domingo, outubro 31, 2004

Portugal Profundo.


Enquanto o país discute acaloradamente a censura a que foi alvo uma figura pública de nomeada, no verdadeiro Portugal, um anónimo é silenciado pelas forças da ordem. Ao contrário da figura pública, cujo silêncio foi uma opção pessoal, esse anónimo não vai ser recebido pelo Presidente da República, nem tão pouco vai ver o seu caso merecer a mínima atenção na Assembleia da República, ou mesmo merecer um pequeno comentário do Bastonário Júdice, tão preocupado que anda com o desrespeito dos direitos democráticos.

A liberdade de expressão é usada como meio para atacar adversários políticos, mas já pouco ou nada interessa quando, em certas circunstâncias, penaliza os interesses de quem antes o defendia. Nesta conjuntura é utopia falar em liberdade de expressão. A censura vai impor as suas regras quer pela mão política, quer pela mão económica.

Aparte a histérica e degradante exploração política de uma oposição carecida de ideias, a liberdade de expressão é um mito que não interessa a ninguém e, assim vai o pais, perdendo o seu precioso tempo a discutir o “Sexo dos Anjos” enquanto o essencial naufraga junto à praia. Sim, porque ao contrário do que Júdice afirma, a grande criminalidade não é importunada e, quando tal acontece por engano, o tráfico de influências resolve de imediato o pequeno problema.

Enquanto isso acontece, os pequenos Antónios Balbinos Caldeiras sofrem o zelo, diligência e eficácia das autoridades, eventualmente a rondar a ilegalidade e, como tal, passível de implicar responsabilidade criminal para os seus autores. É uma tristeza.

Beja Blogs 2004.


BEJA - 6 DE NOVEMBRO DE 2004- (até às) 12H30 - Concentração dos Participantes no Almoço - Junto ao Pelourinho da Praça da República;- 13H00 - Almoço de Confraternização - Restaurante "Adega 25 de Abril" (junto à Praça da República);- Fotografia de grupo;- 14H45 - Conversa à volta dos blogs - Cafetaria da Biblioteca Municipal de Beja- 17H30 - Fim do Encontro.

Inscrições para o Almoço através do endereço electrónico do Amigo Alex.

A grande farsa.

1/ Apesar do concurso ter sido anunciado como um regresso ao início do século passado, as vedetas convidadas só aceitaram participar se recebessem algumas regalias e uma das mordomias de que não prescidem é, precisamente, a possibilidade de fazer telefonemas e manter, o contacto com o mundo exterior. Assim. os concorrentes da ‘Quinta das Celebridades’, da TVI, sabem tudo o que se passa cá fora. Quem é capa das revistas, quem faz manchetes ou chamadas de primeira página nos jornais, em suma, quem está na ‘mó de cima’ ou na ‘mó de baixo’. E isto porque a produção pôs à disposição dos famosos um telefone preto, modelo antigo – ainda de disco – para comunicarem com familiares e amigos.


2/ A TVI e a Endemol querem manter a magia da 'Quinta das Celebridades' a todo o custo, mesmo que isso implique 'mudar' as regras do jogo. Além de permitirem que os concorrentes saibam o que se passa cá fora, via telefone, também fazem crer que, lá dentro, a vida é mesmo dura. Só que a realidade não é bem assim. A verdade é que o público não tem acesso a todas as imagens. "Em cenas de sexo ou violência, que possam ter ou não acontecido, convenhamos que não são educativas e nem estão de acordo com os objectivos do programa: divertir e entreter os telespectadores. Não queremos chocar o público, a 'Quinta não vive de cenas picantes ou chocantes", referiu Monteiro Coelho, relações públicas da TVI. No que toca ao 'namoro' de Alexandre Frota e Ana Afonso foi uma 'encomenda' da produção. Segundo uma fonte do CM, "existia uma empatia entre os dois, mas nada que fizesse prever um romance", mas, "a pedido da produção os dois começaram a aproximar-se cada vez mais".

Os actores "aceitaram a sugestão e, a partir daí, tornaram-se inseparáveis". Habituados que estão aos chamados beijos técnicos, Ana e Frota não se fizeram rogados e toca a convencer os portugueses de que estão apaixonados.A noite romântica passada entre os fardos de palha foi forjada pela produção, tal como a cabana, para encontros a sós, junto ao sobreiro. Afinal, é tudo ficção, como nas novelas...

3/ Alguns residentes referem-se ao facto de o actor brasileiro ter partido uma porta e amachucado um balde. Mas, segundo Pedro Curto, da Endemol, "a cena nem sequer ficou gravada".

4/ O isolamento de Pedro Camilo para compor um tema para a 'Quinta'. "A produção mandou-o fingir que estava a trabalhar na música para ser filmado.

5/ Cinha Jardim, por exemplo, assinou o contrato por um mês, mas já lá dentro prolongou-o até às seis semanas, ou seja, deve sair em meados de Novembro.

6/ Os banhos, por exemplo, nunca foram de água gelada. Sempre foram tépidos, e houve dias em que a água saía da caldeira quase a ferver.

Posto isto, quem é que agora garante que as votações para a saída dos concorrentes são sérias neste mundo de ficção?

A "sorte" sorri.


Encosta a cabecinha ao meu ombro e chora...

"Conheço o Pedro Santana Lopes há muitos anos e nem ele nem eu temos culpa disso. Mas se eu sou “santanete”, porque não há-de ser ele “clarete”? Eis um caso flagrante de discriminação e perseguição das mulheres. Nunca teremos poder suficiente para… E, com mulheres a recusarem cargos de chefia de jornais, nunca teremos. Porque, vê-se bem que todos os jornais em Portugal são feitos por homens (e quase todos os Blogs também, embora elas comecem a crescer e multiplicar-se). "
Clara Ferreira Alves ao Expresso.

Eis um flagrante caso de tentativa de auto-vitimização. Sabemos que Clara Alves é muito boa. Diríamos excelente. Mas tal não chega para ter mais importância que o primeiro-ministro do país. Compreendemos o seu desabafo mas, é de facto, Santanetes e não Claretes porque ele é mais importante na hierarquia do país. Se todos os jornais são feitos por homens (O Independente de Inês Serra Lopes???), já aos Blogs, estando ao alcance de qualquer um, não são feitos por mulheres porque elas não querem e não por outro motivo. Mais, com tanto talento, diríamos mesmo que CFA merecia ser Directora do Expresso ou, do "The New York Times".

Uffff!!!!!!!!!!!!!

O wittgensteiniano Não sei Quantos Cintra Torres, que sempre confundo com alguém que vendia parabólicas, e que para escrever sobre um “reality show” cita Kant, Hegel e o neo-confusionismo, presume de culto e de saber de tudo, E lá veio ele, lesto e molesto, acusar-me de ser uma “santanete” colocada no “Diário de Notícias” para manipular e controlar o jornal a favor do Governo. É bom que Cintra Torres, que também posso confundir com o homem das cervejas Cintra, deixe de se meter comigo, o que ele tem feito modestamente até aqui. Porque eu, ao contrário do que ele pensa, sou incontrolável, e escrevo melhor do que ele (sem citar Wittgenstein): E já agora, Cintra Torres está a fazer um projecto de uma série, ou um filme, ou lá o que é, com o actual director do “Diário de Notícias”, (não, não sou eu, não seria, não fui…) para a RTP. A mesma RTP para quem Cintra Torres trabalha como colaborador e crítico imparcial. Será que é ele que vai criticar o trabalho dele na RTP? Mais um caso de isenção e imparcialidade nos “media”.

Clara Ferreira Alves no Expresso.

Tanta raiva a descambar no insulto fácil. Para quem se auto-intitula de ser melhor, este exercício de puro narcisismo confirma exactamente o contrário. Do que nos livrámos.

Entrega dos prêmios MTV latinos.





Uma maravilha esta Paulina Rubio.

O regresso?

"O Partido Neonazi Alemão (NPD), que ontem iniciou o seu congresso, prepara-se para as eleições legislativas de 2006, tentando criar uma aliança com as duas outras formações de extrema-direita, a DVU e os Republikaner."

Diz a história que as épocas de crise favorecem o reaparecimento dessa rapaziada e que geralmente ganham. Um assunto a ter em conta.


Negócio em expansão.


"Alguns empresários da noite, ligados ao ramo da prostituição e do alterne, preparam-se para introduzir em Portugal um novo modelo de negócio do sexo, que já existe em algumas regiões espanholas e que tem por finalidade contornar a lei sob o ponte de vista criminal. Ao que o CM apurou, trata-se do aluguer a prostitutas dos quartos de um hotel ou pensão, o que faz com que elas sejam apenas clientes e permite ao dono passar ao lado de qualquer acusação criminal, já que, em termos legais, se limita a alugar quartos. Assim, e essa é a questão fundamental, o dono do hotel, que ganha muito dinheiro já que mantém a unidade hoteleira cheia, não pode ser acusado do crime de lenocínio, ou seja, do favorecimento da prática da prostituição.É que, do ponto de vista legal, o hoteleiro limita-se a alugar os quartos e a subida aos aposentos corre por conta e risco da prostituta, sem que o dono do hotel tenha qualquer participação no lucro do negócio ilegal que ali se pratica."

Tratamento 2.

"Paulo Pedroso vai exigir que o Estado pague as despesas que os advogados Celso Cruzeiro e João Pedroso efectuaram para o defender durante o processo da Casa Pia."

Tratamento.

"O bastonário da Ordem dos Advogados, José Miguel Júdice, afirmou, ontem em entrevista à TSF, que “hoje em dia trata-se de maneira pior os mais conhecidos, os mais poderosos” e que ser poderoso “nem sempre é vantagem na Justiça”, em alusão às afirmações de Souto Moura relativamente ao processo Casa Pia. "

É assim que os poderosos adoram tratar-nos. Como se fossemos burros.

Autoria.

"É sabido que aqueles que odeiam a liberdade não têm almas honráveis como as dos 19 [autores do 11 de Setembro de 2001]"

Bin Laden finalmente assumiu a autoria. É o fim das teorias conspirativas acerca do ataque ao Pentágono?

Teoria da conspiração.



Manietados???


"Osama bin Laden reapareceu, voltando a exaltar a sua impunidade ao Mundo, num vídeo difundido pela al-Jazeera, no qual atacou o presidente dos EUA e ameaçou os americanos com novos atentados. "

A estratégia dos terroristas é atacar primeiro e depois ameaçar. Desta vez falou primeiro. Manifesta falta de capacidade de manobra devido às fortes medidas de segurança nos EUA?

sábado, outubro 30, 2004

Pensem o que quiserem


"Marcelo Rebelo de Sousa vai regressar aos comentários políticos em proximamente, avança o Expresso este sábado. O antigo líder social-democrata admitiu ao semanário que quer dar por encerrado o caso da sua saída da TVI, e começar uma nova fase na sua intervenção pública."

