férias estão cheios. Ou seja, os sinais da evidência empírica sugerem uma abundância que contradiz os sinais de crise sugeridos pela análise económica. Onde estará, pois, a verdade, ou, por outras palavras, como explicar a diferença entre as “verdades” sugeridas pelas duas vias de conhecimento?

Não tendo pretensões de conhecer “a” explicação necessária, posso alvitrar três possibilidades que, talvez no seu conjunto, expliquem a diferença. Por um lado, a evidência recolhida é uma imagem enviesada da realidade, na medida em que, com a moeda única, a economia nacional se tornou menos “solidária” entre si, passando a conviver mais facilmente segmentos sociais em crise com segmentos prósperos. Nesse caso, as imagens de prosperidade resultam do segmento que se mantém próspero (o directamente visível), enquanto o segmento social mais afectado pela crise tem menos visibilidade pública.

Por outro lado, o continuado desequilíbrio externo, mostra que a sociedade tem vindo a financiar, com empréstimos externos, um nível de vida acima das suas possibilidades. Neste caso, os efeitos sociais da crise económica têm vindo a ser disfarçados (e adiados) com o endividamento externo.

Por fim, a economia paralela terá, provavelmente, vindo a ganhar peso, pelo que a situação percebida através das estatísticas oficiais sobrevaloriza a crise e a economia (e a sociedade) como um todo estará em melhores condições do que é sugerido por aqueles dados. Para além de alguns sinais recolhidos aqui e ali, mas sem um conhecimento fundamentado da sua representatividade, não existe informação segura que permita validar esta possível explicação. Mas quando se pagam contas de restaurante com notas de 500 euros, dispondo Portugal de um sofisticado sistema de pagamentos automáticos, dá para desconfiar
."

Vítor Bento

Que merda de país é este?

"Ele sai do Teatro A Comuna ao telemóvel com um amigo e ela do Metro da Praça de Espanha, em Lisboa. Em comum, estes portugueses só têm uma infelicidade: às 19h30 de sexta-feira, 16 de Setembro, estão no caminho de um homem com traços indianos que corre de faca na mão. Para trás, caído, o assassino tinha deixado um compatriota – esfaqueado na sequência de discussão. Sem dó nem piedade, volta a atacar. Os dois portugueses são atingidos no abdómen: Miguel Pereira, 31 anos, não sobrevive aos ferimentos e cai a poucos metros de um táxi; ela sobreviveu.

Uma semana depois do crime, a Polícia Judiciária continua no encalce do assassino. Enquanto isso, taxistas e comerciantes da Praça de Espanha confessam a sensação de medo com que têm vivido. Outro comerciante conta que durante toda a semana, “as funcionárias do teatro esperam umas pelas outras junto ao quiosque para não subirem a rua sozinhas”. “O mais preocupante é sabermos que este psicopata matou por matar – e podia ter sido qualquer um de nós”, lembra um taxista.

Ao contrário das restantes duas vítimas, Miguel Pereira dificilmente terá tido tempo de perceber o que lhe aconteceu. Foi barbaramente assassinado numa das mais movimentadas zonas da capital, em plena hora de ponta – e sem motivo. Contactado pelo CM, o ‘sheik’ Munir, imã da Mesquita de Lisboa, afirma desconhecer o crime que envolveu dois membros da comunidade islâmica. Um facto que estranha, ainda para mais na Praça de Espanha – nas imediações da mesquita. “Durante toda a semana, não ouvi qualquer comentário, o que não é normal”, diz. De qualquer forma, o ‘sheik’ lamenta “profundamente” o sucedido e considera que este incidente deve ser visto apenas “como um caso isolado
”.

Que merda de país é este? Cidadãos são assassinados e feridos em plena hora de ponta numa das mais movimentadas zonas da capital só porque tiveram o azar de cruzar-se com um imigrante islâmico armado de navalha. E o imã da Mesquita de Lisboa afirma que se trata de um caso isolado quando taxistas, comerciantes e transeuntes vivem amedrontados. Não chegou ainda a altura de fazer algo? Efectivamente já ninguém acredita na tão apregoada diminuição da criminalidade defendida pelo ministro Costa. Excepto quem tem interesses no status quo e os eternos acéfalos defensores da camisola partidária claro.

Escutas.

"O regime das escutas telefónicas que vigora em Portugal “é demasiado exigente e possibilita a destruição das provas em julgamento devido a meras irregularidades”. A opinião é da procuradora-geral adjunta Maria José Morgado, que alerta para um sistema “demasiado exigente e sem paralelo na Europa”, cuja simplificação diz ser necessária, sob pena de se “fragilizar o combate ao crime organizado e de colarinho branco”. Em Portugal só o juiz pode determinar e validar as intercepções telefónicas, facto que não é exigido noutros países.

Nalguns países da União Europeia, as escutas podem ser determinadas pelo Ministério Público. Em Inglaterra, por exemplo, o juiz não tem qualquer poder de controlo. Nos últimos anos têm sido vários os julgamento anulados por irregularidades relacionadas com escutas telefónicas. Algumas vezes a triagem das escutas é feita tarde de mais, revelando-se fatal para uma investigação ou para um julgamento já realizado
."

Só prova que a justiça no resto da Europa está muito atrasada e corre o risco de, ao contrário de Portugal, condenar os criminosos a prisão. Corre o risco não. Condenam mesmo.

Verdadeiros heróis.

"As mulheres brasileiras que vêm para Portugal trabalhar em bares de alterne e na prostituição são angariadas por portugueses, revela um livro sobre mulheres imigrantes a publicar sexta-feira pela organização SOS Racismo. "

São tão poucos os crimes praticados por portugueses que estes merecem ser medalhados. Lutar contra as redes de leste, africanas e asiáticas não é pêra doce. Os poucos portugueses que o conseguem só podem ser heróis. O azar é terem nascido Portugueses. Ninguém lhes reconhece os méritos.