Esta intenção vai contra a afirmação quanto aos comentários que referem que a saída foi pensada para preparar o caminho do professor a Belém: “primeiro era preciso que quisesse ser candidato a Belém, que não é o caso. Mas supondo que era, seria muito estúpido (abandonar a TVI) podendo ter uma tribuna até ao Verão de 2005."

Marcelo não só vai arranjar uma nova tribuna, aonde será visto por uma maior audiência devido à publicidade da sua "censura", como certamente será melhor pago. Pensem o que quiserem.

Anedota de país 2.

"A dinamite para o atentado que um novo comando do terrorismo islâmico pretendia realizar em Madrid viria, provavelmente, de Portugal. Esta é a suspeita da polícia espanhola, depois de as investigações terem eliminado outras possibilidades, como a compra de explosivos em território espanhol, o que se afigura difícil pelo reforço da vigilância na sequência do atentado de 11 de Março.

Os terroristas admitiam ser mais fácil a compra de dinamite em Portugal, que consideravam ter medidas de segurança mais fáceis de iludir. De acordo com a planificação do atentado, que consta da documentação apreendida na semana passada no âmbito da “Operação Nova”, dirigida pelo juiz Baltasar Garzón, era necessária meia tonelada de dinamite transportada num camião para que a acção suicida tivesse êxito.

A aquisição, ou desvio, de explosivos em Portugal por parte de grupos extremistas estrangeiros não seria caso virgem. Nos últimos anos foram várias as pistas que conduziram não só as autoridades espanholas, como as portuguesas, ao Minho e Trás-os-Montes, províncias onde até chegaram a ser referenciadas casas como eventuais esconderijos de armas."

As coisas são tão fáceis neste país. Impressionante.

Pois.

"Dois indivíduos, de nacionalidade brasileira, foram detidos pela Polícia Judiciária de Setúbal, suspeitos de envolvimento na prática de diversos crimes de roubo. "
Apostamos que eles já andam na rua a "trabalhar".

Anedota de país.

"A Direcção-Geral de Saúde e a TAP recusam divulgar se os passageiros e tripulação do voo da TAP (TP 182) - proveniente do Rio de Janeiro e que chegou a Lisboa às 08h40 do dia 18 - serão submetidos a rastreio para saber se estão infectados com tuberculose. No entanto, o CM apurou junto do Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil que "todos os tripulantes da TAP, do voo, por indicação da empresa, vão ser rastreados na Unidade de Cuidados de Saúde". O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras montou uma operação com o objectivo de encontrar o cidadão angolano, que confessou ser vítima de tuberculose e que se encontra ilegal no nosso País, por posse de documentos com indícios de falsificação. A acção é desenvolvida pela Direcção Central de Investigação, Pesquisa e Análise em coloboração com outras forças policiais.
O jovem, na posse de um visto rasurado, foi interceptado pelo SEJ, no dia 18, no aeroporto de Lisboa, proveniente de um voo do Rio de Janeiro e tendo Paris por destino. Ao confessar que tinha tuberculose, foi encaminhado para o Hospital de S.ta Maria e no mesmo dia deu entrada na unidade de infecciologia Respiratória do Hospital Pulido Valente. “Na última quarta-feira, depois de jantar, foi dada pela falta do doente”, referiu a directora clínica, Madalena Ramos. A PSP de Telheiras informou que o jovem de 1,70 metros estava bastante magro e vestia uma bata branca. "

Este país é uma anedota.

Passagem de nível.

"Mas a tragédia surgiu, na passagem de nível que separa as duas metades de São Pedro do Estoril. "A Joana vinha feliz. E quando chegaram à linha férrea, ela ter-se-á escapado da mão da Kátia e fugido para cima da linha férrea", referiu. Tudo isto aconteceu no momento em que um comboio, seguindo de Cascais em direcção a Lisboa, se fazia à gare de São Pedro do Estoril. "A Joana correu para o meio da linha férrea. O maquinista buzinou, e a Kátia, para a salvar, ofereceu o corpo ao comboio. Morreu logo", recordou Vítor Hugo. "
Não se compreende a existência desta passagem de nível.

Imigração ilegal.

"Mais de 40% dos trabalhadores nos centros comerciais do País estão em situação precária e ilegal, assegura o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).Em comunicado ontem divulgado, o sindicato acusa centros comerciais, que não especifica, de não remunerarem o trabalho nocturno e suplementar dos empregados, concederem apenas um dia de folga por semana e de nem sequer pagarem o trabalho prestado aos domingos e feriados. «Este tipo de práticas está a repetir-se com frequência nos vários centros comerciais do Porto e Grande Porto, onde, na maioria dos casos, os trabalhadores são confrontados com o encerramento das empresas de forma consumada, não recebendo as indemnizações a que tinham direito», denuncia o sindicato."

Os tais imigrantes que são tão necessários ao país. Necessários para serem explorados e, como resultado disso, aumentarem os níveis da criminalidade.

sexta-feira, outubro 29, 2004

Casino


Aparentemente…

O Hitler suicidou-se…
O Pol Pot também…
Ao Ceausescu limparam-lhe o sebo…
Ao Mussolini também…
Ao Savimbi também…
O Pinochet safou-se com o número do doente mental, de diagnóstico tardio…
O Honnecker fez-lhe companhia nos seus últimos dias…
O Bin Laden escondeu-se no covil…
O Milosevic está de cana…
O Saddam também…
O Salazar morreu na cama…
O Franco também…
O Napoleão consta que foi envenenado…
O Júlio César foi apunhalado…
O Staline faleceu de doença súbita e prolongada…
O Tito morreu de velho…
O Ferdinando Marcos finou-se em exílio dourado no Havai…
O Mobutu optou antes por Marrocos…
etc…

Falta ainda saber como terminarão…


…O Bin Laden
…O Bush
…O Fidel
…O Mugabe
…O Santos

etc…

=ACEITAM-SE APOSTAS=

Escolha o seu fdp predilecto e aposte na forma como vai esticar o pernil.

O renascer do perigo.

"Está em Portugal um alegado membro da organização terrorista En-Nahda, "A Renascença". O aviso veio do exterior e a PJ já está a vigiar o cidadão argelino. O director da DCCB confirma."


Devido à timidez de En-Nadha, agradecemos em seu nome a valiosa informação prestada. En-Nadha não fazia a mínima ideia que era vigiado. Promete ter mais cuidado para a próxima.

Keep on rockin' in the free world.


There's colors on the street
Red, white and blue
People shufflin' their feet
People sleepin' in their shoes
But there's a warnin' sign on the road ahead
There's a lot of people sayin' we'd be better off dead
Don't feel like Satan, but I am to them
So I try to forget it, any way I can.

Keep on rockin' in the free world,
Keep on rockin' in the free world
Keep on rockin' in the free world,
Keep on rockin' in the free world.

I see a woman in the night
With a baby in her hand
Under an old street light
Near a garbage can
Now she puts the kid away, and she's gone to get a hit
She hates her life, and what she's done to it
There's one more kid that will never go to school
Never get to fall in love, never get to be cool.

Keep on rockin' in the free world,
Keep on rockin' in the free world
Keep on rockin' in the free world,
Keep on rockin' in the free world.

We got a thousand points of light
For the homeless man
We got a kinder, gentler,
Machine gun hand
We got department stores and toilet paper
Got styrofoam boxes for the ozone layer
Got a man of the people, says keep hope alive
Got fuel to burn, got roads to drive.

Keep on rockin' in the free world,
Keep on rockin' in the free world
Keep on rockin' in the free world,
Keep on rockin' in the free world

Neil Young

Parabéns.


A Rua da Judiaria faz um ano no passado dia 27 de Outubro. Os nossos parabéns ao Nuno Guerreiro.

Paes do Amaral, Marcelo e o Governo

Não conheço pessoalmente nem Paes do Amaral nem Marcelo Rebelo de Sousa para avaliar do seu carácter ou das verdaderas, profundas ou superficiais razões que levaram a mais esta crise política, a juntar a outras que parecem teimar em não dar paz a este Governo de 3 meses, que nasceu mal, sem estado de graça, de iniciativa presidencial, e simultâneamente "escrutinado" pelo Presidente Sampaio, que nestas coisas ficará para a História como o Presidente que dá uma no cravo e outra na ferradura.

Mas relembro que por detrás de um grupo editorial, ou na simples gestão de um órgão de comunicação social, nem só o "negócio" interessa, mas que por vezes esses projectos comunicacionais e orgãos de comunicação podem perseguir objectivos políticos umas vezes mais explícitos, e de outras vezes, mais discretos, mas não menos eficazes.

No caso de Paes do Amaral, que aquando foi presidente da SOCI, proprietária do semanário "O INDEPENDENTE" terá sido alvo de diversas inspecções por parte das finanças, no que por ele foi enterpretado como uma forma de perssão do Governo de Cavaco Silva para silenciar a voz incómoda que esse jornal era para o chamado "cavaquismo", vem agora dizer que as únicas pressões a que foi sujeito na sua vida se reportam a esse período.

Durante anos O INDEPENDENTE não deu tréguas ao Governo de Cavaco, foi responsável por várias demissões de ministros, e comportou-se como uma oposição à direita ao Governo de Cavaco.

O seu director era Paulo Portas, e naturalmente que Paes do Amaral, nunca interferiu, como nem devia na linha editorial do jornal.

Agora que os santanistas e Portas estão no Governo, é a voz incómoda para este Governo que passa a ser delicadamente silenciada em informal encontro em mangas de camisa, num feriado, ao balcão de um bar de hotel, provavelmente entre dois Chivas com gelo.

A voz incómoda para o Governo mentem-se mas mudaram os componentes desse governo.

Sem querer estar a formular juizos de valor sobre as reais motivações de um e de outro para esta saída intempestiva de Marcelo da TVI, o que motivou uma crise de seriedade política e maior desgaste para o Governo de Portas e Santana, vemos que o que antes era incómodo era apadrinhado pela SOCI, e que agora, que os alvos são outros, é a Média Capital a incomodar-se com a incomodidade de Gomes da Silva.

E se Gomes da Silva é sufientemente inábil para ter tido aquelas afirmações sem caução do PM é grave, e deve tirar as consequências políticas desse acto, mas se disse o que disse seguindo instruções do PM ou de algum "estado maior" partidário, pior ainda, já que transmite a ideia de que se limitou a papaguear a voz do dono, o que de igual modo também não abona para a sua própria credibilidade ou a do próprio Governo de Santana e Portas.

E nem Sampaio, que parece sempre preocupado com uma série de questões, o que não o diferencia do comum dos cidadãos fica incólume.

Tudo isto é estranho e sórdido de mais para ser normal, mas que mudando os alvos, mudam as pressões, é revelador de que algo vai mal entre o poder político e a Comunicação Social, 30 anos após o 25 de Abril.

Reflexões sobre comentários às eleições presidenciais e os EUA.

Silva,
O custo da campanha eleitoral nos EUA é astronómico... porque o país é enorme! E porque os tempos de antena são pagos e não de borla. No entanto, o valor que refere será que inclui os custos da publicidade caluniosa que ambas as partes usam (mas que o Kerry abusa)?

António Pedro,
Bem gostaria de ouvir os «protestos de todo o Mundo» se os ataques fossem nos países deles. Só os cobardes entre europeus (e os traidores do costume, herdeiros dos acidolados "flower power" - e que depois se converteram nos maiores canalhas nos EUA) é que choraram os mortos do 11/9... mas apenas os que conduziram os aviões! Bush (e o Congresso em uníssono aplaudiu - e as chancelarias do ocidente concordaram) avisou que a guerra contra o terrorismo seria dura e longa. Se a Europa e o Ocidente se convertessem num enorme "islamistão" governado pelos sicários de bin Laden, aqueles que agora querem ceder seriam os primeiros a ser executados: é que até os fundamentalistas islâmicos não suportam traídores!
Quanto ao filho do W Bush... ele só tem duas filhas!
E como o exército norte-americano é todo ele profissional, é bom que se compreenda que os homens e mulheres que combatem no Iraque estão ao serviço dos interesses do seu país e que foram definidas através de decisões democráticas e legítimas (e quase unânimes) dos órgãos de soberania dos EUA... não foi o Bush!

Carlos Covas,
Sem querer ser defensor de quem não me passou procuração para tanto, é curioso que os fanáticos e cegos sejam os que defendem as decisões maioritárias (quase unânimes) dos órgãos de soberania dos EUA. Em compensação, os Michael Moore "look alike" tresandam a sensatez e verdade! Sobre o país aqui ao lado é bom nem falarmos: se o que defende é o cada um por si... o problema é que se formos pela sua tese não se lixa só você e os seus: lixamos-nos todos! E depois ainda vão dizer que a culpa é dos governos que não nos defenderam! Aliás, à medida que se vai descobrindo a verdade, vamos conhecendo quem tinha razão... e quem intoxicou a opinião pública com a mais canalha das demonstrações de desrespeito pela Democracia: fazer campanha no dia de reflexão e contar com a colaboração dos compagnons do costume na comunicação social para propagar propaganda mentirosa! E depois, se defende que um país deve dizer o que lhe apetece em cada momento e não cumprir os compromissos para com os seus aliados! A sorte é que os EUA não serão tão canalhas e continuarão a fornecer a Espanha informações que lhes permita combater a ETA!

Anonymous1
O Mundo está mais seguro: o número de atentados diminuiu em mais de 50%! E só na Arábia Saudita 95% das tentativas de atentado foram frustradas! Mas essas não são notícias que passem na TV ou que constem nos "documentários" do sr. Moore!

Carlos,
O isolacionismo dos EUA é uma mistificação: um país não tem que ficar submetido à opinião e aos interesses de terceiros quando o que está em causa é a sua segurança nacional! Ou acha que se Portugal pudesse e quisesse intervir num problema que nos afectasse deveria ficar à espera que os nossos problemas servissem os interesses dos demais países? E deverá um país como os EUA dependente da treta da "comunidade internacional" composta por regimes como o Sudão que presidem à Comissão dos Direitos Humanos da ONU? Ou ficar cativo das opiniões das ONG's que ninguém sabe de onde surgem, de quem dependem e perante quem respondem?
É pena que os "pacifistas" conheçam pouco de História e escondam as mortes que acorrrem cada vez que, graças a eles, contemporizá-mos com terroristas e ditadores! Por outro lado, a eleição de Kerry em nada alterará a política externa dos EUA porque a actual é a continuação da anterior... ou já se esqueceram da intervenção dos EUA na Jugoslávia sem sanção prévia da ONU? Ou dos bombardeamentos de Bahgdad durante o mandato de Clinton? Ou da tentativa de eliminação de bin Laden através de uma desastrada operação (com um míssil) e que o acicatou ainda mais contra os EUA? A memória é curta... ou será apenas selectiva?

Isabel,
Os EUA «sempre tentaram e continuam a tentar controlar o mundo»? Sempre?!?
Há 50 anos vieram à Europa ajudar a tratar de um senhor do bigode... bondoso como só visto! E ainda há 15 anos resolveram mais um problema quando "trataram da saúde" a um outro "senhor", muito caro à "sinistra" e aos "canhotos"... espero que se recorde! A não ser que na sua memória só caiba a saudade... Quanto a outro país que se imponha. Está a brincar é claro: os EUA são ocidentais, defendem os seus interesses (e a maioria deles são coincidentes com os nossos). Os únicos que se lhe poderão opôr são os que nos odeiam, que odeiam a Liberdade que gozamos, que querem destruír o nosso sistema que separa religião do Estado, que reconhece a igualdade das mulheres... é a esses que pede a intervenção?!? Mas deixe lá... não têm capacidade para tanto. Sorte a minha... e a sua! Acredite!!!


Silva,
É muito feio cuspir no prato em que come! Se não percebe que hajam políticas baseadas nos interesses dos Estados (independentemente de eles serem ou não compatíveis dom os dos outros - será que estes, na prossecução dos seus interesses, se preocupam em as compatibilizar com os dos EUA?), se não percebe, tudo bem... mas qualificá-las de mafiosas é, no mínimo, a demonstração última de uma incultura política atroz! Ah, e George W. Bush ganhou legitimamente as eleições de 2000... se ainda está nessa é porque 16 anos de NY não lhe permitiram perceber nada do sistema norte-americano! Mas já se esqueceram do modo (esse sim mafioso) como, em Chicago, apareceram os votos que permitiram ao Kennedy ganhar as presidenciais de 1960!

Anonymous2,
«Até os JORNALISTAS mentem»?!? Deve para si ser novidade...
E os actores de Hollywood que apoiam o Kerry e esperam voltar a usar a Casa Branca como bordel (como aconteceu no tempo do Clinton - que premiava apoios monetários com convites para dormirem na Casa Branca, em quartos e objectos históricos, propriedade dos contribuintes americanos)! A Straisend e quejandos bem se deliciaram no quartos e nas camas que foram de Lincoln, ou de Jeferson, e outros... E os financiamentos de indonésios e chineses para a campanha do Al Gore?

JMM,
Os que foram para o Iraque foram em consequência de uma decisão quase unânime dos órgãos de soberania dos EUA. Os soldados são profissionais... são os melhores equipados e os mais bem pagos do mundo! Alguns, infelizmente, morrem. Vítimas de atentados traiçoeiros... mas você prefere culpar um político eleito democraticamente e uma decisão democrática e legítima... e apoiar os terroristas! Está no seu direito... espero também que nunca tenha de chorar pelos seus se os terroristas vierem aqui para matar em Portugal! Aí a culpa será do Durão... e não daqueles que se deliciam em matar indiscriminadamente "infiéis"... e quantos mais melhor! Quais foram os crimes de genocídio de que acusa os EUA e George W Bush em particular? Tem noção da enormidade da calúnia que escreveu?!?

SM,
Gostaria de conhecer das «vigarices» que Bush fez na primeira eleição? É fácil dizer baboseiras, mas defendê-las e prová-las é que é do caraças, não é! Aguardo...

Anonymous3,
Não sei a que "protesto político" se está a referir, mas nem todos são legítimos... só espero que nunca tenha que estar numa manifestação democrática e legítima e ter de fugir debaixo de tiro de G3 porque outros, muito "legitima" e "democraticamente" entenderam ser essa uma forma de se manifestarem contra! Aí veríamos se não bradava por protecção policial!

Cumprimentos a todos,
João Titta Maurício

quinta-feira, outubro 28, 2004

Portugal no seu melhor.

Para quando?

"Um dos dois jovens suspeitos de envolvimento numa série de assaltos ocorridos, na segunda-feira, em vários pontos do Ribatejo, tem apenas 15 anos. O menor foi colocado anteontem num centro educativo de Coimbra por determinação do Tribunal do Cartaxo. Por determinação judicial, o seu companheiro vai aguardar o desenrolar do inquérito em prisão preventiva e foi conduzido ao Estabelecimento Prisional das Caldas da Rainha. O menor, de origem africana, já referira às autoridades que tinha apenas 15 anos, mas a sua constituição física suscitou algumas dúvidas que o tribunal veio dissipar. Certo é que os dois jovens foram detidos em Azambuja pela GNR, na tarde de segunda-feira, depois de uma perseguição automóvel que se prolongou por algumas dezenas de quilómetros."


Para quando a alteração necessária ao Código Penal?

Exploração legal.

"O aumento do orçamento do Ministério da Administração Interna (MAI) para 2005 vai ser feito sobretudo à custa das receitas do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Dos 15,5 milhões de euros que se somam ao orçamento de 2004, cerca de 11 milhões de euros provêm directamente dos cofres do SEF. Esta informação foi revelada ontem pelo próprio responsável da Administração Interna, Daniel Sanches, na Assembleia da República, onde se discutiu o documento que prevê um subida nominal dos valores totais de um por cento relativamente a 2004, uma evolução de 1508 milhões de euros para 1524 milhões de euros.

O ministro especificou que o SEF irá beneficiar de um crescimento significativo das receitas próprias, derivado da legalização em massa de imigrantes nos últimos tempos. De perto de 19 milhões de euros de receitas verificadas em 2004, este serviço passará para 30 milhões de euros, uma subida de 58 por cento. Algumas associações de imigrantes têm criticado duramente os valores cobrados pelo Estado, por os considerarem excessivos. A associação Casa do Brasil, nomeadamente, estimou em 1000 euros o preço a pagar por cada imigrante que se quisesse legalizar, ao abrigo do acordo luso-brasileiro. "


Por isso insistem na tese da futura falta de mão-de-obra e consequente necessidade da entrada de mais imigrantes no país, quando a taxa de desemprego está elevada. Querem continuar a explorar os pobres imigrantes. E, ainda por cima, exploração legal.

O verdadeiro Portugal.

"Eles entraram e apreenderam disquetes, CD e o meu computador."

Eram 7h00 quando dois agentes da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria, acompanhados por um procurador adjunto do Ministério Público (MP), bateram à porta de António Caldeira, autor do blogue ‘Do Portugal Profundo’. Um caso de “censura” e “tentativa de intimidação”, considera o professor universitário de Alcobaça, que tem divulgado na internet pormenores do processo Casa Pia."


O verdadeiro Portugal não é o do Prof. Marcelo. É este.

Air Luxor Virtual.