Para bom entendedor...

"Joana Amaral Dias, do Bloco de Esquerda, vai ser a mandatária para a juventude da candidatura de Mário Soares à presidência."

Depois de Fernando Rosas estar em evidência no lançamento da candidatura de Mário Soares, Joana Amaral vai ser a mandatária para a juventude. Para bom entendedor basta, não é Dr. Louçã?

Cantinho da criminalidade comentado.

"Dois rapazes, que aparentavam os 18 anos, entraram de rompante, terça-feira à noite, num restaurante de Amora, Almada, na Margem Sul, e arrancaram a máquina registadora do balcão. À saída, de armas em punho, ainda roubaram um gelado da arca frigorífica. “Parecia que estavam a gozar com o medo dos outros”, disse a testemunha."

Ora aqui está uma boa ideia. Vamos propor a colocação de uma arca frigorífica para que as incivilidades sejam premiadas com um gelado. Custos a cargo da Andringa e do BE claro.

"Um homem procurado pelas autoridades roubou dois carros e tentou, na manhã de ontem, assaltar uma espingardaria em Tunes, concelho de Silves. Mas o ruído que o gatuno fez despertou a atenção dos donos da espingardaria e o assaltante pôs-se em fuga, acabando por levar consigo apenas... um saco de pão furtado à porta de uma mercearia das proximidades."

A criminalidade, perdão, incivilidade está cada vez mais exigente. Além da arca frigorífica, parece também que é necessário colocar sacos de pão. Se calhar, aproveitando a onda, é melhor colocar também marmelada, queijo, doce e rebuçados. Não queremos que falte nada a essa rapaziada trabalhadora.

"A PSP do Porto deteve ontem um homem suspeito de ter assaltado vários estabelecimentos de venda de material informático na zona de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim. O suspeito actuava apenas na sua área de residência, por não ter carta de condução, e entrava nas lojas através de uma técnica de arrombamento de grades original e que era desconhecida pela polícia."

Ao contrário da rapaziada das incivilidades, trata-se de um ladrão educado. Como não tinha carta de condução não conduzia. O que é estranho nos tempos que correm, enquanto a incivilidade da Cova da Moura e afins pode usar um carro “gentilmente” cedido sem necessitar de carta de condução e incivilizar sem que haja detenções, ao vulgar ladrão já é exigido carta e até é detido. Tratamento discriminatório mas toda a gente sabe que Portugal é um país racista. Ouça-se o que diz o SOS Racismo sobre isso.

"A polícia desencadeou ontem uma operação de vigilância num prédio situado paredes-meias com a Escola Básica n.º 1 das Caldas da Rainha, que os pais dos alunos dizem estar transformado “num antro de droga e prostituição à luz do dia”. Os educadores estão revoltados e temem pela segurança dos filhos. Quando, ao princípio da tarde, os agentes da Escola Segura da PSP se deslocaram ao prédio – numa acção acompanhada pelo CM –, encontraram dois ucranianos e dois lituanos, com idades entre os 30 e os 60 anos, que alegaram ocupar o espaço por não terem outro abrigo. Um dos imigrantes admitiu consumir droga. “Isto já se verifica desde o ano passado. Ao edifício tem acesso toda a gente, toxicodependentes e outras pessoas. Entram homens e mulheres como se nada fosse, têm lençóis e toalhões, pernoitam ali e de dia vêem-se muitas movimentações, até estarem a urinar"

A história está mal contada. O edifício em questão está carecido de obras. Razão porque os quatro imigrantes lá se encontravam. Estavam simplesmente a proceder a obras de recuperação. O facto de levarem toalhões deve-se à existência de uma piscina escondida nas traseiras. Piscina privada claro.

Còppula.

"A cumplicidade da cúpula do PS com Fátima Felgueiras foi posta em evidência no Público.

Sócrates era ministro do Ambiente à data dos contratos simulados da autarquia com a empresa famosa Resin - Resíduos Industriais S.A. - a Câmara pagava por um serviço falso e o dinheiro ia parar à conta do PS (o "saco azul") - que, diz o Público, "envolviam subvenções governamentais e fundos comunitários, com tramitação através do Ministério do Ambiente".

Relembro que a ex-presidente de Câmara é acusada de 23 crimes relacionados com corrupção(participação económica em negócio, corrupção passiva para acto ilícito, abuso de poderes, prevaricação e peculato).Este trecho da notícia do Público é elucidativo:"esses contactos ocorreram desde finais de Maio e foram estabelecidos, pelo menos, com dois membros do secretariado nacional dos socialistas, nalguns dos casos envolvendo mesmo familiares directos da ex-autarca. Tal aconteceu depois de Fátima ter deixado ameaças veladas sobre aquilo que poderia vir a revelar no julgamento." (letra a grosso minha)

O Portugal Diário revela que Fátima nunca foi expulsa do PS, tendo apenas saído, por iniciativa própria em Agosto de 2005, dois anos e meio depois da fuga... O Portugal Diário revela ainda a sua entrega combinada à justiça e a sua prevista colocação em liberdade. Aliás, quando foi entregue aos responsáveis da Directoria da PJ do Porto, a acusada de corrupção e anterior e próxima presidente de Câmara de Felgueiras terá dito: (O) que é que eu estou aqui a fazer? Não era isto que estava combinado" (letra a grosso minha)...


Do Portugal Profundo.

Matéria prima

Os poliglotas amantes de jornais já podem ler diariamente a primeira página de um monte de jornais do mundo inteiro! É só escolher no mapa.

Divulgue o seu blog!