"Há poucas semanas atrás, o dr. Paulo Mirpuri, administrador da empresa Air Luxor, deu uma entrevista à SIC Notícias. Numa manobra de aparente antecipação a um documento muito crítico para a administração e subscrito pela maioria dos pilotos desta companhia aérea - e de facto entregue dez dias depois -, aquele personagem veio explicar o que entende ser a realidade e os desígnios da companhia. Numa voz calma, segura e imperturbável e de postura, o dr. Mirpuri veio afirmar uma série de vacuidades, de meias verdades e algumas falsidades, num estilo a que já nos habituou. E fá-lo com o maior despudor, dando a sensação que acredita até em tudo o que diz. Só a ignorância do que se passa na prática ou a conivência pode explicar que este administrador de uma "empresa de sucesso" e outros superlativos, como gostam de se intitular - resta saber à custa de quê e de quem! -, possa passar incólume cada vez que faz uma intervenção pública. Bastaria, aliás, ler, mesmo que superficialmente, o documento atrás citado para que a maioria das afirmações referidas caíssem por terra. E muito mais haveria a dizer.

É evidente também que só as muitas deficiências de funcionamento do INAC, que é a autoridade aeronáutica nacional - que apenas reflectem as mazelas governamentais -, têm permitido uma contumaz infracção das leis com uma impunidade obscena (parece que este termo está na moda...). Não ficaria mal, por outro lado, aos diferentes sindicatos do sector que acordassem da sua letargia, como parece que está a acontecer (bem como outros organismos públicos), sem estarem à espera que "alguém" ponha a cabeça no cepo, isto é, arrisque uma queixa. Só assim pessoas menos escrupulosas pensariam duas vezes em quebrar as regras estipuladas no tal Estado de direito que enche a boca aos nossos políticos encartados. Só assim a administração da Air Luxor mudaria a sua postura de "dona" da companhia (e dos seus funcionários) para a de empresarial com "E" maiúsculo. E que ainda por cima se julga acima do moral e do direito. Um dia destes irão perceber que não é assim
."

João Santos

Público

Burn.


O legado dos Deep Purple acaba de receber mais uma edição. O álbum «Burn» de 1974 apresenta-se com novas misturas, raridades, lados B e um interessante booklet onde é narrada a história em torno do álbum. O início da década de 70 estava a ser próspera para a carreira dos Deep Purple. O nome da banda ombreava com as bandas mais conceituadas do planeta. Mas como nem tudo numa banda se resume a música, as relações pessoais entre várias elementos da banda estavam no limite do suportável. O período era conturbado e só para citar um exemplo, o vocalista Ian Gillan e o guitarrista Ritchie Blackmore não comunicavam.


Os Deep Purple estavam na eminência de uma urgente mudança na formação. A genialidade de Ritchie Blackmore levava-o a extremismos admitindo por várias vezes que a banda estava acabada. O ano de 1973 seria propício à reformulação através da entrada do baixista/vocalista Glenn Hughes, recrutado aos Trapeze por Jon Lord e Ian Paice num concerto em Los Angeles. Depois de várias abordagens ao vocalista David Coverdale, este acabaria por integrar a banda. Os Deep Purple preparavam-se de imediato para encontrar um rumo artístico para as suas capacidades. «Burn» funcionou como uma ponte inteligente entre a herança rock da banda e a adopção de novas abordagens, nomeadamente ao nível da soul/funk e de aproximações psicadélicas. Para lá de um funk mais que visível no tema «Sail Way» (a entrada deste tema seria recuperada por Lenny Kravitz para a entrada de «Always on the Run»), a a banda apresentava «Might Just Take Your Life» carregada de soul. «What´s Going Here», um blues saltitante e «Mistreated», um blues mais duro, obedeciam ao estereótipo traçado pela banda.


A revisitação a «Burn» traz-nos uma importante obra adornada com algumas raridades, solos perdidos, lados B desconhecidos e fundamentalmente uma potencialização do som analógico. O luxo da edição reluz também no livro que conta em pormenor o enredo em torno deste disco.
Para quem não anda a correr atrás de um ou dois temas clássicos de uma banda e prefere abordar a importância de um disco no seu todo, este relançamento de «Burn» constitui um óptimo cartão de visita para quem não se quer limitar ao «Smoke on the Water».

Pedro Trigueiro

Verdadeiras preocupações.

"A PSP já registou, desde o início do ano, mais de 600 crimes de roubo. Destes, quase 60 foram praticados por menores de 18 anos e com a ajuda de armas. Desta amostra a Polícia conclui que cerca de 10 por cento dos roubos registados são praticados por jovens armados. Nos crimes praticados por menores de 18 anos, são utilizados três tipos de armas. Caçadeiras, armas de fogo e armas brancas, como facas, por exemplo. «As armas de fogo podem ser pistolas ou revólveres. Há muitos casos de pistolas de alarme, que são adaptadas para o calibre 6,35 mm», explica o Comissário Coimbra, da PSP.

De acordo com os dados da Polícia, desde Janeiro deste ano ano foram já assinalados 21 roubos com recurso a arma de fogo praticados por menores. No mesmo período de tempo, contabilizaram-se ainda 25 roubos feitos com arma branca e três com caçadeira. Todos com protagonistas abaixo dos 18 anos. De acordo com o Comissário da PSP, as zonas do país onde mais ocorrem este tipo de situações são a área metropolitana de Lisboa e Setúbal.

«Acima de tudo são jovens oriundos de bairros problemáticos e é nestas zonas que se situam os bairros com maior índice de delinquência juvenil. Também há casos no Porto, mas em menor número», conclui. "

Continuamos a insistir nesta tecla (gangs) porque está na altura de o governo preocupar-se com o que é essencial. A criminalidade juvenil está a aumentar perigosamente alimentada pela impunidade. Os políticos estão protegidos pelos guarda-costas e só se preocupam com as escutas telefónicas. A única coisa que os parece atingir. Para o cidadão comum, sair à rua torna-se cada vez mais uma aventura perigosa que pode implicar a sua morte às mãos de uma "criança" armada. Que democracia é esta aonde o cidadão não pode exercer um dos seus mais elementares direitos: mover-se em segurança?

Está na hora de acabar a palhaçada do aproveitamento político da pretensa falta de liberdade de imprensa e ir ao essencial. A segurança do cidadão que, depois de ver o seu dinheiro sugado pelos impostos cada vez maior, tem de fazer face aos roubos. É que Rebelo de Sousa não foi impedido de fazer o seu comentário, só não fala porque não quer. Mais. Nem mesmo os jornalistas se preocupam em perceber o que o poder político anda a defender no que toca às verdadeiras limitações à liberdade de imprensa. Além do mais, os próprios jornalistas também se colocaram a jeito com o triste espectáculo informativo verdadeiramente degradante que nos têm proporcionam (caso Joana por exemplo).
O problema reside mais na concentração dos meios de comunicação social em grupos económicos cada vez mais restritos do que na política governamental.

Curiosidades.

"Os portugueses detidos na Venezuela por suspeita de tráfico de droga continuam a ser ouvidos pelas autoridades de Caracas. De acordo com o embaixador de Portugal no país, Vasco Bramão Ramos, «as audições de todos os suspeitos, os seis portugueses e os seis venezuelanos, deverão demorar pelo menos uma semana». Isto atendendo à complexidade do caso: «A leitura dos autos demorou seis horas e no primeiro dia só foram ouvidas duas pessoas.»Ontem de manhã o advogado dos tripulantes do avião, António Pinto Pereira, partiu para a Venezuela com o objectivo de clarificar «qual o papel e a responsabilidade da tripulação» neste caso.

O porta--voz da empresa reitera toda a confiança no comandante, no co-piloto e na assistente de bordo e volta a afirmar que foram eles que, suspeitando do número de malas transportadas pelas três passageiras, denunciaram o caso às autoridades venezuelanas. A Guarda Nacional (GN) da Venezuela diz que não houve qualquer denúncia. Esta não é a única contradição, também existem diferentes versões quanto à rota do avião e à matrícula do aparelho. Os portugueses foram detidos no sábado, quando a GN apreendeu 386,4 quilos de cocaína que alegadamente iria ser transportada para Portugal num avião fretado pela Air Luxor à TAC - Transportes Aéreos Comunitários."

DN.

Porque será que as notícias da Air Luxor vêm sempre deturpadas? Ou se omite o nome do dono da companhia aérea (Air Luxor) ou atribui-se a propriedade a outrém. A verdade é que o operador Transportes Aéreos Comunitários (TAC) é que fretou o jacto executivo à Masterjet, a marca da Air Luxor para aquele segmento. Também interessantes são as afirmações do Comandante Geral da Guarda Civil Venezuelana que afirma "Em nenhum momento fomos alertados pela tripulação, quero deixar claro à opinião pública internacional que foram detidos quando o avião já estava no ar" e que o "avião já estava relacionado com algumas investigações, como lavagem de dinheiro entre outras coisas".

Também interessante é a rota do avião passar por Cabo Verde e pelas Canárias, antes de aterrar em Faro e, finalmente, no aeródromo de Tires. Ou seja o controlo de entrada em espaço Shengen deveria ser feito nas Canárias, Espanha, e não em Portugal. O conhecimento desta rota acaba por explicar porque é que, sendo um voo não regular (conhecido como táxi aéreo), não pediu autorização - como a Lei obriga - ao Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) para entrar em Portugal. Se juntarmos esta última parte com a participação de um ex-piloto de aviação comercial civil, também director de voo da empresa transportes aéreos comunitários e ex-funcionário do INAC, a coisa fica mais "interessante".

quarta-feira, outubro 27, 2004

Todos iguais?

A lei tipifica que os julgamentos devem ser efectuados nos tribunais, não na praça pública. Acontece que na praça pública, faz-se sentir muito mais o “poder” de certos arguidos, “matando” o princípio da igualdade entre eles que, diga-se de passagem, morre logo com a possibilidade de só os “poderosos” poderem recorrer aos serviços dos melhores advogados.

É notório que se for um arguido poderoso, este tem mais meios de defesa “exteriores” que o vulgar arguido normal e, claro que esses meios de defesa são sempre pressionatórios da justiça.

Como a lei tipifica que os juízes não julgam em função dos jornais e da propaganda e que o meio de chegar aos seus ouvidos é através de requerimentos, não há necessidade de haver conferências de imprensa, especialmente quando até o verdadeiro intuito, não é a defesa do arguido mas, sim a publicidade dos intervenientes.

Assim as formas de pressão exteriores sobre a justiça são lesivas do princípio de igualdade dos cidadãos.

Teste.

Teste realizado em futuros pilotos da FORÇA AÉREA AMERICANA, onde, segundo os instrutores, o candidato deve permanecer por no MÍNIMO 2 MINUTOS.

Para pessoas normais, o período mínimo de permanência é de 30 segundos.
1 - Abra o anexo;
2 - Clique no bloco vermelho e segure, mova-o para evitar os blocos azuis tanto tempo quanto possível.;
3 - Se tocar nas bordas, perderá;
4 - Se conseguir aguentar mais de 45 segundos será um fenômeno.

OBS: CUIDADO PARA NÃO VICIAR!...

Invenções.

"Costuma dizer-se que já não há nada para criar, já está tudo inventado. Afinal, o universo automóvel tem mostrado que não é assim, não parando de surpreender com novas soluções que visam incrementar a segurança, o conforto e bem-estar a bordo. No automóvel ideal deveriam conviver todos os sistemas que revelamos de forma esquemática e que ainda assim deixam espaço para surgir outras novidades. Todos os gadgets apresentados já são aplicados e comercializados nos automóveis que podemos comprar num concessionário.

Bem, alguns ainda não se democratizaram e, como é normal, começam por aparecer nos modelos topo de gama e só mais tarde se generalizam. Ainda na calha estão soluções como o avisador sonoro quando se muda de faixa sempre que se detecta outro veículo ao lado, eliminando assim os riscos dos ângulos mortos. Por outro lado, falham ainda certos pormenores. Quando se julga que engenheiros e projectistas já pensaram em quase tudo, bem, tudo não. Afinal, na era da fast-food, ainda ninguém se lembrou da falta que faz um caixote do lixo no interior de um automóvel para deixar os restos das embalagens, uma garrafa de água ou pacote de gelado. Parece simples uma poubelle de auto, mas pelos vistos terá de ser uma criação portuguesa."

Conversas de amigo.

"Marcelo Rebelo de Sousa afirmou hoje que o presidente da TVI, Miguel Pais do Amaral, lhe impôs um prazo para que repensasse o teor das suas intervenções nas edições de domingo do Jornal da Noite."

A tal conversa de amigos que não tinha a ver com os comentários do professor, mas com um pedido de conselhos sobre temas estratégicos para a Media Capital, de curto e médio prazo, aonde aproveitou para atacar o Prof. Cavaco. Qual será a resposta de Pais do Amaral?

London Calling.


As «Spanish Bombs» voltaram a cair num mundo sedento de «Death or Glory», mais preocupado com o «Brand New Cadillac» do que com «The Right Profile». Voltamos a sentir-nos «Lost in the Supermarket» mas firmes na tentação de um «Lover's Rock» e à procura da «Revolution Rock» que pouco sentido faz quando se refere apenas a «The Guns of Brixton». Valha-nos a energia de «Koka Kola» ou a fúria de «The Card Cheat» e o swing de «Wrong'em Boyo». Há dias em que nos sentimos novamente «Hateful» mas as seduções ácidas de «Jimmy Jazz» trazem-nos à memória paisagens serenas de «Train in Vain». Mas o apelo de «London Calling» leva-nos de volta à luta.


Vinte e cinco anos depois o melhor disco da história do rock entra-nos pela memória adentro como uma torrente de lava endiabrada e revolta, qual memória fresca dos tempos de uma revolução impossível. Vinte cinco anos depois revisita-se o passado com o doce sabor de dever cumprido e a recordação de tempos míticos, onde a vontade de descobrir o mundo esbarrava com a falta de oportunidades e de dinheiro. Vinte cinco anos depois o velho duplo LP com a capa em mau estado e os discos já gastos - guardados como um registo sagrado em sacos mantidos intactos através de fita-cola amarelecida e velha - ganha uma nova vida. Era o tempo dos discos CBS, editados em Portugal pela Rádio Triunfo.


Agora, é o tempo de uma revisitação em formato de luxo. «London Calling», uma das obras-primas dos Clash - a outra é «Sandinista» - acabou de ser reeditado em versão duplo-cd com mais um DVD chamado «O último testamento» porque revela, pela primeira vez, algumas das sessões de gravação de material que viria a fazer parte de «London Calling». Através das imagens percebemos melhor o mundo de Joe Strummer (já falecido), Mick Jones, Paul Simonon e Topper Headon e também do lunático produtor Guy Stevens, o provocador de serviço. Com esta edição, o disco dos Clash ganha uma nova vida, uma dimensão hig tech mas não a eternidade, porque essa já lá está desde 1979, ano de lançamento do original.


O novo London Calling vale principalmente por «The Vanilla Tapes», gravações que se julgavam perdidas e que constituem uma espécie de «London Calling» em estado puro. É possível ouvir fabulosas versões de «Lover's Rock», «Death or Glory» e «I'm Not Down» mas também versões incríveis de outros temas do disco como, por exemplo, «Koka Kola, Advertising & Cocaine» («Koka Kola» no original) e «The Police Walked In 4 Jazz» («Jimmy Jazza», no original). Há ainda cinco novas canções, entre as quais uma versão de um tema de Bob Dylan, «The Man in Me». O local onde estas demos foram gravados, chamado precisamente Vanilla, em Pimlico, já não existe o que acentua ainda mais a carga mítica do CD. Obviamente que o som não é de grande qualidade mas o disco vale pela raridade do material.


Vinte cinco anos depois «London Calling» leva-nos outra vez de volta a peregrinações genuínas de outros tempos, muitas vezes insensatas, excessivas e líricas mas honestas e de convicções absolutas. O que ficou desses tempos, o que ficou dos Clash, desde «Janie Jones» até «Death is a Star», foi uma vontade enorme de liberdade, um desejo imenso de independência, uma permanente rejeição de meias-verdades, hipocrisias e falsos moralismos, uma atracção irresistível pela verdade doa o que doer. O que ficou desses tempos foi um código de valores, princípios, solidariedades, devoções, amores e força vital, mas nunca de obediências cegas.

Hermínio Santos.

"Mais Um Desvio Direitista do Barnabé"

"Primeiro foi o seu endosso, embora envergonhado, à candidatura de John Kerry. Agora Daniel Oliveira anuncia orgulhoso o apoio do Financial Times, esse pasquim da alta finança internacional, à candidatura dos "Democratas" americanos. Sente-se melhor na companhia dos burgueses, camarada? "

Contra a podridão da grande maçã vermelha!

terça-feira, outubro 26, 2004

Novas do Texas.

"O início do ano lectivo 2004/2005 foi mais que uma confusão administrativa para os alunos da Escola EB 2+3 Bartolomeu Dias, em Sacavém, foi o começo de um autêntico pesadelo. Uma comissão de pais fechou esta terça-feira a escola a cadeado, em protesto pela falta de segurança no estabelecimento. Em reportagem ontem difundida pela SIC, pais e professores da Escola EB 2+2 Bartolomeu Dias indicaram que a violência é fruto do conflito entre 'gangs' dos bairros Quinta do Mocho e Prior Velho. Os testemunhos dos pais foram chocantes. Denunciaram a entrada na escola de facas e paus nas mãos de alunos e também de jovens alheios ao estabelecimento de ensino. Uma mãe quase em lágrimas, cujo filho havia sido espancado nesse dia, dizia que já não se tratava apenas de poupar o filho aos roubos e às tareias, mas salvar-lhe a vida."

As crianças nem já à escola podem ir. Mas para os políticos continua tudo bem.

Bichas.

George Michael declarou numa entrevista recente à revista "GQ" que foi vítima de assédio sexual por parte da Madonna. Segundo ele "no início da minha carreira existiram aproximações por parte de Madonna. Tinha 23 anos e fiquei muito intimidado. Senti que ela estava a tirar-se a mim. Se aceitasse, iria ter sexo tão intenso como se fosse com um homem. Achava-a mesmo sexy".

Novas do Texas.

"O Fiat Punto vermelho parou ao lado do Honda Civic verde. E de repente o inferno. Três homens, armados de pistola e facas, tomaram de assalto o carro, conduzido por uma mulher e onde seguia também um passageiro, que fugiu. A condutora ofereceu resistência, foi esfaqueada e atirada do carro em movimento. Ontem de manhã, na Avenida da Liberdade, em Monte Abraão, Queluz. O assalto ocorreu cerca das 7h20. Apesar de os assaltantes, de etnia africana, estarem armados e mostrarem grande violência, a condutora do Honda, também africana, não se deixou intimidar e ofereceu resistência contra os ladrões que, apesar de tudo, lograram tomar o domínio do veículo."
Trata-se de assaltantes de "clínica geral". Nada racistas. É bom para eles e para o país.

Uma guerra, perdão, um debate.

"Há dias, um jornalista norte-americano, Daniel Pipes, deu-se ao trabalho de catar os eufemismos usados pela imprensa ocidental para evitar o uso da palavra "terrorista". Encontrou vinte, de "assaltante" a "separatista", passando pelos sempre deliciosos "militante" e "radical". Por cá, uma rápida pesquisa mostra que, nesta área como noutras, ainda não atingimos a sofisticação de uma França, digamos. Mesmo assim, um único artigo sobre o sequestro de Breslan, publicado num diário identificado com o centro-direita, revelou cinco alternativas ao emprego do palavrão: "guerrilheiros", "raptores", "comandos", "rebeldes" e "suicidas". Não é mau. O Sr. Pipes, com alguma propriedade, entende que a recusa dos vocabulários "terror", "terrorismo" ou "terrorista" possui fundamentos ideológicos, que radicam na simpatia que a maioria dos jornalistas ocidentais nutre pela "luta" palestiniana. Se tomarmos esta particular "luta" como paradigma de todas as "Lutas" do Islão, e se considerarmos que o Islão hoje praticamente esgota todas as acções terroristas (perdão) existentes, não custa acreditar que o terror (desculpem) armado prospere na realidade e se abeire da extinção nos nossos dicionários.

Seria útil reflectir sobre se este jornalismo de "causas" também não representa, em si, um eufemismo, ou, mais provavelmente, uma contradição nos termos. Mas, por agora, talvez haja interesse em notar que o Sr. Pipes descurou o que em inglês se designa por euphemism treadmill, e que consiste na conotação negativa que os próprios eufemismos vão adquirindo com o tempo. Um exemplo em voga é o do "desmancho", que depois se tornou "aborto", em seguida "interrupção voluntária da gravidez" e actualmente se diz "ir ao barco". Não duvido que certos media franceses ou americanos já estejam a um passo de aplicar o processo acima ao terrorismo (foi sem querer). E que, nesses bocados civilizados do mundo, até conceitos como "extremistas" e "combatentes" comecem a ostentar uma aura desagradável, sendo substituídos por delicadezas do tipo "contumazes" ou "técnicos de altercação urbana". Em Portugal, infelizmente, sofremos os efeitos da periferia e andamos constantemente atrasados. Somos nós, que escrevemos na imprensa, que devemos fomentar a mudança e a modernidade. Por mim, dou a contribuição que me compete e sugiro que aos terroristas (não liguem) que se explodem entre inocentes, por ora designados "bombistas suicidas", passemos a chamar "animadores de rua". Ou "animadoras", se o terrorista (é a última vez) for mulher
".

Alberto Gonçalves.

segunda-feira, outubro 25, 2004

Pois pois.

"O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas (ACIME) alertou hoje para a escassez de mão-de-obra imigrante, considerando que, nos próximos anos, tornará insustentável algumas actividades económicas em Portugal.”

E os milhares de imigrantes no desemprego não servem? Basta ir ao Rossio, à estação da CP da Amadora ou da Damaia para facilmente obter mão-de-obra. E eles passam lá o dia todo sem fazer nada.

Tristeza

"A Câmara de Lisboa classificou hoje de "simplistas" as sugestões de José Sá Fernandes para repor a normalidade na circulação rodoviária na zona do Túnel do Marquês, em resposta a um requerimento apresentado pelo advogado. "Apesar dos conhecimentos técnicos demonstrados – e que lhe são reconhecidos pela sua qualificação profissional – permitem-nos discordar das suas soluções, dado que por tão simplistas podem as mesmas cair na demagogia fácil ou no absurdo", refere a resposta da autarquia, assinada pelo vice-presidente e responsável pelas Obras Municipais, Pedro Pinto."

O que eles fazem para aparecer na TV. José Sá Fernandes primeiro conseguiu parar as obras do túnel prejudicando milhares de pessoas que o utilizam diariamente. Agora aparece a dar soluções sem a mínima viabilidade que não o seu protagonismo nos media.

Tudo por tudo.

"Carlos Cruz tem passado os últimos dias a dar entrevistas aos jornais e às televisões."

É o tudo por tudo. Claro que estas entrevistas não perturbam a ordem pública nem o correcto andamento do processo.

Bons exemplos.

"A Holanda é o principal produtor de drogas sintéticas, e desempenha um papel «importante» no tráfico e distribuição de heroína, cocaína e cannabis, revela um relatório da polícia do país, enviado esta segunda-feira ao Parlamento do país."

Da Holanda não vem nada de jeito. Desde barcos com contentores para abortar até droga, tudo parte de lá. Um exemplo a seguir segundo o BE.

Pressões.

"O presidente do conselho de administração da TVI, Miguel Pais do Amaral, negou hoje a existência de pressões por parte do Governo para a saída de Marcelo Rebelo de Sousa daquela estação de televisão, afirmando que o diálogo que teve com o comentador "foi uma conversa de amigos". "A razão da conversa não tinha a ver com os comentários do professor Marcelo Rebelo de Sousa, mas com um pedido de conselhos sobre temas estratégicos para a Media Capital, de curto e médio prazo, que não posso revelar por se tratar de informação privilegiada. Apesar de ter sempre rejeitado pressões por parte dos Governos de Santana Lopes, Durão Barroso e António Guterres, Miguel Pais do Amaral sugeriu que durante o Executivo de Cavaco Silva elas existiram."

Público.

Se foi uma conversa de amigos para aconselhar sobre o futuro da Media Capital, não houve pressões para o Prof. sair. Mas, curiosamente, Pais do Amaral aproveita para atacar Cavaco Silva. Será que a sua amizade com Marcelo tem alguma coisa a ver com este ataque? Tudo isto soa muito estranho.

GARZÓN LIGA RADICAIS ISLÂMICOS À ETA.

"O juiz espanhol Baltazar Garzón decidiu prolongar a prisão preventiva de 17 alegados terroristas islâmicos depois de ter descoberto que um grupo radical islâmico, que planeava atacar a Audiência Nacional, queria destruir os cadastros de extremistas relacionados com o 11 de Março.

Entretanto, buscas feitas à cela de Abdelkrim Beresmail na prisão de Villabona permitiram, segundo o jornal ‘El Mundo’, encontrar uma agenda na qual constavam, entre outros, os nomes de Henri Parot e Harriet Iragi, assassinos ao serviço da ETA, também detidos, responsáveis por dezenas de mortes.
"


Sempre dissemos que o Zapatero tinha enganado os espanhóis.

23 de Outubro de 1956


Milhares de hungaros saem à rua exigindo o fim do jugo soviético. A transformação da Hungria num país-satélite da União Soviética ocorreu grad ual mente entre os anos de 1945 e 1949. No entanto, nos anos 50 o país passou por um processo de abertura política que se expressou nas medidas adotadas pelo governante Imre Nagy (1896-1958): proclamação de neutralidade da nação húngara, extinção da censura, abertura de fronteiras e retirada do Pacto de Varsóvia. Em resposta, o governo soviético enviou tropas que invadiram a Hungria em 1956 e esmagaram o regime liberal .

Janós Kádár (1912-1989) foi colocado no poder em substituição de Nagy, que foi preso e executado. Kádár governou o país até 1988, quando foi substituído por um simpatizante da glasnost soviética, Károly Grósz, que desencadeou o processo definitivo de abertura política. Os primeiros anos da década de 1990 foram marcados pela retirada das tropas soviéticas do território húngaro e pela vitória eleitoral do Fórum Democrático Húngaro, que aprofundou as reformas econômicas e as mudanças políticas democratizantes.

O estado da Nação.

domingo, outubro 24, 2004

Halloween

PGR.

"A semanas do início do julgamento da Casa Pia, Souto Moura deixou as frases soltas, mostrou coragem e deu uma entrevista, que classificou de “alto risco”. Ao lê-la percebe-se porquê. Se por um lado desagrada às defesas dos arguidos e a quem o tentou submeter a “um linchamento público”, reafirmando não ter encontrado na investigação nenhuma opção que o “repugnasse ou possa ser considerada ilegal”.

Por outro, assume-se como “a última pessoa interessada em fragilizar ou prejudicar de que maneira fosse o PS”, deixando no ar a ideia de que se alguma influência teve foi para proteger o partido que lhe deu poder, como quando – ainda as acusações contra Ferro Rodrigues e Paulo Pedroso não chocavam com as suas “obrigações inerentes ao cargo” – tentou, a pedido do PS, impedir que Rui Teixeira fosse a S. Bento. Souto Moura vai mesmo mais longe e confessa “desconforto” pelos ataques socialistas, que segundo ele não perceberam que isso só aconteceu porque Ferro Rodrigues fez “uma colagem – terrível para o PS – de um problema pessoal ao partido”
. "

Rui Hortelão

Se o homem fala, é porque fala. Se o homem não fala, é porque não fala. Só não vê o que se passa quem não quer.

Delícias de "A Bola".


Interesse crescente.

Só pode.

"Dezasseis pessoas foram assassinadas sexta-feira por um grupo islamista na região de Médéa, a 80 quilómetros a Sul de Argel, noticiou ontem a televisão argelina. "

Por certo trata-se de espiões a soldo dos americanos....

Com a verdade me enganas.

Chama e bem a atenção o "Jumento":

"Humor ou autobiografia?

«Como é que um ser humano se transforma num fantoche? A pergunta parece oriunda de uma personagem dos Marretas; mas asseguro-vos, leitores, que encerra o drama central da minha vida jornalística.»

Luís Delgado in
Diário Digital."

Que dizer?

sábado, outubro 23, 2004

New job for the boys.

"O governo vai extinguir o cargo de Director-Geral dos Impostos, revelou o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Orlando Caliço, adiantando que também vão desaparecer os cargos de directores-gerais das Alfândegas e da Informática. Numa entrevista publicada este sábado no semanário “Expresso”, o governante adiantou ainda que as três direcções-gerais extintas passarão a ser dirigidas pelo novo Conselho de Administração das Contribuições e Impostos, para o qual o governo indicará seis personalidades.De acordo com as palavras do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, estas seis personalidades “acima de qualquer suspeita, algumas até de fora da máquina fiscal”, serão indicadas pelo ministro das Finanças, Bagão Félix, e pelo primeiro-ministro, Santana Lopes.

Saem três entram seis. O baile descarado continua.


Carlos Cruz

Carlos Cruz fartou-se de dar entrevistas esta semana. O Independente e o Sábado publicaram algumas delas. Mas, segundo o Correio da Manhã, não correram lá muito bem. Afirma ter enviado dois bilhetes que estão no processo ao Bibi quando à Direcção-Geral dos Serviços Prisionais (DGSP) assegurou que só tinha enviado um; que conversou uma vez com ‘Bibi’ quando garantiu a Helena Cardona que, durante o tempo em que permaneceu no EPPJ, cruzou-se algumas vezes nos corredores da prisão com o antigo motorista da Casa Pia, porém, que nunca lhe dirigira qualquer palavra.

Pois é.

"Pelo menos oito em cada dez iraquianos (85 por cento) têm intenção de votar nas eleições previstas para Janeiro de 2005, segundo uma sondagem realizado no Iraque e divulgada hoje em Washington pelo Instituto Republicano Internacional.Segundo a sondagem, 58,7 por cento dos iraquianos considera que as eleições decorrerão efectivamente a 31 de Janeiro, enquanto 35,4 por cento pensa que serão adiadas devido à violência. "

Os iraquianos desejam mais as eleições no seu país que muitos dos ocidentais. O anti-americanismo é lixado.

A alegria das bichas.

"O primeiro canal de televisão homossexual francês, o Pink TV, é lançado na próxima segunda-feira, 25 de Outubro. A abertura está prevista para as 20:40 horas e terá uma programação bastante variada."

Vem aí a alegria das bichas, com programas culturais sobre WC públicos, documentários profundos, filmes e conselhos para virar o rabeta do século.

Turistas especiais.

"A polícia francesa identificou o primeiro islamita francês morto em Fallujah, bastião da resistência sunita, e obteve provas de que jovens fundamentalistas partem de França para o Iraque para combater, noticiou hoje o diário "Le Figaro". "

Devia-se promover este tipo de "turismo". Quanto mais longe estiverem melhor.

Quem vem a seguir, que se cuide.

"O Governo prevê encaixar mais de mil milhões de euros em receitas extraordinárias com a venda «de quase 200 edifícios em que o Estado passará de senhorio a arrendatário», confirmou ontem Bagão Félix."

Não é preciso perceber muito de economia para ver que passar de senhorio a arrendatário não é um bom negócio para o Estado. E ainda por cima vender o património aos banqueiros. Sendo o Estado muito generoso nos contratos de arrendamento (e não só) que efectua, em breve os tais banqueiros, não só recuperaram o dinheiro investido, como já estão a lucrar com o negócio à conta do Estado. Mais uma decisão de "lucro" a curto prazo e défice a médio prazo.

O último a sair que apague a luz!!!!

Justiça do Santo Ofício.

"Franklim Lobo, 49 anos, apontado pelas autoridades portuguesa como um dos mais importantes traficantes de droga portugueses, foi libertado anteontem, aparentemente devido a um lapso judicial. Lobo fugira de Portugal há cerca de quatro anos, depois de ter sido condenado a uma pena de 25 anos de prisão e fora recapturado recentemente em Espanha, depois de uma operação conjunta das polícias dos dois países, à qual se seguiu a extradição para Portugal. A inesperada libertação de Franklim Lobo surpreendeu a PJ, que investira anos na detenção do traficante"

JN.

António Marinho tem toda a razão. Um arguido não pode defender-se. Para isso era preciso que fosse a julgamento mas com esta (in)justiça ...

sexta-feira, outubro 22, 2004

Novas do Texas.

"Um indivíduo de 36 anos, de etnia cigana, suspeito de vários assaltos à mão armada no centro do País, foi quarta-feira de madrugada baleado numa coxa por agentes da Polícia Judiciária que tentavam proceder à sua detenção e se viram obrigados a responder a tiro quando o homem lhes apontou uma arma de calibre de guerra, confirmou ao CM fonte oficial daquele órgão de investigação criminal. "

Com a PJ a conversa é outra.



quinta-feira, outubro 21, 2004

Aposta.

Até quando?

"O bairro da Cova da Moura na Amadora volta a ser palco de violência. Esta tarde dois agentes da PSP ficaram feridos durante uma perseguição a suspeito de furto, disse à Lusa fonte policial.
O incidente ocorreu por volta das 14:15, quando os agentes da esquadra da Damaia. Acompanhados da vítima de furto entraram no bairro para identificar os assaltantes. Um dos agentes foi atingido por um tijolo na cabeça, encontrando-se hospitalizado no São Francisco de Xavier, o outro caiu de umas escadas. Vários agentes da Divisão da PSP da Amadora e da Esquadra de Intervenção Rápida, foram enviados para o Bairro da Cova da Moura para tentar identificar e localizar os suspeitos, tanto do furto como da agressão, disse a mesma fonte.
"

Até quando vamos permitir isto?

Pois.

"Na edição de segunda-feira deste jornal, Cintra Torres acusa-me de ter enviado "ao director do PÚBLICO uma carta, na (...) qualidade de secretário de Estado, pressionando" o seu "afastamento destas páginas por delito de opinião" e compara-me por isso ao ministro Gomes da Silva. Cintra Torres não diz a verdade. A carta que dirigi ao PÚBLICO visava responder ao texto que subscrevera intitulado "A União Nacional rosa e o juiz de Penacova", onde, além de se referir a um "polvo" socialista que controlaria a comunicação social, Cintra criticava uma justíssima contra-ordenação aplicada pelos serviços que então tutelava -- o ICS - à Rádio Penacova, ligada ao grupo Media Capital. Limitei-me na carta a sugerir que a defesa daquela emissora local por parte de Cintra Torres não era nada inocente...

De facto, não era. Noutra carta publicada a 6-12-2001, o então presidente da RDP, José Manuel Nunes, recordava que Cintra Torres era - não sei se ainda é... - colaborador remunerado do grupo Media Capital, o que é absolutamente revelador sobre a independência com que elaborava as suas críticas. No que respeita à comparação com a situação actual, limito-me a recordar que durante os governos de António Guterres Portugal foi considerado como o sétimo país do mundo com maior liberdade de informação por uma prestigiada organização internacional de jornalistas.
"

Alberto Arons de Carvalho

"Mário Crespo deixou a RTP depois de três anos na ‘prateleira’ e de alguns processos disciplinares por questionar o poder político sobre a TV pública. A pasta era tutelada pelo ministro da Cultura, Augusto Santos Silva, do então Governo socialista. "


"O ressurgir de actores do passado, como Arons de Carvalho, a fazerem pronunciamentos para os quais o seu currículo não lhe dá legitimidade, parece-me mau. O Partido Socialista terá que encontrar novos interlocutores para a sua nova visão para a comunicação social. Também não podemos esquecer que foi o regime de António Guterres que criou, na Portugal Telecom, a estrutura que permitiu à empresa entrar nos media e tornar-se numa central de comunicações."

Mário Crespo

Finalmente justiça social.


Delícias de "A Bola".

Romântico à antiga.


Mas a melhor é a do frango do Baía. Com o PIERLUIGI COLINA não fugiu da capoeira.

Avestruzes à força.

"A insegurança chegou às portas da escola EB 2,3 de Paredes. Quando se preparava para sair do carro, estacionado num parque adjacente à escola, um professor foi interpelado por dois indivíduos encapuzados que lhe tentaram furtar a viatura, sob a ameaça de uma caçadeira. Sem tempo para pedir ajuda ou para qualquer outro tipo de reacção, o docente acabou por ser atingido por um disparo, que lhe provocou ferimentos numa perna. "

Por este caminho, roubar será tão perfeitamente natural que quem não o fizer, vai passar a ser preso. Mas, curiosamente, parece que não se pode falar livremente sobre os assaltantes. Se a raça do assaltante for referida, passa a ser xenofobia e racismo. É que como há portugueses brancos a roubar na Carris, é legítimo que os africanos também roubem. Convém é que seja na CP ou na Transtejo por causa da concorrência. Nem o facto de terem iniciado um novo tipo de criminalidade (gangs de menores inimputáveis) é relevante e preocupante. Nem mesmo o aumento desse tipo de criminalidade alimentado pelo sentimento de impunidade preocupa. Está tudo bem. Mais. É a forma que eles têm de se integrarem na sociedade. Há que respeitar e principalmente andar com dinheiro para distribuir pelas excelências.

Preocupação legítima.

"A notícia é preocupante e apareceu com algum destaque no "site" do conselho federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Será que os advogados portugueses vão ser todos "chipados"? Ou seja, será que os advogados portugueses vão ser objecto de um controlo informático por parte da sua Ordem? A resposta parece ser afirmativa, se tivermos em conta a intervenção que um alto responsável da Ordem dos Advogados de Portugal proferiu numa reunião do Colégio de Presidentes de Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil da Região Nordeste, em 24 de Agosto.
De acordo com a citada notícia, João Correia, candidato a bastonário e vice-presidente do conselho geral (que nessa reunião foi apresentado como "presidente em exercício da Ordem dos Advogados de Portugal"), teria afirmado que "uma das medidas que a OAP adoptou para reduzir a falta de pagamento das quotas por parte dos advogados portugueses foi a instalação de um 'chip' na respectiva cédula profissional". Ainda segundo a notícia em causa, o ora candidato a bastonário teria garantido que, com esse 'chip', "... em caso de falta de pagamento, a entidade comunica imediatamente aos tribunais que o advogado está em débito com a sua instituição e ele deixa de ter, automaticamente, acesso aos processos em todas as instâncias". "

ANTÓNIO MARINHO E PINTO.

Será que o homem não paga as quotas e está preocupada com a ideia?

Curiosidades.

"As forças norte-americanas anunciaram ontem que um ataque com "munições de precisão" destruiu, em Falluja, um importante centro de comando dos rebeldes do grupo do jordano Abu Musab al-Zarqawi. Testemunhas na cidade dizem, por seu lado, que um outro ataque americano matou uma família de seis pessoas, os pais e quatro crianças, que tinham regressado a Falluja na noite anterior depois de terem estado várias semanas fora por receio da violência. "

Público.

Esses iraquianos são engraçados. Fogem com medo da violência de Falluja quando a situação está mais calma e regressam a meio da ofensiva americana contra o "resistente" Zarqawi. Não nos lixem.

Porreiro.

"Em Portugal, todos os cidadãos têm iguais direitos e iguais situações perante a Justiça e seguramente o senhor procurador pensará isso também e seguramente não pode ter sido diferente daquilo que estou a dizer", afirmou o ministro (José Pedro Aguiar-Branco)na Guarda, onde presidiu às comemorações do 59º aniversário da Polícia Judiciária (PJ) e à inauguração da nova sede da PJ."
Ficámos mais descansados.

Consta.

"O ministro dos Assuntos Parlamentares manifestou-se ontem convicto de que existia uma cabala contra o Governo levada a cabo pelo semanário Expresso, pelo jornal Público e pelo ex-comentador da TVI Marcelo Rebelo de Sousa. «Objectivamente havia uma cumplicidade», disse Rui Gomes da Silva durante a sua audição na Alta Autoridade para a Comunicação Social (AACS) sobre as críticas que lançou a Marcelo dois dias antes de este ter saído daquela estação de televisão."

DN

Consta que o ministro trabalhou no escritório de advogados do homem da Universidade Moderna Braga Gonçalves. Será verdade?

quarta-feira, outubro 20, 2004

Informação em Portugal.

"Nos últimos tempos, os textos (apresentados pelos "pivots") que antecedem as peças do Jornal Nacional da TVI têm adoptado um cariz menos noticioso e mais opinativo contra os poderes em geral e contra o Governo em particular. Pode ser coincidência, mas a tendência parece notar-se desde o chamado caso "Marcelo". Manuela Moura Guedes faz verdadeiros editoriais quando apresenta as peças ou faz os remates no final das reportagens. Não só pelo que diz, mas também pela sua expressão facial. E às vezes pelo seu riso. O tom varia entre o género "vamos lá pôr a nu as trapalhadas dos ministros", a resignação "enfim, caros telespectadores, é o governo que temos..." e o tipo "ainda bem que a TVI existe para desmascarar tudo isto". É um estilo interessante, sobretudo, no momento em que se discute a opinião dos comentadores/jornalistas nos noticiários televisivos. Não questiono a posição de contrapoder assumida pela TVI, questiono mais o seu estilo. É que o tom de chacota excessivo e permanente pode descredibilizar as suas notícias. E às vezes há bons exemplos de jornalismo que se podem perder no meio de toda aquela exuberância. É claro que a cultura democrática de grande parte dos nossos políticos anda a precisar de se apurar. Em França, o ministro da Justiça foi apanhado pelos "media" em excesso de velocidade. Veio a público dar uma explicação. Em Portugal, vários ministros foram apanhados na mesma situação numa reportagem da TVI e nenhum deu uma conferência de imprensa para se justificar."

Sofia Rodrigues

O novo tipo de jornalismo português consiste em opinar e não informar com os lacunas daí inerentes. Entramos no domínio da contra-informação que depende da disposição momentânea do jornalista.

"Bons empregos".

"O Presidente da Assembleia da República, João Bosco Mota Amaral, enviou na semana passada uma carta a todos os presidentes de comissões parlamentares, recordando-lhes a obrigação de participarem na conferência que quinzenalmente os deveria reunir.

"Tem-se verificado, nos últimos tempos, a ausência de vários membros da conferência nas reuniões convocadas, com apreciável antecedência, muitas vezes se qualquer justificação, prévia ou posterior", lê-se na carta, a que o PÚBLICO teve acesso
. "

Novas do Texas.

"O Volkswagen Golf descapotável de Nuno Gomes, avançado do Benfica, foi ontem de madrugada assaltado por desconhecidos que penetraram na garagem do luxuoso condomínio fechado onde o futebolista reside, na zona do Parque das Nações, Lisboa. Vários outros carros foram também vandalizados.

Três ou quatro indivíduos aproveitaram a madrugada para, pouco antes das 06h00, entrarem no n.º10 da Avenida de Pádua, um prédio que faz parte do empreendimento de luxo ‘Lisboa Oriente’. Ao que o CM conseguiu saber, os gatunos usaram uma barra de ferro para forçar um portão nas traseiras. A partir daí, o caminho até à zona das garagens foi facilitado. Confiantes na segurança que lhes foi apresentada durante a venda dos andares, feita pela imobiliária ‘Ferrovial’, muitos moradores terão deixado as viaturas abertas, o que facilitou a tarefa dos assaltantes. "

Não há segurança em parte alguma.

Portugal no seu melhor??

"Um renomado feiticeiro africano alegadamente com amplos poderes espirituais está, desde há algum tempo, a colaborar com o Benfica. A estória não é nova, remonta já à última época desportiva, mas, apurou o Correio da Manhã, tem novos desenvolvimentos.

Neste momento, além de uma avença na ordem dos cinco mil euros/mês, estarão já estipulados os valores a pagar ao sábio caso o Benfica concretize os dois grandes objectivos para a presente temporada: a conquista do título de campeão nacional e a vitória na Taça de Portugal valem ao médium um prémio monetário entre os 112.500 e os 175.500 euros. "

CM.


Eleições na América

Kerry/Bush - O debate: aqui

Bush - Sondagens favoráveis: aqui

Terroristas atacam Casa Branca - Ajude o Presidente aqui



Mais do mesmo.

O Público continua na senda da manipulação sobre a Casa Pia. Como melhor explicam os amigos da Grande Loja.

terça-feira, outubro 19, 2004

Cá fora.

"A polícia espanhola deteve segunda-feira à noite sete islamitas radicais presumivelmente «violentos» e suspeitos de estar a preparar um atentado em Madrid, anunciou hoje o Ministério do Interior num comunicado.Os sete detidos são argelinos e marroquinos residentes em Espanha e que, na sua maioria."

Cá fora é que eles estão bem para poderem desenvolver a sua actividade. Ganham as agências funerárias, a construção civil, o mundo…

Pois.

"Miguel Sousa Tavares tem a certeza que Marcelo Rebelo de Sousa saiu da TVI por pressão do Governo. Mesmo assim continua comentador. Que saudades de Francisco Sousa Tavares . "

António Ribeiro Ferreira


Uma boa ideia.

"Metam a bola no saco "

António Ribeiro Ferreira

Mais.

Há dúvidas?

"Em declarações aos jornalistas no fim de um colóquio em Badajoz,e depois de ter anunciado que o Ministério Público já tomou posição no sentido de "não haver publicidade do julgamento" do processo Casa Pia, marcado para o dia 25 de Novembro, o procurador sublinhou: "Voltou a dizer o que disse há uns tempos em relação às declarações para memória futura. Se este caso acontecesse em França, os miúdos tinham sido ouvidos para memória futura, obrigatoriamente. Se acontecesse em Espanha, em princípio seriam ouvidos em declarações para memória futura. Há aqui alguma hesitação no que diz respeito à protecção das vítimas da Casa Pia, que acho que não pode existir e que só existe, evidentemente, pela importância das pessoas que são acusadas."

Souto Moura acrescentou ainda: "Nos Açores, e porque prender o senhor Farfalha não é a mesma coisa que prender o senhor Carlos Cruz, e porque prender o sr. dr. Arruda não é o mesmo que prender o dr. Paulo Pedroso, houve declarações para memória futura e não houve o mínimo comentário contra, tudo correu às mil maravilhas. Em Lisboa, o que fizeram? Recusaram o juiz." "

Confirma-se


Afinal não foi golo.

Dia do Juízo final.

Deus está atarefado a despachar processos quando do Tribunal Divino chega a informação que os funcionários judiciários estão em greve. Fartos de apanhar pneumonias devido à ausência de instalações, decidiram pressionar para ser construídas paredes e acabar finalmente com as correntes de ar. Deus resolve telefonar para Júdice a queixar-se do sucedido, mas este está tão ocupado a dizer mal do sistema judicial e a comprar Quintas que não lhe liga nenhuma. Deus decide então enviar Guterres à Terra, para resolver o problema através do diálogo. Chegado ao aeroporto, Guterres descobre que não há aviões devido a uma providência cautelar interposta pelo advogado Martins. Enquanto passeava pelo aeroporto tentando descobrir uma solução, encontra Garcia Pereira a vociferar contra a concentração de poderes divinos em Deus. Mais à frente, na secção de cargas, Carvalhas assobia alegremente enquanto levanta um saco de cassetes proveniente da velha Rússia. Mais à frente, na sala de espera, Miguel Portas explica aos seus discípulos como drogar e abortar de vez em quando traz benefícios para a saúde.

Ao lado, Paulo Porta s contempla em êxtase kits militares expostos numa montra. Sonha com um submarino a afundar um barco cheios de mulheres que transporta um contentor. Mais à frente, Durão, perdão, José Manuel anda de um lado para o outro a treinar o "inglês for UE". Ao lado, Miguel Portas ensina crianças a utilizar SMS nos telemóveis. Guterres, farto de tentar dialogar com os transeuntes sem qualquer sucesso, resolve voltar para o céu e informar Deus do seu insucesso. À saída do aeroporto tropeça numa mala enorme, colocada ao lado de uma banca aonde o advogado Sá Fernandes vende talões de portagens, talões de restaurantes, extractos de chamadas de telemóveis e outros álibis, a arguidos desesperados. Num outra banca, Filipe Viera oferece copos de champanhe promovendo a venda dos seus pneus marca "Hum hum". Veiga ajuda-o, dissertando sobre as capacidades do champanhe no que é corrigido pelo menino Tonecas. Entretanto, Pinto da Costa que vem embarcar Quaresma para o Barcelona por troca com Deco, Ricardo Carvalho e Maniche, grita para Filipe Vieira e Veiga "olá a ambos os dois, penso eu de que. Ando muito mal do fígado. Excesso de champanhe. Sabem?"

Ao seu lado segue "Sousa Tavares" que pára para dar uma sessão de autógrafos, devido ao sucesso do seu último sucesso "Scolari, o maldito". Trata-se de um tratado aonde explica porque, apesar do treinador ter levado a selecção nacional a ganhar 2 euros e três mundiais, continua a não ser bom treinador. Atrás, aparece Reinado Teles com um senhor careca de bigode a promover o turismo internacional. Mais à frente, Dias da Cunha, encadeado pelo sistema de luzes é mordido pelo Bobby depois de ter pisado o Tareco. Valentim Loureiro aproveita para explicar aos polícias que aparecem para restaurar a ordem, o significado do elogio "merdas" proferido para as autoridades. Na livraria, Mário Soares oferece a Sampaio o manual "Presidente de todos os portugueses (socialistas)". Chegado à paragem do Metro, descobre que os trabalhadores desta empresa iniciaram uma greve contra o excesso de greves levado a cabo pela Carris. Decide apanhar um Táxi e partir. Chegado ao Céu, o taxista cobra-lhe 500 euros para um percurso de 100 Euros. Indignado com o roubo, Guterres começa a mandar vir com o taxista.

Este responde-lhe que 300 Euros é pelas malas e 100 euros é pelo intenso monólogo a que foi submetido. Guterres grita-lhe que não tem malas e apresenta-lhe um cartão da SIC. O taxista cai de joelhos a suplicar para não o desgraçarem visto ser o único ganha-pão da família e dá 250 Euros a Guterres para esquecer tudo. Guterres não aceita. Paga-lhe os 100 euros e vai-se embora, não sem antes receber do Taxista um poster com um lindo pântano. Mal sai do Táxi, começa a ser apedrejado por António Marinho que o confundiu com um juiz, obrigando-o assim a fugir pela rua abaixo. Cansado dos acontecimentos, decide ir ver TV para relaxar antes de fazer o relatório a Deus. Liga a SIC e observa atentamente uma reportagem sobre o novo negócio brasileiro de Fátima Felgueiras, venda de telemóveis com descontos para juízes. Muda para a TVI GOLD e encontra o Prof. Marcelo a explicar porque razão, estando um dia com céu limpo, não poderá ficar nublado e eventualmente chover a potes. Isto tudo através de gestos porque o Prof. ainda não decidiu quebrar o silêncio a que se submeteu.

Liga a RTP e encontra Louçã a explicar porque mente e não perde. Chateado, resolve ir relatar o seu insucesso. Depois de "dialogar" com ele mais de 3 horas, Deus resolve lançar um novo dilúvio para castigar a ousadia dos mortais. Mas ao abrir a torneira celestial, só cai uma gota de água. A empresa "Águas divinas" encontra-se em greve. Furioso, decide lançar fogo à Terra. Contacta o Sindicato dos Incendiários mas nada feito. Estes também encontram-se em greve, reivindicando um novo tipo de fósforos que não suje as mãos. Desesperado, Deus envia Santana à Terra. Chegado ao aeroporto, depois de muito charme, consegue um jacto particular pilotado por mulheres. Depois de aterrar na Terra, parte numa limusine para o Tribunal. A meio do caminho passa pelas Docas e resolve parar, invocando assuntos de Estado. Sentado numa das esplanadas, resolve conceber um plano para descentralizar as Docas.

Cria um novo tipo de Docas. As secas, que coloca na Amadora, para animar ainda mais a vida nocturna dos habitantes dos Bairros Cova da Moura e 6 de Maio. Para facilitar ainda mais essa diversão, despede os comandantes da Polícia local.Chega finalmente ao Tribunal, antecedido por batalhões de jornalistas, e em directo pelas TVs. Depois de muita conversa, consegue que todas as funcionárias do tribunal voltem ao trabalho com a promessa de tomar um copo na Kapital. De regresso ao aeroporto, encontra o irmão Sócrates num duelo de "capa e espada" com João Soares. Pede-lhe para não chegar atrasado às gravações do programa "Marretas" na RTP. Chegado vitorioso, começa a abrir discotecas e bares no Céu. Deus chateado com o atrevimento dele, decide, juntando o útil ao agradável, livrar-se dele e castigar um pequeno país periférico, cheio de chatos insatisfeitos e embirrentos. Chama então Santana e envia-o como primeiro-ministro cheio de boas recomendações e um retrato do Papa.

Divulgue o seu blog!